sábado, 27 de junho de 2015

MACHO E FÊMEA.

E criou Deus o homem à  sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou (Gn.1.27).

Vivemos em um mundo "democrático", onde as pessoas tem o direito de decidirem como querem viver, Deus não criou robôs humanos, mas criou o homem dotado de inteligência e livre arbítrio para tomarem suas próprias decisões e escolhas. Porém, quando os princípios éticos da palavra de Deus são quebrados (desobedecidos), haverá prejuízos e desencadeará uma série de maldição como consequência. A palavra de Deus nos diz: Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará (Gl.6.7). O sábio Salomão aconselha aos jovens, dizendo: Jovem, alegra-te na tua mocidade! Sê feliz o teu coração nos dias da tua juventude. Segue os caminhos que o teu coração indicar e todos os desejos dos teus olhos; saibas, contudo, que tudo quanto fizeres passará pelo julgamento de Deus. Sendo assim, afasta do teu coração o desgosto e a ansiedade, e pare de fazer teu corpo sofrer, pois a juventude e o vigor da mocidade passam muito rápido (Ec.11.9,10). 
Vivemos a época da modernidade em que as pessoas estão achando tudo normal, mesmo não sendo. Os princípios éticos e moral da sociedade estão sendo quebrados, um sistema anarquista está sendo implantado na sociedade do mundo moderno, as pessoas estão perdendo o respeito pelas coisas sagradas e pelos bons costumes familiar. Os Estados Unidos da América, que há décadas era considerado um pais cristão onde predominava os bons costumes e princípios éticos da palavra de Deus, entrou em decadência espiritual e está descendo a um nível a ponto de chegarem a um caos moral e espiritual. 

Há última notícia que foi divulgada no dia 26 de junho de 2015 para o mundo, diz o seguinte: 


Suprema Corte dos EUA aprova o casamento gay em todo o país.

Estados não poderão mais barrar o casamento entre homossexuais.
'O amor vence', twittou o presidente Obama para celebrar a decisão.

Numa decisão histórica, a Suprema Corte dos Estados Unidos legalizou nesta sexta-feira (26) o casamento entre pessoas do mesmo sexo em todo o país. Os 13 estados que ainda proibiam não podem mais barrar os casamentos entre homossexuais, que passam a ser legalizados em todos os 50 estados americanos. A decisão veio por cinco votos contra quatro.

O casamento tem sido uma instituição central na sociedade desde os tempos antigos, afirmou o tribunal, "mas ele não está isolado das evoluções no direito e na sociedade". Ao excluir casais do mesmo sexo do casamento, explicou, nega-se a eles "a constelação de benefícios que os estados relacionaram ao casamento".

O tribunal acrescentou: "O casamento encarna um amor que pode perdurar até mesmo após a morte". "Estaria equivocado dizer que estes homens e mulheres desrespeitam a ideia de casamento... Eles pedem direitos iguais aos olhos da lei. A Constituição lhes concede este direito", ressaltou, segundo a agência AFP.

Fonte: Do G1, em São Paulo

Quero ressaltar que nenhuma suprema corte ou poder governamental tem maior autoridade e não está acima da palavra de Deus. Eles decidem e aprovam, Deus repugna e desaprova.

Está escrito: 

Portanto, a ira de Deus é revelada dos céus contra toda impiedade e injustiça dos homens que suprimem a verdade pela injustiça humana, pois o que de Deus se pode conhecer é evidente entre eles, porque o próprio Deus lhes manifestou. Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido observados claramente, podendo ser compreendidos por intermédio de tudo o que foi criado, de maneira que tais pessoas são indesculpáveis; porquanto, mesmo havendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe renderam graças; ao contrário, seus pensamentos passaram a ser levianos, imprudentes, e o coração insensato deles tornou-se em trevas. E, proclamando-se a si mesmos como sábios, perderam completamente o bom senso e trocaram a glória do Deus imortal por imagens confeccionadas conforme a semelhança do ser humano mortal, bem como de pássaros, quadrúpedes e répteis. Por esse motivo, Deus entregou tais pessoas à impureza sexual, segundo as vontades pecaminosas do seu coração, para degradação de seus próprios corpos entre si. Porquanto trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram objetos e seres criados, em lugar do Criador, que é bendito para sempre. Amém! E, por essa razão, Deus os entregou a paixões vergonhosas. Até suas mulheres trocaram suas relações sexuais naturais por outras, contrárias à natureza. De igual modo, os homens também abandonaram as relações sexuais naturais com suas mulheres e se inflamaram de desejo sensual uns pelos outros. Deram, então, início a sucessão de atos indecentes, homens com homens, e, por isso, receberam em si mesmos o castigo que a sua perversão requereu. Além do mais, considerando que desprezaram o conhecimento de Deus, Ele mesmo os entregou aos ardis de suas próprias mentes depravadas, que os conduz a praticar tudo o que é reprovável. Então, tornaram-se cheios de toda espécie de injustiça, maldade, ganância e depravação. Estão empanturrados de inveja, homicídio, rivalidades, engano e malícia. São bisbilhoteiros, caluniadores, inimigos de Deus, insolentes, arrogantes e presunçosos; vivem criando maneiras de praticar o mal; desobedecem a seus pais; são insensatos, desleais, sem amor e respeito à família, sem qualquer misericórdia para com o próximo. E, apesar de conhecerem a justa Lei de Deus, que declara dignos de morte todas as pessoas que praticam tais atos, não somente os continuam fazendo, mas ainda aprovam e defendem aqueles que também assim procedem (Carta de Paulo aos romanos capítulo 1, versículos 18 ao 32).

O QUE DIZ A BÍBLIA, A PALAVRA DE DEUS, SOBRE O COMPORTAMENTO E PRATICA SEXUAL DO HOMEM.

Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é (Lv.18.22).

Quando também um homem se deitar com outro homem, como com mulher, ambos fizeram abominação; certamente morrerão; o seu sangue será sobre eles.” Levítico 20:13

Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus (1Co.6.10).

E, por essa razão, Deus os entregou a paixões vergonhosas. Até suas mulheres trocaram suas relações sexuais naturais por outras, contrárias à natureza. De igual modo, os homens também abandonaram as relações sexuais naturais com suas mulheres e se inflamaram de desejo sensual uns pelos outros. Deram, então, início a sucessão de atos indecentes, homens com homens, e, por isso, receberam em si mesmos o castigo que a sua perversão requereu (Rm.1.26,27).

Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira (Ap.22.15).

A bíblia não discriminar nem um tipo de pecado, todas as praticas pecaminosas são condenadas diante de Deus. Deus ama o pecador, porém, aborrece o pecado.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

CINCO MULHERES E UMA HERANÇA.

Então vieram as filhas de Zelofeade, filho de Hefer, filho de Gileade, filho de Maquir, filho de Manassés, das famílias de Manassés, filho de José; e os nomes delas são estes: Maala, Noa, Hogla, Milca e Tirza;   
apresentaram-se diante de Moisés, e de Eleazar, o sacerdote, e diante dos príncipes e de toda a congregação à porta da tenda da revelação, dizendo:   
Nosso pai morreu no deserto, e não se achou na companhia daqueles que se ajuntaram contra o Senhor, isto é, na companhia de Corá; porém morreu no seu próprio pecado, e não teve filhos.   
Por que se tiraria o nome de nosso pai dentre a sua família, por não ter tido um filho? Dai-nos possessão entre os irmãos de nosso pai (Nm.27.1-4).

AS FILHAS DE ZELOFEADE.

Macla, Noa, Hogla, Milca e Tirza. Estas cinco mulheres se organizaram e foram a Moisés; se apresentaram perante Moisés, e do sacerdote Eleazar e diante dos príncipes e de toda a comunidade de Israel. Zelofeade era o pai delas, da tribo de Manasses, a menor tribo de Israel, numericamente falando. Tendo falecido seu pai elas ficaram desprovidas de recursos para suas sobrevivência, visto que pela Lei de Moisés elas não teriam direito a herança de seu pai. Esse direito era concedido aos filhos homem, as mulheres participavam da herança dos seus irmãos. Neste caso, seu pai Zelofeade não teve filhos homem, apenas cinco mulheres.

As cinco filhas de Zelofeade estavam em luto,angustiadas, mediante a perda do pai e a incerteza do futuro. Elas eram descendentes de José do Egito, sobre elas repousava a promessa de Deus de herdar a terra prometida de Canaã. Macla, Noa, Hogla, Milca e Tirza eram conhecedoras da fé dos antepassados e da relação tão próxima de Deus com seus pais.

Após elas terem relatado o ocorrido a Moisés, ele ficou sem respostas; poderia até tê-las despedidas vazias, mas ele sensibilizado pela situação, levou o caso delas perante o SENHOR.
Diz o texto sagrado:
Moisés, pois, levou a causa delas perante o Senhor.   
Então disse o Senhor a Moisés:   
O que as filhas de Zelofeade falam é justo; certamente lhes darás possessão de herança entre os irmãos de seu pai; a herança de seu pai farás passar a elas (Nm.27.5-7).

Deus respondeu a oração de Moisés e atendeu a reivindicação das filhas de Zelofeade concedendo-lhes herança entre os filhos de Israel.

Aqui esta uma maravilhosa lição ministerial de um líder intercedendo por pessoas aflitas, necessitadas. Aqui vemos a graça e o amor de Deus atuando sobre as desigualdades sociais, quebrando paradigmas, superando a previsibilidade humana. Deus é o Governo absoluto sobre todos os governos terrenos. 
Elas se uniram e foram determinadas. A união familiar garantiu a herança. Elas tinham um objetivo comum, tinham tanto respeito e amor pelo pai que lutaram por preservar sua semente e memória. As filhas de Zelofeade são referenciais familiares para dias de crise. Elas não foram abatidas pela difícil situação, pelo contrário: se uniram a fim de se fortalecerem.

Concluímos que: As filhas de Zelofeade tinham uma causa “impossível” e foi buscando a justiça de Deus que conseguiram alcançar aquilo que só poderia ser alcançado mediante a fé. Entreguemos nossas causas a Deus, prostremo-nos diante de Seu tribunal a fim de sermos ajudados. Deus é quem estabelece a lei e muda a lei, quando os recursos humanos se esgotam e eles dizem que não tem jeito, Deus tem a última palavra, Ele entra em ação e muda a situação, porque para Deus nada é impossível. Amém!
   

sábado, 20 de junho de 2015

AS FESTAS JUNINAS E A FÉ CRISTÃ.

Os filhos apanham a lenha, e os pais acendem o fogo, e as mulheres amassam a farinha, para fazerem bolos à deusa chamada Rainha dos céus, e oferecem libações a outros deuses, para me provocarem à ira (Jr.7.18).

Este texto tem haver com as festas pagãs que a nação de Israel em ato de desobediência provocavam a ira de Deus. Eles seguiam a tradição dos povos pagãos e comungavam com eles em seus rituais de cultos aos seus deuses. Hoje não é diferente, muitos que se dizem cristãos estão se deixando levar pelas festas tradicionais e pagãs que são comemoradas anualmente.
Não são poucos os crentes que dançam quadrilha "gospel", seus filhos se vestem de matutos, participam de São João nas Escolas, etc.
... É óbvio que nenhum crente vai dizer ou declarar que se envolvem com estas festas de São João, com o objetivo de praticar a idolatria, pois estes sabem que tal procedimento, por si só, é condenada por Deus. No entanto, mesmo afirmando que não praticam a idolatria, negam com suas atitudes.
É oportuno mencionar o comportamento de certas igrejas evangélicas que, com a alegação de estarem propagando o evangelho também durante o Carnaval, festas de Natal e festejos Juninos, dedicam-se a um tipo duvidoso de evangelização exclusivamente nessa época do ano. Fazem de tudo, inclusive usam blocos comemorativos com nomes bíblicos.
Não devemos nos esquecer, no entanto, de que as estratégias evangelísticas devem ocorrer o ano todo, e não apenas em determinadas ocasiões como estas.
Será que estes “evangelizadores” destas festas também evangelizam o restante do ano? Tem coragem de pregar nos metrôs, ônibus, praças públicas, distribuir literaturas e falar do amor de Deus durante o ano todo? Ou a coragem só chega nas horas de dançarem as quadrilhas em seus forrós gospel.

AS ORIGENS DAS FESTAS JUNINAS E O SEU VERDADEIRO SENTIDO.

As festas juninas são mais antigas do que todo mundo pensa! Elas surgiram na Antiga Europa, há centenas de anos. As festas aconteciam durante o solstício de verão para comemorar o início da colheita — por isso tanta comida e bebida — e eram organizadas pelos celtas, egípcios e outros povos. Uma das deusas homenageadas era Juno, esposa de Júpiter, e as festas eram chamadas de “junônias”.

O catolicismo passou a ganhar cada vez mais fiéis na Europa e a data coincidia com o nascimento de João Batista, primo de Jesus Cristo. A Igreja Católica cristianizou a data, instituindo homenagens aos três santos do mês. As comemorações passaram a se chamar de “joaninas” (por causa de João) e os primeiros países a comemorá-las foram Portugal, Itália, França e Espanha — e até hoje elas são muito importantes no Norte da Europa.
Não se sabe se o nome “junina” é uma adaptação que veio com o tempo ou se mudou porque a festa é comemorada no mês de junho. Cada um dos países deu o seu toque à festa que conhecemos hoje em dia. Da França veio a dança, de Portugal e da Espanha veio a dança com fitas, entre outras culturas que foram se popularizando.
Na França, a dança quadrille que deu origem à nossa quadrilha.

A vinda para o Brasil.

Como é de se imaginar, a festa junina foi trazida para o Brasil pelos portugueses durante o período colonial. Por coincidência, os índios que habitavam o nosso país realizavam rituais nessa mesma época de junho para celebrar a agricultura e, com a vinda dos jesuítas, as festas se fundiram e os pratos passaram a utilizar alimentos nativos, como mandioca e milho.
As festas juninas acontecem em todo canto do país, mas podem ser divididas em dois tipos distintos: aquelas que acontecem na Região Nordeste e aquelas do Brasil caipira (inspiradas nos Estados de São Paulo, região norte do Paraná, região sul de Minas Gerais e Goiás). Elas possuem diferenças e costumes bem diferentes.
As mais tradicionais acontecem em Campina Grande (PB) e Caruaru (PE) e existe uma pequena rivalidade entre os dois Estados para ver qual delas é a melhor. Na Paraíba, a festa é conhecida como Forródromo que, como o nome sugere, é regada a muito forró. Entre as principais atrações está um desfile de jegues.

Já Pernambuco tem a Vila do Forró, que é uma réplica de uma pequena cidade do sertão pernambucano. É possível fazer uma viagem até Recife pelo Trem do Forró onde cantadores regionais, sanfoneiros e artistas de todos os tipos transitam por entre os vagões, alegrando o público e ganhando um dinheirinho extra nessa época do ano.
As festas do Brasil caipira são realizadas em quermesses com danças de quadrinha em torno da fogueira e, como não pode deixar de ser, com muita música caipira. Em todos os lugares, as mulheres usam vestidos coloridos de chita e os homens vestem camisa quadriculada e calças remendados com tecidos também cheios de cores.

OS TRÊS SANTOS.

Santo Antônio, São João e São Pedro.

Santo Antônio é o primeiro dos santos a ser homenageado no mês. Sua festa é comemorada no dia 13 de junho e ele é conhecido como o santo casamenteiro, já que ajudava as moças do século XII a conseguir o dote para realizar o tão sonhado casamento. Diversas simpatias são realizadas por mulheres que querem um namorado, noivo ou marido.

O dia de São João é o mais esperado de todos eles. A festa é realizada no dia 24 de junho e, nesse dia, existem muitas festas pelo Brasil, principalmente no Nordeste. João era filho de Isabel, prima de Maria (mãe de Jesus). Foi ele quem preparou a vinda de Cristo e batizou-o no rio Jordão.

O último santo do mês é São Pedro. Ele era um dos pescadores discípulos de Jesus e também intitulado pela igreja católica como o primeiro papa e o fundador da Igreja Católica. O catolicismo prega que é Pedro quem tem as chaves do céu. Sua festa é comemorada no final do mês de junho, no dia 29. Com ele, encerra-se as festividades desse mês tão celebrado.

OS SÍMBOLOS E ALEGORIAS DAS FESTAS JUNINAS.

OS BALÕES.

A tradição de soltar balões tem dois significados. Uns dizem que essa prática era usada para avisar que a festa iria começar. Eram soltos de cinco a sete balões para que as pessoas soubessem do início das comemorações. Os mais supersticiosos acreditam que os balões levavam os pedidos para os santos até o céu.
Porém, hoje em dia, eles não são muito comuns, já que soltar balões é proibido em muitos países, inclusive no Brasil. Isso vigora desde 1965, de acordo com o artigo 26 do Código Florestal, porque pode causar incêndios e mortes. Também está no artigo 28 da Lei das Contravenções Penais de 1941. Quem for pego soltando balões pode ir para a cadeia.

AS FOGUEIRAS.

A fogueira é um dos maiores símbolos das festas juninas
Assim como a maioria dos elementos de uma festa junina, existem dois significados para a famosa fogueira. Nas festas pagãs e indígenas, elas eram feitas para espantar os maus espíritos. Já na tradição cristã, ela tem uma explicação: Isabel teria dito à Maria (mãe de Jesus) que acenderia uma fogueira para avisá-la do nascimento de seu filho (João). Maria viu as chamas de longe e foi visitar a criança que tinha acabado de nascer.

A QUADRILHA.
 
A quadrilha é outra coisa que não pode faltar em uma festa junina. Seu nome vem de uma dança de salão francesa para quatro pares, a quadrille. Com a vinda para o Brasil, a quadrilha se popularizou e se fundiu com as danças brasileiras que já existiam por aqui, dando origem ao que conhecemos hoje em dia.
No entanto, nos dias de hoje, ela não é dançada por populares, como era antes. Ela é vista como uma atitude teatral e meramente festiva com um ideal folclórico e até mesmo acadêmico. O grupo composto por pares vestidos de caipira é aberto por um noivo e uma noiva, encenando um casamento fictício.

Elas também recebem nomes diferentes de acordo com o lugar. Em São Paulo, é conhecida como “quadrilha caipira”. No Brasil central, como “saruê”. Na Bahia, “baile sifilítico”. No Rio de Janeiro, ela chega como “mana-chica”. Em Sergipe, é simplesmente “quadrilha”. E segue outras variações dependendo do Estado.

OS RITMOS MUSICAIS.

No Nordeste, o forró é, talvez, o ritmo mais requisitado para as festas juninas, seguido pelo baião, xote, reisado, o samba de coco e outras cantigas típicas. O saudoso sanfoneiro pernambucano Luiz Gonzaga é o mais famoso músico das festas juninas.

O SANTO CASAMENTEIRO. PROMESSAS E SIMPATIAS.

Simpatias e promessas para os santos são comuns em todas as épocas do ano, mas, para os três santos homenageados em junho, agora é a hora, principalmente para Santo Antônio, já que ele é considerado o santo casamenteiro e as moças que procuram um namorado, noivo ou marido se apressam para ter tudo pronto no dia 13.
Existem várias simpatias, como colocar uma imagem de Santo Antônio de cabeça para baixo atrás da porta, dentro do poço ou até mesmo em um copo d’água (isso costuma variar entre as pessoas) e só tirá-la de lá quando o pedido é atendido. Até mesmo tirar o Menino Jesus do colo do santo e só devolvê-lo quando o namorado chegar. Algumas estátuas já são vendidas com as imagens podendo ser separadas exatamente com esse intuito.
Tirando o fato do compromisso amoroso, o catolicismo também conta com o “pãozinho de Santo Antônio”. Os frades distribuem um pão bento para as pessoas — que deve ser deixado junto aos outros alimentos para não faltar o que comer — e, em troca, os fiéis deixam suas ofertas para o santo. Comida não falta durante o ano inteiro.

OS COMES E BEBES.

Fogueiras, bebidas quentes, comidas deliciosas, música, dança e muita animação. A diversão rola solta e, normalmente, não tem hora para acabar! Muita gente espera ansiosa pelo começo de junho que é quando essas comemorações realmente aparecem por todas as partes.
Delícias juninas:
Difícil não ficar com fome em uma festa junina. Milho cozido (ou assado), pipoca, bolo de fubá cremoso (ou de milho), maçã do amor, pé-de-moleque, vinho quente, quentão, arroz-doce, canjica, chá de amendoim e muitas outras delícias (normalmente quentinhas, porque essa época do ano é bem fria) são a alma da festa.

Reparou que muitas comidas são derivadas do milho verde? Isso se deve ao fato de que junho é a época propícia para a colheita do alimento e essa tradição está presente nas festas juninas desde que ela chegou ao Brasil. Outros grãos — como o amendoim — e raízes — como a mandioca — também marcam presença nas comemorações de junho.

SÃO JOÃO, FESTA CRISTÃ OU PAGÃ? 

Não se deve misturar o santo com o profano, as festas juninas nada mais é do que uma mistura do sagrado com o profano. Quem celebra e comemora as festividades juninas está seguindo uma tradição do paganismo que foi adotada pela igreja católica. Seguir tradição do paganismo é invalidar a palavra de Deus. Jesus disse para os religiosos de sua época: Bem profetizou Isaías acerca de vós, hipócritas, como está escrito: Esse povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. Em vão, porém, me honram, ensinando doutrinas que são mandamentos de homens. Porque, deixando o mandamento de Deus, retendes a tradição dos homens... Assim invalidais o mandamento de Deus para guardardes a vossa tradição (Mc.7.6-9).

Quanto as comidas derivadas do milho que são feitas em época das festas juninas, como: Pamonha, canjica, milho assado, milho cozinhado, bolo de milho, pé de moleque e etc, nada tem de errado em comê-las, até porque é nessa época do ano que temos a colheita do milho.
O apóstolo Paulo ensinando aos irmãos da igreja em Corinto, diz: Portanto, no que se refere à comida sacrificada a ídolos, temos pleno conhecimento de que o ídolo não tem o menor significado no mundo e que só existe um Deus! Pois, ainda que haja os chamados deuses, quer no céu, quer na terra – como de fato há muitos deuses e senhores para nós, contudo, há um único Deus, o Pai, de quem tudo procede e para quem vivemos; em um só Senhor, Jesus Cristo, por intermédio de quem tudo o que há veio a existir, e por meio de quem também vivemos.
No entanto, nem todos conhecem essa verdade. Alguns, ainda acostumados com os ídolos, comem esse alimento como se fosse um sacrifício idólatra; e como a consciência deles é frágil, deixam-se contaminar. Ora, não são os alimentos que nos fazem aceitáveis diante de Deus; não nos tornaremos piores se não comermos, nem melhores se comermos. Contudo, tendes cuidado para que o exercício da vossa liberdade não se torne um motivo de tropeço para os fracos. Porquanto, se alguém que tem a consciência fragilizada vir a ti, que tens este conhecimento, comendo à mesa no templo de ídolos, não será induzido a se alimentar do que foi oferecido em sacrifício a ídolos? E, assim, esse teu irmão mais fraco, por quem Cristo também morreu, é destruído pelo teu conhecimento. Portanto, quando pecas contra teus irmãos dessa maneira, ferindo a consciência fraca deles, pecas contra Cristo. Concluindo, se o alimento que eu como induz meu irmão a pecar, nunca mais comerei carne a fim de que não seja eu a causa do pecado dele (1Co.8.4-13).

Concluímos que, devemos fazer tudo para glória de Deus. está escrito: Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus (1Co.10.31). 
"Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento." Filipenses 4:8.
"Portanto, se já  ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima e não nas que são da terra; porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus." Colossenses, 3.1-3.

segunda-feira, 15 de junho de 2015

O TEMPO DE DEUS.

Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que, a seu tempo, vos exalte (1Pe.5.6).

O tempo de Deus é diferente do nosso, isto é, no ponto de vista humano; porque Deus não depende do tempo nem é regido pelo tempo. Ele conhece o fim desde o princípio, e para Ele não existem passado presente e futuro, Ele vê e sabe tudo na mesma dimensão. Deus é Senhor do tempo, Ele nunca precisou de marcar horas nem data para realizar seus propósitos; Ele não depende da cronologia humana, o seu tempo é perfeito e completo.

KHRONOS E KAIRÓS. 

O termo Kairós refere-se tanto a um personagem da mitologia, quanto uma antiga noção grega para referir-se a um aspecto qualitativo do tempo. A palavra Kairós, em grego, significa o momento certo. Sua correspondente em latim, momentum, refere-se ao instante, ocasião ou movimento que deixa uma impressão forte e única para toda a vida.

Na estrutura temporal da civilização moderna, geralmente se emprega uma só palavra para significar o "tempo". Os gregos antigos tinham duas palavras para o tempo: khronos e kairos. Enquanto khronos refere-se ao tempo cronológico, ou sequencial, o tempo que se mede, e kairos é um momento indeterminado no tempo em que algo especial acontece, a experiência do momento oportuno. É usada também em teologia para descrever a forma qualitativa do tempo, o "tempo de Deus", enquanto khronos é de natureza quantitativa, o "tempo dos homens".

Kairós refere-se a uma experiência temporal na qual percebemos o momento oportuno em relação à determinado objeto, processo ou contexto. Em palavras simples, diríamos que Kairós revela o momento certo para a coisa certa. Kairós simboliza o instante singular que guarda a melhor oportunidade, ele é o momento crítico para agir, a ocasião certa, a estação apropriada.

Na teologia cristã, em síntese pode-se dizer que khronos, é o "tempo humano", é medido em anos, dias, horas e suas divisões. Enquanto o termo kairos, que descreve "o tempo de Deus", não pode ser medido, pois "para o Senhor um dia é como mil anos e mil anos como um dia”(2Pe.3.8).

DEUS TEM UM TEMPO DETERMINADO PARA AGIR.

Então o SENHOR falou a Abrão: “Sabe, com toda a certeza, que a tua posteridade será peregrina em terra alheia, e será reduzida à escravidão, e será afligida por quatrocentos anos. Contudo Eu julgarei e castigarei a nação que a fizer sujeitar-se à escravidão; e depois de muitas aflições, teus descendentes sairão livres, levando muitas riquezas! Tu, porém, gozarás de uma velhice abençoada, morrerás em paz, serás sepultado e irás reunir-te com os teus pais no mundo dos mortos. Depois de quatro gerações, teus descendentes retornarão para estas terras; porquanto não expulsarei os amorreus até que eles se tornem tão malignos, que mereçam ser severamente castigados (Gn.15.13-16).

Ora, a permanência dos filhos de Israel no Egito durou quatrocentos e trinta anos. Exatamente no dia em que se completaram os quatrocentos e trinta anos, todos os exércitos do SENHOR abandonaram o Egito (Ex.12.40,41).

Portanto, assim afirma o SENHOR dos Exércitos: ‘Visto que não destes ouvidos às minhas palavras, chamarei todos os povos do Norte’, diz o SENHOR, ‘como também Nabucodonosor, rei da Babilônia, meu servo, e os trarei sobre esta terra, sobre os seus moradores e sobre todas estas nações em redor. Eu os destruirei totalmente e farei que se tornem alvo de terror, de zombaria, vergonha e perpétua desolação. Farei cessar dentre eles a voz de exaltação, de júbilo e grande alegria; a voz do noivo e a voz da noiva, o som do moinho e a luz do candeeiro. Toda esta terra se transformará em um monte de entulho e tristeza; e estas nações servirão ao rei da Babilônia por um período de setenta anos.
Quando se completarem os setenta anos, julgarei e agirei contra o rei da Babilônia e a sua nação, a terra dos caldeus e babilônios, por causa de suas próprias iniquidades’, diz o SENHOR, ‘e deixarei esta terra completamente arrasada para sempre. Cumprirei naquela terra tudo o que adverti que faria contra ela, exatamente tudo o que está escrito neste livro e que Jeremias profetizou contra todas as nações! Porquanto os próprios babilônios serão feitos de escravos por muitas nações e grandes reis; Eu lhes pagarei conforme as suas atitudes e as suas obras!’(Jr.25.8-14).

 

“Assim diz o SENHOR: ‘Quando se completarem os setenta anos da Babilônia, Eu cumprirei a minha promessa a vosso favor, de trazer-vos de volta para este exato lugar. Porquanto somente Eu conheço os planos que determinei a vosso respeito!’, diz o SENHOR, ‘planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dor e prejuízo, planos para dar-vos esperança e um futuro melhor (Jr.29.10,11).

No primeiro ano de Dario, filho de Assuero em hebraico, Xérxes, em persa, da linhagem dos medos, foi constituído rei sobre todo o povo caldeu babilônio, no primeiro ano do seu governo real, eu, Daniel, compreendi mediante a leitura atenta das Sagradas Escrituras, de acordo com a Palavra do SENHOR, concedida ao profeta Jeremias, que a desolação de Jerusalém iria durar setenta anos (Dn.9.1,2).

Então o SENHOR enviou ao rei Acaz esta outra mensagem: “Pede um sinal miraculoso ao SENHOR, o teu Deus, seja das profundezas do Sheol, seja das mais elevadas alturas!” Acaz, entretanto, respondeu: “Não pedirei nada, não colocarei o SENHOR à prova!” Então falou Isaías: “Ouvi vós, todos os descendentes da Casa de Davi! Parece-vos pouco o fatigares e provares a paciência dos homens? Agora quereis também abusar da paciência do meu Deus? Pois sabei que o Eterno, o Senhor, ele mesmo vos dará um sinal: Eis que a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o Nome dele será Emanuel, Deus Conosco! (Is.7.10-14).

Todavia, quando chegou a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido também debaixo da autoridade da Lei, para resgatar os que estavam subjugados pela Lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos (Gl.4.4,5).

O tempo humano nunca será igual ao tempo de Deus, o tempo de Deus é perfeito, completo e extraordinário. Muitas vezes por não entendermos o tempo de Deus, nos desesperamos e agimos precipitadamente; porém Ele diz na sua palavra: “Porque, os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, e os vossos caminhos não são os meus caminhos!” Diz o SENHOR.
“Assim como os céus são mais altos do que a terra, também os meus caminhos são mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos.
Como a chuva e a neve descem dos céus e não retornam para eles sem regarem a terra e fazerem-na brotar e florescer, a fim de que ela produza sementes para o semeador e pão para os que dele se alimentam,
assim também acontece com a Palavra que sai da minha boca: Ela não voltará para mim vazia, mas realizará toda a obra que desejo e atingirá o propósito para o qual a enviei (Is.55.8-11). Amém!
No tempo de Deus tudo vai se cumprir, porque o tempo de Deus é perfeito, vale a pena esperar.

sábado, 13 de junho de 2015

O PERFIL DO HOMEM DE DEUS.

Sucedeu também um dia que, indo Eliseu a Suném, havia ali uma mulher rica, a qual o reteve a comer pão; e sucedeu que todas as vezes passava, ali se dirigia a comer pão. E ela disse ao seu marido: Eis que tenho observado que este que passa sempre por nós é um santo homem de Deus (2Rs.4.8,9).

Eliseu era realmente um homem de Deus. Seu nome significa "Deus é Salvação". O sucessor de Elias foi um profeta exemplar. Seu trabalho profético, nos reinados de Jeroão, Jeú e Jeoacaz, que estão registrados no livro de 2º Reis, mostrou a corte idólatra e ao sacerdócio o mesmo espírito de oposição que inspirara Elias.

A sunamita se revela uma mulher observadora, atenta a detalhes, vigilante, e não emocionalmente levada por uma simples "aparência" de "santo homem".

Não era a primeira vez que Eliseu passara próximo a esta mulher e seu marido. Ele já estava na observação apurada da sunamita que viu em seu viver, seu caráter, seu comportamento, que ele excedia em muito a outros que talvez já tivessem passado por ela se intitulando homens de Deus. Eliseu passou pelo crivo crítico de uma mulher rica, que não atentava para outros interesses, senão o de avaliar a santidade, a diferença na estrutura de homem de Deus, muito além das aparências religiosas.
Outro detalhe a observar é que Eliseu não adiantou nenhum tipo de bajulação a esta mulher pelo fato dela ser rica. Eliseu não estava nem aí se ela fosse pobre, milionária, mas "passava" por ela e seu esposo, sem nada pedir, sem aproveitar da posição e poder aquisitivo dela. E isso despertou a observância da mulher sunamita na vida santa sem interesses da parte de Eliseu.

Nos dias de hoje qual homem poderíamos hospedar em nossa casa, com a garantia de ser realmente um"santo homem de Deus", sem sofrermos decepções? Pelas aparências vemos todos os dias inúmeros pregadores pulando, sapateando, falando em línguas estranhas, tentando a todo custo passar a imagem de um "santo homem". As desilusões não são poucas de quem cai nas lábias de muitos destes que aparentam santidade. Não são poucos que já foram vítimas destes pseudos "homens de Deus" que passam Cheques sem fundos, pedem dinheiro emprestado e nunca paga e decepcionam lares, irmãos e igrejas. Homens que são um verdadeiro furacão de "poder" no púlpito, e entregam revelações e visões que nos deixam boquiabertos, e depois novamente ficamos boquiabertos, com estes mesmos homens, com o rastro que eles deixam de golpes aplicados em comércios, nas pessoas e até em igrejas. É triste, mas é verdade! Muitos já viveram esta amarga experiência de confiar no homem que se diz de Deus.

SETE CARACTERÍSTICAS DE UM HOMEM DE DEUS.

1. É UM HOMEM DE CARÁTER.

Estamos vivendo tempos difíceis onde se faz necessário que os homens de Deus façam a diferença. A bem da verdade percebemos que homens de caráter estão quase em extinção.
Muitos conseguem se simpáticos com o povo, tem carisma mas não tem caráter. A lepra de Geazi é mais manifesta nos dias de hoje do que o caráter de Eliseu, como santo homem de Deus. Isto é fato.

2. É UM HOMEM HUMILDE, NÃO LOUVA A SI MESMO.

Muitos dos que se dizem homens de Deus, vivem louvando a si mesmos, se acham poderosos, auto suficiente e vivem em busca de aplausos. Sobre isto o apóstolo Paulo escrevendo aos corintios, diz: Porque não é aprovado quem a si mesmo se louva, mas, sim, aquele a quem o Senhor louva (2Co.10.18). O verdadeiro homem de Deus, diz como João Batista: É necessário que Ele (Jesus) cresça, e que eu diminua (Jo.3.30). O homem não pode receber coisa alguma, se lhe não for dada do céu (Jo.3.27). A humildade e a dependência de Deus, é a verdadeira marca de um homem de Deus. Amém!

3. NÃO OSTENTA PODER, FORTUNA E FAMA.

Nos tempos da bíblia e em épocas passadas os homens de Deus eram reconhecidos pelo seu caráter e nível de comunhão com Deus; hoje muitos muitos dos que são considerados homens de Deus, são reconhecidos por ostentarem poder financeiro, por estarem na mídia e serem famosos. Muitos são famosos, mas não são bem sucedidos, muitos estão ricos, mas são pobres espiritualmente, muitos tem fama de que vivem, mas estão mortos espiritualmente. A fama, o poder e a riqueza tem sido a preocupação de muitos; porém o apóstolo Paulo escrevendo ao pastor Timóteo, diz: batalhas constantes entre aqueles que têm a mente corrompida e que são privados da verdade, os quais imaginam que a piedade é fonte de lucro.
De fato, a piedade acompanhada de alegria espiritual é grande fonte de lucro. Porque ingressamos neste mundo sem absolutamente nada, e ao partirmos daqui, nada podemos levar; por isso, devemos estar satisfeitos se tivermos com o que nos alimentar e vestir. No entanto, os que ambicionam ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitas vontades loucas e nocivas, que atolam muitas pessoas na ruína e na completa desgraça. Porquanto, o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males; e por causa dessa cobiça, alguns se desviaram da fé e se atormentaram em meio a muitos sofrimentos. Porém, tu, ó homem de Deus, foge dessas ciladas e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência e a mansidão. Combate a boa batalha da fé. Toma posse da vida eterna, para a qual foste convocado, tendo já realizado boa confissão diante de muitas testemunhas (1Tm.6.5-12).

4. NÃO É SOBERBO NEM ORGULHOSO.

A soberba e o orgulho tem destruído a vida muitas pessoas. No livro de provérbios está escrito: A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda (Pv.16.18). Muitos começam com humildade e seguem na dependência de Deus; outros com o passar do tempo, após terem atingido sucesso ministerial e estarem bem sucedido financeiramente, sobem no pedestal da soberba e do orgulho e não buscam mais a direção nem a dependência de Deus. A exemplo disso nós temos na bíblia o rei Uzias. A bíblia diz: E os amonitas deram presentes a Uzias, e o seu renome foi espalhado até à entrada do Egito, porque se fortificou altamente... E voou a sua fama até muito longe, porque foi maravilhosamente ajudado até que se tornou forte. Mas, havendo-se já fortificado, exaltou-se o seu coração até se corromper; e transgrediu contra o SENHOR, seu Deus, porque entrou no templo do SENHOR para queimar incenso no altar do incenso (2Cr.26.8,15,16). Um verdadeiro homem de Deus, não deve ser soberbo; ser soberbo é não ter maturidade, e como consequência cai na condenação do Diabo. O apóstolo Paulo escrevendo acerca das qualificações para quem vai exercer o ministério pastoral, diz: Não neófito, para que, ensoberbecendo-se,  não caia na condenação do Diabo (1Tm.3.6). Infelizmente, a síndrome de Lúcifer tem atingido muitos ministérios e pastores, muitos homens de Deus destruíram seus ministérios por terem deixado a soberba e o orgulho dominarem o seu coração.

5. NÃO SE VENDE EM TROCA DE BENEFÍCIOS.

Infelizmente, para tristeza nossa, não são poucos os pastores e líderes de igrejas que em época de eleição se vendem para política e negociam com os políticos os votos da membresia da igreja em troca de favores. Bem como alguns pregadores que cobram cachês altíssimos para pregarem, e só pregam se o dinheiro for depositado com antecedência na sua conta. Eliseu como homem de Deus, não aceitou os presentes ofertados em ouro e prata pelo general Naamã após ter sido curado da sua lepra (2Rs.5.15,16). Infelizmente, muitos estão com a lepra de Naamã (em pecado), por estarem negociando as coisas de Deus para benefícios próprio.

6. NÃO AGI COM PARCIALIDADE E NÃO DISSIMULA O PECADO.

Basta se converter alguém de poder aquisitivo na igreja que as bajulações são infinitas. Mais que rapidamente o membro rico da igreja sobe de cargo e senta no púlpito como se tivesse pago por anos a fio o mesmo preço dos irmãos mais pobres da igreja. Pregadores, evangelistas e pastores traçam elogios e pouco fiscalizam a vida do membro que tem dinheiro. Não importa se ele vai a praia, se usa bermuda, se vive  e não segue à risca a sã doutrina da igreja. O dízimo dele o redime destes e de outros "pecados". Quando você elogia e dissimula o pecado, as pessoas lhe abraçam; mas quando você não tolera e denuncia, todos se afastam. Pense nisso.

7. É UM EXEMPLO PARA SUA GERAÇÃO.

Eis que há nesta cidade um homem de Deus, e homem honrado é, tudo quanto diz sucede assim infalivelmente, vamo-nos agora lá; porventura, nos mostrará o caminho que devemos seguir (1Sm.9.6). Um verdadeiro homem de Deus ele serve de exemplo, ele é um paradigma e serve de espelho pelos seus bons princípios e comportamentos. A nossa geração está perdendo valores em termo de bons princípios, muitos que antes serviam de bons exemplos estão removendo os marcos antigos, estão quebrando os bons princípios e não servem mais como paradigmas. A geração atual está clamando por homens de Deus que façam a diferença e sirvam de exemplo.

Conclusão: Que a nossa vida cristã, como membros, obreiros e líderes, venha a se espelhar em Jesus, nosso Senhor e Mestre, e que o nosso caráter de homem de Deus seja manifesto a todos. Amém!  

sábado, 6 de junho de 2015

HUMILDADE, UMA QUESTÃO DE HONRA.

O temor do SENHOR é a instrução da sabedoria, e diante da honra vai a humildade (Pv.15.33).

A humildade é uma virtude rara de se encontrar nas pessoas, tem pessoas que fingem ser humildes, mas não são. A humildade não está caracterizada pela classe social das pessoas ou pelas suas vestes, nem pelo seu jeito manso de falar ou andar. A verdadeira humildade parte do coração e é demonstrada com gestos verdadeiros. A humildade é o oposto da soberba, da arrogância e da presunção. Tem pessoas que desde a sua índole traz consigo essa virtude; outras se deixam lapidar pelas experiências da vida e conseguem ser humilde, porém há pessoas que nunca irão conseguir esta virtude, visto que o seu ego não lhes deixam ser flexível nem se dobrar quando necessário.
Humildade: uma virtude com má reputação.
Em nossa sociedade a pessoa humilde não é bem vista, dela diz-se que não tem ambição nem garra, é fraca de personalidade, que não sabe se impor, é tida como boba, idiota, que não sabe aproveitar as oportunidades e chances que a vida lhe dá e se deixa ultrapassar pelos outros. Não se apega às conquistas conseguidas, não se agarra ao prestígio e ao poder dela emanados, mas deles se afasta, deixando o caminho livre para os adversários e concorrentes.
Neste mundo nos esbarramos no orgulho, na vaidade, nas relações de poder sobre o outro, na soberania, na arrogância, resvalando-nos em pessoas fracas, com relações doentes, sem respeito a si e aos outros, incapazes de amar e serem amadas. Muitos fecham os olhos a simplicidade engrandecendo o ar de superioridade alimentado pela hipocrisia do dia a dia, considerando a humildade como fraqueza, desconsiderando a real característica do humilde que se relaciona ao respeito, gentileza, sensibilidade, graciosidade e simplicidade. Quem é humilde valoriza as pequenas e grandes conquistas, são dignos e tratam os outros com dignidade.

AS CARACTERÍSTICAS DE UMA PESSOA HUMILDE.

O nosso grande exemplo de humildade foi e é Jesus. Ele disse: Aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração (Mt.11.29). Há um detalhe; é preciso diferenciar humildade de covardia. Deixa de denunciar o erro, ser omisso e não falar a verdade quando necessário é ser covarde e não humilde. O próprio Jesus, sendo manso e humilde de coração, não tolerou os que faziam negócio como vendedores e cambistas dentro do templo (Mt.21.12,13). Moisés na sua época era o homem mais manso da terra (Nm.12.3). Todavia quando ele desceu do monte com as duas tábuas de pedra nelas escritas os dez mandamentos pelo próprio Deus, e viu o povo entregue ao pecado e desviado do caminho de Deus, ele irou-se e as quebrou como sinal de protesto e mandou matar os idólatras (Ex.32.15-29). A humildade não dissimular nem tolera o pecado e detrimento de favores.

O HUMILDE NÃO LOUVA A SI MESMO.

Porque não é aprovado quem a si mesmo se louva, mas, sim, aquele a quem o Senhor louva (2Co.10.18).

O HUMILDE NÃO TOCA TROMBETA QUANDO AJUDA ALGUÉM.

Guardai-vos de fazer a vossa caridade e obras de justiça diante dos homens, com o fim de serem vistos por eles; caso contrário, não tereis qualquer recompensa do vosso Pai que está nos céus.
Por essa razão, quando deres um donativo, não toques trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas, nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Com toda a certeza vos afirmo que eles já receberam o seu galardão (Mt.6.1,2).

O HUMILDE PERDOA.

Antes, sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo (Ef.4.12).

O HUMILDE SE CONSIDERA O MENOR.

Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo (Fp.2.3).

O HUMILDE GOSTA DE SERVIR E FAZ TUDO PARA GLÓRIA DE DEUS.

Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus (1Co.10.31).

PROMESSAS DE DEUS PARA OS HUMILDES.

“Bem-aventurados os pobres em espírito, pois deles é o Reino dos Céus (Mt.5.3).

A recompensa ao temor do SENHOR e ao comportamento humilde são a riqueza, a honra e a vida! (Pv.22.4).

A soberba do homem o abaterá, mas o humilde de espírito obterá honra (Pv.29.23). 

Antes dá maior graça. Portanto, diz: Deus resiste aos soberbos, dá porém, graça aos humildes (Tg.4.6).

E o que a si mesmo se exalta será humilhado; e o que a si mesmo se humilha será exaltado (Mt.23.12).

FRASES SOBRE HUMILDADE.

Cada vez que você subir um degrau NO SUCESSO, suba dois na HUMILDADE.

A HUMILDADE não te faz melhor que ninguém, mas te faz diferente de muitos.

JESUS, o maior líder da história, demonstrou que... É a HUMILDADE que nos torna GRANDES!!!

O dinheiro faz homens ricos, o conhecimento faz homens sábios e a HUMILDADE faz grandes homens.

Se fôssemos mais HUMILDES e éticos teríamos menos problemas.
   

terça-feira, 19 de maio de 2015

AS TRÊS FASES NA VIDA DO CRISTÃO.

No dia da prosperidade, goza do bem, mas, no dia da adversidade, considera; porque também Deus fez este em oposição àquele, para que o homem nada ache que tenha de vir depois dele (Ec.7.14).

Todo cristão verdadeiro passará um dia por três fases na sua vida: A fase do deserto, a fase do vale, a fase do monte. Nesta vida nós enfrentamos muitos desafios e passamos por muitas adversidades, há momentos que estamos em cima, outras vezes estamos em baixo. Há tempo de crise e tempo e tempo de prosperidade; há tempo de perder e tempo de ganhar, as vezes somos derrotados, mas também triunfamos e somos vitoriosos.

DESERTO.

Um dia você passará pelo deserto.
Deserto. Lugar de provação onde tudo é difícil. Estando no deserto vem a angustia, o medo, a necessidade, a solidão, a expectativa, as frustrações, os sonhos não realizados e a vontade de desistir. Quando estamos no monte de Deus, em lugar de destaque, temos muitos amigos. Mas, quando estamos no deserto, lugar de provação, somos abandonados e ficamos só. Porém, Deus não nos deixa, Ele está com você e vai fazer do seu deserto uma fonte de bênçãos.
Deserto:
Lugar de aprendizado (faculdade de Deus).
Lugar de mudança de caráter.
Lugar de provação.
Lugar de provisão.
Lugar de experiências profundas com Deus.
E apascentava Moisés o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote em Midiã; e levou o rebanho atrás do deserto e veio ao monte de Deus, a Horebe (Ex.3.1).
Depois que você atravessar o deserto e chegar no monte de Deus, Deus irá se revelar e a história da sua vida vai mudar.

VALE.

Um dia você passará pelo vale.
Vale. É uma Depressão ou planície entre montanhas. O vale de Deus é lugar de isolamento, lugar de solidão, lugar de aflição, lugar de ficar a sós com Deus, lugar de comunhão. Quando estamos no vale, lugar de provação, somos abandonados e ficamos só. 
O vale é um lugar de abandono, onde as pessoas esquecem de você. No vale você não tem amigos, não tem parentes, não tem conselheiros. No vale você aprender a estar a sós com Deus. Ali você ora, chora, geme, clama, busca, passa pelo estreito de Deus.Você luta como Jacó lutou com o anjo até ao raiar da amanhã. Mas temos um amigo fiel que não nos deixa, seja no deserto ou no vale, Ele (Jesus), está contigo.
Deus falou com o profeta no vale, e fala contigo também. E a mão do SENHOR estava sobre mim ali, e ele me disse: Levanta-te e sai ao vale, e ali falarei contigo (Ez.3.22).
O vale é inevitável na nossa vida, tem tempo que estamos passando pelo vale, tem tempo que estamos atravessando o deserto e tem tempo que estamos em lugares altos.
Se você está no vale, não se apresse em sair, porque Deus vai falar contigo e vai te exaltar no monte. Amém!

MONTE.

Um dia você estará no monte.
Monte, um alto relevo que se destaca da planície. Sendo o monte de Deus, no sentido espiritual, é lugar de exaltação, lugar de destaque, lugar de visão ampla, lugar de vitória. Porém temos que entender: Antes de chegarmos no monte da vitória, teremos que atravessar o deserto da aflição e passar pelo vale da provação. Temos exemplos na bíblia de homens e mulheres que passaram pelo deserto, atravessaram os vales e chegaram no monte de Deus e foram vitoriosos. Deus te leva para o deserto, te faz passar pelo vale da provação, porém Ele vai te exaltar no monte.
Quem atravessa o deserto, passa pelo vale e chega ao monte de Deus, terá a aprovação de Deus e a história da sua vida será mudada para glória de Deus. Muitas vezes Deus nos leva para o deserto e nos permite passar pelo vale, porque ele quer nos exaltar no monte. Estando no monte de Deus, tudo vai bem, e tudo vai dá certo.
Estando no monte, você vai olhar e dizer: Verdadeiramente Deus esteve comigo e não me desamparou.
Onde você está agora?
No deserto?
No vale?
Ou no monte
Em qualquer dessas fases que você estiver passando, saiba que Deus está contigo. Amém!