sábado, 27 de agosto de 2016

Cristo, a Verdade que Liberta

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (João, 8.32).

A escravidão é a pior coisa que pode existir na vida do ser humano. Viver na escravidão é ser servo daquilo ou daquele que lhe domina. Vivemos em um mundo escravizado pelo domínio do pecado, a cada dia que passa o pecado se multiplica e as pessoas vão sendo dominadas pelo pecado. O pecado tem suas facetas e ele escraviza as pessoas de todos os níveis e classes sociais, ele corrompe e coroe como um câncer, levando o ser humano a ruína, causando-lhe morte espiritual, morte física e morte eterna. Está escrito: Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus, nosso Senhor (Romanos, 6.23). Jesus Cristo é a única verdade absoluta que pode libertar a humanidade dos seus delitos e pecados. Apenas crê em Jesus não resolve, é preciso aceita-lo como único e suficiente Senhor e Salvador e viver permanentemente na sua palavra. Jesus Cristo é o único grande libertador para este mundo perdido e escravizado pelo pecado.

CINCO AÇÕES EFICAZES DA VERDADE:

1. A VERDADE LIBERTA.

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (João, 8.32).
 
2. A VERDADE SANTIFICA.

Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade (Jo.17.17).

3. A VERDADE PURIFICA.

Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra (Sl.119.9).

4. A VERDADE REGENERA.

Segundo a sua vontade, Ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como primícias das suas criaturas (Tiago,1.18).
Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva e que permanece para sempre (1Pedro,1.23). 

5. A VERDADE PROTEGE.

Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas estarás seguro; a sua verdade é escudo e broquel (Sl.91.4).

CONCLUSÃO:
Não insista em permanecer sendo escravo do pecado, você não é livre porque peca, você é escravo porque o pecado lhe domina. Entregue sua vida a Jesus Cristo, e Ele te libertará de todo pecado. Está escrito: Mas, se andarmos na luz, como Ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado (I João, 1.7). Amém!

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

AS ARMADURAS DE DEUS

Finalmente, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder! Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do Diabo; Porquanto, nossa luta não é contra seres humanos, e sim contra principados e potestades, contra os dominadores deste sistema mundial em trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no mau e, havendo feito tudo, ficar firmes (Efésios, 6.10-13).

O apóstolo Paulo, depois de ter exortado e ensinado os irmãos da igreja em Éfeso, finaliza sua carta orientado aos irmãos a fortalecer-se no Senhor e revestir-se de toda a armadura de Deus. Ele nos fala sobre uma luta espiritual contra inimigos invisíveis, mas real. Nesta batalha espiritual, Paulo nos aconselha a tomarmos toda armadura de Deus para que possamos resistir com firmeza e perseverança as investidas de Satanás. Paulo compara a nossa guerra espiritual como um campo de batalha minado por inimigos cruéis e sagas que vem para destruir o exército inimigo. Ele cita alguns acessórios de guerra usados pelos exércitos romano e grego e nos ensina que precisamos estar revestidos com toda armadura de Deus.   

1. CINTURÃO DA VERDADE.

Estai, pós, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça (Ef.6.14).
O cinturão é um acessório usado para dar sustentação e garantir segurança. Sendo assim quem anda na verdade estar seguro e não teme as investidas do inimigo. A verdade é uma arma poderosa contra toda a falsidade, engano e mentira. Vivemos em um  mundo de enganos onde a mentira tem predominado na vida de muitas pessoas. Infelizmente, o diabo, pai da mentira, tem obtido êxito com a mentira e muitos estão dominados por este mal. Todavia a mentira não prevalece diante da verdade. Assim está escrito: Porque nada podemos contra a verdade, senão pela verdade (IICo.13.8).     

2. COURAÇA DA JUSTIÇA.

Estai, pós, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça (Ef.6.14).
A couraça é um acessório de guerra que serve para proteger a parte frontal, ela reveste o dorso e o peito contra possíveis ataques do inimigo.
A couraça da justiça é a Justiça de Deus que nos é oferecida, e nos protege dos ataques e acusações do inimigo.
Quando aceitamos a Jesus Cristo, como único e suficiente Salvador, Deus nos purifica de todo pecado. Quando somos perdoados e justificados por Deus, acontece algo maravilhoso. Deus toma nossos pecados, nossos trapos de imundície, nos perdoa e lança os nossos pecados nas profundezas do mar (Miquéias, 7.19). Ele nos veste da justiça de Jesus, e ao mesmo tempo, cancela todas as nossas dívidas. Portanto quando Deus olha para nós Ele vê a justiça de Jesus, e não os nossos pecados.
A couraça da justiça serve para nos proteger contra os ataques do inimigo (satanás), que vem para matar, roubar e destruir. A grande estratégia do diabo é lançar dúvidas em nossa mente e deixar o nosso coração temeroso. Porém, a bíblia nos recomenda dizendo: Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as saídas da vida (Pv.4.23).
Portanto, é preciso estarmos revestidos com a couraça da justiça de Deus, para nos protegermos contra os ataques do inimigo.

3. O CAPACETE DA SALVAÇÃO.

Tomai também o capacete da salvação... (Ef.6.17).
O capacete é um acessório que serve para proteger a cabeça, geralmente numa possível queda ou ataques ofensivo do inimigo. Os soldados romanos usavam para proteger uma das partes mortais do corpo, que é o crânio. Na nossa  guerra espiritual, o diabo vem para atacar nossa mente e nos trazer pensamentos negativos, duvidosos e muitas vezes impuros. Ele arma as suas ciladas e forma as suas fortalezas para tentar nos destruir. Porém nos temos armas poderosa da parte de Deus para vencer as fortalezas de satanás. Assim está escrito: Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas, sim, poderosas em Deus, para destruição das fortalezas (IICo.10.4). 
Portanto devemos tomar o capacete da nossa salvação e manter a nossa mente firme em Deus, convictos da nossa salvação e fé em Deus.
Está escrito: Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti. Confia no SENHOR perpetuamente; porque o SENHOR Deus é uma rocha eterna (Isaías, 26.3,4).

4. O ESCUDO DA FÉ.

Tomando sobre tudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todas os dardos inflamados do maligno (Ef.6.16).
O escudo é um acessório de guerra que os soldados romanos usavam para se proteger contra os ataques do exército inimigo. A expressão de Paulo: "Com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno". Era porque as flechas que eram lançadas, eram flechas incendiárias, que vinham ardendo em fogo para ferir e queimar completamente o guerreiro opositor. 
Na nossa guerra contra satanás não é diferente, ele vem furioso ardendo em ódio e maldade contra nós, disparando as suas setas malignas, porém Deus é o nosso Escudo. Assim está escrito: Mas tu, SENHOR, és o escudo que me protege, minha glória e o que me ergue a cabeça (Sl.3.3). 
Estamos abrigados e protegidos em Deus, revestidos do escudo da fé e não tememos as flechas de satanás. 

5. CALÇADOS DO EVANGELHO.

E calçados os pés na preparação do evangelho da paz (Ef.6.15).
O calçado é um acessório que serve para proteger os pés de possíveis obstáculos que aparecem no caminho. Nesta citação Paulo nos remete para o livro do profeta Isaías, que diz: Quão suave são sobre os montes os pés do que anuncia as boas-novas, que faz ouvir a paz, que anuncia o bem, que faz ouvir a salvação, que diz a Sião: O teu Deus reina! (Is.52.7).
Geralmente um anunciador de boas-novas vai a lugares difíceis, seja nos montes, nos vales, em lugares desertos, na cidade ou até mesmo entre os que estão em prisões. Assim está escrito: Tu, anunciador de boas-novas a Sião, sobe a um monte alto. Tu, anunciador de boas-novas a Jerusalém, levanta a voz fortemente; levanta-a, não temas e diz às cidades de Judá: Eis aqui está o vosso Deus (Is.40.9). E o anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Levanta-te e vai para a banda do sul, ao caminho que desce de Jerusalém para Gaza, que está deserto (Atos, 8.26).
Calçar os pés na preparação do evangelho da paz, implica em viver o evangelho e estar sempre preparado e condicionado a pregar a mensagem do evangelho em qualquer ocasião. Isto é uma afronta ao reino das trevas.

6. ESPADA DO ESPÍRITO.

Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus (Ef.6.17).
Entre todos os acessórios de proteção e defesa, a espada é uma arma poderosa e ofensiva em uma guerra.
Deus dispõe para nós, soldados do seu grande Exército, um arsenal de armas poderosas, entre elas a ESPADA DO ESPÍRITO. Jesus nos deu o exemplo: Ele venceu satanás com a palavra de Deus (a espada do Espírito), Mateus capítulo 4. O diabo fica apavorado, ele entra em pânico, quando encontra um soldado adestrado para a guerra e sabe fazer uso desta arma poderosa. 
Assim está escrito: Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade (II Timóteo, 2.15). 
Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão da alma, e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração (Hebreus, 4.12). 
Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas, sim, poderosas em Deus, para destruição das fortalezas (II Coríntios, 10.4). 
Que possamos ter a palavra de Deus, na memória e no coração, afim de combater o mal e vencê-lo.


7. ORAÇÃO E VIGILÂNCIA.

Orando em todo o tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos (Ef.6.18).
Em última instância Paulo também cita a oração acompanhada da vigilância como uma arma poderosa na nossa luta cotidiana contra as forças do mal. Jesus foi o nosso maior exemplo de oração, como homem, ele vivia em constante oração. 
A oração deve ser parte integrante da nossa vida de comunhão com Deus. Quando nós oramos o campo de ação do diabo diminui, quando deixamos de orar a sua atuação é completa e ficamos sem forças para combatê-lo. Assim está escrito: Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bradando como leão, buscando a quem possa tragar (II Pedro, 5.8).
Certo pregador disse: O diabo rir das nossas pregações, zomba da nossa sabedoria, despreza nossos títulos e status, mas ele teme e treme diante de um crente de oração. 

Enfim, que possamos tomar posse de todas as armaduras que Deus dispõe para nós, para que possamos continuar lutando nesta guerra sem tréguas e sermos sempre vencedores. Amém!
 

domingo, 14 de agosto de 2016

O Grande EU SOU

... Porque, se não crerdes que eu sou, morrereis em vossos pecados. Em verdade, em verdade vos digo que, antes que Abraão existisse, eu sou (João, 8.24,58).

Esta expressão EU SOU, aparece várias vezes no texto sagrado e é usada repetidas vezes pelo próprio Deus. Este termo eu sou, quando falado por Deus, significa dizer: Aquele que é auto existente, que tem vida por si mesmo, a fonte de onde emana a vida. Quando Deus chamou Moisés para libertar o seu povo do Egito, Moisés questionou a Deus e perguntou: Quando vier aos filhos de Israel e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós; e eles me disserem: Qual é o seu nome? Que lhes direi? Disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós (Ex.3.13,14). Deus como EU SOU, estava dizendo a Moisés, aos filhos de Israel, a Faraó e a toda nação do Egito que Ele é auto existente, Soberano e Eterno. Passado os tempos, cerca de 1.400 anos depois do êxodo, vem Jesus Cristo sendo o próprio Deus, e durante o seu ministério Ele se declara várias vezes como EU SOU. Em uma das suas declarações Ele diz:  Em verdade, em verdade vos digo que, antes que Abraão existisse, eu sou (João, 8.58).

SETE DECLARAÇÕES DO EU SOU NO ANTIGO TESTAMENTO.

1. EU SOU O TEU ESCUDO.

Depois destas coisas veio a palavra do SENHOR a Abraão em visão, dizendo: Não temas, Abraão, eu sou o teu escudo, o teu grandíssimo galardão (Gn.15.1).

2. EU SOU O DEUS TODO-PODEROSO.

Sendo, pois, Abraão da idade de noventa e nove anos, apareceu o SENHOR a Abraão e disse-lhe: Eu sou o Deus Todo-poderoso; anda em minha presença e sê perfeito (Gn.17.1).

3. EU SOU O QUE SOU.

Disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós (Ex.3.14).

4. EU SOU O SENHOR QUE TE SARA.

E disse: Se ouvires atento a voz do SENHOR, teu Deus, e fizeres o que é reto diante de seus olhos... nenhuma das enfermidades porei sobre ti, que pus sobre o Egito; porque eu sou o SENHOR, que te sara (Ex.15.26).

5. EU SOU O SENHOR TEU DEUS.

Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei da terra do Egito; abre bem a tua boca, e a encherei (Sl.81.10).

6. Ainda antes que houvesse dia, EU SOU; e ninguém há que possa fazer escapar das minhas mãos; operando eu, quem impedirá? (Isaías, 43.13).

7. EU SOU o SENHOR, vosso Santo, o Criador de Israel, o vosso Rei (Isaías.43.15).

SETE DECLARAÇÕES DE JESUS NO EVANGELHO DE JOÃO.

1. EU SOU o pão da vida.
 

Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome; e quem crê em mim nunca terá sede (Jo.6.35).
 

2. EU SOU a luz do mundo.
 

Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida (Jo.8.12).
 

3. EU SOU a porta.
 

Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens (Jo.10.9).
 

4. EU SOU o bom pastor.
 

Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas (Jo.10.11).
 

5. EU SOU a ressurreição e a vida.
 

Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto viverá (Jo.11.25).
 

6. EU SOU o caminho a verdade e a vida.
 

Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim (Jo.14.6).
 

7. EU SOU a videira verdadeira. 

Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador (Jo.15.1).

CONCLUSÃO:
Muitos homens surgiram no decorrer dos tempos, se destacaram pelos seus feitos e deixaram suas marcas na história da humanidade. Muitos disseram: Eu sou, porém morreram e não puderam continuar dizendo, eu sou. Jesus Cristo é o único que disse Eu sou e continua dizendo até hoje. Ele morreu, mas ressuscitou, porque Ele é Deus. Após sua ressurreição Ele disse: Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, o Primeiro e o Derradeiro. Eu sou a Raiz e a Geração de Davi, a resplandecente Estrela da manhã (Ap.22.13,16). Amém!   
 

terça-feira, 9 de agosto de 2016

SETE COISAS QUE DEUS NÃO CONHECE

Na sua onisciência, Deus é conhecedor de todas as coisas e nada foge do seu alcance. Parece um paradoxo em dizer que há coisas que Deus não conhece. Todavia, o que estamos afirmando são sete coisas aparentemente impossível aos olhos humanos, mas no olhar de Deus Ele não ver, no sentido de conhecer  impossibilidades, porque para Deus todas as coisas são possíveis. Deus conhece o fim desde o princípio. Nós vemos os problemas, Deus tem a solução.

1. DEUS NÃO CONHECE UM PECADOR QUE ELE NÃO POSSA SALVAR.

Vinde, então, e argui-me, diz o SENHOR; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlate, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos com carmesim, se tornarão como a branca lã (Isaías, 1.18).
Olhai para mim e sereis salvos, vós, todos os termos da terra; porque eu sou Deus, e não há outro (Isaías, 45.22).
Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido (Lucas, 19.10).

2. DEUS NÃO CONHECE UM ENFERMO QUE ELE NÃO POSSA CURAR.

Verdadeiramente, Ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas Ele foi ferido pelas nossas transgressões ... pelas suas pisaduras, fomos sarados (Isaías, 53.4,5).
É Ele que perdoa todas as tuas iniquidades e sara todas as tuas enfermidades (Salmos. 103.3).
E servireis ao SENHOR, vosso Deus, e ele abençoará o vosso pão e a vossa água; e Eu tirarei do meio de ti as enfermidades (Êxodo, 23.25)
Mas, a eles, os fez sair com prata e ouro, e entre as suas tribos não houve um só enfermo (Salmos, 105.37).
... Porque eu sou o SENHOR, que te sara (Êxodo. 15.26).

3. DEUS NÃO CONHECE UM OPRIMIDO QUE ELE NÃO POSSA LIBERTA.

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente, sereis livres (João. 8.32,36).
Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com Ele (Atos, 10.38).
Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei (Mateus, 11.28).

4. DEUS NÃO CONHECE UM PROBLEMA QUE ELE NÃO POSSA RESOLVER.

Haveria coisa alguma difícil ao SENHOR? (Gênesis, 18.14).
Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele tudo fará (Salmos, 37.5).
Porque para Deus nada é impossível (Lucas, 1.37).

5. DEUS NÃO CONHECE UMA PROMESSA NA SUA PALAVRA QUE ELE NÃO POSSA CUMPRIR.
Nem uma só palavra caiu de todas as sua boas palavras que falou pelo ministério de Moisés seu servo (I Reis, 8.56).
E disse-me o SENHOR: Viste bem; porque eu velo sobre a minha palavra para a cumprir (Jeremias, 1.12).
O SENHOR dos Exércitos jurou, dizendo: Como pensei, assim se sucederá; e, como determinei, assim se efetuará (Isaías, 14.24).

6. DEUS NÃO CONHECE UMA PESSOA QUE POSSA SE ESCONDER DA SUA PRESENÇA.

Sou eu apenas Deus de perto, diz o SENHOR, e não também Deus de longe? Esconder-se-ia alguém em esconderijos, de modo que eu não o veja? Diz o SENHOR. Porventura, não encho eu os céus e a terra? Diz o SENHOR (Jeremias, 23.23,24).
Para onde me irei do teu Espírito ou para onde fugirei da tua face? (Salmos, 139.7).

7. DEUS NÃO CONHECE OUTRO DEUS ALÉM DELE.

Eu sou o SENHOR, e não há outro; fora de mim, não há deus...
Para que se saiba desde o nascente do sol e desde o poente que fora de mim não há outro; eu sou o SENHOR, e não há outro (Isaías, 45.5,6).

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

OS JOVENS CRISTÃOS E A PÓS-MODERNIDADE

E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus (Romanos, 12.2).

É possível um jovem cristão se manter fiel aos princípios bíblicos no contexto do mundo pós-moderno? Essa é uma pergunta que reflete o grande desafio de ser um jovem cristão atuante em um mundo que anda na contramão dos verdadeiros valores do cristianismo. Em um mundo cético que não acredita na palavra de Deus como verdade absoluta, mas que prega uma verdade relativa, onde o humanismo prevalece, tendo o homem como centro de tudo e Deus em segundo plano, é possível os jovens cristãos fazerem a diferença e vencerem este desafio? Sim, é possível.

O QUE É A PÓS-MODERNIDADE?

Pós- modernidade é o nome dado a todas as mudanças ocorridas desde 1950, o mundo pós-moderno influenciou e influencia nos dias atuais nas artes, cultura, moda, arquitetura, urbanismo, decoração, música, tecnologia e afins. Após a segunda guerra mundial, com a explosão da bomba atômica nas cidades de Hiroxima e Nagasaki, pois ali a sociedade até então moderna cessou e deu origem a uma nova sociedade, a chamada pós-moderna.

A pós-modernidade é basicamente um avanço da modernidade, de seus valores e princípios. Como proposta alternativa apresenta novas propostas: A subjetividade, o multiculturalismo e a pluralidade. Diante dessas ideias, existem pensadores que criticam o pensamento pós-moderno, ao considerar uma referência decepcionante, sem um projeto definido, incapaz de enfrentar os desafios da humanidade, de guiar o pensamento e estabelecer metas definidas.
 
Como corrente ideológica e tendência da civilização, a pós-modernidade destaca algumas conquistas: o papel da classe média e seu desenvolvimento, o aumento da liberdade e alguns aspectos positivos da globalização. Pelo contrário, apresenta traços negativos e criticáveis como a banalização, o consumismo, a perda de identidade, a própria globalização, a ausência de referências positivas e, em definitivo, a sensação de que o mundo está fragmentado e não há projetos estimulantes para orientar os indivíduos e a humanidade em seu conjunto. Diante dessa situação caótica, aparecem algumas propostas religiosas, sociais, políticas e filosóficas, todavia, pouco confiáveis.

O QUE PREGA A PÓS-MODERNIDADE?

O mundo pós-moderno prega um conceito humano filosófico baseado na crença de que tudo é relativo onde as pessoas tem o direito de viver e se expressar da maneira que quiser e que lhe seja conveniente. A sociedade pós-moderna é uma geração humanista, pragmática e pluralista, que não crer no absoluto nem respeita os princípios éticos da palavra de Deus.

Estamos vivendo uma época muito difícil, o mundo globalizado em que vivemos tem passado por grandes mudanças, o avanço da ciência e da tecnologia tem causado um grande desenvolvimento social. Diante disso percebemos que o comportamento das pessoas vem mudando ao longo dos tempos.

Estamos em pleno século XXI, época chamada de pós-modernidade onde desfrutamos dos grandes benefícios que a ciência e a tecnologia nos proporcionam. Todavia, em contra partida estamos enfrentado graves problemas sociais, políticos, econômicos e religiosos.

Um dos grandes desafios para os jovens cristãos da nossa geração pós-moderna são as grandes mudanças que vem ocorrendo. O sistema pós-moderno propaga e induz as pessoas a viver uma vida absoluta, cética e descrente de Deus. O relativismo, o pluralismo, o humanismo e o consumismo tem se tornado um estilo de vida para esta sociedade.

A grande problemática para geração dos jovens cristãos na atualidade tem sido a falta de um referencial, estamos vivendo uma época de rebelião, de remoção de marcos antigos, de quebra de paradigmas e abandono aos bons costumes. Todavia, há uma esperança, a bíblia nos recomenda: Deixemos todo o embaraço e o pecado que tão de perto nos rodeia e corramos, com paciência, a carreira que nos está proposta, olhando para Jesus, autor e consumador da fé (Hebreus. 12.1,2).

Os verdadeiros jovens cristãos são modernos, mas não mundanos. Eles vivem uma vida regrada nos princípios da palavra de Deus, e andam na contramão desta sociedade doentia, perversa e corrompida. Amém!