quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

POR QUE DEUS QUEBRA NOSSOS "NAVIOS"?

Porém, depois disto, Josafá, rei de Judá, se aliou com Acasias, rei de Israel, que procedeu com toda impiedade. E aliou-se com ele para fazerem navios que fossem a Társis; e fizeram os navios em Eziom-Geber. Porém Eliezer, filho de Dodava, de Maressa, profetizou contra Josafá, dizendo: Porquanto te aliaste com Acazias, o SENHOR despedaçou as tuas obras. E os navios se quebraram, e não puderam ir a Társis  (II Crônicas, 20.35-37).

O rei Josafá foi um homem temente a Deus e o seu reinado foi prospero, durante o seu reinado o povo sentia-se seguro e gozava de estabilidade financeira. Ele começou a reinar sobre o reino de Judá com a idade de 35 anos, e reinou 25 anos (I Reis, 22.41,42). Ele teve o favor de Deus e foi grandemente abençoado. Porém, após adquirir riquezas e fama, ele deixou-se seduzir pelas riquezas e fez aliança com Acazias, rei de Israel, um homem ímpio e profano. Eles se aliaram e fabricaram navios para irem a Ofir em busca de ouro, a fim de fazerem um grande empreendimento (I Reis, 22.49). Mas Deus não se agradou deste negócio e interveio, quebrando os navios.

Por que onde um servo de Deus é bem sucedido, outro fracassa? Um conquista seu intento, outro é frustrado? O rei Salomão já havia em tempos passados ido a Ofir (cidade na Arábia meridional na rota comercial onde se trocava ouro por mercadorias), em busca de preciosidades, e tivera sucesso (I Reis, 9.26-28. 10.22). Mas, por que o rei Josafá cem anos depois, tentou fazer uma expedição a essa terra, isto acabou em desastre, e não logrou êxito fazendo o mesmo?
Atualmente, Deus ainda “quebra navios”? O que se entende por quebra de navios em nosso contexto atual? O “navio” aqui é literalmente uma embarcação, é claro, mas pode ser visto como projetos, ideias, planos, relacionamentos, consórcios, empreendimentos, exercício de governos, etc. A “quebra” deles nada mais é do que a “frustração” gerada única e exclusivamente por Deus, pois Ele sabe colocar “areia” nas “engrenagens”. Isso para nosso bem.

QUATRO RAZÕES PELAS QUAIS DEUS QUEBRA NOSSOS NAVIOS.

1. QUANDO NÃO CONSULTAMOS A DEUS.

Por que muitas coisas não dão certas, muitos dos nossos empreendimentos não prosperam, muitos dos nossos planos e projetos fracassam? Porque agimos por conta própria e não consultamos a Deus para pedirmos uma direção. Josafá foi bem sucedido até enquanto ele se conduzia no temor do SENHOR e lhe consultava. Os navios de Josafá foram quebrados porque ele não buscou resposta em Deus para tal empreendimento (I Reis 22.49; II Cr 20.6). Assim também sucede com quem não busca consultar a Deus em suas decisões.
Em outros momentos da sua vida, Josafá consultara ao Senhor e obtivera respostas positivas (I Reis 22.5,7, 8; II Reis 3.11). Mas agora, se aliando a Acazias, viu os navios quebrados e os seus planos desfeitos, porque não buscou resposta em Deus para tal construção (I Reis 22.49; II Crônicas 20.6). Quando não consultamos a Deus e seguimos o nosso próprio coração, temos 100% de chances de tudo dá errado (Provérbios 16.1-3).

2. QUANDO NOS PRECIPITAMOS EM NOSSOS PROJETOS. 

Acontece muitas vezes quando fazemos planos movidos pela emoção ou pela influência de alguém, e colocamos em prática as nossas ideias sem medirmos as consequências que pode ocorrer. Percebemos que foi exatamente isso que levou o rei Josafá a se precipitar em construir navios para ir à busca de ouro, sem pensar numa possível reprovação de Deus por este ato precipitado. Muitas vezes temos que aprender com nossos erros. Uma coisa é Deus “permitir” que empreendamos nossos projetos, outra coisa é Ele nos “dirigir” a realizarmos seus projetos. Ele até permite que façamos obtusamente nossos “navios”, mas eles com certeza se quebrarão e não irão a lugar nenhum. Todos os nossos empreendimentos precisam está aliados com Deus. 

3. QUANDO FAZEMOS ALIANÇA COM O ÍMPIO.

Josafá fez aliança com o rei Acazias, um homem ímpio, idólatra, profano e sem temor a Deus. Em toda história da bíblia, Deus nunca aprovou parcerias com os pecadores, nem que o seu povo fizesse aliança com as nações pagãs. Negócios a parte, se você insistir em fazer parcerias com pessoas que não tem compromisso com Deus, você poderá ter seus navios quebrados por Deus (planos desfeitos). Deus interveio nos projetos de Josafá e usou um profeta por nome de Eliézer, filho de Dodavá, de Maressa, que profetizou contra Josafá dizendo: ”Eis que o SENHOR destruiu as tuas obras porque te aliaste a Acazias”. (II Crônicas 20.35-37). O insucesso do investimento de Josafá foi por ele ter se aliado com Acazias. 

4. QUANDO A INTENÇÃO DOS PROJETOS É PARA NOSSA GLÓRIA.

Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus (I Coríntios, 10.31). Por que muitos dos nossos projetos e empreendimentos Deus não aprova? Porque muitas vezes os fazemos para nossa própria satisfação e glória. O sucesso do nosso empreendimento não resulta de onde trabalhamos se em Társis, Eziom-Geber e Ofir, ou o que lá fazemos (navios ou qualquer outra coisa). Mas se a intenção interior que nos impulsiona a fazê-lo é para glória de Deus, o nosso sucesso será garantido. O insucesso de Josafá também teve implicações relacionadas a glória humana. Se os seus empreendimentos não for para glória de Deus, é melhor não insistir, porque Deus pode frustrar seus planos e quebrar seus navios.

CONCLUSÃO: 
Começar bem é bom, mas terminar bem é melhor. A exemplo de Josafá tem pessoas que começam bem, porém no final fracassam. Deus quer que o nosso final seja tão bem como o começo. Muitas vezes nosso começo não é bom, nós erramos, vacilamos e demoramos aprender, mas depois que amadurecemos acertamos. O sábio Salomão aconselha: Não te apresses a sair da presença Dele, nem persistas em alguma coisa má, porque Ele faz tudo o que quer (Eclesiastes, 8.3). Não é errado fazermos planos e projetos, mas devemos buscar uma confirmação de Deus. Está escrito: Do homem são as preparações do coração, mas do SENHOR, a resposta da boca. Confia ao SENHOR as tuas obras, e teus planos serão bem-sucedidos (Provérbios, 16.1,3). Amém!

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

NÃO HAJA SILÊNCIO EM VÓS

... Ó vós que fazeis menção do SENHOR, não haja silêncio em vós, nem estejais em silêncio, até que confirme e até que ponha a Jerusalém por louvor na terra (Isaías, 62.6,7).

Deus nunca ordenou que o seu povo se calasse no que diz respeito a anunciar acerca dos seus grandes feitos e das maravilhas por Ele operadas. No contexto histórico da nação de Judá havia muitas tentativas por parte dos inimigos de tentar destruir e calar para sempre a voz de um povo que fazia menção do nome do SENHOR através da música, da poesia e da palavra dos profetas. As vezes a angústia e a tristeza queriam levar o povo de Deus ao desânimo, mas Deus prometeu que a cidade que outrora fora desamparada e desolada viria a ser a procurada, o centro das atenções. Por isso o profeta Isaías usado por Deus fala para o povo: Ó vós que fazeis menção do SENHOR, não haja silêncio em vós, nem estejais em silêncio, até que confirme e até que ponha a Jerusalém por louvor na terra (Isaías, 62.6,7).
Em nossos dias neo-testamentário não é diferente, a ordem é não está em silêncio e sim anunciar as Boas Novas de salvação a todos os povos até que o Senhor Jesus venha.

SETE RAZÕES PELAS QUAIS NÃO PODEMOS FICAR EM SILÊNCIO:

1. RECEBEMOS UMA ORDEM DO SENHOR JESUS.
E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda a criatura (Marcos, 16.15).

2. FOMOS CHAMADOS PARA SERMOS TESTEMUNHAS.
Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até os confins da terra (Atos. 1.8).

3. FOMOS CHAMADOS PARA ANUNCIAR AS VIRTUDES DE DEUS.
Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz (I Pedro, 2.9).  

4. FOMOS CHAMADOS PARA FALAR DO QUE TEMOS VISTO E OUVIDO.
Porque não podemos deixar de falar do que temos visto e ouvido (Atos, 4.20).
 
5. FOMOS CHAMADOS PARA FALAR EM TODO TEMPO.
Conjuro-te, pois, diante de Deus e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu Reino, que pregues a palavra, insiste a tempo e fora de tempo... (II Timóteo, 4.1,2).

6. MILHÕES DE PESSOAS ESTÃO CAMINHANDO PARA DESTRUIÇÃO.
Livra os que estão destinados à morte e salva os que são levados para a matança, se os puderes retirar (Pv.24.11).

7. A VINDA DE JESUS ESTÁ PRÓXIMA.
Portanto, todas as vezes que comerdes deste pão e beberdes deste cálice proclamais a morte do Senhor, até que Ele venha (I Coríntios, 11.26).
E este evangelho do Reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as gentes, e então virá o fim (Mateus, 24, 14).

CONCLUSÃO:
A pior notícia que poderia ser anunciada em letras garrafais nas manchetes dos jornais do mundo todo, seria: "A IGREJA ESTÁ EM SILÊNCIO". Essa seria a mais triste notícia de todos os tempos. Agora, a melhor notícia a ser anunciada, seria: "O INFERNO ABRIU CONCORDATA E VAI FECHAR".
Ninguém consegue calar a voz da verdade. João Batista morreu porque falou a verdade, Jesus Cristo morreu porque falou a verdade, os apóstolos morreram porque falaram a verdade, e a igreja de Jesus é perseguida e rejeitada porque fala a verdade. Porém a verdade nunca morrerá, e esta verdade está na pessoa de Jesus, Ele disse: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim (João, 14.6). Falar a verdade não é pecado, pecado é ser omisso e não falar. Ó vós que fazeis menção do SENHOR, não haja silêncio em vós, nem estejais em silêncio (Is.62.6). Amém!

terça-feira, 22 de novembro de 2016

SETE "AINDA" NA BÍBLIA



Ainda é uma expressão bíblica que na maioria das vezes expressa uma linguagem de fé, coragem e determinação. Este termo "AINDA" em muitas ocasiões implica em dizer: "Mesmo que". O otimista diz: Mesmo que tudo esteja difícil eu acredito que vou conseguir vencer. A linguagem da fé diz: Mesmo que as coisas estejam difíceis e que haja crises por todos os lados, eu AINDA continuo confiando em Deus.
Ele é o nosso socorro e provisão.   

1. AINDA que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja vacas, todavia eu me alegrarei no SENHOR, exultarei no Deus da minha salvação (Hc.3.17,18).

2. AINDA que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam (Sl.23.4).

3. AINDA que um exército me cercasse, o meu coração não temeria; ainda que a guerra se levantasse contra mim, nele confiaria (Sl.27.3).

4. AINDA que as águas rujam e se perturbem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza. Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus... (Sl.46.3,4).

5. AINDA que Ele me mate, Nele esperarei; contudo, os meus caminhos defenderei diante Dele (Jó.13.15).

6. Porque há esperança para a árvore, que, se for cortada,
    AINDA se renovará, e não cessarão os seus frutos (Jó.14.7).

7. AINDA que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine (I Co.13.1).

Ainda há esperança, não desanime, Deus proverá.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

O FILHO PRÓDIGO

E disse: Um certo homem tinha dois filhos. E o mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte da fazenda que me pertence. E ele repartiu por eles a fazenda. E, poucos dias depois, o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua e ali desperdiçou a sua fazenda, vivendo dissolutamente (Lc.15.11-13).

O capítulo 15 de Lucas registra três parábolas que falam de três coisas que foram perdidas e achadas. Deus não tem prazer naqueles que se perdem. Ele dá atenção e se preocupa com os perdidos. Deus não quer que nenhum de nós se perca, mas quer que todos os homens se salvem e venham ao conhecimento da verdade (I Timóteo, 2.3,4). A missão principal de Jesus foi vir resgatar o homem perdido. Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido (Lc.19.10). O pai do filho pródigo desta parábola representa Deus, que com seu amor paternal recebe de volta o seu filho arrependido. O filho pródigo representa aqueles que já serviram a Deus na condição de servo e filho, mas deixou a Casa de Deus e foi em busca de aventuras. Nesta parábola iremos identificar cinco tipos de problemas enfrentados pelo filho pródigo, e quatro atitudes que ele tomou para liberta-se da difícil situação em se encontrava.

CINCO PROBLEMAS ENFRENTADOS PELO FILHO PRÓDIGO:

1. O PROBLEMA DA DISTÂNCIA.
Ajuntando tudo partiu para uma terra longínqua.

2. O PROBLEMA DO DESPERDÍCIO.
Partiu para uma terra longínqua e ali desperdiçou toda sua herança.

3. O PROBLEMA DA FOME.
E, havendo gastado tudo, houve uma grande fome na terra onde estava.
Ele começou a padecer necessidade.

4. O PROBLEMA DA HUMILHAÇÃO.
E foi e chegou-se a um dos cidadãos daquela terra, o qual o mandou para os seus campos a apascentar porcos. E desejava encher o seu estômago com as bolotas que os porcos comiam.

5. O PROBLEMA DA SOLIDÃO.
Ninguém lhe dava nada.

QUATRO ATITUDES DO FILHO PRÓDIGO:

1. ELE REFLETIU (pensou).
E, caindo em si, disse: Quantos empregados do meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome!

2. ELE LEVANTOU-SE.
Levantar-me-ei. E, levantando-se, foi para o seu pai.

3. ELE DECIDIU RETORNAR.
Levantar-me-ei, e irei ter com o meu pai.

4. ELE CONFESSOU (arrependeu-se).
Pai, pequei contra o céu e perante ti. Já não sou digno de ser chamado teu filho; recebe-me como um dos teus trabalhadores.

CONCLUSÃO:
O filho pródigo foi feliz porque decidiu retornar a casa do pai e confessar o seu pecado como sinal de arrependimento. Viver distante de Deus não é bom, quem assim vive vai de mal a pior. É tempo de voltar-se para Deus e reatar com Ele a aliança que foi quebrada. Deus é bom e misericordioso, Ele está de braços abertos a lhe esperar, volte para Deus, retorne a Casa do Pai. Ele está pronto para lhe receber, tome esta atitude, faça isto agora e você será feliz. Amém!

domingo, 20 de novembro de 2016

RUTE, UMA MULHER PERSEVERANTE

Então Noemi a aconselhou: “Olha, tua cunhada voltou para junto do seu povo e para seu deus; volta também com ela!” Ao que lhe respondeu Rute: “Não insistas comigo para que te abandones e deixe de seguir-te. Pois aonde quer que fores, irei eu e, onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus! Onde quer que morreres, morrerei eu e aí haverei de ser sepultada; que o SENHOR me castigue como lhe aprouver, se outro motivo que não seja a morte me separar de ti!” (Rute, 1.15-17). 

A história de Rute é uma das mais belas da bíblia, uma história que começa com uma crise financeira e termina com abundância de bênçãos. A moabita que entrou para história pelo fato de ser uma mulher determinada, destemida e perseverante. Sua sogra Noemi havia perdido tudo nas terras de Moabe. Em um espaço de dez anos após haver saído de Belém devido a uma crise de fome, Noemi perdeu seu marido e seus dois filhos. Estando ela viúva e desprovida de sustento decidiu volta à sua terra Belém, onde já não havia mais fome. Suas duas noras, Orfa e Rute, também viúvas recebem conselho de Noemi para retornarem ao seu povo, a casa de seus pais. Orfa decidi voltar, porém Rute insistiu em seguir Noemi. Esta decisão de Rute fez toda a diferença, e em meio as crises financeira e sentimental que elas estavam passando houve uma intervenção de Deus e ambas foram vitoriosas. 

AS QUALIDADES DE RUTE: 

UMA MULHER DE FÉ.

Rute abandonou suas práticas pagãs e passou a acreditar no Deus de Israel. Esta sua atitude foi percebida por Boaz, que ao saber de sua história, declarou: O SENHOR retribua o teu feito; e te seja concedido pleno galardão da parte do SENHOR Deus de Israel, sob cujas asas te vieste abrigar (Rt.2.12).  
A fé de Rute lhe elevou a um alto padrão, ela por ser moabita e não fazer parte da nação de Israel foi inserida na genealogia de Davi e foi uma ancestral de Jesus Cristo.

UMA MULHER PERSEVERANTE.

Ao contrário de Orfa, que voltou para o seu povo, Rute não desistiu mas insistiu em seguir sua sogra Noemi, que mesmo estando viúva e sem esperança ela persistiu em segui-la de volta a Belém. Ela perseverou em ser companheira e amiga de Noemi. Se Rute tivesse desistido a sua história tomaria um rumo diferente, e não havia esta brilhante história com um final feliz.

UMA MULHER DETERMINADA.

Rute foi uma mulher determinada pelo fato de mostrar disposição para enfrentar qualquer tipo de circunstâncias, ela diz para sua sogra Noemi: “Não insistas comigo para que te abandones e deixe de seguir-te. Pois aonde quer que fores, irei eu e, onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus! Onde quer que morreres, morrerei eu e aí haverei de ser sepultada; que o SENHOR me castigue como lhe aprouver, se outro motivo que não seja a morte me separar de ti!” (Rt.1.16,17). Esta sua determinação fez com que Deus se compadecesse dela e lhe abençoasse.  

UMA MULHER HUMILDE.

Rute deixou tudo para traz: Seu povo, sua família, sua cultura, seu deus... e decidiu mudar. Mesmo sabendo que teria um preço a pagar, Rute se submeteu a viver como peregrina em terra estranha. Ela teve a humildade, mesmo que por necessidade, de ir ao campo disputar com os pobres e estrangeiros o resto dos cereais que sobrava das colheitas. Todavia a sua humildade foi recompensada, e Boaz o parente remidor de Noemi decidiu casar-se com ela e lhe remir, tirando todo seu opróbrio. Porque Deus se agrada dos humildes. 

CONCLUSÃO:
Rute superou todas as crises e foi vencedora. A crise vem e passa, não desista. Deus é especialista em transformar crises em bênçãos. Rute cujo nome significa amizade, companheira; tinha tudo pra fracassar, mas ela decidiu seguir Noemi e servir ao Deus de Israel e foi vencedora.
Que sejamos perseverante como foi Rute, Deus vai honra a sua fé e você vai vencer. Amém!
 

sábado, 19 de novembro de 2016

O PODER PERTENCE A DEUS

Deus falou uma vez, duas vezes ouvi; que o poder pertence a Deus (Salmos.62.11).

Neste salmo Davi exalta a soberania de Deus e faz uma citação que confirma a identidade de Deus como o Todo-poderoso. A expressão hebraica El-shaday, que significa Deus Todo-poderoso, aparece pela primeira vez no texto sagrado em Gênesis 17.1. Esta expressão que revela um dos nomes de Deus, aparece com mais frequência no livro do patriarca Jó. O nome El-shaday aparece 48 vezes na bíblia e destes 30 estão no livro de Jó.
El-shaday é o Deus onipotente, aquele que realiza o impossível, é quem nos satisfaz e é suficiente para nós. 
O nome de El-shaday está ligado a El-eloim com relação ao poder, mas El-shaday é mais abrangente no sentido de que Deus tem todo poder e tudo o que precisamos, não há impossíveis para Ele. 
A palavra "Shaday" se relaciona como o campo e fala de abundância e sustento, mas também pode ser traduzida por ‘seio’ expressando como a mãe cuida e protege o filho. A mãe é tudo o que o filho tem e precisa para lhe proteger quando está em seus braços. Assim é Deus para conosco. Ele é a nossa segurança e proteção. Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará (Sl.91.1). Jó experimentou isso, ele perdeu tudo e todos, mas permaneceu crendo em El-shaday e Deus lhe deu tudo em dobro. 

EXPRESSÕES BÍBLICAS SOBRE O PODER DE DEUS.

Mas o SENHOR nas alturas é mais poderoso do que o ruído das grandes águas e do que as grandes ondas do mar (Sl.93.4).

Bem sei que tudo podes, e nenhum dos teus pensamentos pode ser impedido (Jó. 42.2).

Ainda antes que houvesse dia, eu sou; e ninguém há que possa fazer escapar das minhas mãos; operando eu, quem impedirá? (Is.43.13).

Vede, agora, que Eu Sou o único, Eu somente, e mais nenhum deus além de mim. Faço morrer e faço viver, faço adoecer e faço sarar, e ninguém há que seja capaz de livrar-se da minha mão (Dt.32.39).

Ele é o que está assentado em seu trono, acima da cúpula da terra, cujos habitantes são para ele como gafanhotos; ele é o que estende os céus como cortina e os desenrola como tenda para nela morar. Ele é o que reduz os príncipes a nada e torna inúteis os juízes da terra.

Diz o Santíssimo: Com quem me comparareis? Com quem eu me assemelho?
Levantai os olhos e observai as alturas: Quem criou tudo isso? Foi aquele que coloca em marcha cada estrela do seu incontável exército celestial, e a todas chama pelo nome. O seu poder é incalculável; inextinguível a sua força, e, por isso, nenhum desses corpos celestes deixa de atender prontamente (Isaías. 40.22,23,25,26).

 

TRÊS COISAS SÃO EXCLUSIVAS DE DEUS.

1. O Reino.

2. A Glória.

3. O Poder.

Porque teu é o Reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém! (Mt.6.13).

CONCLUSÃO:
No mundo há muitos poderes e muitos homens se julgam poderosos, porém todos estes poderes são limitados e temporários, o único poder real pertence a Deus. Jesus disse: É me dado todo o poder no céu e na terra (Mt.28.18). Não sobrou poder pra ninguém, há um ditado que diz: "No mundo tudo é força, só Deus tem o poder". Portanto submeta-se ao poder de Deus e Ele fará maravilhas na sua vida. Amém! 
    

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

CRENTE MORNO

Eu sei as tuas obras, que nem és frio nem quente. Tomara que foras frio ou quente! Assim, porque és morno e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca (Apocalipse,3.15,16).

A mornidão espiritual é o pior estado que se estabelece na vida de alguém que um dia teve um encontro pessoal e verdadeiro com Cristo.
A apatia espiritual dos crentes de Laodiceia  é motivo de desgosto para o Senhor. Sua pobreza espiritual era extrema. Um dos grandes pecados dos crentes de Laodiceia era não levar Cristo a sério e confiar nas suas riquezas. Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu (3.17). Algumas igrejas de hoje são como a igreja de Laodiceia; são ricas, seguras, fartas e respeitadas, no entanto, estão espiritualmente mortas e falidas. Mas, se abrirem o coração para Deus a fim de viverem uma vida de comunhão autêntica, irão receber um reavivamento espiritual e desfrutarão um relacionamento íntimo e diário com Cristo.

A “mornidão espiritual” é um estado de fraqueza espiritual e esta fraqueza se verifica no sentimento de auto-suficiência, de arrogância, de orgulho e de soberba do homem que tem a petulância, o desatino, a loucura de dizer que não precisa de Deus, de que “pode se virar sozinho” neste mundo. Como temos visto na nossa sociedade, é este um dos sentimentos dominantes, senão o predominante, neste mundo pós-moderno. Este é, portanto, o estado de “mornidão espiritual” da nossa sociedade, que é, sem dúvida, um dos maiores males da humanidade que se recusa a não se submeter ao senhorio de Cristo.

Comparando com a igreja de Laodiceia, a igreja atual quase em sua totalidade vem se tornando morna, acomodada e conformada com o mundo. Infelizmente, esta realidade vem se estabelecendo no meio do povo de Deus, muitos crentes estão perdendo o fervor espiritual e estão se tornando crentes nominais.
Para tristeza nossa, temos notícias que os países da Europa estão cada vez mais apáticos ao Evangelho de Cristo, o percentual de cristãos que frequentam igrejas é muito baixo em relação a super população da Europa. Os países da Europa que nos séculos passados foram berços dos grandes avivamentos, enviando missionário para o mundo, hoje vive em uma pobreza espiritual extrema. 
Mas o Espírito de Deus continua em ação para reverter esta situação. Há uma palavra da parte de Deus que diz: A cana trilhada não quebrará, nem apagará o pavio que fumega; em verdade, produzirá o juízo (Isaías, 42.3). É tempo de buscar ao SENHOR e tê-lo como prioridade na nossa vida, podemos ser ricos e prósperos, sem perder o fervor espiritual de servir a Deus.
É tempo de largarmos a capa da mornidão e nos revestirmos do poder do Espírito.
Crente frio Deus rejeita.
Crente morno Deus vomita.
Crente quente está na temperatura que Deus quer. 
Seja um crente quente e fervoroso e Deus vai fazer grandes coisas através da sua vida. Amém!