segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

O VERDADEIRO DISCÍPULO.

Não é o discípulo mais do que seu mestre, nem é o servo mais do que o seu senhor. Basta ao discípulo ser como seu mestre, e ao servo ser como seu senhor. Se chamaram Belzebu ao pai de família, quanto mais aos seus domésticos? (Mateus. 10.24,25).

O discípulo verdadeiro é aquele que segue e pratica os ensinamentos do seu mestre. O verdadeiro discípulo, além de seguir e praticar os ensinos do seu mestre, ele está disposto a sofrer e até morrer pela causa do mestre. Existe diferença entre o seguidor e o discípulo: O seguidor ele apenas segue e não tem compromisso direto com o mestre; Já o verdadeiro discípulo, além de seguir e praticar os ensinamento do mestre, ele é comprometido e estar disposto a defender e se possível até morrer por amor ao mestre.

QUATRO QUALIDADES DO VERDADEIRO DISCÍPULO DE JESUS.

1. VIVE UMA VIDA DE RENUNCIAS.

E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me (Lc.9.23).
Assim, pois, qualquer de vós que não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo (Lc.14,33).

Estamos vivendo uma época em que muitos estão se dizendo seguidores de Cristo, discípulos de Jesus; mas na prática as suas atitudes, o seu comportamento e as suas obras não correspondem a vida de um verdadeiro discípulo de Jesus. Muitos entram no evangelho, mas o evangelho não entra neles; vivem um evangelho sem compromisso e sem renuncia. Querem viver um evangelho de facilidades, visando sempre prosperidades materiais e trocando o evangelho da cruz de Cristo, pelo evangelho de um Jesus capitalista.
A verdade é que muitos não querem viver uma vida de renuncias, mas os verdadeiros discípulos de Jesus já renunciou tudo que desagrada ao seu mestre.

2. VIVE NA PRÁTICA DA PALAVRA DE DEUS.

Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente, sereis meus discípulos (Jo.8.31).
Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha (Mt.7.24).

Na época de Jesus, muitos o seguia, uns por curiosidade, outros por interesse, outros para observá-lo para querer pegá-lo e contradição. A bem da verdade é que alguns criam nele, escutavam as suas pregações e ensinos, porém não praticavam e nem permaneciam nos seus ensinamentos. Hoje não é diferente, muitos dizem que crer em Jesus, lê a bíblia, são simpatizante do evangelho, outros até frequentam a igreja; mas não praticam a palavra de Deus. O verdadeiro discípulo, ele permanece na palavra de Deus e pratica a mesma.

3. VIVE NA PRÁTICA DO AMOR.

Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros (Jo.13.35).
O amor seja não fingido. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem. Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros (Rm.12.9,10).

Um verdadeiro discípulo de Jesus, ele não deve viver em desunião, nem fazendo guerra por causa de rótulo de denominação de igreja. Ele respeita as diferenças, e procura viver em paz com todos. O que vai credenciar e identificar um verdadeiro discípulo de Jesus, não a sua forma de se vestir, ou os seus usos e costumes e sim o amor. É preciso que o amor se manifeste através de atitudes e não só de palavras fingidas, Jesus ainda continua dizendo: Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros (Jo.13.35).

4. VIVE UMA VIDA FRUTÍFERA.

Nisto é glorificado meu pai: que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos (Jo.15.8).
Não me escolheste vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao pai ele vos conceda (Jo.15.16).

A vontade de Deus é que os seus filhos vivam uma vida frutífera, e nunca deixem de dá frutos. Na verdade o que identifica o verdadeiro cristão, os discípulos de Jesus; não são os dons, e sim os frutos. Para que esse fruto seja permanente é preciso estar ligado na videira verdadeira que é Jesus. O verdadeiro discípulo ele não só dá fruto no tempo de muita alegria e abundância, mas mesmo na adversidade e no tempo de sequidão, ele permanece dando fruto. A palavra de Deus nos diz, no livro de Jeremias capítulo17. vers.7,8:
Bendito o homem que confia no SENHOR, e cuja esperança é o SENHOR. Porque ele será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e, no ano de sequidão, não se fadiga nem deixa de dar fruto. Que nós os crentes em Jesus, possamos permanecer dando frutos para a glória de Deus. Só assim seremos reconhecidos como verdadeiros discípulos de Jesus. Amém!

SEIS CLASSES DE PESSOAS QUE SEGUIAM JESUS.

Depois disso, partiu Jesus para o outro lado do mar da Galiléia, que é o de Tiberíades. E grande multidão o seguia porque via os sinais que operava sobre os enfermos (João, 6.1,2).

Os evangelhos registram que onde Jesus estava, havia grande multidão de pessoas. Pessoas de vários lugares, de várias classes sociais, buscando em Jesus soluções para seus problemas e respostas para os seus dilemas e ansiedades. Basicamente seis classes de pessoas seguiam a Jesus. Neste capítulo seis do evangelho de João nós vamos identificar: Os curiosos. Os convencidos. Os materialistas. Os murmuradores. Os inconstantes. Os comprometidos.

1. OS CURIOSOS.

E grande multidão o seguia porque via os sinais que operava sobre os enfermos (João, 6.1,2).
O grupo dos curiosos seguia Jesus só para ter o que conversar, ou para ver se Jesus fazia mesmo milagres, ou se Ele era um falso profeta enganando o povo. Os curiosos enchiam as portas das casas onde Jesus ficava hospedado e acompanhavam Jesus no Templo e faziam fofoca com os fariseus. Todo curioso é fofoqueiro, é uma espécie de regra e os curiosos do tempo de Jesus queriam ver os embates entre Jesus e os falsos religiosos.

2. OS CONVENCIDOS.

Então, vendo aqueles homens o sinal que Jesus havia realizado, disseram: “Este é, verdadeiramente, o Profeta que devia vir ao mundo.” (Jo.6.14).

3. OS MATERIALISTAS.

E, tendo-o encontrado do outro lado do mar, perguntaram-lhe: “Mestre, quando chegaste aqui?” Jesus respondeu a eles assim: “Em verdade, em verdade vos afirmo: Vós me buscais não porque vistes os sinais, mas porque comestes os pães e vos fartastes”. Trabalhai não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do Homem vos dará, porque a este o Pai, Deus, o selou (João, 6.25-27).  

4. OS MURMURADORES.

Então, os judeus começaram a murmurar dele, porque dissera: “Eu sou o pão que desceu do céu.” E comentavam: “Não é este Jesus, o filho de José? Cu­jo pai e mãe nós conhecemos? Como pode então Ele dizer: Eu desci do céu?” Por essa razão Jesus assim respondeu-lhes: “Não murmureis entre vós" (Jo.6.41-43).

5. OS INCONSTANTES.

Aquele que come a minha carne e bebe meu sangue permanece em mim, e Eu nele. Portanto, muitos dos seus discípulos, ao ouvirem isso, disseram: “Dura é essa declaração. Quem poderá compreendê-la?”
Daquele momento em diante, muitos dos seus discípulos recuaram e não mais andaram com Ele (Jo.6. 56,60,66). 

6. OS COMPROMETIDOS.

Então Jesus disse aos doze: “Vós também desejais ir embora?” Mas Simão Pedro respondeu a Ele: “Senhor, para quem iremos? Tu tens as palavras de vida eterna. E nós temos crido e reconhecido que Tu és o Cristo, o Filho do Deus Vivo.”(Jo.6.67-69).