quinta-feira, 29 de agosto de 2013

TRÊS VIRTUDES BÁSICAS PARA FAZER MISSÕES.

Texto básico: E, tendo eles orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo e anunciavam com ousadia a palavra de Deus. At.4.31.

Introdução: A igreja não terá forças, coragem, ânimo e dinamismo para fazer missões; sem a prática constante da oração. O sucesso de fazer missões é orar, é através da oração que a igreja se enche do Espírito Santo e tem ousadia para falar a palavra de Deus. Muitos querem fazer missões, mas não estão preparados. Missão não é turismo, missão não é uma aventura, missão não é status de uma denominação. Missão é compromisso, missão é renuncia, missão é disposição e coragem para ir em busca de ganhar almas para o reino de Deus. A igreja que não faz missões não estar comprometida com o Ide de Jesus. Ide pregai, ide ensinai, ide fazei discípulos.

ORAÇÃO.

A oração é a base necessária que abre caminhos para fazer missões. Orar sempre será preciso, oração nunca é demais; é através da oração que nós entramos em harmonia com o Espírito Santo e começamos a agir pela direção de Deus.
A igreja primitiva só saiu para evangelizar após um longo período de oração (At.1.12-14).
Através da oração a igreja recebe poder, graça e unção do Espírito Santo (At.13.1-3).
A igreja que não ora não tem ânimo para fazer missões e estar fadada ao fracasso.
No século passado, a rainha da Inglaterra disse: Eu tenho mais temor de um crente de joelhos, do que os mísseis da União Soviética e dos Estados Unidos apontados para a Inglaterra. Um certo pregador disse: O Diabo rir da nossa sabedoria, zomba das nossas pregações, despreza os nossos títulos e status, porém, ele treme diante de uma igreja de joelhos. Diz o texto sagrado: E assim que terminaram de orar, tremeu o lugar onde estavam reunidos; todos ficaram plenos do Espírito Santo e, com toda a coragem saíram anunciando a palavra de Deus (At.4.31. Versão King James). É impossível fazer missões sem a prática constante da oração.

CHEIO DO ESPÍRITO SANTO.

Para realizarmos a obra de Deus, precisamos estar cheios do Espírito Santo. O apóstolo Paulo escrevendo aos efésios disse: E não vos embriagues com o vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito (Ef.5.18).

1. Deus não aceita ninguém vazio. 

Por três vezes ele disse: Ninguém apareça vazio perante mim (Ex.23.15, Ex.34.20, Dt.16.16).

-Mente vazia. Oficina de Satanás.
-Espírito vazio. Alvo de Satanás.
-Coração vazio. Presa de Satanás.

2. Deus não escolhe ninguém vazio.

-Sete diáconos cheios do Espírito Santo.

Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete varões de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio (At.6.3).

-Apóstolos (missionários) cheios do Espírito Santo.

E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado (At.13.2). Todavia, Saulo, que também se chama Paulo, cheio do Espírito Santo e fixando os olhos nele disse:...(At.13.9). E a mão do Senhor era com eles; e grande número creu e se converteu ao Senhor. E chegou a fama destas coisas aos ouvidos da igreja que estava em Jerusalém; e enviaram Barnabé até Antioquia. Porque era homem de bem e cheio do Espírito Santo e de fé. E muita gente se uniu ao Senhor (At.11.21,22,24).

-Setenta homens cheios do Espírito Santo.

E disse o SENHOR a Moisés: Ajunta-me setenta homens dos anciãos de Israel, de quem sabes que são anciãos do povo e seus oficiais; e os trarás perante a tenda da congregação, e ali se porão contigo. Então, eu descerei, e ali falarei contigo, e tirarei do Espírito que está sobre ti, e o porei sobre eles; e contigo levarão a carga do povo, para que tu sozinho o não leves (Nm.11.16,17).

3. Deus não envia ninguém vazio.

-Disse o SENHOR  a Samuel: Enche o teu vaso de azeite e vem; enviar-te-ei (1Sm.16.1).

-A igreja de Antioquia enviou Paulo e Barnabé, homens cheios do Espírito Santo (At.13.1,2,9.11.21-24).

-Deus enche Moisés e envia. Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar (Ex.4.12).

OUSADIA NA PALAVRA.

Ousadia. Característica ou particularidade do que é ousado; que possui valentia ou coragem; uma pessoa ousada é destemida, arrojada e valente. Temos na bíblia vários homens e mulheres que foram ousados e realizaram grandes obras em nome de Deus. 

-A ousadia de Elias.
Então, Elias, o tisbita, dos moradores de Gileade,, disse a Acabe: Vive o SENHOR, Deus de Israel, perante cuja face estou, que nestes anos nem orvalho nem chuva haverá, senão segundo a minha palavra (1Rs.17.1).

-A ousadia  de Daví.
Disse Daví: Quem é, pois, este incircunciso filisteu, para afrontar os exércitos do Deus vivo? (1Sm.17.26).

-A ousadia de Pedro e João.
Então, eles, vendo a ousadia de Pedro e João e informados de que eram homens simples e iletrados, se maravilharam; e tinham conhecimento de que eles haviam estado com Jesus (At.4.13).

-A ousadia de Débora.
Então Baraque rogou a Débora: Se tu vieres comigo, eu irei, mas se não vieres comigo, também eu não marcharei! Ao que Débora lhe assegurou: Que seja como pedes! Certamente irei contigo. Contudo, não será tua a glória desta empreitada, porque o SENHOR entregará Sísera nas mãos de uma mulher!. E levantando-se prontamente, partiu Débora com Baraque em direção a Quedes (Jz.4.8,9).

-A ousadia de Ester.
Vai, e ajunta todos os judeus que se acharem em Susã, e jejuai por mim, e não comais nem bebais por três dias, nem de dia nem de noite, e eu e as minhas moças também assim jejuaremos; e assim irei ter com o rei, ainda que não é segundo a lei; e, perecendo, pereço. E sucedeu que, vendo o rei a rainha Ester, que estava no pátio, ela alcançou graça aos seus olhos; e o rei apontou para Ester o cetro de ouro, que tinha na sua mão, e Ester chegou e tocou a ponta do cetro. Então, o rei lhe disse: Que é o que tens, rainha Ester, ou qual é a tua petição? Até metade do reino se te dará (Et.4.16.5.2,3).

-A ousadia de Jesus.
Naquele mesmo dia, chegaram uns fariseus, dizendo-lhe: Sai e retira-te daqui, porque Herodes quer matar-te. E lhes respondeu: Ide e dizei àquela raposa: eis que eu expulso demônios, e efetuo curas, hoje e amanhã, e, no terceiro dia, sou consumado (Lc.13.31,32).

Conclusão: E eles tendo partido, pregaram por todas as partes, cooperando com eles o Senhor e confirmando a palavra com os sinais que se seguiram. Amém! (Mc.16.20).

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

O VASO DE ALABASTRO.

Estando Jesus em Betânia, reclinado à mesa na casa de certo homem conhecido como Simão, o leproso, achegou-se dele uma mulher portando um vaso de alabastro contendo valioso perfume, feito de nardo puro; e, quebrando o alabastro, derramou todo  o bálsamo sobre a cabeça de Jesus. Diante disso, indignaram-se alguns dos presentes, e a criticavam entre si: Para que este desperdício de tão valioso perfume? Um bálsamo como este poderia ser vendido por trezentos denários, e o dinheiro ser doado aos pobres. E a censuravam severamente. Deixa-a em paz! ordenou-lhes Jesus. Por que causais problemas a esta mulher? Ela realizou uma boa ação para comigo. Quanto aos pobres, sempre os tendes ao vosso lado, e os podeis ajudar todas as vezes que o desejardes, todavia a mim nem sempre me tereis. A mulher fez tudo que estava ao seu alcance. Derramou o bálsamo sobre mim, antecipando a preparação do meu corpo para o sepultamento. Com toda certeza eu vos asseguro: onde quer que o evangelho for pregado, por todo o mundo, será também proclamado a obra que esta mulher realizou, e isso para que ela seja sempre lembrada. Mc.14.3-9.

Este episódio narrado pelos evangelistas, Mateus, Marcos e João, aconteceu antes da festa da Páscoa, segundo os estudiosos da bíblia, as celebrações da Páscoa em Jerusalém reuniam cerca de três milhões de pessoas. A conhecida festa dos pães asmos ou festa dos pães sem fermento ocorria logo após a Páscoa e durava sete dias. Ao narrar este episódio, Marcos se refere a "alguns dos presentes" (Mc.14.4), Mateus concentra-se nos "discípulos" (Mt.26.8) e João destaca a participação avarenta e comprometedora de "Judas Iscariotes" (Jo.12.4,5). A mulher que realizou esta nobre atitude em quebrar o vaso de alabastro era Maria, irmã de Marta e Lázaro (Jo.12.1-8). O alabastro era um frasco lacrado, de gargalo longo, que continha valioso perfume, normalmente usado na unção de personalidades notáveis da época ou no preparo de mortuário de monarcas e pessoas ricas.
Marta servia e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele. Naquela época  as pessoas não sentavam à mesa à nossa semelhança. Elas deitavam em uma espécie de sofá e apoiava-se em um dos braços enquanto comia com o outro, diante de uma mesa em forma de “U”. A uma mulher não era honroso participar desse evento exceto se estivesse a servir a mesa. 
Enquanto ele estava à mesa, Maria quebrou o vaso de alabastro e ungiu os pés de Jesus e os enxugou com os seus cabelos; e a casa inteira ficou cheia com o perfume do bálsamo. Pôs-se a derramá-lo sobre a cabeça de Jesus. À semelhança da mulher da pecadora de (Lc.7.36-50), Maria ficou por trás, aos pés do Senhor. Ao que parece, ela começou o seu gesto para com Jesus pelos seus pés e posteriormente pela cabeça. Beijar, Lavar os pés e ungir a cabeça de um convidado quando de sua chegada, era uma cortesia oferecida pelo anfitrião aos convidados considerados ilustres. Quando Maria entra no recinto torna-se objeto da reprovação daqueles que ali estavam. Uma mulher, a partir de seu casamento, não mostrava cabelos em público, assim faze-lo era motivo de vergonha. Maria começou a derramar o perfume sobre os pés de Jesus, possivelmente empoeirados do caminho, e soltou seus cabelos passando a enxugar-lhe os pés com eles. Maria expressou uma atitude de gratidão, humildade, adoração e reconhecimento do Senhorio de Cristo. Essa também deve ser a atitude daqueles que confessam Jesus, como Senhor e Salvador.

AS ATITUDES DE MARIA EM RELAÇÃO A JESUS:

Maria demonstrou ter um grande sentimento por Jesus.
Maria entregou-se totalmente e fez o que podia visando adorar Jesus.
Maria Entregou o que tinha de maior valor.
Maria Ousou quebrar com o costume do povo.
Maria Expôs-se à reprovação popular.
Maria Expressou sua adoração a Cristo.
Maria Humilhou-se aos seus pés.
Maria fez um ato de gratidão e reconhecimento da grandeza de Cristo.
Maria O exaltou ungindo sua cabeça.
Maria profetizou, ainda que sem perceber, a morte de Jesus.

A REAÇÃO DO PÚBLICO:

-Judas mobiliza os presentes por interesse pessoal.
Porque não se vendeu este perfume por trezentos denários para dá-los aos pobres? Havia uma prática popular de na festa da Páscoa ajudar os pobres com esmolas. Por tanto, a colocação de Judas parecia ter um certo sentido apesar da legitimidade da ajuda. Mas o que motivara sua caridade não era a necessidade dos pobre mais sim um motivo pessoal, a sua cobiça por dinheiro.
-Os discípulos, influenciados por Judas, ficaram indignados e começaram a reclamar.
-Aborreceram e desprezaram a mulher.
-Maria recebeu reprovação popular.

A APROVAÇÃO DE JESUS:

Maria foi defendida por Jesus.
Maria foi louvada por Jesus.
Maria praticou uma boa ação e foi elogiada por Jesus.
Sua ação foi percebida por todos e Jesus disse que Maria será lembrada sempre, em todo o lugar.

CONCLUSÃO:
O nosso vaso de alabastro precisa ser quebrado. O vaso de alabastro representa nossa vida sendo quebrada e derramada na presença de Jesus. Não importa as criticas e nem as reprovações das pessoas, em relação a nossa atitude diante de JESUS, assim como Maria quebrou o vaso de alabastro, que continha um perfume caríssimo; da mesma maneira nós devemos nos derramar diante Dele, com toda devoção, em adoração, humildade e reconhecimento de sua grandeza e majestade. Amém!

sábado, 17 de agosto de 2013

O INVERNO DA ALMA.

Procura vir ter comigo depressa. Procura vir antes do inverno (2Tm.4.9,21).

O apóstolo Paulo quando escreveu a sua segunda carta ao jovem pastor Timóteo, estava passando por grandes adversidades; o mesmo estava preso em Roma, e se encontrava em uma situação de desprezo, ao se queixar da situação ele dizia: Procura vir ter comigo depressa. Porque Demas me desamparou, amando o presente século, e foi para Tessalônica; Crescente, para Galácia, Tito, para Dalmácia. Alexandre, o latoeiro, causou-me muitos males; o Senhor lhe pague segundo as suas obras. Ninguém me assistiu na minha primeira defesa; antes, todos me desampararam. Que isto lhes não seja imputado. Erasto ficou em Corinto, e deixei Trófimo doente em Mileto. Só Lucas está comigo. Toma Marcos e traze-o contigo, porque me é muito útil para o ministério. Quando vieres, traz a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, e os livros, principalmente os pergaminhos. Procura vir antes do inverno. Após o apóstolo relatar a sua situação e fazer recomendações a Timóteo, ele pede que ele se apresse em ir ter com ele antes do inverno. Isto porque no inverno fazia bastante frio naquela região. E deixa subentendido que, pelo fato de no inverno ser tempo de clima frio, ele esperava que Timóteo lhe trouxesse o necessário, principalmente a sua capa e agasalhos para o proteger e aquecê-lo. No inverno se fazia fogueira para se aquecer, a frieza em extremo pode levar a morte. No sentido espiritual a nossa vida precisa ser aquecida pelo fogo do Espírito Santo, quando o buscamos e procuramos nos aproximar Dele, a nossa vida espiritual estará protegida e aquecida pelo fogo do Espírito. Caso contrário, corremos o risco de morrermos espiritualmente.

O INVERNO CHEGOU.

Quando o inverno chega com ele vem a chuva, a neve e o frio. O inverno faz parte das quatro estações do ano, tem pessoas que não gostam dessa estação do ano, mas sem inverno não podemos ter uma boa colheita. Porém no sentido espiritual, o inverno não é bom. Quando as pessoas se tornam frias e apáticas as coisas de Deus, corremos o risco de termos uma sociedade degenerada e desestruturada em relação a sua vida espiritual para com Deus; e isto pode desencadear uma grande decadência espiritual e até chegar a um caos.

O INVERNO NA IGREJA.

Eu te encorajo solenemente, na presença de Deus e de Cristo Jesus, que há de julgar os vivos e os mortos, por ocasião da sua manifestação pessoal e mediante seu reino. Prega a palavra, insiste a tempo e fora de tempo, aconselha, repreende e encoraja com toda paciência e sã doutrina. Porquanto, chegará o tempo em que não suportarão o santo ensino; ao contrário, sentindo coceira nos ouvidos, reunirão mestres para si mesmos, de acordo com suas próprias vontades. Tais pessoas se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos. Tu, no entanto, sê equilibrado em tudo, suporta os sofrimentos, faze a obra de um evangelista e cumpre o teu ministério (2Tm.4.1-5.Versão King James).
Estamos vivendo esta época que o apóstolo Paulo alertou a Timóteo. Os dias são difíceis, os ortodoxos e abnegados pastores, estão sofrendo com muitos crentes dentro das igrejas (templos). Isto porque muitos não estão querendo ouvir o verdadeiro ensino da palavra; eles preferem ouvir o que gostam, uma palavra que seja cômoda a sua vida e que venha massagear o seu ego. O inverno espiritual, infelizmente está atingindo muitos dentro da igreja, muitos só pensam em riquezas, fama, status, mídia e posição social, política e eclesiástica. Há igrejas que não oram mais, fala sobre santidade é coisa do passado para muitos, pregar contra o pecado é ser ridículo e deselegante, a mensagem da cruz quase não se prega mais nos púlpitos de muitas igrejas. A igreja está ficando estafada da genuína palavra de Deus, está entrando em uma UTI espiritual e muitos tem nome de que vive mas estão mortos espiritualmente; são verdadeiros cadáveres ambulantes na igreja, no meio do povo de Deus. A Europa que foi no passado o berço do avivamento, perdeu o fervor e entrou numa geladeira espiritual. Muitos templos de igrejas na Europa fecharam as portas, e parte da Europa tem se tornado antipática ao Evangelho de Jesus Cristo. O Estados Unidos, que era considerado um pais quase 100% evangélico, tem caído bastante nas últimas pesquisas, e muitos estão vivendo um evangelho frio, materialista e sem vida. No Brasil,  o número de evangélicos vem crescendo de forma  acelerada, as últimas pesquisas indicaram que no ano de 2022 cerca de 50% da população brasileira será de evangélicos. Mas o grande problema é: Será que a maioria desses cristão realmente nasceram de novo? Será que o Evangelho está sendo pregado de forma verdadeira? Muitos estão fazendo mercantilismo, fazendo igrejas de comércio e explorando a fé do povo em troca de uma falsa prosperidade financeira. Muitos estão entrando no evangelho, mas o evangelho não está entrando na vida deles. Mas, o Espírito Santo, ainda continua levantando homens e mulheres de coragem para aquecer a igreja e trazê-la de volta ao fervor espiritual pelo poder da palavra de Deus. Amém!

O INVERNO NA VIDA DOS CRISTÃOS.

E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos se esfriará (Mt.24.12).
Não sejais vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espírito, servindo ao Senhor (Rm.12.11).
O grande fervor espiritual de muitos cristãos está esfriando pelo fato da multiplicação da iniquidade, conforme Jesus Cristo, nosso mestre, já previa. Com o grande avanço da ciência e da tecnologia, muitos ficaram endeusados e orgulhosos e estão esquecendo de buscarem as coisas que são do alto. Infelizmente, há uma frieza espiritual generalizada na vida de muitos crentes. Muitos não buscam se renovar na presença de Deus, e ficam na mesmice espiritual, vivendo do passado, como museu. Muitos prosperaram materialmente e cresceram na vida secular, porém espiritualmente estão frios e vazios de Deus. A grande problemática também, é que, esta frieza espiritual tem atingido muitos lideres e até pastores, eles estão vazios de Deus e sem alimentos (a palavra de Deus) para dá ao povo. O apóstolo Paulo disse: Não sejais vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espírito, servindo ao Senhor. Muitos perderam o zelo, o carinho, o cuidado, pelas coisas de Deus e estão sem forças e sem vigor espiritual para servir ao Senhor. Outros que começaram animados e fervorosos na obra de Deus, estão tristes e decepcionados por olharem os erros e as falhas de alguns, ficaram escandalizados. Todavia, o Espírito Santo, não cessa de trabalhar; Ele está avivando, aquecendo e levantando crentes fervorosos para fazerem a obra de Deus nestes últimos dias. Amém!

O INVERNO NA SOCIEDADE.

Sabe, entretanto, disso: nos últimos dias sobrevirão tempos terríveis. Os homens amarão a si mesmos, serão ainda mais gananciosos, arrogantes, presunçosos, blasfemos, desrespeitosos aos pais, ingratos, ímpios, sem amor, incapazes de perdoar, caluniadores, sem domínio próprio, cruéis, inimigos do bem, traidores, inconsequentes, orgulhosos, mais amigos dos prazeres do que amigos de Deus, com aparência de piedade, todavia negando o seu real poder. Afasta-te, portanto, desses também. Porque são pessoas assim que se intrometem pelas casas e conquistam mulheres insensatas sobrecarregadas de pecados, as quais se deixam levar por toda espécie de desejos. Elas estão sempre aprendendo, mas jamais conseguem chegar ao conhecimento da verdade. E à semelhança de Janes e Jambres que se colocaram contra Moisés, esses também se opõem à verdade. São homens que tiveram suas mentes corrompidas; são reprovados na fé. Contudo, não irão longe; pois, como no caso daqueles opositores, a insensatez que lhe é própria se manifestará claramente a todos (2Tm.3.1-9. Versão King James).
Paulo quando escreveu a Timóteo, por volta do ano 66 d.C. praticamente no começo da era cristã; ele, por revelação do Espírito Santo, já previa que nos últimos dias haveria tempos difíceis. Ele numera vinte e duas características dos homens frios e calculistas que haveriam de se multiplicar no meio da sociedade. Estamos vivendo uma época em que a maldade impera, coisas espantosas estão acontecendo, as pessoas estão perdendo o afeto, o carinho, o amor, o pudor e o respeito para com o seu semelhante e estão cada vez mais desumanas e violentas. Infelizmente, o inverno chegou também para a sociedade, a falta do calor humano estar quase em extinção, faltam os homens e mulheres de bem, que amem, que abracem as causas sociais sem interesses e que sejam verdadeiramente abnegados para promoverem a justiça social. Estamos vendo uma sociedade fria e incapaz de promover o bem. As pessoas estão ficando cada vez mais egoístas e orgulhosas, sem se importarem em fazer o bem, senão por interesses e troca de favores. Mas, um dia muitos irão ouvir Jesus: Mas o Rei ordenará aos que estiverem à sua esquerda: Malditos! Apartai-vos de mim. Ide para o fogo eterno, preparado para o Diabo e os seus anjos. Porquanto tive fome, e não me deste de comer; tive sede, e nada me deste de beber. Sendo estrangeiro, não me hospedaste; estando necessitado de roupas, não me vestistes; encontrando-me enfermo e aprisionado, não fostes visitar-me. E eles também perguntarão: Mas SENHOR! Quando foi que te vimos com fome, sedento, estrangeiro, necessitado de roupas, doente ou preso e não te auxiliamos? Então o Rei lhes sentenciará: Com toda a certeza vos asseguro que, sempre que o deixastes de fazer para alguns destes meus irmãos, mesmo que o menor deles, a mim o deixastes de fazer. Sendo assim, estes irão para o sofrimento eterno, porém os justos, para a vida eterna (Mt.25.41-46. Versão King James). Mas essa situação pode mudar, quando cada um de nós nos dispusermos a fazer o bem. O apóstolo Paulo, escrevendo aos gálatas disse: E não desfaleçamos de fazer o bem, pois, se não desistirmos, colheremos no tempo certo. Sendo assim, enquanto temos  oportunidade, façamos o bem a todos, principalmente aos da família da fé (Gl.6.9,10. Versão King James). Amém!

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

DEUS DOS MONTES E DOS VALES.

Os jovens guerreiros, auxiliares dos lideres das províncias, marcharam para fora da cidade, com o exército na retaguarda. Eles mataram cada um o seu adversário. Diante do ocorrido, os arameus, os sírios, partiram em retirada, perseguidos pela tropa israelita. Mas Ben-Hadade, rei de Aram, Síria, escapou a cavalo, com alguns dos seus cavaleiros. Então saiu o rei de Israel; tomou os cavalos e carros de guerra e impôs aos sírios uma terrível derrota. Então, o profeta chegou-se ao rei de Israel e lhe avisou: Vai, fortalece-te; atenta bem para a tuas atitudes; porquanto depois de um ano, o rei da Síria voltará a te atacar! Enquanto isso, os conselheiros do rei da Síria, lhe encorajavam: Os deuses deles são deuses das montanhas. É por isso que eles foram fortes e prevaleceram sobre nós. Contudo, se os combatermos nas planícies, com toda a certeza seremos mais fortes e sairemos vitoriosos. E chegou o homem de Deus, e falou ao rei de Israel, e disse: Assim diz o SENHOR: Porquanto os sírios disseram: O SENHOR é Deus dos montes e não Deus dos vales, toda esta grande multidão entregarei nas tuas mãos, para que saibas que eu sou o SENHOR (1Rs20.19-23,28).

O rei da Síria, Ben-Hadade, se levantou com todos os seus exércitos e provocou uma guerra contra Acabe, rei de Israel. Acabe temeu e quase se entregou com toda a nação para ser serem servos do rei da Síria. Mas veio um profeta e lhe falou uma palavra da parte de Deus, e o encorajou para a peleja. O exército da Síria era muito numeroso comparado ao pequeno exército de Israel; porém Deus mandou que separasse os jovens dos príncipes das províncias, e foram duzentos e trinta e dois. Eles foram a peleja, juntos com o exército de sete mil homens, e venceram. Após os sírios terem sidos derrotados, eles não se deram por perdidos, e queriam uma revanche. Eles pensaram e disseram: Eles nos venceram porque os seus deuses são deuses dos montes; por isso, foram mais fortes do que nós; mas pelejaremos com eles em campo raso e por certo seremos vitoriosos. Veio o homem de Deus e falou ao rei de Israel, e disse: Se fortaleça e se prepare, porque depois de um ano, o rei da Síria subirá contra ti. E disse mais: Assim diz o SENHOR: Porquanto os sírios disseram: O SENHOR é Deus dos montes e não Deus dos vales, toda esta grande multidão entregarei nas tuas mãos, para que saibas que eu sou o SENHOR. A primeira batalha foi travada nos montes e agora os conselheiros de Ben-Hadade lhe dizem que Israel venceu a batalha porque o seu Deus é Deus dos montes uma vez que a região de Samaria era montanhosa e que se lutassem nos vales certamente a Síria seria a vencedora, pois o Deus de Israel não era Deus dos vales. Essas palavras soaram como afronta aos ouvidos do verdadeiro Deus, o Senhor forte e poderoso, Rei dos reis e Senhor dos senhores. Não adianta o inimigo se levantar contra o povo de Deus, quando Deus estar na frente do seu povo ele sempre será derrotado; ele vai perder a peleja, e vai se levantar novamente para cai mais uma vez. Porque o nosso Deus, vence nos montes, vence também nos vales e vence em todas as situações. Glória pois a Ele por isso. Aleluia!

DEUS DOS MONTES.

Monte, um alto relevo que se destaca da planície. Sendo o monte de Deus, no sentido espiritual, é lugar de exaltação, lugar de destaque, lugar de visão ampla, lugar de vitória. Porém temos que entender: Antes de chegarmos no monte da vitória, teremos que atravessar o deserto da aflição e passar pelo vale da provação. Temos exemplos na bíblia de alguns homens que passaram pelo deserto, atravessaram os vales e chegaram no monte de Deus e foram vitoriosos. Deus te leva para o deserto, te faz passar pelo vale da provação, porém Ele vai te exaltar no monte.

MONTE. LUGAR DE ADORAÇÃO.

E apareceu o SENHOR a Abrão e disse: À tua semente darei esta terra. E edificou ali um altar ao SENHOR, que lhe aparecera. E moveu-se dali para a montanha à banda do oriente de Betel e armou a sua tenda, tendo Betel ocidente e Ai ao oriente; e edificou ali um altar ao SENHOR e invocou o nome do SENHOR (Gn.12.6-8). E disse Abraão a seus moços: Ficai-vos aqui com o jumento, e eu e o moço iremos até ali; e, havendo adorado, tornaremos a vós (Gn.22.5). No monte Abraão adorou a Deus e foi vitorioso. Quem fica no monte da adoração de Deus, não será derrotado.

MONTE. LUGAR DE PROVISÃO.

Então, levantou Abraão os seus olhos e olhou, e eis um carneiro detrás dele, travado pelas suas pontas num mato; e foi Abraão, e tomou o carneiro, e ofereceu-o em holocausto, em lugar de seu filho. E chamou Abraão o nome daquele lugar o SENHOR proverá; donde se diz até ao dia de hoje: No monte do SENHOR se proverá (Gn.22.13,14). Abraão adorou a Deus no monte, e no monte Deus proveu o necessário para ele. Quem adora a Deus e permanece no monte de Deus, ele proverá todas as coisas.

MONTE. LUGAR DE MUDANÇA DE VIDA.

E apascentava Moisés o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote em Midiã; e levou o rebanho atrás do deserto e veio ao monte de Deus, a Horebe. E apareceu-lhe o Anjo do SENHOR em uma chama de fogo, no meio de uma sarça; e olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia. E Moisés disse: Agora me virarei para lá e verei esta grande visão, porque a sarça se não queima. E, vendo o SENHOR que se virara para lá a ver, bradou Deus a ele do meio da sarça e disse: Moisés! Moisés! E ele disse: Eis-me aqui. E disse: Não te chegues para cá; tira os teus sapatos de teus pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa. Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. E Moisés encobriu o seu rosto, porque temeu olhar para Deus (Êx.3.1-6). Após Moisés ter passado quarenta anos da sua vida no Egito, sendo respeitado como príncipe e herdeiro do trono de Faraó; tendo ele matado um egípcio, fugiu e foi se refugiar no deserto de Midiã; onde casou e trabalhava cuidando das ovelhas do seu sogro, Jetro. Em Midiã Moisés passou mais quarenta longos anos da sua vida. Ele, acredito, já havia perdido toda a sua esperança de se tornar o Faraó do Egito, o sonho que ele tinha de ver o seu povo, Israel, livre da escravidão do Egito, também havia acabado. Mas, nas suas idas e vindas no deserto de Midiã, teve um dia que foi especial na sua vida, quando ele levou o rebanho além do deserto, ao extremo, ele teve uma visão no monte Horebe, que mudou a sua vida para sempre. Deus falou com Moisés através de uma sarça, uma árvore insignificante no deserto, mas mudou a sua vida a parti daquela visão. Muitas vezes é preciso que passemos pelo deserto da provação, até chegarmos ao monte da visão de Deus, e a nossa vida mudará para sempre. Amém! Se você estar passando pelo deserto da provação, não desfaleça, mas continue seguindo em direção ao monte da visão de Deus, ele vai falar com você, e a história da sua vida vai mudar. Acredite!

DEUS DOS VALES.

Vale. É uma Depressão ou planície entre montanhas. O vale de Deus é lugar de isolamento, lugar de solidão, lugar de aflição, lugar de ficar a sós com Deus, lugar de comunhão. Depois de passarmos pelo vale, chegaremos ao monte da vitória. É necessário descer o vale, para chegar a montanha. Quando estamos no monte de Deus, em lugar de destaque, temos muitos amigos. Mas, quando estamos no vale, lugar de provação, somos abandonados e ficamos só. Mas temos um amigo fiel que não nos deixa, seja no monte ou no vale Ele (Jesus) está contigo.

VALE DE BACA. 

Significa, lágrimas, aflição.
Bem-aventurado o homem cuja força está em ti, em cujo coração estão os caminhos aplanados, o qual passando pelo vale de Baca, faz dele uma fonte; a chuva também enche os tanques. Vão indo de força em força; cada um deles em Sião aparece perante Deus (Sl.84.5-7). O vale de Baca, significa vale das lágrimas ou vale de aflições. Jesus disse: Tenho vos dito isso, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo (Jo.16.33). Na nossa vida vida sempre vai haver momento em que estaremos descendo o vale das perdas, o vale da angústia, o vale da tribulação, o vale da decepção, etc. É impossível alguém não passar pelo vale. Porém, é como está escrito: O qual passando pelo vale. Isto significa dizer que, não se fica no vale, mas se passa por ele. Não é só sofrimento, depois da tempestade vem a bonança, depois da escassez vem a fartura, depois da noite vem o dia, depois da luta vem a vitória. É preciso passar pelo vale para poder chegar no monte da vitória.

VALE DA ESCURIDÃO.

O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará. Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas. Refrigera minha alma; guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome. Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, pois tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me protegem (Sl.23.1-4). As vezes temos que passar pelo vale da escuridão, quando o dia é adverso e tudo fica escuro, a situação parece irreversível e a noite parece não ter fim. A enfermidade chega para nos abater e assombrar, pensamos que é o fim, procuramos em meio a escuridão uma luz no fim do túnel e não encontramos. Mas o vale da escuridão vai passar, e raiará a aurora da nossa esperança. A palavra de Deus nos diz: O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã (Sl.30.5).

VALE DA COMUNHÃO.

E a mão do SENHOR estava sobre mim ali, e ele me disse: Levanta-te e sai ao vale, e ali falarei contigo. E levantei-me e desci ao vale, e eis que a glória do SENHOR estava ali, como a glória que vi junto ao rio Quebar; e caí sobre o meu rosto. Então, entrou em mim o Espírito, e me pôs em pé, e falou comigo, e me disse: Entra, encerra-te dentro da tua casa (Ez.3.22-24). Muitas vezes Deus quer falar conosco no vale da solidão, ele quer ter uma conversa a sós, em uma comunhão de pai pra filho e nos revelar a sua glória. Assim como ele falou para Ezequiel, e disse, levanta-te, desci ao vale, e ali falarei contigo; ele também quer ver a nossa disposição de se levantar e sair do nosso comodismo, da nossa zona de conforto e descer ao vale. Depois de descermos ao vale e Deus falar conosco, subiremos para o monte cheios de fé e de forças para vencer.

CONCLUSÃO:
Quem atravessa o deserto, passa pelo vale e chega ao monte de Deus; terá a aprovação de Deus e a história da sua vida será mudada para glória de Deus. O vale é inevitável na nossa vida, tem tempo que estamos passando pelo vale, tem tempo que estamos atravessando o deserto e tem tempo que estamos em lugares altos. Muitas vezes Deus nos leva para o deserto e nos permite passar pelo vale, porque ele quer nos exaltar no monte. Estando no monte de Deus, tudo vai bem, e tudo vai dá certo. Porque Deus, é Deus dos montes, e Deus dos vales. Amém!