terça-feira, 24 de setembro de 2013

AS BEM-AVENTURANÇAS

Texto básico: Jesus, vendo a multidão, subiu a um monte, e, assentando-se, aproximou-se dele os seus discípulos; e, abrindo a boca, os ensinava, dizendo: Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus; bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados; bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra; bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos; bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia; bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus; bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus; bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus; bem-aventurados sois vós quando vos injuriarem, e perseguirem, e, mentindo, disserem todo o mal contra vós, por minha causa. Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós. Mt.5.1-12.

Introdução: Jesus, o Mestre dos mestres, enquanto esteve aqui na terra, ele exerceu um tríplice ministério, de: Pregar, ensinar e curar. Durante os seus quase três anos e meio de ministério, ele empregou a maior parte em ensinar. Os evangelhos sinóticos, são os que mais enfatizam sobre os ensinamentos do Mestre, o de Mateus se destaca com o maior número relatos dos ensinos de Jesus. Geralmente os evangelhos registram que onde Jesus estava havia uma grande multidão de pessoas; algumas pessoas vinham em busca de respostas para os seus dilemas, outras a procura de solução para os seus problemas e outras eram curiosas em querer ver o que ele fazia e ouvir o que ele falava, querendo até pegá-lo em contradição. As bem-aventuranças proferidas por Jesus, é um contra senso em relação a vida egoísta do cotidiano do ser humano. Os ensinos de Jesus eram diferentes na sua totalidade em relação aos dos grandes mestres e filósofos de sua época; eles entravam em choque, e ainda ainda hoje choca a muitos intelectuais, catedráticos e educadores da atualidade. Jesus veio trazendo uma mensagem de amor, fé e esperança, e essa mensagem tocava a alma do homem. Os seus ensinos não eram iguais aos dos escribas e fariseus, que eram vazios e sem vida; mas ele ensinava com autoridade.

AS NOVE BEM- AVENTURANÇAS PROFERIDAS POR JESUS:

Bem-aventurado, significa: Bendito, feliz, abençoado, bem sucedido. Cada bem-aventurança diz respeito a uma bênção de Deus. Bem-aventurado, também implica em dizer o estado de alegria e felicidade daqueles que fazem parte do Reino de Deus. As bem-aventuranças não prometem riso, prazer ou prosperidade terrena. Para Deus, bem-aventurado é aquele que vive uma vida de fé, experiência, esperança e alegria relacionada à Ele, independente das circunstâncias exteriores. Para encontrar essa forma mais profunda de felicidade, siga Jesus e enfrente os desafios.

1. BEM-AVENTURADOS OS POBRES DE ESPÍRITO.
Jesus quando fala dos pobres de espíritos, ele não se refere as pessoas mesquinhas, tímidas e sem poder econômico. Pobres em espírito não é uma contradição diante das riquezas espirituais do reino dos céus. Os que vivem alienados de Deus na sua altivez, arrogância e orgulhoso, são os ricos em espírito, porque neles se manifestam vários sentimentos maldosos que são contrários aos princípios do reino de Deus. Pobre de espírito significa, reconhecer que sem a graça de Deus é impossível viver uma vida cristã plena. E por isso vive na dependência de Deus, e conhece suas limitações e fraquezas e não tem motivos para se orgulhar, pois o reino dos céus é também uma dádiva aos quebrantados, humildes e arrependidos. Os pobres de espírito são caracterizados pela sua total dependência e devoção a Deus. Está escrito: Porque assim diz o Alto e o Sublime, que habita na eternidade e cujo nome é santo: Em um alto e santo lugar habito e também com o contrito e humilde de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos e para vivificar o coração dos contritos (Is.57.15).

2. BEM-AVENTURADOS OS QUE CHORAM.
Ser feliz estando a chorar parece não ter sentido, mas os que choram diante de Deus, terão de Deus o consolo. Infelizes são os que choram sem ter quem os console. O sábio Salomão disse: E eis que vi as lágrimas dos que foram oprimidos e dos que não tem consolador; e a força estava da banda dos seus opressores; mas eles não tinham nenhum consolador (Ec.4.1). Jesus disse aos seus discípulos: Na verdade, na verdade vos digo que vós chorareis e vos lamentareis, e o mundo se alegrará, e vós estareis tristes; mas a vossa tristeza se converterá em alegria (Jo.16.20). E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre  (Jo.14.16). Felizes são os que choram na presença e na vontade do Senhor, por Deus serão consolados, aqui na terra e na eternidade. Está escrito: E Deus limpará de seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor, porque já as primeiras coisas são passadas (Ap.21.4).

3. BEM-AVENTURADOS OS MANSOS.
A mansidão é uma característica daquele que vive tranquilo, que tem uma vida sossegada e está sobre o domínio de Deus. Se em nosso mundo as guerras nunca cessam, é porque faltam os mansos para evitá-las. Mansidão não é covardia, mas ela é coerente no agir de acordo com as circunstâncias. Moisés era o homem mais manso da terra, mas foi tomado por um momento de fúria santa, e quebrou as tábuas de pedra da lei escritas pelo próprio Deus, ao ver o povo na prática do pecado. Jesus disse: Aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração. Mas ao ver os cambistas e vendedores de animais no templo (na casa do Senhor) fazendo comercio, ele se irou e bateu neles com um chicote e os expulsou. No final os mansos herdarão a terra. Depois do juízo final, a terra passará pela purificação através do fogo (Malaquias 4.1-3), e Deus fará novos céus nova terra. Na sua visão na ilha de Patmos, João viu novos céus e nova terra, e a nova Jerusalém que descia do céu, a cidade que os mansos irão herdar aqui na terra, para sempre. Leia: Apocalipse 21.1-8.

4. BEM-AVENTURADOS OS QUE TÊM FOME E SEDE DE JUSTIÇA.
A nossa justiça é Jesus, Ele é chamado de justiça nossa, e Jesus é a palavra. Quem tem fome e sede de justiça, tem fome e sede de Jesus, e o próprio Jesus disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome; e quem crê em mim nunca terá sede (Jo.6.35). E disse mais: Se alguém tem sede, que venha a mim e beba (Jo.7.37). Jesus é o único que pode fartar a nossa fome e sede espiritual; é feliz quem tem fome e sede de Jesus, ele é a fonte inesgotável. Aleluia!

5. BEM-AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS.
Ter misericórdia, ser compassivo, ter compaixão, ser benigno é ser feliz. Infelizes são os cruéis, que não tem misericórdia. Tem pessoas que não usam de misericórdia, mas quando precisam, querem que lhes tenham misericórdia. Está escrito: Porque o juízo será sem misericórdia sobre aquele que não fez misericórdia; e a misericórdia triunfa sobre o juízo (Tg.2.13). Ou seja, a misericórdia, tem poder de absorver uma pessoa em pleno julgamento, já prestes a ser condenada. Jesus é o maior exemplo daquele que usa de misericórdia. A grande misericórdia de Jesus por nós, foi sua morte de cruz para remir os nossos pecados. Está escrito: As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos; porque as suas misericórdias não tem fim. Novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade (Lm.3.22,23).

6. BEM-AVENTURADOS OS LIMPOS DE CORAÇÃO.
Um coração limpo é um coração purificado, transformado e regenerado pelo poder de Deus. Daví, depois de ter pecado, reconheceu que precisava de um coração puro, e clamou a Deus dizendo: Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto (Sl.51.10).
A malícia, a maldade, o fingimento, a inveja e a hipocrisia não podem está em um coração limpo. A promessa para os limpos de coração, e que eles verão a Deus. Há uma pergunta no Salmo 24, versículo 3 que não quer calar: Quem subirá ao monte do SENHOR ou quem estará no seu lugar santo? Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente. Este receberá a bênção do SENHOR e a justiça do Deus da sua salvação (Sl.24.3-5). O salmista disse: Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti (Sl.119.11). O sábio Salomão nos orienta dizendo: Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as saídas da vida (Pv.4.23).

7. BEM-AVENTURADOS OS PACIFICADORES.
Os pacificadores nesta bem-aventurança, são identificados como filhos de Deus. Na bíblia encontramos vários nomes e títulos referentes a Deus, e um desses nome é: Jeová-Shalom, que significa, o Senhor é paz. Os pacificadores são aqueles que promovem a paz; o mundo precisa de pessoas pacíficas, para que haja mais harmonia e menos guerra. Um dos maiores problemas da humanidade é a falta de paz, a paz é o que o homem menos tem, a paz, é o que a humanidade mais precisa. Ter paz não significa simplesmente a ausência da guerra, a verdadeira paz se manifesta em tempo de adversidades. Os verdadeiros filhos de Deus, agem como pacificadores, mesmo sendo as circunstâncias desfavoráveis, eles conseguem desfrutar a paz de Deus e promovê-la. Jesus disse: Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize (Jo.14.27). Amém!

8. BEM-AVENTURADOS OS QUE SOFREM PERSEGUIÇÃO POR CAUSA DA JUSTIÇA.
Quem procura viver em justiça e santidade, vai encontra oposições e sofrer até perseguições por causa da Justiça (Jesus). Quem anda na contra mão do mundo e busca a Justiça de Deus, pode ser rejeitado e perseguido pelo mundo, mas terá Deus (Jesus) como seu amigo. O apóstolo Paulo escrevendo ao jovem pastor Timóteo, disse: Tu, porém, tens seguido a minha doutrina, modo de viver, intenção, fé, longanimidade, caridade, paciência, perseguições e aflições tais quais me aconteceram em Antioquia, em Icônio e em Listra; quantas perseguições sofri, e o Senhor de todas me livrou. E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus, padecerão perseguições (2Tm.3.10-12). Se formos amigos do mundo, seremos inimigos de Deus; porque o sistema do mundo é contrário aos princípios de Deus. A felicidade dos que sofrem perseguição por causa da justiça, tem como base a satisfação de servir a Deus, tendo uma viva esperança que será recompensado na eternidade, e receberá a coroa da vida. Amém!

9. BEM-AVENTURADOS SOIS VÓS QUANDO VOS INJURIAREM, E PERSEGUIREM, E, MENTINDO, DISSEREM TODO MAL CONTRA VÓS, POR MINHA CAUSA.
A palavra injuriar, no seu significado vem ser: Ofender com ações ou ditos; difamar, insultar, Causar dano, estrago a boa reputação de uma pessoa. Jesus foi e sempre será a causa e o motivo de ódio para muitos; quem se dispõe a seguir os passos de Jesus, será motivo de ódio, injuria e perseguições. Mas, sofrer difamação e calunia por amor a Cristo, é motivo de alegria e glorificação para Deus. Disse Jesus: Exultai e alegrai-vos, porque grande é o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós (Mt.5.12). Na epístola universal de Pedro, está escrito: Se, pelo nome de Cristo, sois vituperados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória de Deus. Que nenhum de vós padeça como homicida, ou ladrão, ou malfeitor, ou como o que se intromete em negócios alheios; mas, se padece como cristão, não se envergonhe; antes, glorifique a Deus nesta parte (1Pe.4.14-16).

Conclusão: Benditos, bem-aventurados, e felizes, são aqueles que se dispõe a pagar o preço da renuncia por causa do evangelho de Cristo, e perseveram em seguir a Jesus, comprometendo-se com o reino de Deus. A Deus seja a glória, louvado e engrandecido seja o nome do SENHOR, para sempre. Amém!
  

terça-feira, 17 de setembro de 2013

AS SETE PALAVRAS DA CRUZ

E, levando ele às costa a sua cruz, saiu para o lugar chamado Calvário, que em hebraico se chama Gólgota, onde o crucificaram, e, com ele, outros dois, um de cada lado, e Jesus no centro. E Pilatos escreveu também um título e pô-lo em cima da cruz; e nele estava escrito: JESUS NAZARENO, REI DOS JUDEUS. E muitos dos judeus leram este título, porque o lugar onde Jesus estava crucificado era próximo da cidade; e estava escrito em hebraico, grego e latim. Diziam, pois, os principais sacerdotes dos judeus a Pilatos: Não escrevas, Rei dos judeus, mas que ele disse: Sou Rei dos judeus. Respondeu Pilatos: O que escrevi, escrevi (Jo.19.17-22).

A mensagem da cruz é a mais importante e impactante de todas as mensagens que tiveram seus registros na história da humanidade; isto porque ela nos traz uma mensagem de fé, amor e esperança. Após Jesus ter sido julgado pelo sumo sacerdote Caifás, que representava o poder religioso, sendo o Sinédrio o supremo Concilio judaico que julgava questões religiosas, foi também julgado pelo poder político, representado por Herodes e Pilatos, que o julgou e o sentenciou a morte. Estando Jesus já crucificado Pilatos mandou colocar uma placa que estava escrita por ele em letras garrafais uma frase irônica, que dizia: JESUS NAZARENO REI DOS JUDEUS. Era costume escrever numa placa o crime do qual o condenado fora culpado e afixá-la sobre a cabeça ou prendê-la ao redor do pescoço. Pilatos pensou em uma frase que irritasse os sacerdotes judeus, e ordenou a confecção da placa de Jesus nas principais línguas do mundo da época: O hebraico (ou aramaico), língua comum dos judeus da Palestina, o latim, língua do poder militar romano, e o grego, língua de comunicação cultural das províncias do império romano e o restante do mundo. João ressalta o caráter simbólico da inscrição na placa, é pela cruz que Jesus se torna o Rei Messiânico, e esse fato deve ser anunciado ao mundo. Os sumo sacerdotes judeus não conseguiram compreender o que estava ocorrendo, e Pilatos transformou-se em "profeta inconsciente", ao reafirmar majestosamente: "O que escrevi, escrevi" (o que disse, está dito para sempre).

A MORTE DE JESUS NA CRUZ.
A morte de Jesus na cruz do Calvário tornou-se um marco na história para toda a humanidade, a morte de cruz naquela época era símbolo de maldição; o apóstolo Paulo disse, que, Jesus fez-se maldição por nós (Gl.3.13). O escritor aos hebreus nos diz: E, sendo ele consumado, veio a ser a causa de eterna salvação para todos os que lhe obedecem (Hb.5.9). Na cruz o pecado foi vencido, na cruz Satanás foi derrotado, na cruz Cristo foi vitorioso, e na cruz está a nossa vitória. Aleluia!

AS SETE PALAVRAS DA CRUZ:

1. A PALAVRA DE SOLIDÃO.
E, por volta das três horas da tarde, Jesus clamou com voz forte: Eloí, Eloí, lamá sabactâni?, que significa: Meu Deus, Meu Deus! Por que me abandonaste? Mt.27.46.

2. A PALAVRA DE PERDÃO.
E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. Lc.23.34.

3. A PALAVRA DE SALVAÇÃO.
E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso. Lc23.43.

4. A PALAVRA DE CUIDADO.
Ora, Jesus, vendo ali sua mãe e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse à sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho. Depois, disse ao discípulo: Eis aí a tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa. Jo.19.26,27.

5. A PALAVRA DE ANGÚSTIA.
Depois, sabendo Jesus que já todas as coisas estavam terminadas, para que a escritura se cumprisse, disse: Tenho sede. Jo.19.28.

6. A PALAVRA DE ENTREGA.
E, clamando Jesus com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. Lc.23.46.

7. A PALAVRA DE VITÓRIA.
Próximo havia um cântaro cheio de vinagre; então embeberam uma esponja com vinagre, a colocaram na ponta de uma vara de hissopo, e a ergueram até à boca de Jesus. Então, assim que experimentou o vinagre, exclamou Jesus: Está consumado!. Jo.19.29,30. 

domingo, 15 de setembro de 2013

ENCHEI-VOS DO ESPÍRITO SANTO.

E não vos embriagueis com o vinho, em há contenda, mas enchei-vos do Espírito (Ef.5.18).

Após o apóstolo Paulo fazer uma série de recomendações aos irmãos da igreja que estava em Éfeso, e já próximo de concluir a sua carta, ele exorta dizendo: E não vos embriagueis com o vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito. Para se encher do Espírito Santo é preciso primeiro se esvaziar de tudo que é contrário a vontade de Deus. Assim como a embriaguez domina uma pessoa e altera sua razão e atitudes, o Espírito Santo transforma o comportamento do crente que se submete a viver uma vida dominada por ele. O álcool, as drogas e todos os vícios, conduzem seus escravos para as trevas infernais, ao passo que o Espírito Santo liberta, transforma, conduz à vida eterna e garante todos os benefícios do reino de Deus. O verbo encher, no original grego é usado para mostrar que, a plenitude do Espírito Santo não é só uma experiência. Esse enchimento do Espírito, deve ser contínuo, repetidas vezes, conforme requeira cada ocasião. O cristão que aprendeu a andar diariamente na plenitude do Espírito Santo, não tem porque viver se queixando ou amargurado, mesmo em meio às mais difíceis provações. Esse comportamento grato, otimista e vitorioso, é uma prova que o Espírito Santo está dominando a vida deste crente.

DIFERENÇA EM TER O ESPÍRITO SANTO E SER CHEIO DO ESPÍRITO SANTO.

Nem todos que dizem ter o Espírito Santo, são cheios do Espírito Santo. Ser cheio do Espírito Santo, não é simplesmente ser batizado com o Espírito Santo ou falar em línguas estranhas; também não é ter a experiência do novo nascimento ou ter um grande conhecimento teológico; é muito mais que isto. Ser cheio do Espírito Santo é ter a capacidade dada pelo Espírito Santo de viver uma vida integra e fiel a palavra de Deus, mesmo em meio as lutas e adversidades da vida. É viver uma vida frutífera e demonstrar na sua vida diária a manifestação do fruto do Espírito. É ter a graça abundante de Deus em uma dinâmica poderosa para evangelizar, adorar, contribuir, dá testemunho e executar o serviço cristão em geral.

PESSOAS CHEIAS DO ESPÍRITO SANTO NO LIVRO DE ATOS.

Pedro.
Então, Pedro, cheio do Espírito Santo, lhes disse: Principais do povo e vós anciãos de Israel, visto que hoje somos interrogados acerca do benefício feito a um homem enfermo e do modo como foi curado (At.4.8,9).
Paulo.
Todavia, Saulo, que também se chama Paulo, Cheio do Espírito Santo e fixando os olhos nele, disse: Ó filho do Diabo, cheio de todo o engano e de toda malícia, inimigo de toda a justiça, não cessarás de perturbar os retos caminhos do Senhor? (At.13.9,10).
Barnabé.
E a mão do Senhor era com eles; e grande número creu e se converteu ao Senhor. E chegou a fama destas coisas aos ouvidos da igreja que estava em Jerusalém; e enviaram Barnabé até Antioquia, o qual, quando chegou e viu a graça de Deus, se alegrou e exortou a todos a que, com firmeza de coração,permanecessem no Senhor. Porque era homem de bem e cheio do Espírito Santo e de fé. E muita gente se uniu ao Senhor (At.11.21-24).
Estevão.
Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete varões de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio. E este parecer contentou a toda a multidão, e elegeram Estevão, homem cheio de fé e do Espírito Santo (At.6.3,5).
Filipe, o evangelista.
E este parecer contentou a  toda a multidão, e elegeram Estevão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, e Filipe (At.6.5). E, descendo Filipe à cidade de Samaria, lhes pregava a Cristo. E as multidões unanimemente prestavam atenção ao que Filipe dizia, porque ouviam e viam os sinais que ele fazia, pois que os espíritos imundos saíam de muitos que os tinham, clamando em alta voz; e muitos paralíticos e coxos eram curados. E havia grande alegria naquela cidade (At.8.5-8).
Muitos crentes.
E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem (At.2.4). E, tendo eles orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo e anunciavam com ousadia a palavra de Deus (At.4.31).

CINCO CARACTERÍSTICAS QUE IDENTIFICAM UMA PESSOA CHEIA DO ESPÍRITO SANTO:

1. TEM A MANIFESTAÇÃO DO FRUTO DO ESPÍRITO.
O crente verdadeiro não deve ser conhecido pelos dons, e sim pelos frutos. O que vai caracterizar uma pessoa cheia do Espírito Santo é exatamente as evidências do fruto do Espírito. Porque o fruto do Espírito está em toda bondade, e justiça, e verdade, aprovando o que é agradável ao Senhor (Ef.5.9,10). Mas o fruto do Espírito é: Amor, alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas virtudes não há lei (Gl.5.22,23).

2. TEM OUSADIA PARA ANUNCIAR A PALAVRA DE DEUS.
É impossível uma pessoa cheia do Espírito Santo não ter coragem e se envergonhar de pregar a palavra de Deus. Diz a bíblia: E, tendo eles orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo e anunciavam com ousadia a palavra de Deus (At.4.31).

3. TEM FORÇA E CORAGEM PARA DENUNCIAR O PECADO.
É inconcebível uma pessoa cheia do Espírito Santo, não ter força nem coragem de denunciar o pecado. O profeta Miquéias diz: Mas, decerto, eu sou cheio da força do Espírito do SENHOR e cheio de juízo e de ânimo, para anunciar a Jacó a sua transgressão e a Israel o seu pecado (Mq.3.8).

4. TEM ALEGRIA E FERVOR EM SERVIR A DEUS.
E os discípulos estavam cheios de alegria e do Espírito Santo (At.13.52).
Não sejas vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espírito, servindo ao Senhor (Rm.12.11).

5. É CAPACITADO PARA DÁ TESTEMUNHO DA VERDADE.
Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra (At.1.8).

CONCLUSÃO:
Por incrível que pareça, é raro se encontrar em pleno século vinte e um, crentes cheios do Espírito Santo. Mais do que nunca, Deus está procurando pessoas que queiram enfrentar o desafio para serem cheias do Espírito Santo. É preciso coragem, determinação, renuncia e dependência total de Deus para ser cheio (a) do Espírito Santo. Em um mundo onde impera o pecado, trazendo consigo a maldade, a violência, a imoralidade e a falta de amor, é preciso sermos cheios do Espírito Santo para vencermos. A fonte está jorrando, o azeite está sendo derramado é só mergulhar no rio do Espírito e viver uma vida plena na presença de Deus. Amém!

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

O TEMPO DE CANTAR CHEGOU.

Porque eis que passou o inverno: a chuva cessou e se foi. Aparecem as flores na terra, o tempo de cantar chega, e a voz da rola ouve-se em nossa terra (Ct.2.11,12).

A palavra de Deus nos diz que tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou; tempo de matar e tempo de curar; tempo de derrubar e tempo de edificar; tempo de chorar e tempo de rir; tempo de prantear e tempo de saltar; tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar e tempo de afastar-se de abraçar; tempo de buscar e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de jogar fora; tempo de rasgar e tempo de coser; tempo de estar calado e tempo de falar; tempo de amar e tempo de aborrecer; tempo de guerra e tempo de paz (Ec.3.1-8). O sábio Salomão, enumerou vinte e oito tempo que podem suceder na vida do ser humano. Na verdade se fôssemos escolher só escolheríamos os tempos bons, mas não teria nenhum valor, pois o que faz com que valorizemos o tempo bom é exatamente o tempo da adversidade. As calamidades da vida não duram para sempre. Depois de tempestade vem a bonança, depois da noite vem o dia, depois da guerra vem a paz, e depois da luta vem a vitória. Deus é o Senhor do tempo, e quando ele determina, ele diz: Até aqui e não mais adiante. Na sua palavra está escrito: Porque o SENHOR dos Exércitos o determinou; quem pois o invalidará? E a sua mão estendida está; quem, pois, a fará voltar atrás? (Is.14.27). Deus sempre tem o melhor pra nós, quem sabe, se por este tempo Ele já determinou a tua vitória, e o tempo de cantar chegou para você. Acredite, e comece ver pela fé a sua vitória, Deus está trabalhando a seu favor. Amém!

O TEMPO DE CANTAR CHEGOU PARA OS ISRAELITAS.

Os filhos de Israel passaram quatrocentos anos como escravos na terra do Egito, mas quando chegou o tempo de Deus, eles foram livres e libertos do domínio e da escravidão de Faraó. Depois que Deus derrotou os inimigos do seu povo, afogando-os no mar vermelho, tendo os filhos de Israel atravessado a pé enxuto e chegando do outro lado,  já de posse da vitória, Moisés cantou junto com o povo dizendo: Cantarei ao SENHOR, porque grandemente se exaltou; lançou no mar o cavalo e o seu cavaleiro. O SENHOR é a minha força e o meu cântico; ele me foi por salvação; este é o meu Deus; portanto lhe farei uma habitação; ele é o Deus de meu pai; por isso, o exaltarei. O SENHOR é varão de guerra; SENHOR é o seu nome. Lançou no mar os carros de Faraó e o seu exército; e os seus escolhidos príncipes afogaram-se no mar Vermelho. O SENHOR reinará eterna e perpetuamente. Então, Miriam, a profetisa, a irmã de Arão, tomou o tamborim na sua mão, e todas as mulheres saíram atrás dela com tamborins e dançando. E Miriam lhes respondia: Cantai ao SENHOR, porque grandemente se exaltou e lançou no mar o cavalo com o seu cavaleiro. O cântico de Moisés, (Ex.15.1-21).

O TEMPO DE CANTAR CHEGOU PARA ANA.

Ana era a esposa de Elcana, este tinha outra mulher que se chamava Penina; Penina gerava filhos, porém, Ana era estéril. Por ela ser estéril e não poder gerar filhos, ela era desprezada e humilhada, pois naquela época uma mulher que não tivesse filhos, era uma vergonha em Israel, e era vista muitas vezes como maldita. Porém ela perseverou em buscar ao SENHOR, e ele abriu a sua madre, e ela gerou filhos; sendo mãe do profeta e juiz, Samuel. Ela sofreu muito, sendo inclusive até mal entendida pelo sacerdote Eli. Mas, ela alcançou vitória da parte de Deus, e chegou o tempo de ela cantar. Ana cantou dizendo: O arco dos fortes foi quebrado, e os que tropeçaram foram revestidos de força. Os que antes eram fartos se alugaram por pão, mas agora cessaram os que eram famintos; até a estéril teve sete filhos, e a que tinha muitos filhos enfraqueceu. O SENHOR é o que tira a vida e a dá; faz descer à sepultura e faz tornar a subir dela. O SENHOR empobrece e enriquece; abaixa e também exalta. Levanta o pobre do pó e, desde o esterco, exalta o necessitado, para o fazer assentar entre os príncipes, para o fazer herdar o trono de glória; porque do SENHOR são os alicerces da terra, e assentou sobre eles o mundo. O cântico de Ana, (1Sm.2.1-10).

O TEMPO DE CANTAR CHEGOU PARA DÉBORA.

Débora, era profetisa e juíza em Israel. Em sua época os filhos de Israel viviam oprimidos pelo rei de Canaã, cujo nome era Jabim, e Sísera era o capitão do seu exército. Débora que foi a única mulher juíza em Israel, com sua coragem e determinação, enfrentou o exército cananeu e derrotou o comandante Sísera com todos os seus soldados e celebrou o cântico de vitória. Estando de posse de vitória, Débora cantou dizendo: Ouvi, reis; dai ouvidos, príncipes; eu, eu cantarei ao SENHOR; salmodiarei ao SENHOR, Deus de Israel. O meu coração é para os legisladores de Israel, que voluntariamente se ofereceram entre o povo; louvai ao SENHOR. Bendita seja sobre as mulheres, Jael, mulher de Héber, o queneu; bendita seja sobre as mulheres nas tendas. Água pediu ele, leite lhe deu ela;; em taça de príncipes lhe ofereceu manteiga. À estaca estendeu a sua mão esquerda, e a  marreta dos trabalhadores, a sua direita; e matou a Sísera e rachou-lhe a cabeça, quando lhe pregou e atravessou as fontes. Assim, ó SENHOR, pereçam todos os teus inimigos! Porém os que o amam sejam como sol quando sai na sua força. O cântico de Débora, (Jz.5.1-31).

CONCLUSÃO:
Um novo tempo de Deus chegou para ti, não adianta o Diabo se levantar para tentar frustrar ou destruir os planos de Deus na tua vida, ele se levanta para cair. A nossa vitória já está garantida, em Cristo somos mais que vencedores. O deserto da aflição terá o seu fim, a noite da angústia vai passar, Deus vai te tirar do calabouço e virar o teu cativeiro, uma nova história Ele vai escrever, e você vai erguer a bandeira da vitória. Porque o tempo de cantar chegou. Amém!

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

AS MÁSCARAS VÃO CAIR

Naquele tempo, adoeceu Abias, filho de Jeroboão. E disse Jeroboão à sua mulher: Levanta-te, agora, e disfarça-te, para que não conheçam que és mulher de Jeroboão, e vai a Siló. Eis que lá está o profeta Aías, o qual falou de mim, que eu seria rei sobre este povo. E toma na tua mão dez pães, e bolos, e uma botija de mel e vai a ele; ele te declarará o que há de suceder a este menino. E a mulher de Jeroboão assim fez, e se levantou, e foi a Siló, e entrou na casa de Aías; e já Aías não podia ver, porque seus olhos estavam já escurecidos por causa da sua velhice. Porém o SENHOR disse a Aías: Eis que a mulher de Jeroboão vem consultar-te  sobre seu filho, porque está doente; assim e assim lhe falarás, e há de ser que, entrando ela, fingirá ser outra pessoa. E sucedeu que, ouvindo Aías o ruído de seus pés, entrando ela pela porta, disse ele: Entra, mulher de Jeroboão! Por que te disfarças assim? Pois eu sou enviado a ti com duras notícias. 1Rs.14.1-6.

Quando o reino de Israel foi dividido após a morte de Salomão, Jeroboão ficou governando sobre dez tribos em Israel, cuja capital veio a ser Samaria. E Roboão seu irmão, reinou sobre duas tribos, Judá e Benjamim, e o reino de Judá teve por capital Jerusalém. Jeroboão tornou-se um rei idolatra, e para agradar o povo mandou fazer dois bezerros de ouro e declarou ao povo que estes eram os seus deuses que os tiraram do Egito. Jeroboão reinou vinte e dois anos sobre Israel, e fez todo o Israel pecar e se afastar do Deus vivo e verdadeiro. Perdendo ele todo temor e respeito ao Deus de Israel, constituiu sacerdotes para ministrarem no altar da idolatria; e, por esse tempo o seu filho Abião veio a adoecer. Querendo ele alguma resposta de Deus, pediu para sua mulher se disfarçar e ir ao profeta que estava em Siló, chamado Aías; visto que se ela fosse sem o disfarce ele temia não ser atendido pelo profeta. Todavia mesmo disfarçada ela foi reconhecida, porque o Deus vivo e verdadeiro de Israel, revelou ao profeta, que já estava com a sua visão escurecida, mas dos olhos de Deus ninguém se esconde. A mascara caiu, e a sentença foi dada. Não adianta tenta disfarçar nem fingir o que não é diante de Deus, um dia Deus terá um encontro com essas pessoas que estão disfarçadas de cristãos, por trás de uma capa e brincando de ser crente. Deus tolera por um tempo e dá oportunidade para essas pessoas se decidirem, caso insistam  no fingimento, no disfarce e na hipocrisia; Deus vai agir, tirando as mascaras de muitos, e a verdadeira identidade será revelada. As mascaras vão cair. São muitos disfarçados de pastores, mas são lobos devoradores. São muitos disfarçados de homens de Deus, com títulos de grandes pregadores e cantores, mas que na verdade são caças níqueis e estão interessados e comprometidos com uma boa conta bancária. São muitos disfarçados de grandes lideres de igrejas, e manipulam grandes massas, fazendo do povo negócio e omitindo o verdadeiro Evangelho. Mas, as mascaras estão caindo e vão cair, o disfarce não vai permanecer por muito tempo, Deus tem pressa em revelar quem são os falsos. Está escrito: O que usa de engano não ficará dentro da minha casa; o que profere mentiras não estará firme perante os meus olhos (Sl.101.7). É tempo de deixar o fingimento, a malícia, o engano, a hipocrisia e o disfarce, e se voltar para Deus com um coração verdadeiro e sincero. Amém!.

TRÊS TIPOS DE MÁSCARAS:

Máscara nos fala de falsidade, fingimento, disfarce, hipocrisia e coisas semelhante. Uma pessoa que vive uma vida de transparência e sinceridade não precisa tentar esconder-se por trás de uma capa de falsidade e hipocrisia. O problema é que as pessoas muitas vezes preferem camuflar a sua verdadeira identidade ao invés de viver a realidade. Mas as máscaras sempre caem.

A MÁSCARA DA FALSA AMIZADE.

As pessoas muitas vezes se aproximam das outras e dizem ser amigas, porém são muito interesseiras. Amigo é joia rara, um verdadeiro amigo deve ser muito valorizado; tem pessoas que se dizem amigas, mas é na hora da dificuldade e na adversidade que o verdadeiro amigo se revela. A palavra de Deus nos diz: Em todo tempo ama o amigo; e na angústia nasce o irmão (Pv.17.17). Amigos de longe temos muitos, amigos de perto temos alguns, amigos íntimos quase não temos, amigos verdadeiros é muito raro, quase não existem. O homem que tem muitos amigos pode congratular-se, mas há amigo mais chegado do que um irmão (Pv.18.24). Quem trai não é o inimigo, e sim o "amigo". Disse o salmista Daví: Pois não era um inimigo que me afrontava; então, eu o teria suportado; nem era o que me aborrecia que se engrandecia contra mim, porque dele me teria escondido, mas eras tu, meu companheiro, meu confidente e meu amigo íntimo. Praticávamos juntos agradavelmente, e íamos com a multidão à casa de Deus (Sl.55.12-14). Até o meu melhor amigo, em quem eu confiava, e que partilhava do meu pão, também me traiu (Sl.41.9). As vezes nós somos vítimas de traição por parte daqueles que menos esperamos, mas isto é para que se revele a falsidade e venha a cair a máscara daqueles que se dizem ser "amigo". Mas, temos um amigo que nunca nos decepciona, e nunca nos abandona; esse amigo é Jesus.

A MÁSCARA DO FALSO CRISTIANISMO.

Chegamos em uma época em que muitas pessoas se intitulam cristãos, o que antigamente era visto por muitos como um termo pejorativo, hoje para muitos virou moda ser cristão. Muitos estão entrando nas igrejas e sendo participantes ativo de toda a liturgia do culto, mas na prática a sua vida não corresponde a verdadeira identidade de um seguidor de Cristo. Tem pessoas que se dizem cristão mas tem uma língua solta para falar mal da vida dos outros. A palavra de Deus, nos diz: Se alguém entre vós cuida ser religioso e não refreia a sua língua, antes, engana seu coração, a religião desse é vá (Tg.1.26). Tem pessoas vivendo de aparência, até parece ser um verdadeiro cristão, mas vive uma vida dupla, quer servir a Deus e agradar ao mundo. Jesus disse: Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar um e amar o outro ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom (Mt.6.24). (Mamom representa o deus das riquezas e dos prazeres mundanos). O apóstolo Paulo escreveu: Todavia, o fundamento de Deus fica firme, tendo este selo: O Senhor conhece os que são seus, e qualquer que profere o nome de Cristo aparte-se da iniquidade (2Tm.2.19). Há muitos que se dizem cristãos e tem título de pastor, mas são falsificadores da palavra de Deus, e estão atraindo multidões, oferecendo-lhes um evangelho de facilidades, fazendo do povo negócio e lhes apresentando um Jesus capitalista, tornando as pessoas cada vez mais compulsivas pelas coisas materiais. Jesus é lindo, o evangelho é maravilhoso, mas muitos que se dizem cristãos tem manchado a boa imagem do evangelho com as suas atitudes ímpias. Mas as máscaras dos falsos estão caindo e Deus vai ajustar contas com quem está brincando de ser crente.

A MÁSCARA DA FALSA SANTIDADE.

Tem pessoas dentro da igreja, vivendo e pregando uma falsa santidade. Uma santidade de aparência exterior, baseada em preceitos de homens, sendo um verdadeiro sepulcro caiado. Jesus censurou os escribas e fariseus, porque eles aparentavam ser o que na verdade não eram. Eles foram chamados por Jesus, de hipócritas e sepulcros caiado (Mt.23.27). Eles ensinavam e não praticavam, se escondiam em uma capa de aparente santidade, mas interiormente estavam cheios de pecados. Hoje não é diferente, os escribas e fariseus modernos estão por ai, se escondendo por trás de uma máscara, mostrando aparência de piedade, mas na prática eles negam e são contraditórios no que falam. Eu li uma frase que dizia o seguinte: Admire as pessoas que confessam suas fraquezas e tenha cuidado redobrado com aquelas que vivem arrotando santidade. Não é regra, mas é de desconfiar quando uma pessoas sobe num pedestal de santidade e se acha melhor que todos; atente para os passos dela e se comprovará que é tudo uma farsa. A santidade que vem de Deus é humilde, simples e com temor (respeito). O apóstolo Paulo escrevendo aos coríntios disse: Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus (2Co.7.1). Na bíblia não tem santinho nem santarão, basta ser santo. As máscaras de santidade dos hipócritas estão caindo e vão continuar, porque está escrito: Aquele que usa de engano não ficará dentro da minha casa (Sl.101.7). É tempo de se ajustar com Deus, ele é misericordioso. Amém!

CONCLUSÃO:
É tempo de tirar as máscaras e viver a verdadeira identidade. É tempo de deixar o disfarce da hipocrisia e viver a verdade de Deus. É tempo de deixar a capa da malícia, do fingimento e da falsidade e vestir as vestes da sinceridade e da verdade. É tempo de nos apresentarmos a Deus sem máscara e sem capa, e confessarmos para ele as nossas fraquezas, ele vai nos socorrer, ele é misericordioso.

domingo, 1 de setembro de 2013

OS DONS DO ESPÍRITO SANTOS

Acerca dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes. Ora, há diversidades de dons, mas o Espírito é o mesmo. E há diversidades de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. E há diversidades de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos. Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil. Porque a um, pelo Espírito, é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência; e a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar; e a outro, a operação de maravilhas; e a outro, a profecia; e a outro, o dom de discernir os espíritos; e a outro, a variedade de línguas; e a outro, a interpretação das línguas. Mas um só é o mesmo Espírito que opera todas essas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer (1Co.12.1,4-11).



Este estudo tem como objetivo esclarecer  e tirar dúvidas à luz da bíblia acerca dos dons espirituais. Um dos maiores problemas que vem surgindo nas igrejas pentecostais é a forma desordenada no uso destes dons. Muitos crentes movidos por pura emoção estão “usando” o Espírito Santo, em vez de serem usados por Ele.


Quando o apóstolo Paulo escreveu aos coríntios acerca dos dons do Espírito Santo, foi para orientá-los de como saber usa-los de maneira correta e como eles se manifestam; pois a igreja de coríntios era rica nos dons do Espírito, porém desordenada no uso dos mesmos. O apóstolo disse: Porque em tudo fostes enriquecidos nele, em toda a palavra e em todo o conhecimento. De maneira que nenhum dom vos falta, esperando a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo (1Co.1.5,7). A palavra dom no grego é charisma, que significa uma dádiva ou presente que o Espírito Santo concede aos crentes, dando-lhes capacidades, habilidades, aptidões e competências, afim de edificar e aperfeiçoar o corpo de Cristo, que é a igreja; e para promover a expansão do reino de Deus.

AS TRÊS MANIFESTAÇÕES DO ESPÍRITO SANTO:

1. Diversidades de dons. Vers.4.

2. Diversidades de ministérios. Vers.5.

3. Diversidades de operações. Vers.6.

CLASSIFICAÇÃO DOS DONS:

1. Dons espirituais.
Palavra da sabedoria, palavra de conhecimento, discernimento de espíritos, fé, dons de curar, operação de maravilhas, profecia, variedades de línguas, interpretação das línguas. 1Co.12.8-10.

2. Dons ministeriais.
Apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres. Ef.4.11,12.

3. Dons operacionais.
 Servir, ensinar, exortar, repartir, presidir, exercitar misericórdia. Rm.12.6-8.

DONS DO ESPÍRITO SANTO:

1. DONS DE REVELAÇÃO (dons de saber).

Palavra de sabedoria, palavra de conhecimento, discernimento dos espíritos.

2. DONS DE PODER (dons de ação).

Fé, dons de curar, operação de maravilhas.

3. DONS DE INSPIRAÇÃO (dons vocais).

Profecia, variedade de línguas, interpretação das línguas.

DEFINIÇÃO DOS DONS:

PALAVRA DE SABEDORIA.

Trata-se de uma palavra sábia, mediante a revelação do Espírito Santo, em uma determinada circunstância que no saber natural é impossível de se resolver ou definir algo acerca de determinado problema. Mas mediante a revelação do Espírito Santo, pela palavra da sabedoria tudo fica evidente e é resolvido.
Exemplos da manifestação deste dom: Jesus (Mt.22.15-21). Tiago. (At.15.13-22). Salomão (1Rs.3.16-28).

PALAVRA DA CIÊNCIA.

É a revelação sobrenatural do conhecimento Divino, revelando coisas particulares a respeito de pessoas, de circunstâncias ou até mesmo de verdades bíblicas que estão obscuras ao nosso entendimento.
Exemplos de homens que foram usados por Deus através deste dom: Aías (1Rs.14.1-6). Eliseu (2Rs.6.8-12). Pedro (Mt.16.16,17). Ágabo (At.21.10,11).

DISCERNIMENTO DOS ESPÍRITOS.

É uma revelação sobrenatural, concedida pelo Espírito Santo, para se perceber a ação e intenção dos espíritos; se verdadeiro ou falso. No mundo espiritual existem três tipos de espíritos, são eles: O espírito humano, o espírito diabólico, o Espírito de Deus. A bíblia adverte: Amados, não creiais em todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus (1Jo.4.1). Tenhamos muito cuidado, pois o apóstolo Paulo nos adverte que, nos últimos dias muitos seriam enganados, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrina de demônios (1Tm.4.1). Exemplos de homens que foram usados por Deus para discernir espíritos: Pedro (At.5.1-5). Paulo (At.16.16-18).

FÉ.
É uma capacidade que o Espírito Santo concede ao crente de crer de forma sobrenatural, em casos que aparentemente é impossível aos olhos humano de se resolver ou acontecer. Esta fé também implica em realizações de milagres. Exemplos de homens que exercitaram esta fé: Abraão, o pai da fé (Rm.4.17-21). Estevão, o diácono (At.6.8). Filipe, o evangelista (At.8.5-8).

DONS DE CURAR.

É o poder sobrenatural operado pelo Espírito Santo, para curar todos os tipos de doenças sem auxílio humano ou da medicina. Observe que a expressão está no plural: "Dons de curar". Isto significa dizer que, o Espírito Santo opera de formas variadas na execução da cura, de acordo com a doença ou a fé do doente. Isto está claro nos registros dos evangelhos, as formas variadas de como Jesus curava as pessoas.
Exemplos: A cura de Enéias (At.9.32-35). A cura de um homem coxo (At.3.1-10). A cura de um homem paralítico (At.14.8-10).

OPERAÇÕES DE MILAGRES.

É o poder sobrenatural que contraria o curso normal da natureza, quebrando as suas leis naturais e causando grande espanto diante dos olhos humanos. São maravilhas de Deus acontecendo em ocasiões oportunas e necessárias. Exemplos: O sol e a lua são detidos (Js.10.12-14). A ressurreição de Tabita (At.9.36-42). Deus pelas mãos de Paulo fazia maravilhas (At.19.11,12). Muitos sinais e prodígios eram feitos pelas mãos dos apóstolos (At.5.12).

PROFECIA.

Este dom se manifesta de forma verbalizada e clara ao entendimento humano, não por vontade humana, mas por uma manifestação especial do Espírito Santo, quando necessária para o que for útil.
Este é citado por Paulo como o principal dos dons (1Co.14.1). Este dom tem como objetivo, edificar, exortar e consolar a igreja (1Co.14.3,4). Nenhuma profecia, sendo ela verdadeira poderá ser contrária a palavra de Deus contida no livro sagrado (bíblia). Caso contrário, não vem de Deus. Está escrito: À lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, nunca verão a alva (ou não haverá  manhã para eles). Is.8.20.

O apóstolo João nos recomenda: Amados, não creiais em todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo (1Jo.4.1).
É preciso percebemos qual o espírito está atuando: O Espírito de Deus, o espírito humano ou o espírito diabólico.
 

VARIEDADE DE LÍNGUAS.

Este dom teve uma manifestação plena no dia de Pentecostes, quando o Espírito Santo encheu os crentes e eles falavam línguas variadas sem nunca tê-las aprendidas, e muitos estrangeiros que ali estavam entenderam eles falando no seu próprio idioma (At.2.1-8). Este dom evidência a manifestação do Espírito Santo de forma audível, e quando há interpretação ele pode funcionar como uma profecia. O apóstolo Paulo ensina no capítulo 14 de 1 coríntios, que este dom é mais proveitoso quando há interprete (1Co.14.5). Todavia no final da sua instrução ele diz: Portanto, irmãos, procurai com zelo, profetizar e não proibais falar línguas. Mas faça-se tudo decentemente e com ordem (1Co.14.39,40).



Este dom pode se manifestar de três maneiras:

1. Língua estranha.

Porque o que fala língua estranha não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala de mistérios (1Co.14.2).

2. Língua dos anjos.

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos... (1Co.13.1).

3. Língua estrangeira (de outras nações).


O relato de Lucas em Atos, 2.1-11 mostra que o dom de línguas foi manifestado naquela ocasião com o propósito de evangelizar. O verso 6 declara que “cada um ouvia falar na sua própria língua” o que cada seguidor de Cristo dizia. E o verso 8 confirma: “e como os ouvimos falar cada um em nossa própria língua materna?” Pela terceira vez exclamaram os estrangeiros: “como os ouvimos falar em nossa própria língua as grandezas de Deus ?” (verso 11).
Havia, naquele lugar, cerca de 18 nações diferentes. Os apóstolos não tinham tempo e nem uma escola para aprender todos aqueles idiomas. Houve uma “NECESSIDADE” de pregar o evangelho em um lugar onde havia muita gente (Deus não poderia perder aquela oportunidade!); por isso, o Senhor deu-lhes o dom de línguas estrangeiras. Note que os discípulos não falaram palavras ou sílabas sem sentido. Eram compreendidos em outros idiomas. Porém isso não significa dizer que esta manifestação foi só para aqueles dias. Pedro em seu discurso, diz: Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos e a todos os que estão longe; a tantos quantos Deus, nosso Senhor, chamar (Atos,2.39).




O apóstolo Paulo ensina no capítulo 14 de 1 coríntios, que este dom é mais proveitoso quando há interprete (1Co.14.5). Todavia no final da sua instrução ele diz: Portanto, irmãos, procurai com zelo, profetizar e não proibais falar línguas. Mas faça-se tudo decentemente e com ordem (1Co.14.39,40).

Regras a serem seguidas no uso do Dom de Línguas:

No máximo três pessoas devem falar, de forma sucessiva e organizada e, por sua vez haja intérprete (1Coríntios 14:27).

Deve haver tradutor (intérprete), se não houver, fale consigo mesmo e com Deus (1Coríntios 14:28)

Deve cumprir o papel de edificar a igreja, estando subordinado ao dom de profecia (1Coríntios 14. 5, 26).



INTERPRETAÇÃO DAS LÍNGUAS.

Este dom se manifesta junto com o dom de variedade de línguas; quando há interpretação das línguas, a igreja é edificada, porque todos passam a entender o que o Espírito Santo estar falando. O apóstolo ensinando a igreja em coríntios diz: Assim igualmente vós. Visto que estais desejosos por exercer os dons espirituais, procurai amadurecer naqueles que produzem edificação para todo o corpo de Cristo. Sendo assim, aquele que fala línguas estranhas, ore para que possa interpretar (1Co.14.12,13). As línguas estranhas sem interpretação fica sem fruto, só edifica quem fala (1Co.14.4).

Hoje, nós percebemos que há muitas línguas estranhas e poucos intérpretes, é preciso orar para que esse dom esteja em maior evidência em nosso meio.


CONCLUSÃO: 



Uma igreja pentecostal deve se conforma com os padrões que a Bíblia estabelece, no que diz respeito aos dons do Espírito Santo, e não seguir os modismos e inovações que vem surgindo ao longo dos anos.
 

Sou pentecostal, e creio piamente nos dons do Espírito Santo, mas tenho visto muitas aberrações e meninices no meio do povo de Deus. Precisamos lê mais a bíblia e aprendermos a nos comportarmos de forma ordeira, e deixando de ser levado pelo descontrole emocional; fazendo tudo com decência e ordem para glória de Deus. Amém!