terça-feira, 31 de dezembro de 2013

A ORAÇÃO DO PAI NOSSO.

Texto básico: Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu reino. Seja feita a tua vontade, tanto na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dá hoje. Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores. E não nos induzas à tentação, mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém! Mt.6.9-13.

Introdução: A oração do Pai nosso, é um modelo de oração que é recitada por muitas religiões e que se tornou uma oração ecumênica. Nesta oração, Jesus ensina aos seus discípulos o caminho da verdadeira adoração e comunicação com Deus. O primeiro passo é a humildade, em contraste com o estilo de vida dos fariseus, escribas, publicanos e gentios, que viviam uma religiosidade apenas de aparência. Os discípulos também deveriam evitar as vãs repetições, pois era a maneira como os pagãos (aqueles que não passaram pelo batismo, também chamados de gentios) tentavam sensibilizar seus deuses para obter favores. As suas orações eram repetitivas, em voz alta e vazias. Por isso Jesus lhes ensina um modelo de oração. Este modelo de oração reflete um relacionamento de intimidade de um pai para com o filho.

AS OITO DECLARAÇÕES DA ORAÇÃO DO PAI NOSSO.

1. Pai nosso, que estás nos céus.

Esta expressão "Pai nosso, que estás nos céus", foi algo novo e chocante para os judeus e para os discípulos de Jesus, isto porque no antigo testamento, na lei de Moisés ou na torá, não havia este tipo de expressão, nem se ensinava a chamar Deus de Pai. Pai, que em aramaico é Abba, não era uma expressão comum entre os judeus, Jesus aqui nos ensina que o nosso relacionamento com Deus, deve ser de intimidade, liberdade e cumplicidade; a ponto de nós o chamá-lo de Pai. O apóstolo Paulo nos ensina dizendo: Porque não recebestes o espírito de escravidão, para, outra vez, estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: "Abba, Pai" (Rm.8.15). O Espírito que em nós habita, lança fora o temor e nos dá liberdade de chegarmos a Deus e chamá-lo de Pai. Aleluia!

2. Santificado seja o teu nome.

O nome de Deus é santo e deve ser sempre santificado na vida daqueles que professam o seu nome e são seus filhos. Um verdadeiro filho de Deus que se preza, não deve, desonrar nem profanar o nome do seu Pai. Porque muitos se dizem filhos de Deus, mas vivem uma vida de total depravação e pecados, usando o nome de Deus em vão e servindo de escândalo para a sociedade. O apóstolo Paulo nos adverte dizendo: Todavia, o fundamento de Deus fica firme, tendo este selo: O Senhor conhece os que são seus, e qualquer que profere o nome de Cristo aparte-se da iniquidade (2Tm.2.19).

3. Venha o teu reino.

Reino é sinônimo de domínio, Deus reinando, é Deus dominando. Este domínio implica em Deus dominar sobre tudo e reinar nos corações dos homens. Este reino veio de forma parcial através de Jesus Cristo; em certa ocasião Jesus foi interrogado pelos fariseus sobre quando se daria a vinda do reino de Deus, Jesus lhes explicou: O reino de Deus não vem com aparência exterior. Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Ei-lo ali! Porque eis que o reino de Deus está entre vós (Lc.17.20,21). Quem procura seguir a Jesus, e o tem como Senhor e Salvador da sua vida, está fazendo parte do reino de Deus.

4. Seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu.

A vontade de Deus é boa, perfeita e agradável. A vontade de Deus pode ser percebida de duas maneira: A vontade permissiva de Deus, e a sua vontade diretiva, que é plena e perfeita. Esta vontade perfeita de Deus, deve ser estabelecida na terra e no céu. Viver fora da vontade de Deus é ficar de fora dos seus planos. A vontade de Deus é que todos os homens se salvem e venham ao conhecimento da verdade (1Tm.2.4). Na vontade permissiva de Deus, ele não quer e nem aprova, mas por causa do livre arbítrio do homem em tomar as suas próprias decisões, Deus permite e deixa ele decidir.

5. O pão nosso de cada dia nos dá hoje.

Deus como Pai amoroso está sempre provendo o sustento para todos os seus filhos; diz a sua palavra que ele faz que o seu sol brilhe sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos (Mt.5.45). Devemos sempre confiar em Deus, ele é o nosso provedor que a cada dia garante o nosso sustento. Jesus nos ensinou dizendo: Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos ou que beberemos ou com que nos vestiremos? Porque todas essas coisas os gentios procuram. Decerto, vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas essas coisas. Mas buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas. Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal (Mt.6.31,34). Todas as pessoas que confiam em Deus e descansam na sua palavra, não serão decepcionadas. Amém!

6. Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores.

Esta é a parte mais difícil da oração, pois quando se fala em perdoar muitos de nós temos dificuldades em fazê-lo. Muitas vezes somos egoístas, queremos ser perdoados e não perdoamos. Sobre o perdão, Jesus nos ensina dizendo: Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós. Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas (Mt.6.14,15). A falta de perdão nos impede de recebermos as bênçãos de Deus, e interfere no nosso relacionamento com Ele. Está escrito: Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão, e depois vem, e apresenta a tua oferta (Mt.5.23,24). A capacidade de perdoar é uma das características que identifica os filhos de Deus. Pense nisso.

7. E não nos conduzas à tentação, mas livra-nos do maligno.

Deus como Pai perfeito e amoroso, jamais irá conduzir ou induzir os seus filhos à tentação; pelo contrario, por ele conhecer a nossa estrutura e fraquezas, ele nos livra de tais situações. O maligno sempre procura nos atingir, mas o nosso Pai é um Deus protetor que estar sempre nos guardando e nos livrando de todo o mal. Na sua palavra está escrito: Aquele que vive na habitação do Altíssimo e descansa à sombra do Todo-Poderoso, desfrutará sempre da sua proteção. Sobre o Eterno declara: Ele é meu refúgio e minha fortaleza, o meu Deus, em quem deposito toda a minha confiança. Ele te livrará do laço do inimigo ardiloso e de praga mortal (Sl.91.1-3). Amém!

8. Porque teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém!

Aqui temos três palavras que tem relação direta com Deus: Reino, poder e glória. O reino, o poder e a glória pertencem exclusivamente a Deus. Devemos sempre buscar o reino de Deus, e procurar promovê-lo através da propagação do Evangelho. Devemos sempre confiar no seu poder, pois ele é eterno e não falha. Finalmente, devemos sempre adorá-lo, reverenciá-lo e glorificá-lo, pois a sua glória é eterna e está acima de tudo e de todos. Ele é o Rei da Glória! Aleluia!

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

JESUS, O INCOMPARÁVEL.

E, entrando ele no barco, seus discípulos o seguiam. E eis que, no mar, se levantou uma tempestade tão grande, que o barco era coberto pelas ondas; ele, porém, estava dormindo. E os seus discípulos, aproximando-se, o despertaram, dizendo: Senhor, salva-nos, que perecemos. E ele disse-lhes: Por que temeis homens de pequena fé? Então, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar, e seguiu-se uma grande bonança. E aqueles homens se maravilharam, dizendo: Que homem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem? Mt.8.23-27.

Jesus, o homem incomparável, que sempre nos surpreende. Os discípulos andavam com Jesus, comiam com Ele, viam as suas maravilhas, ouviam os seus ensinamentos, mas eles não conheciam a Jesus em sua totalidade, nem o seu potencial, a ponto de se maravilharem com o seu poder, e perguntarem: Que homem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem? Jesus na sua humanidade, como homem ele é incomparável. No decorrer dos tempos e épocas, a história registra vários nomes de homens que se destacaram e deixaram um legado para as futuras gerações. Porém, apesar dos seus feitos, fama, nome e renome, eles jamais serão igualados ou comparados com Jesus Cristo.

JESUS, SETE VEZES INCOMPARÁVEL.

1. INCOMPARÁVEL NO SEU NASCIMENTO.

Nenhum rei ou monarca, presidente ou governante, lideres político ou religioso, filósofos ou intelectuais, jamais tiveram um nascimento tão maravilhoso como foi o de Jesus. Diz o texto sagrado, que quando Jesus nasceu apareceu um coral celestial louvando a Deus e dizendo: Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens! (Lc.2.13,14). Portanto, Jesus também é incomparável no seu nascimento pelo fato de ele ter sido gerado pelo Espírito Santo. Está escrito: Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo (Lc.1.18).

2. INCOMPARÁVEL NO SEU MINISTÉRIO.

Nenhum dos lideres político, religioso, guerreiro ou governante, jamais conseguiram realizar em pouco mais de três anos o que Jesus realizou em seu ministério terreno. É de impressionar a quantidade de obras, milagres, ensinamentos e pregações que Jesus realizou, e estão registradas nos quatro evangelhos. O evangelista João foi muito enfático quando escreveu, dizendo: Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez; e, se cada uma das quais fosse escrita, cuido que nem ainda o mundo todo poderia conter os livros que se escrevessem. Amém! (Jo.21.25).

3. INCOMPARÁVEL NA SUA MISSÃO.

Nenhuma missão que alguém já realizou aqui na terra, pode se comparar com a sublime missão que Jesus cumpriu. JESUS, cumpriu uma missão que nenhum homem jamais teria condições nem capacidade de cumpri-la. Jesus veio a terra para cumprir uma missão especial, que foi ordenada pelo Pai. Ele na qualidade de filho, obedeceu, e cumpriu a grande missão recebida do Pai. Em uma certa ocasião Jesus falou para os seus discípulos acerca da sua missão dizendo: Uma comida tenho para comer, que vós não conheceis. A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra (Jo.4.31-34). É através do cumprimento da sua incomparável missão, que a humanidade pode desfrutar da salvação de Deus; esta missão nos trouxe esperança, luz, libertação, alegria, paz e prosperidade. Aleluia! Louvado seja Deus por isto. Amém!

4. INCOMPARÁVEL NAS SUAS PALAVRAS.

Nenhum dos grandes filósofos, nenhum dos grandes oradores, nenhum dos grandes mestres da oratória, nenhum dos grandes eruditos e eloquentes pregadores tiveram tanta autoridade, e falaram com tanto poder e propriedade como Jesus falou. A bíblia registra que, em uma certa ocasião as autoridades mandaram alguns soldados prenderem Jesus; e, quando chegaram para o prenderem, encontraram Jesus no meio de uma grande multidão, e ele estava ensinando. Logo após os soldados ouvirem as palavras de Jesus, ficaram sem forças para o prender, e, voltando sem ter prendido Jesus, os principais dos sacerdotes e fariseus, lhes perguntaram porque eles não conseguiram o prender, e eles responderam dizendo: Nunca homem algum falou como este homem. (Jo.7.32,45,46). Diz o texto sagrado, que a multidão se admirou da sua doutrina, pois era diferentes dos escribas, porque Jesus falava com autoridade (Mt.7.28,29). As palavras de Jesus são incomparáveis, ninguém nunca teve a capacidade nem a competência de falar o que Jesus falou. Ele disse: Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei (Mt.11.28). Só ele declarou: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim (Jo.14.6). Eu sou a luz do mundo (Jo.8.12). Eu sou o pão da vida (Jo.6.35). Eu sou a porta (Jo.10.9). Eu sou o bom pastor (Jo.10.11). Eu sou a ressurreição e a vida (Jo.11.25). Muitos falaram e não puderam cumprir com as suas palavras e promessas, mas Jesus fala e cumpri com as suas palavras. Ele disse: Passarão o céu e a terra, mas as minhas palavras não hão de passar (Mt.24.35). Amém!

5. INCOMPARÁVEL EM PODER.

O mundo é governado por poderes. Existe o poder político, o poder econômico, o poder religioso, o poder militar e o poder musical. Jesus é incomparável em poder, porque ele é a fonte do poder. Ele disse: É me dado todo o poder no céu e na terra (Mt.28.20). Ele também é chamado de El-shadai, o Deus todo-poderoso. O poder dos homens são temporal e limitado, o poder de Jesus é eterno e ilimitado. Está escrito: Uma coisa disse Deus, duas vezes a ouvi; que o poder pertence a Deus (Sl.62.11). Muitos dizem que tem poder, outros dizem que representam o poder, mas Jesus é o poder em pessoa, dele emana o poder, ele é a origem e a fonte do poder. Glorificado seja o nome de Jesus, para sempre. Amém!

6. INCOMPARÁVEL NA HISTÓRIA.

Na história da humanidade há relatos de grandes homens, que marcaram sua época e foram considerados como grandes vultos e heróis da humanidade. Alexandre Magno, intitulado o grande, foi um grande chefe, general e guerreiro conquistador da Macedônia. Gengis khan, foi um grande imperador e conquistador mongol. Carlos Magno, foi o rei dos francos e tornou-se imperador do ocidente devido as suas grandes conquistas. Ele expandiu o Reino Franco até que ele se tornasse o Império Carolíngio, que incorporou a maior parte da Europa Ocidental. Napoleão Bonaparte foi um líder político e militar durante os últimos estágios da Revolução Francesa, ele quase que dominou toda a Europa.  Adolfo Hitler, foi um militar e político, líder do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães, também conhecido por Partido Nazi ou Nazista, foi um revolucionário da segunda guerra mundial, tendo como ideologia a formação de uma só raça, ele exterminou seis milhões de judeus. Benito Mussolini foi um general e político italiano que liderou o Partido Nacional Fascista e é creditado como sendo uma das figuras-chave na criação do Fascismo. Temos estes e muitos outros que marcaram a história, muitos na área política e governamental, e outros na área religiosa, como grandes lideres criadores de religiões e filosofias de vida. Porém, nenhum se comparam a Jesus. Eles marcaram a história, Jesus fez a história. Jesus é o começo e o fim da história, ele disse: Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, o primeiro e o derradeiro (Ap.22.13). Os calendários de todo o mundo está vinculado a Ele. Muitos tentam ignorá-lo, mas ele não pode ser ignorado, pois quando ele veio, ele mudou a história. Os grandes estudiosos e historiadores utilizam as siglas, A.C. D.C. Com o advento de Cristo, o mundo entrou em uma nova história, história de esperança, de paz, de salvação, alegria e prosperidade. Amém!

7. INCOMPARÁVEL NA SUA MORTE.

A morte de Jesus foi o maior marco na história da humanidade. Nenhuma morte de grandes lideres religiosos e criadores de religião, bem como estadistas, cantores e intelectuais; causaram tanto impacto no mundo como a morte de Jesus. Diz o texto sagrado que, quando Jesus estava prestes a morrer, o sol não brilhou por três horas, a terra estremeceu, fenderam-se as pedras e o véu do santuário que estava no templo, foi rasgado de alto a baixo. (Mt.27.50,51. Lc.23.44-46). O céu parou, a natureza protestou e o inferno se abalou, com a morte de Jesus. A sua morte foi incomparável porque foi através da sua morte que toda a humanidade foi beneficiada. Por causa da morte de Jesus, Satanás perdeu as chaves da morte e do inferno, o inferno começou a ser despovoado e o céu povoado, Satanás perdeu o império e foi banido do trono; o Rei agora é Jesus, e Satanás é enganador. A sua morte também é incomparável porque só ele morreu e ressuscitou ao terceiro dia. Aleluia! Ele é o Rei da glória, ele está vivo, e vive para todo o sempre. Ele disse a João na ilha de Patmos: Não temas; eu sou o primeiro e o último e o que vive; fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém! E tenho as chaves da morte e do inferno (Ap.1.17,18). JESUS, o incomparável, Ele é a nossa vitória. Amém!

domingo, 15 de dezembro de 2013

SANTIDADE, UM ESTILO DE VIDA.

 
Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo (I Pedro, 1.15,16).

A santidade de Deus, é um dos seus atributos que mais lhe identifica; é inconcebível imaginar ou pensar em Deus e não vê Ele como Santo. Deus é Santo, e tudo o que estar relacionado a ele deve ser santo. Santo significa estar separado do pecado e consagrado para o serviço de Deus. Este é um tema que muitos não querem ouvir falar, em muitos púlpitos de igrejas já não se ouve falar sobre este assunto; muitos  pregadores, pastores e lideres já não pregam nem ensinam sobre este tema. A verdade é que, muitos estão vivendo em pecado dentro da casa de Deus, e muitos pastores estão dissimulando o pecado do povo, muitas vezes com medo de repreendê-los, para não perderem essas pessoas para outras igrejas e deixarem de receber os dízimos e ofertas das mesmas. Porém a palavra de Deus, nos diz que, sem santificação, ninguém verá o SENHOR (Hb.12.14). Deus quer quantidade com qualidade; mas, muitas igrejas estão com quantidade sem qualidade. Santidade para muitos é coisa do passado, muitos estão brincando de ser crente e criando o seu próprio padrão de vida, vivendo um evangelho de conveniências e facilidades, fora dos padrões da bíblia, daquilo que a palavra de Deus recomenda. Porém a palavra de Deus continua dizendo: Sede santos, porque eu, o SENHOR, sou Santo. Amém.

AS DUAS ETAPAS DA SANTIFICAÇÃO:

1. INSTANTÂNEA.
No momento em que a pessoa aceita e confessa Jesus Cristo, como único e suficiente Salvador e Senhor da sua vida, automaticamente ela é santificada (separada para Deus); ela perde o titulo de pecador e passa a ser chamada de santo.

2. PROGRESSIVA.
Na continuação da nossa vida cristã devemos nos esforçar para que a nossa vida de santidade diante de Deus, vá progredindo e melhorando cada vez mais. Está escrito: Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus (2Co.7.1).

AS TRÊS ÁREAS DA SANTIFICAÇÃO:

1. CORPO.
A santidade deve abranger os cinco sentidos do nosso corpo: Nossa visão, audição, olfato, tato e paladar.

2. ALMA.
A nossa alma como sede das emoções, que envolve os nossos sentimentos e vontades, deve ser santificada para glória de Deus.

3. ESPÍRITO.
As faculdades do espírito que envolve a fé e a razão, devem ser também santos para Deus.
Como está escrito: E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo (1Ts.5.23).

AS BASES DA NOSSA SANTIFICAÇÃO:

1. A PALAVRA DE DEUS. 
Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade. Jo.17.17.

2. O SANGUE DE JESUS.
E, por isso, também Jesus, para santificar o povo pelo seu próprio sangue, padeceu fora da porta. Hb.13.12.

3. O ESPÍRITO SANTO.
Todavia, irmãos amados do SENHOR, devemos sempre dar graças a Deus por vós, pois Ele vos escolheu desde o princípio para a salvação pela santificação feita pelo Espírito e pela fé na verdade. 2Ts.2.13.

A IMPORTÂNCIA DA SANTIFICAÇÃO:

1. É A VONTADE DE DEUS.
A vontade de Deus é esta: a vossa santificação; por isso, afastai-vos da imoralidade sexual. 1Ts.4.3.

2. DEUS NOS CHAMOU PARA SANTIFICAÇÃO.
Porque não nos chamou Deus para imundícia, mas para a santificação. 1Ts.4.7.

3. SEM SANTIFICAÇÃO NINGUÉM VERÁ O SENHOR.
Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o SENHOR. Hb.12.14

CONCLUSÃO:
A santidade é o caminho que nos conduz ao céu. A luz da bíblia podemos entender que, sem santidade é impossível chegar ao céu e vê a Deus. Quem procura viver uma vida de santidade diante de Deus, estar vivendo dentro da vontade de Deus e terá como recompensa a sua entrada no céu e será coroado pelo o Santo dos santos e verá a sua face. Amém!

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

A TRILOGIA: DOM, TALENTO, VOCAÇÃO.

Texto básico: Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança, nem sombra de variação. Tiago.1.17.

Introdução: Deus criou o homem do pó da terra, e soprou nele o fôlego da vida. Isto implica em dizer que, o homem é um ser frágil, pois foi criado do pó da terra. Todavia, apesar da sua fragilidade, o homem é um ser inteligente; pois ele tem o DNA de Deus (o sopro de Deus). Essa inteligência pode ser usada tanto para o bem como para o mal; dependendo da índole da pessoa e a  maneira que ela foi instruída e educada. Nenhum ser humano é incapaz ao ponto de dizer que não sabe fazer nada. Todo o ser humano é dotado de inteligência, essa inteligência pode ser percebida através dos dons, talentos e vocações. Uma pessoa que tem aptidões para exercer alguma tarefa, é uma pessoa vocacionada e dotada de algum talento ou dom.

DOM, TALENTO, VOCAÇÃO.

DOM.
Na etimologia da palavra vinda do latim, DONU, "presente, dádiva". No grego vem a ser KARISMATA, OU CHARISMA, de onde se origina a palavra carisma, carismático. Dom, vem de Deus, é uma dádiva de Deus para os homens. No sentido geral, tudo aquilo que temos e desfrutamos de bom é dom de Deus. Por exemplo: A vida, o comer, o beber, o nosso trabalho, nossa família, nossa fé, nossa capacidade, inteligência, força, etc. Algumas pessoas nascem com algo especial que lhe confere uma capacidade de realizar muitas coisas com extrema facilidade; isso é dom de Deus.

TALENTO.
Do latim talentum; do grego tálanton. Na Grécia Antiga, tálanton era uma moeda de ouro ou prata e também uma medida de peso. Os romanos e outros povos da antiguidade também utilizavam o talento como moeda de grande valor.
O talento era a moeda dos tempos de Jesus, o Cristo. E foi através de uma de suas parábolas, descrita no evangelho de Mateus (Mt 25:14-30) que talento passou a significar uma habilidade humana.
De acordo com a parábola, três pessoas receberam de seu senhor diferentes quantidades de talentos e, sem que soubessem, foram surpreendidos e obrigados a prestar contas depois de um período de tempo, ao seu senhor.
Aquele que recebeu cinco talentos aplicou-os nos negócios e gerou outros cinco. Aquele que recebeu dois talentos ganhou mais dois. O terceiro, aquele que recebeu apenas um talento, teve medo e o escondeu: não ganhou nada devido à sua atitude negativa e medrosa.
O talento, como habilidade humana, é desenvolvido através de treino, determinação, persistência, disciplina, obstinação, dedicação, etc. É pelo talento que aprimoramos o nosso dom, tornando-nos capazes de realizar tarefas que, além de trazer resultados, nos tornarão distintos, diferentes, não ordinários, mas extraordinários.

VOCAÇÃO.
Do latim vocare), que significa chamamento, ato de chamar.
É aquela voz interior, que vem da alma. Quem obedece a esse chamado e segue sua vocação, será bem sucedido. Quando alguém faz algo com prazer e extrema facilidade, ela está atendendo a sua vocação. A vocação faz com que sintamos prazer em realizar determinada tarefa e, enquanto a fazemos, ela se torna fácil, por mais árdua que seja.“Põe toda a tua alma, põe todo o teu corpo, naquilo que estás fazendo agora”, diz um ditado hindu. Quem segue sua vocação está sempre feliz com o que faz, pois encontrou significado para a sua atividade. Quem segue sua vocação, trabalha com dedicação e prazer, pois encontrou a razão, o significado, para tal. Todas as pessoas que foram chamadas por Deus, e atenderam o chamado e desenvolveram a sua vocação, foram bem sucedidos. Deus nos dá vocação. Ele não chama os capacitados, Ele capacita os chamados.

CONCLUSÃO:
Devemos multiplicar os nossos talentos através da nossa dedicação, criatividade e perseverança. Sempre temos alguma coisa para Deus usar. Por exemplo:
Abraão. A fé.
Josué. A coragem.
Moisés. Uma vara.
Sansão. Uma queixada de jumento.
Daví. Uma funda e cinco pedrinhas.
Eliseu. Uma capa.
A viúva. Uma botija de azeite.
Dorcas. Uma agulha de costura.
Paulo. O conhecimento.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

QUE TIPO DE CRENTE É VOCÊ?

Texto básico: Rogo-vos, pois irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. Rm.12.1,2.

Introdução: Crente é todo aquele que crer. Antigamente ser crente no sentido de acreditar e seguir a Cristo, era um termo pejorativo e motivo de desprezo, vergonha e perseguição. Hoje ser crente para muitos virou moda, muitas pessoas se dizem seguidoras de Cristo, as igrejas se multiplicam e os templos estão lotados de crentes, que se dizem cristãos e seguidores de Cristo. A grande problemática é, que tipo de crentes são estes que estão dentro das igrejas. Crentes todos são, porém qualidades de cristão poucos tem. A respeito desta grande multidão de crentes, Jesus disse: Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos (Mt.22.14). Nem todo o que diz: Senhor, Senhor! entrará no Reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus (Mt.7.21). Vivemos uma época em que o evangelho de Cristo estar sendo adulterado, muitos estão vivendo um evangelho de conveniências, muitos se tornaram crentes nominais, e perderam a identidade de cristãos autênticos. Mas os crentes fieis e verdadeiros, estão fazendo a diferença no meio desta geração perversa e corrompida pelo pecado.

QUATRO TIPO DE CRENTES ESTÃO DENTRO DA IGREJA:

1. CONFORMADO.

O crente conformado é o tipo de crente que aceita o sistema mundano e já tomou a forma do mundo como modelo para si. Muitos desses crentes dizem: Estamos no mundo e temos que nos modernizarmos de acordo com a moda ou com a onda atual. Este tipo de crente são mundanos e vivem um evangelho relativista, onde dizem que tudo é relativo. Este tipo de crente não tem força para denunciar o pecado, e o Diabo já alistou eles no seu exército de redondinhos, já que eles dizem que não são quadrados. A bíblia diz: E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento (Rm.12.2).

2. REFORMADO.

O crente reformado é aquele que tornou-se um velho crente, ele vive contando as experiências do passado, porque no presente ele estar inativo e sem forças espirituais para o trabalho de Deus. Infelizmente este tipo de crente tem se multiplicado, muitos que no passado eram crentes fervorosos e ativos na obra de Deus, hoje estão como aposentados na casa de Deus. Porém, a palavra de Deus nos diz: Levantai-vos e andai, porque não será aqui o vosso descanso; por causa da corrupção que destrói, sim, que destrói grandemente (Mq.2.10).

3. DEFORMADO.

São crentes que perderam a sua identidade de cristão, e estão brincando de ser crente; estão em cima do muro e não decidem se querem servir a Deus ou ao Diabo, querem servir a Deus a ao mundo ao mesmo tempo. Estes crentes perderam a forma do caráter de Deus em suas vidas e estão deformados pelo pecado. Infelizmente não são poucos os crentes deformados que vivem em pecado, e ainda dizem: Estamos no tempo da graça, a graça de Deus perdoa. Porém a bíblia diz: O que encobre as suas transgressões nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia (Pv.28.13).

4. TRANSFORMADO.

O crente transformado é aquele que nasceu de novo, tem a sua vida regenerada pelo poder de Deus, e vive para agradar a Deus. O crente transformado tem a sua mente renovada pela palavra de Deus, ele procura viver dentro da vontade de Deus, e oferece a Deus o seu corpo em sacrifício vivo. O crente transformado procura apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, ele maneja bem a palavra da verdade. O crente transformado trabalha e não dá trabalho, ele vive pelo modelo da palavra de Deus, e não se conforma com o mundo. Finalmente, o crente transformado vive pela graça de Deus, caminha de fé em fé, e avança para o alvo de glória em glória. Está escrito: Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito (Pv.4.18). Jesus continua libertando e transformando vidas para glória do seu nome; seja um crente transformado para glória de Deus. Amém!
Seja a diferença.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

ESPERANÇA NA ADVERSIDADE.

Recordo-me da minha aflição e do meu delírio, do meu profundo sofrimento e do meu enorme pesar. Lembro-me bem disso tudo, e a minha alma desfalece dentro de mim. Contudo, quero lembrar do que pode me dar esperança. Lm.3.19-21.

Deus não tem prazer algum em castigar e afligir a humanidade, muito menos seu povo escolhido; contudo, muitas vezes é necessário que seus filhos sejam repreendidos e castigados, para o seu próprio bem. Está escrito: Porque o Senhor corrige o que ama e açoita a qualquer que recebe por filho. Se suportais a correção, Deus vos trata como filhos; porque que filho há a quem o pai não corrija? Mas, se estais sem disciplina, da qual todos são feitos participantes, sois, então, bastardos e não filhos (Hb.12.6-8). O povo de Deus estava em cativeiro, sofrendo e sendo humilhado, e isto por permissão de Deus. Os filhos de Israel estavam em grande tristeza e toda a nação estava sendo esmagada, Deus estava corrigindo o seu povo, todavia a misericórdia do SENHOR, estava sobre eles e havia esperança da parte de Deus para o seu povo. O profeta Jeremias estando no meio do povo, vendo toda aflição e humilhação que o povo estava passando, assentou-se a chorar e a lamentar por toda aquela situação deprimente. Todavia em suas lamentações ele dizia: Recordo-me da minha aflição e do meu delírio, do meu profundo sofrimento e do enorme pesar. Lembro-me bem disso tudo, e a minha alma desfalece dentro de mim. Contudo, quero lembrar do que pode me dar esperança (Lm.3.19-21). Esta expressão: Contudo, quero lembrar do que pode me dar esperança; nos ensina que devemos descartar a possibilidade de vivermos trazendo a memória os sofrimento, as decepções e os traumas do passado. Devemos sempre nos lembrar de tudo aquilo que nos traz alegria e que pode nos dar esperança. Na palavra de Deus está escrito: Não vos lembreis dos acontecimentos passados, nem considereis os fatos antigos. Eis que farei uma coisa nova (Is.43.18,19). Quem vive de passado é museu. Pensar nos acontecimentos ruins do passado é sofrer duas vezes. Pense nas coisas boas, naquilo que alimenta a sua fé, naquilo que pode te dar esperança. Muitas vezes é preciso entendermos que, mesmo diante das adversidades e circunstâncias que nos cercam, ainda há esperança. A nossa confiança estar em Deus, ele é a fonte de esperança. Amém!

SETE COISAS QUE DEVEMOS LEMBRAR QUE PODE NOS DAR ESPERANÇA:

Bem-aventurado aquele que tem o Deus de Jacó por seu auxílio e cuja esperança está posta no SENHOR, seu Deus (Sl.146.5).
A esperança é a âncora da alma, ninguém pode viver sem esperança. A esperança nos dar a certeza de dias melhores, a esperança também nos deixa confiantes de que teremos uma eternidade feliz com Deus. Esqueça tudo aquilo que pode roubar a sua esperança, ponha toda sua esperança em Deus e você será vencedor.

1. LEMBRAR DE DEUS.

Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti. Confia no SENHOR perpetuamente; porque o SENHOR Deus é uma rocha eterna. Is.26.3,4.

2. LEMBRAR DE CRISTO.

Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei; que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão; e, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim. 1Co.11.23,24.

3. LEMBRAR DA RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO.

Lembra-te de que Jesus Cristo, que é da descendência de Davi, ressuscitou dos mortos, segundo o meu evangelho. 2Tm.2.8.

4. LEMBRAR DO NOSSO CRIADOR.

Lembra-te do teu criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento. Ec.12.1.

5. LEMBRAR DAS COISAS DO CÉU.

Pensai nas coisas que são de cima e não nas que são da terra; porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. Cl.3.2,3.

6. LEMBRAR DA PALAVRA DE DEUS.

Alegrar-me-ei nos teus estatutos; não me esquecerei da tua palavra. Sl.119.16.

7. LEMBRAR DAS MARAVILHAS DO SENHOR.

Lembrai-vos das maravilhas que fez, dos seus prodígios e dos juízos da sua boca, vós descendência de Abraão, seu servo, vós, filhos de Jacó, seus escolhidos. Ele é o SENHOR nosso Deus; os seus juízos estão em toda a terra. Sl.105.5-7.