sábado, 24 de maio de 2014

SALMO 23. O SUPREMO PASTOR.

Texto básico: O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará. Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas. Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome. Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me protegem. Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda. Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do SENHOR por longos dias. Sl.23.1-6.

Este salmo é considerado o mais belo e conhecido cântico de confiança em Deus. Neste salmo Daví não fala de queixas, de aflições ou súplicas por livramento. Este é um salmo pessoal de Daví, neste salmo ele relata através da expressão poética e profética sua gratidão ao SENHOR. O SENHOR, é apresentado como o supremo Pastor que provê todas as necessidades de suas ovelhas, Ele também as protege e defende. Neste salmo Daví demonstra sua intimidade com Deus, chamando-o de meu Pastor; ele utiliza o pronome pessoal fazendo referência a si mesmo por dezessete vezes. Encontramos neste salmo o SENHOR como nosso Pastor que cuida de nós como Pastor, guia e hospedeiro.  

OS CUIDADOS DO PASTOR.

O PASTOR E A OVELHA.

O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará. Deitar-me faz em verdes pastos. Vs.1,2.
O nosso SENHOR é Pastor é provedor de todas as coisas, somos dependentes Dele, e reconhecemos que Ele é o supridor das nossas necessidades. Ele é Jeová Jiré, o SENHOR que provê. Abraão disse para o seu filho Isaque: Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho. É preciso entender que, Deus provê as nossas necessidades, e não as nossas prioridades. Deus nunca dará algo a alguém que vá lhe trazer prejuízos e destruição. Muitas vezes oramos a Deus pedindo algo e não recebemos, isto porque o que pedimos está fora da vontade de Deus, e Ele conhece a intenção do nosso coração. A bíblia diz: Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites (Tg.4.3). Ele nos dará tudo aquilo que seja para sua glória, que nos satisfaça e nos deixe felizes. Devemos servi-lo com alegria, pois foi Ele que nos fez povo seu e ovelhas do seu pasto. 

O GUIA E O VIAJANTE.

Guia-me mansamente a águas tranquilas. Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome. Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me protegem. Vs.2,3,4
Nosso SENHOR é também pastor e companheiro. Ele sempre caminha ao nosso lado, e quando necessário a nossa frente. Temos um pastor que nos guia com segurança, que nos defende e nos protege. Ele no conduz pelas veredas da justiça (caminho da verdade), e nos leva a lugares onde os pastos são verdes (a boa palavra de Deus), e a águas tranquilas (a doce presença do Espírito Santo). Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo. O Vale da sombra da morte tem haver com escuridão, são fases criticas na vida, quando não conseguimos encontrar a saída. Todavia, o bom  Pastor está conosco para  nos  fortalecer e nos mostrar a saída. A tua vara e o teu cajado me protegem. Como bom pastor ele defende as suas ovelhas quando vem o lobo para lhes tragar; Ele também nos defende dos ataques do inimigo, e das suas setas malignas que vem para nos destruir. Ele também nos protege, nos consola e nos orienta. A sua vara e o seu cajado nos protegem. A vara e o cajado é uma vara longa, tendo um gancho numa das extremidades; a vara serve como arma de defesa para defender as ovelhas dos ataques dos predadores, e também é usada para disciplinar as ovelhas. O cajado serve para trazer as ovelhas para perto do pastor, para guiá-la no caminho certo, ou para removê-la de uma situação de perigo. Tanto a "vara" como o "cajado" eram instrumentos usados pelo pastor para proteção das ovelhas. O pastor tinha que ser hábil para manejar tanto um quanto o outro. Com sua arma de trabalho nas mãos, o pastor é o único protetor das ovelhas contra os inimigos naturais (lobos, leões, ursos, chacais, e principalmente, ladrões) do rebanho. O cajado e a vara são instrumentos de bênção para as ovelhas, mas de juízo para os predadores. Não podemos viver sem a correção nem a disciplina do  nosso sumo Pastor.

O HÓSPEDE E O HOSPEDEIRO.

Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com  óleo, o meu cálice transborda. Vs.5
Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do SENHOR por longos dias. Vs.6 
O nosso Pastor se apresenta como hospedeiro ou anfitrião de uma grande festa. No Oriente antigo, um homem que fosse perseguido por seus inimigos precisava entrar, ou ao menos tocar, na tenda do monarca para buscar refúgio e estar seguro. Seus inimigos eram obrigados a deter-se e olhar de fora para dentro sem nada poder fazer contra o perseguido, agora hóspede, e, portanto, protegido por seu hospedeiro. Como era costume dos anfitriões, a cabeça do hóspede era ungida (untada, umedecida com substancia oleosa e perfumada) e uma farta refeição era oferecida. O Anfitrião Divino ultrapassa todas as expectativas. A refeição assume proporções de banquete, quando unguentos de alto valor e perfumes suaves são  derramados sobre a cabeça do hóspede. Isto significa dizer que todas as necessidades são supridas e todos os inimigos afastados, pois o Anfitrião é mais que um hospedeiro; é amigo do hóspede. O nosso Anfitrião, Jesus Cristo, perdoou todas as nossas dívidas, abateu o nosso inimigo (Satanás), nos ungiu com o Espírito Santo e nos ofereceu um grande banquete na festa do perdão. Aleluia!

Conclusão: JESUS  CRISTO, o nosso Supremo Pastor está sempre pronto a nos ajudar, proteger e corrigir. Ele também quer trazer de volta aquelas ovelhas que, por ventura, estejam indo por caminhos tortuosos. Jesus disciplina as ovelhas que precisam de orientação, consolação e cura. "O Salmo 23 ensina-nos que a presença do Pastor com seu cajado e vara amorosa nos trás muitos benefícios. Amém!

sábado, 17 de maio de 2014

OS CINCO ALPENDRES DA GRAÇA.

Depois disso, havia uma festa entre os judeus, e Jesus subiu a Jerusalém. Ora, em Jerusalém há, próximo à porta das ovelhas, um tanque, chamado em hebreu Betesda, o qual tem cinco alpendres. Nestes jazia grande multidão de enfermos: Cegos, coxos e paralíticos, esperando o movimento das águas. Porquanto um anjo descia em certo tempo ao tanque e agitava a água; e o primeiro que ali descia, depois do movimento da água, sarava de qualquer enfermidade que tivesse. E estava ali um homem que, havia trinta e oito anos, se achava enfermo. E Jesus, vendo este deitado e sabendo que estava neste estado havia muito tempo, disse-lhe: Queres ficar sã? O enfermo respondeu-lhe: Senhor, não tenho homem algum que, quando a água é agitada, me coloque no tanque; mas, enquanto eu vou, desce outro antes de mim. Jesus disse-lhe: Levanta-te, toma tua cama e anda. Logo, aquele homem ficou são, e tomou a sua cama, e partiu. E aquele dia era sábado. Jo.5.1-9.

Diz o texto sagrado que no tanque de Betesda havia cinco alpendres, cinco na numerologia bíblica é o número da graça. A graça é o grande favor de Deus revelado para com a humanidade pobre e desvalida. Segundo os eruditos, a palavra graça, aparece 323 vezes no texto sagrado. A palavra graça, no sentido lato, significa: Favor imerecido. Graça, no hebraico, é "chen". Este termo aparece com frequência no antigo testamento. Significa curvar-se, abaixar-se, com a conotação de favor imerecido ou a condescendência de um ser superior por alguém inferior em valor e poder. A graça, é Jesus. Esta graça se manifesta de maneira multiforme, dependendo da necessidade e da ocasião.

OS CINCO ALPENDRES.

O alpendre, ou marquise, é um tipo de varanda que estabelece uma graduação bastante marcada entre os espaços interiores e exteriores de uma residencia, protegendo-a da incidência direta da radiação solar  e da chuva. Normalmente é entendido como uma faixa pavimentada sobre a qual avança o beiral do telhado que cobre a casa.

1. O ALPENDRE DA MISERICÓRDIA.

O nome do tanque era Betesda, que significa casa da misericórdia. Aquele homem estava no lugar certo, foi ali que Jesus usou de misericórdia para com ele.
As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos; porque as suas misericórdias não tem fim. Novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade. Lm.3.22,23.
A misericórdia de Deus é a sua grande bondade manifesta, para com a humanidade pobre e desvalida.
O termo misericórdia é a junção de duas palavras: Miseri, de onde vem a palavra miserável; e córdia que tem haver com o coração. Dai podemos dizer: O homem miserável no coração de Deus.
A parábola do bom samaritano é uma ilustração da misericórdia de Deus. Lc.10.25-37.

2. O ALPENDRE DA PROVISÃO.

Aquele homem estava enfermo a trinta e oito anos, ele esperava a ajuda de alguém e ninguém lhe ajudava. Mas, depois de muito tempo de espera, chegou a providencia de Deus. Jesus chegou para lhe socorrer.
Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia (Sl.46.1).
O SENHOR te ouça no dia da angústia; o nome do Deus de Jacó te proteja (Sl.20.1).
Deus, na pessoa de Jesus Cristo é provedor; um dos seus nomes é Jeová jireh. Ele é a nossa provisão necessária e suficiente. Ele não chega atrasado nem adiantado, Ele chega na hora certa e no momento exato para nos socorrer e prover as nossas necessidades. Aleluia!

3. O ALPENDRE DA LIBERTAÇÃO.

O paralítico do tanque de Betesda precisava ser liberto daquele mal, pois este era o seu grande desejo. No momento certo, Jesus chegou para lhe liberta por completo daquele mal. Está escrito: E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente, sereis livres (Jo.8.32,36).
Todos os homens precisam serem libertos, o pecado assola, domina e escraviza as pessoas, deixando-as reféns dos seus vícios e desejos pecaminosos. É impossível o homem ser completamente liberto pelos métodos terapêuticos, filosóficos ou religiosos. A plena libertação do ser humano só é possível pelo pleno conhecimento da Verdade, e esta Verdade é Jesus Cristo. Ele disse: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim (Jo.14.6).

4. O ALPENDRE DA CURA.

Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome. Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e não te esqueças de nenhum de seus benefícios. É ele que perdoa todas as tuas iniquidades e sara todas as tuas enfermidades (Sl.103.1-3).
Um dos nomes de Deus é Jeová Rafá, que significa o SENHOR que cura. Ele é conhecido pelo seu povo por este nome. Em certa ocasião Deus falou para os filhos de Israel dizendo: Se ouvires atento a voz do SENHOR, teu Deus, e fizeres o que é reto diante de seus olhos, e inclinares os teus ouvidos aos seus mandamentos, nenhuma das enfermidades porei sobre ti, que pus sobre o Egito; porque Eu sou o SENHOR, que te sara (Ex.15.26). A saúde da nação de Israel estava condicionada a obediência a Deus e aos seus mandamentos. Diz o texto sagrado, que quando a nação de Israel, saiu do Egito, não houve entre as suas tribos um só enfermo (Sl.105.37). Na nova Aliança, Jesus é o nosso médico por excelência, é Ele que cura todas as nossas enfermidades do corpo e da alma. Aconteceu que, em uma mesma ocasião Jesus curou uma mulher que sofria a doze anos de uma hemorragia, e ressuscitou uma menina de doze anos. Ele disse para Jairo, que estava com a sua filha enferma, e em seguida lhe chegou a notícia que ela havia morrido: Não temas; crê somente, e será salva (Lc.8.50). Jesus é Médico dos médicos, Ele curou o paralítico do tanque de Betesda, que estava enfermo a trinta e oito anos. Aleluia! Ele é o mesmo, creia!

5. O ALPENDRE DA SALVAÇÃO.

Jesus é o único que tem poder de livrar o homem da condenação e dar-lhe a vida eterna. Está escrito: E em nenhum outro há  salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos (At.4.12). Salvação implica em livrar, poupar, salvar e garantir a vida eterna com Deus. Jesus disse: As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem; e dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará das minhas mãos (Jo.10.27,28).
Jesus é o único que tem autoridade de dizer: Eu dou-lhes a vida eterna. Nunca, nenhum dos grandes filósofos ou  líderes religioso disse para os seus seguidores: Eu dou-lhes a vida eterna. Diz a bíblia: Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus, nosso Senhor. Rm.6.23.
Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu o seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Jo.3.16.
Jesus disse: Na verdade, na verdade vos digo, que quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida. Jo.5.24.
Quem tem o filho tem a vida; quem não tem o filho de Deus, não tem a vida. 1Jo.5.12.
Jesus é o pai da eternidade. Is.9.6
Ele disse: Antes que Abraão existisse, Eu Sou. Jo.8.56-58 
O paralítico do tanque de Betesda, precisava ser curado não só no corpo, porém também na alma; na ocasião Jesus realizou dois grandes milagres, curando-o no corpo e na alma. Diz a bíblia: Depois, Jesus encontrou-o no templo e disse: Eis que já estás são; não peques mais, para que te não suceda alguma coisa pior (Jo.5.14).

quarta-feira, 7 de maio de 2014

DISCIPULANDO A IGREJA.

Texto básico: Portanto, ide, fazei discípulos em todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém! Mt.28.19,20.

Jesus, o Mestre dos mestres ao iniciar o seu ministério a primeira coisa que ele fez foi escolher doze homens, e em seguida os ensinar, transformando-os em seus discípulos. Discípulo é um aprendiz que está em constante aprendizado. Um discípulo é um aluno e seguidor do seu mestre. Em todos os tempos e épocas sempre houve alguém que ensinasse a outros; na verdade nós nunca sabemos de tudo, sempre temos algo a aprender. É impraticável alguém ensinar sem antes aprender; há uma celebre frase que diz: Se alguém não se senta para aprender, não deve se levantar para ensinar. O discipulado é importante porque treina, disciplina e prepara as pessoas para darem continuidade a algum tipo de organização, tendo como base os ensinamentos do seu mestre. É impossível uma organização ou instituição e até mesmo uma nação se desenvolver sem a pratica do discipulado; é através do ensino sistemático da educação que uma nação cresce. Todos os seguimentos sociais, culturais e religiosos, para se desenvolverem precisam discipular (ensinar) as pessoas, para que possam dar continuidade e ensinar as gerações futura.

QUATRO QUALIDADES DO VERDADEIRO DISCÍPULO DE JESUS.

Não é o discípulo mais do que seu mestre, nem é o servo mais do que o seu senhor. Basta ao discípulo ser como seu mestre, e ao servo ser como seu senhor. Se chamaram Belzebu ao pai de família, quanto mais aos seus domésticos? Mt.10.24,25.

O discípulo verdadeiro é aquele que segue e pratica os ensinamentos do seu mestre. O verdadeiro discípulo, além de seguir e praticar os ensinos do seu mestre, ele está disposto a sofrer e até morrer pela causa do mestre. Existe diferença entre o seguidor e o discípulo: O seguidor ele apenas segue e não tem compromisso direto com o mestre; Já o verdadeiro discípulo, além de seguir e praticar os ensinamento do mestre, ele é comprometido e estar disposto a defender e se possível até morrer por amor ao mestre.

1. VIVE UMA VIDA DE RENUNCIAS.

E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me (Lc.9.23).
Assim, pois, qualquer de vós que não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo (Lc.14,33).
Estamos vivendo uma época em que muitos estão se dizendo seguidores de Cristo, discípulos de Jesus; mas na prática as suas atitudes, o seu comportamento e as suas obras não correspondem a vida de um verdadeiro discípulo de Jesus. Muitos entram no evangelho, mas o evangelho não entra neles; vivem um evangelho sem compromisso e sem renuncia. Querem viver um evangelho de facilidades, visando sempre prosperidades material e trocando o evangelho da cruz de Cristo, pelo evangelho de um Jesus capitalista.
A verdade é que muitos não querem viver uma vida de renuncias, mas os verdadeiros discípulos de Jesus já renunciou tudo que desagrada ao seu mestre.

2. VIVE NA PRÁTICA DA PALAVRA DE DEUS.

Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente, sereis meus discípulos (Jo.8.31).
Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha. Mt.7.24.
Na época de Jesus, muitos o seguia, uns por curiosidade, outros por interesse, outros para observá-lo para querer pegá-lo e contradição. A bem da verdade é que alguns criam nele, escutavam as suas pregações e ensinos, porém não praticavam e nem permaneciam nos seus ensinamentos. Hoje não é diferente, muitos dizem que crer em Jesus, lê a bíblia, são simpatizante do evangelho, outros até frequentam a igreja; mas não praticam a palavra de Deus. O verdadeiro discípulo, ele permanece na palavra de Deus e pratica a mesma.

3. VIVE NA PRÁTICA DO AMOR.

Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros (Jo.13.35).
O amor seja não fingido. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem. Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros (Rm.12.9,10).
Um verdadeiro discípulo de Jesus, ele não deve viver em desunião, nem fazendo guerra por causa de rótulo de denominação de igreja. Ele respeita as diferenças, e procura viver em paz com todos. O que vai credenciar e identificar um verdadeiro discípulo de Jesus, não a sua forma de se vestir, ou os seus usos e costumes e sim o amor. É preciso que o amor se manifeste através de atitudes e não só de palavras fingidas, Jesus ainda continua dizendo: Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros (Jo.13.35).

4. VIVE UMA VIDA FRUTÍFERA.

Nisto é glorificado meu pai: que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos (Jo.15.8).
Não me escolheste vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao pai ele vos conceda (Jo.15.16).
A vontade de Deus é que os seus filhos vivam uma vida frutífera, e nunca deixem de dá frutos. Na verdade o que identifica o verdadeiro cristão, os discípulos de Jesus; não são os dons, e sim os frutos. Para que esse fruto seja permanente é preciso estar ligado na videira verdadeira que é Jesus. O verdadeiro discípulo ele não só dá fruto no tempo de muita alegria e abundância, mas mesmo na adversidade e no tempo de sequidão, ele permanece dando fruto. A palavra de Deus nos diz, no livro de Jeremias capítulo17. vers.7,8:
Bendito o homem que confia no SENHOR, e cuja esperança é o SENHOR. Porque ele será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e, no ano de sequidão, não se fadiga nem deixa de dar fruto. Que nós os crentes em Jesus, possamos permanecer dando frutos para a glória de Deus. Só assim seremos reconhecidos como verdadeiros discípulos de Jesus. Amém! 


A IMPORTÂNCIA DO DISCIPULADO NO ANTIGO TESTAMENTO.

E estas palavras que hoje te ordeno estarão no teu coração; e as intimarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te. Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por testeiras entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais da tua casa e nas tuas portas. Dt.6.6-9.
No Antigo Testamento, a lei de Deus deveria ser conhecida por toda a nação. Deus ordenou através de Moisés, que os filhos de Israel lessem e ensinassem a seus filhos a Lei do SENHOR; isto deveria ser constante, de maneira que se tornasse intima e fosse também propagada de forma escrita nas portas das suas casas.

JOSUÉ ERA DISCÍPULO DE MOISÉS.

E falava o SENHOR a Moisés face a face, como qualquer fala ao seu amigo; depois, tornava ao arraial; mas o moço Josué, filho de Num, seu servidor, nunca se apartava da tenda. Ex.33.11.
E chamou Moisés a Josué e lhe disse aos olhos de todo o Israel: Esforça-te e anima-te, porque com este povo entrarás na terra que o SENHOR jurou a teus pais lhes dar, e tu os farás herdá-la. Dt.31.7.
Josué foi um discípulo abnegado, Moisés sempre podia contar com ele. Ele não só admirava Moisés, por sua forma de liderar; mas também ele desejava ter a comunhão que Moisés tinha com Deus. Ele não se apartava da tenda, isto porque na tenda era lugar onde se manifestava a glória de Deus. Josué era um homem comum, mas ele se destacou entre os demais, e foi escolhido para ser o sucessor de Moisés; tornou-se um grande homem de Deus, isto porque buscou a Deus e se colocou a disposição.

ELISEU ERA DISCÍPULO DE ELIAS.

Partiu, pois, Elias dali e achou a Eliseu, filho de Safate, que andava lavrando com doze juntas de bois adiante dele, e ele estava com a duodécima. Elias passou por ele e lançou a sua capa sobre ele. Então, deixou ele os bois, e correu após Elias, e disse: Deixa-me beijar a meu pai e a minha mãe e, então, te seguirei. E ele lhe disse: Vai e volta; porque que te tenho eu feito? Voltou, pois, de atrás dele, e tomou uma junta de bois, e os matou, e, com os aparelhos dos bois, cozeu as carnes, e as deu ao povo, e comeram. Então, se levantou, e seguiu a Elias, e o servia. 1Rs.19.19-21.
Eliseu tornou-se um servidor e aprendiz de Elias; porém, antes, ele teve que  renunciar a sua atividade de lavrador. Eliseu tornou-se tão íntimo de Elias, que ele passou a admirá-lo. Eliseu não só admirava o caráter e o poder de Elias, mas ele desejava ser igual e até mesmo ter mais poder do que ele. É natural que todo bom discípulo queira imitar o seu mestre. Deus cumpriu o desejo de Eliseu, ele tornou-se o sucessor de Elias, e recebeu porção dobrada do seu espírito.   

ELISEU FORMOU UMA ESCOLA DE PROFETAS.

Em outra ocasião, os discípulos dos profetas sugeriram a Eliseu: Como vês, o lugar em que moramos, perto de ti, tornou-se pequeno demais para nós. Vamos até o Jordão e ali cada um de nós cortará um tronco a fim de podermos construir ali mesmo um local para reuniões. E Eliseu disse: Ide. Então um deles o convidou: Queiras vir com teus servos! E ele respondeu: Irei. Assim foi com eles. Chegando ao Jordão, puseram-se a derrubar árvores. 2Rs.6.1-4.
Essa escola de profetas que funcionava como um seminário, estava superlotada e o espaço já era insuficiente; então os estudantes percebendo isto, iniciaram uma campanha de construção. Os discípulos se dirigiram ao seu mestre Eliseu, e lhe pediram autorização para irem até o Jordão para cortarem árvores para ampliar o lugar; Eliseu não só autorizou, mas foi também com eles. Na época de Eliseu as escolas de profetas tinha como objetivo, ensinar, treinar e preparar homens para serem porta voz de Deus, e seus representantes.

HAVIA UMA ORDEM SACERDOTAL E UMA ORGANIZAÇÃO DE MÚSICA NA ÉPOCA DE DAVÍ.
Então, disse Daví: Ninguém pode levar a arca do SENHOR, senão os levitas; porque o SENHOR os elegeu, para levarem a arca do SENHOR e para o servirem eternamente.
E chamou Daví os sacerdotes Zadoque e Abiatar e os levitas Uriel, Asaías, Joel, Semaías, Eliel e Aminadabe e disse-lhes: Vós sois os chefes dos pais entre os levitas; santificai-vos, vós e vossos irmãos, para que façais subir a arca do SENHOR, Deus de Israel, ao lugar que lhe tenho preparado. Santificaram-se, pois, os sacerdotes e levitas, para fazerem subir a arca do SENHOR, Deus de Israel.
E disse Daví aos príncipes dos levitas que constituíssem a seus irmãos, os cantores, com instrumentos músicos, com alaúdes, harpas e címbalos, para que se fizessem ouvir, levantando a voz com alegria. E os cantores, Hemã, Asafe e Etã se faziam ouvir com címbalos de metal. E Quenanias, príncipe dos levitas, tinha cargo de entoar o canto; ensina-os a entoá-lo, porque era entendido nisso. 1Cr.15.2,11,12,14,16,19,22.
Daví organizou os sacerdotes, os levitas e os músicos na intenção de que o culto a JEOVÁ fosse realizado de forma organizada e dinâmica. Posteriormente quando inaugurou o templo, seu filho Salomão, deu continuidade a esta organização.

A IMPORTÂNCIA DO DISCIPULADO NO NOVO TESTAMENTO.

E a multidão dos que criam no Senhor, tanto homens como mulheres, crescia cada vez mais.
E todos os dias, no templo e nas casas, não cessavam de ensinar e de anunciar a Jesus Cristo. At.5.14,42.
A igreja primitiva crescia de forma assustadora, com esse crescimento havia necessidade de discipular os novos crente. Os apóstolos e lideres da igreja não cessavam de ensinar a palavra de Deus.

BARNABÉ FOI O DISCIPULADOR DE PAULO.

E, quando Saulo chegou a Jerusalém, procurava ajuntar-se aos discípulos, mas todos o temiam, não crendo que fosse discípulo. Então, Barnabé, tomando-o consigo, o trouxe aos apóstolos e lhes contou como no caminho ele virá ao Senhor, e este lhe falara, e como em Damasco falara ousadamente no nome de Jesus. E andava com eles em Jerusalém, entrando e saindo (At.9.26-28). E partiu Barnabé para Tarso, a buscar Saulo; e, achando-o, o conduziu para Antioquia (At.11.25).
Antes de Paulo ser o grande apóstolo que foi, teve que ter a ajuda de Barnabé. Lucas, o escritor do livro de Atos, começa narrando a história citando Barnabé e Saulo, depois ele muda e passa a escrever Paulo e Barnabé. Aprendemos que: Quem tem a humildade para aprender tende a crescer.

EM ANTIOQUIA  HAVIA UMA IGREJA MISSIONÁRIA QUE DISCIPULAVA MUITA GENTE.

E sucedeu que todo um ano se reuniram naquela igreja e ensinaram muita gente. Em Antioquia, foram os discípulos, pela primeira vez, chamados cristãos. At.11.26.
Na igreja que estava em Antioquia havia alguns profetas e doutores, a saber: Barnabé, e Simão, chamado Níger, e lúcio, cireneu, e Manaém, que fora criado com Herodes o tetrarca, e Saulo. E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado. Então, jejuando, e orando, e pondo sobre eles as mãos, os despediram. A13.1-3.
Entendemos que, uma igreja ensinada é uma igreja treinada e preparada para toda a boa obra. Uma igreja ensinada dá menos trabalho, porque ela erra menos. A igreja de Antioquia era uma igreja rica em pessoas talentosas e usadas por Deus, isto porque era uma igreja que primava pelo ensino da palavra de Deus. 

ÁQUILA E PRISCILA INSTRUÍRAM AO PREGADOR APOLO.

E chegou a Éfeso um certo judeu chamado Apolo, natural de Alexandria, varão eloquente e poderoso nas Escrituras. Este era instruído no caminho do Senhor, e, fervoroso de espírito, falava e ensinava diligentemente as coisas do Senhor, conhecendo somente o batismo de João. Ele começou a falar ousadamente na sinagoga. Quando o ouviram Priscila e Áquila, o levaram consigo e lhe declararam mais pontualmente o caminho de Deus. At.18.24-26.
Apolo só se tornou um pregador completo porque teve a humildade de se deixar instruir pelo casal Áquila e Priscila. Quem acha que já sabe tudo e não aceita ser instruído por ninguém, está perdendo muito com isso. Quando nos falta a humildade de aprender, nós paramos de crescer. O livro de provérbios nos diz: Dá instrução ao sábio, e ele se fará mais sábio; ensina ao justo, e ele crescerá em entendimento (Pv.9.9).

PAULO ENSINAVA TODOS OS DIAS AOS DISCÍPULOS, NA ESCOLA DE TIRANO.

Mas, como alguns deles se endurecessem e não obedecessem, falando mal do Caminho perante a multidão, retirou-se deles, e tomando consigo os discípulos, começou a ensinar diariamente na escola de Tirano. E assim procedeu por dois anos, de forma que todos os habitantes da Ásia pudessem ouvir a palavra do SENHOR., tanto judeus como gregos. At.19.9,10.
Paulo multiplicou o número de discípulos e os ensinou a palavra de Deus, num espaço de dois anos Paulo formou um exército de pregadores que pregaram a todos os habitantes da Ásia. Feliz é aquele que ensina e ver o fruto do seu trabalho.

TIMÓTEO ERA DISCÍPULO DE PAULO.

Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus. E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouvistes, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros (2Tm.2.1,2).
Tu, porém, tens seguido a minha doutrina, modo de viver, intenção, fé, longanimidade, caridade, paciência (2Tm.3.10).
O jovem pastor Timóteo foi um obreiro aprovado, por ter obedecido a palavra de Deus, e seguido os ensinamentos do grande apóstolo Paulo. Paulo teve tanta confiança nele, que próximo de sua morte, ele passou o bastão da responsabilidade para ele.

A IMPORTÂNCIA DO DISCIPULADO PARA A IGREJA ATUAL.

A igreja que não se preocupa em discipular os novos convertidos tende a perder, não aumentando o seu número de membros. Os que se convertem devem ser preparados e levados ao batismo depois de serem discipulados (instruídos) a cerca da igreja e das doutrinas básicas da bíblia; tomando assim conhecimento de seus deveres e privilégios como membros do Corpo de Cristo.

O crescimento da igreja é um alvo a ser constantemente buscado. O reino de Deus nunca para de crescer. A igreja cresce em três direções:
1. Crescimento vertical (em santidade para com Deus).
2. Crescimento horizontal (novos membros familiar).
3. Crescimento quantitativo (com inclusão de novos membros)

OS OBJETIVOS DO DISCIPULADO:

ENSINAR OS NOVOS CONVERTIDOS A VIVEREM UMA NOVA VIDA COM CRISTO.

Antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós. 1Pe.3.15.
Deixando, pois, toda malícia, e todo engano, e fingimentos e invejas, e todas as murmurações, desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que, por ele, vades crescendo. 1Pe.2.2

AJUDAR OS CRENTES AMADURECEREM NA FÉ E CRESCEREM NA GRAÇA E NO CONHECIMENTO.
Porque devendo já ser mestre pelo tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos das palavras de Deus; e vos haveis feito tais que necessitais de leite e não de sólido alimento. Porque qualquer que ainda se alimenta de leite não está experimentado na palavra da justiça, porque é menino. Mas o mantimento sólido é para os perfeitos, os quais, em razão do costume, têm os sentidos exercitados para discernir tanto o bem como o mal. Hb.5.12-14.
Antes, crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A Ele seja dada a glória, assim agora como no dia da eternidade. Amém! 2Pe.3.18.

PREPARAR OS OBREIROS PARA EXERCEREM O SEU OFÍCIO MINISTERIAL. 

Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça, para que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente instruído para toda boa obra. 2Tm.3.16,17.
Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. 2Tm.2.15.
Manejar bem a palavra da verdade é uma virtude de quem lê, estuda e procura aprender. O aprendizado nunca é demais, nós nunca sabemos tudo, sempre temos necessidade de aprender. Quem acha que já sabe tudo e não aceita ser instruído por ninguém, está perdendo muito com isso. Quando nos falta a humildade de aprender, nós paramos de crescer. 

A IMPORTÂNCIA DO DISCIPULADO NOS DIAS ATUAIS. 

Depois que toda aquela geração foi reunida a seus antepassados,surgiu uma nova geração que não conhecia o Senhor e o que ele havia feito por Israel (Juízes 2.10-NVI).
Vivemos em uma geração que não conhece ao SENHOR. Nunca antes uma sociedade se tornou tão permissiva, desonrada e iludida com os prazeres mundanos. Muitos são incapazes de manter a ordem, a estabilidade e o equilíbrio. Eles precisam ouvir e aprender a palavra de Deus.

PRINCIPAIS DESAFIOS DO NOSSO TEMPO.

O desafio de uma geração que não conhece ao Senhor.

O desafio de uma geração desorientada.

O desafio de uma geração temerosa.

O desafio de uma geração sem identidade.

O desafio da secularização.

O desafio do pluralismo religioso.

Esta geração está com sede de Deus, e está desesperada por um DISCIPULADO. Essas pessoas não querem um MAPA, elas precisam de orientação pessoal (BÚSSOLA)!
Evangelismo é dá a água. Discipulado é mostrar a fonte.

Conclusão: A prática do discipulado é importante porque perpetua o ensino do Mestre. Quem não ensina e não procura aprender, não se desenvolve. Quando Jesus ordenou, ide e fazei discípulos de todas as nações, ele estava dizendo que a sua mensagem e o seu ensino, deve ser transferido, aprendido e praticado por todos. Amém! 

segunda-feira, 5 de maio de 2014

FOGO ESTRANHO NA CASA DE DEUS.

Texto básico: E os filhos de Arão, Nadabe e Abiú, tomaram cada um o seu incensário, e puseram neles fogo, e puseram incenso sobre ele, e trouxeram fogo estranho perante a face do SENHOR, o que lhes não ordenara. Então, saiu fogo diante do SENHOR e os consumiu; e morreram perante o SENHOR. Lv.10.1,2.

No inicio do ministério sacerdotal Moisés convocou Arão e seus filhos, e todas as autoridades do povo de Israel. Nesta solene assembleia Arão sacrifica animais em holocausto a Deus, por si mesmo e pelo povo. A festa foi bonita, o sacrifício foi aceito, o fogo de Deus desceu como sinal de aprovação e a glória de Deus se manifestou. Porém, depois de tudo isso, houve um trágico acontecimento. Diz a bíblia, que os dois filhos mais velhos de Arão, Nadabe e Abiú, pegaram cada um o seu queimador de incenso, colocaram incenso dentro, puseram fogo e o apresentaram a Deus, o SENHOR, como oferta. Contudo, não fizeram isso de acordo com as leis de Deus, e por isso Ele não aceitou a oferta deles. Então saiu fogo de diante do SENHOR e os consumiu. Mesmo Eles sendo sacerdotes e ministros do santuário, Deus não aceitou a sua oferta; porque eles se apresentaram a Deus com fogo estranho.
O fogo de Deus é especial, único e verdadeiro. O fogo de Deus que desceu no altar de Arão, não foi fogo produzido por algum método humano. Nadabe e Abiú fizeram seu próprio fogo e acenderam o incenso com ele. Esse fogo foi rotulado de “profano.” Fogo divino saiu do tabernáculo, engolindo o fogo falso e causou a morte dos sacerdotes rebeldes (Lev. 10:1-2). Hoje, nós temos muito fogo estranho (profano) sendo oferecido. Teologias distorcidas, pensamentos de homens e suas filosofias, modismo e inovações, teorias de evangelhos fraudulentos, que não são Evangelho de maneira alguma. Eles não têm nenhum traço do calor da glória do céu. Nada neles produz fogo de Deus, só controvérsia. Todavia, o “Evangelho é poder de Deus.” O fogo do Espírito Santo coloca vida dentro de nós e nos convida a vivermos o verdadeiro Evangelho.
Muitos pastores, pregadores, cantores e lideres, estão diante de Deus com fogo profano, e oferecendo ao povo um fogo estranho. Está havendo muita emoção, muito barulho e manipulação, porém pouca unção. Muitos pregadores são especialistas em manipular as massas, usam muitos jargões e frases de efeitos, usam versículos isolados da bíblia para fazerem o movimento. Cantores que cantam para serem aplaudidos, cobram caro para cantarem nas igrejas e em eventos; muitos desses cantores e pregadores, muitas vezes estão vivendo uma vida desregrada, demonstram uma falsa santidade, mas andam com a vida mais troncha que um S. Não são poucas as igrejas que estão sem o fogo de Deus; estão sobrevivendo com fogo artificial produzido pelo homem, muitos pastores e lideres já não tem o fogo de Deus na vida, perderam a Glória do SENHOR, e estão oferecendo fogo estranho no santuário. Fogo estranho significa, a mentira, o engano, a hipocrisia e a falta da verdadeira adoração. É tempo de deixar o engano, é tempo de parar com a hipocrisia, é tempo de deixar a mentira e falar a verdade para o povo. Deus será louvado, Deus será glorificado, a glória de Deus se manifestará e o fogo de Deus descerá como sinal de aprovação. Amém!

PESSOAS QUE ENTRARAM NA CASA DE DEUS PARA OFERECEREM  FOGO ESTRANHO.

1. NADABE E ABIÚ.

E os filhos de Arão, Nadabe e Abiú, tomaram cada um o seu incensário, e puseram neles fogo, e puseram incenso sobre ele, e trouxeram fogo estranho perante a face do SENHOR, o que lhes não ordenara. Então, saiu fogo diante do SENHOR e os consumiu; e morreram perante o SENHOR. E disse Moisés a Arão: Isto é o que o SENHOR falou, dizendo: Serei santificado naqueles que se chegarem a mim e serei glorificado diante de todo o povo. Porém Arão calou-se. E Moisés chamou a Misael e a Elzafã, filhos de Uziel, tio de Arão, e disse-lhes: Chegai, tirai vossos irmãos de diante do santuário, para fora do arraial. Então, chegaram e levaram-nos nas túnicas para fora do arraial, como Moisés tinha dito. Lv.10.1-5.

2. O REI UZIAS.

Mas, havendo-se já fortificado, exaltou-se o seu coração até se corromper; e transgrediu contra o SENHOR, seu Deus, porque entrou no templo do SENHOR para queimar incenso. Porém o sacerdote Azarias entrou após ele, e, com ele, oitenta sacerdotes do SENHOR, varões valentes. E resistiram ao rei Uzias e lhe disseram: A ti, Uzias, não compete queimar incenso perante o SENHOR, mas aos sacerdotes, filhos de Arão, que são consagrados para queimar incenso; saí do santuário, porque transgrediste; e não será isso para honra tua da parte do SENHOR Deus. Então, Uzias se indignou e tinha o incensário na sua mão para queimar incenso; indignando-se ele, pois, contra os sacerdotes, a lepra lhe saiu à testa perante os sacerdotes, na Casa do SENHOR, junto ao altar do incenso. Então, o sumo sacerdote Azarias olhou para ele, como também todos os sacerdotes, e eis que já estava leproso na sua testa, e apressadamente o lançaram fora; e até ele mesmo se deu pressa a sair, visto que o SENHOR o ferirá. Assim ficou leproso o rei Uzias até ao dia da sua morte; e morou, por ser leproso, numa casa separada, porque foi excluído da Casa do SENHOR; e Jotão, seu filho, tinha o cargo a casa do rei, julgando o povo da terra. 2Cr.26.16-21.

3. ANANIAS E SAFIRA.

Então, José, cognominado, pelos apóstolos, Barnabé (que traduzido, é filho da consolação), levita, natural de Chipre, possuindo uma herdade, vende-a, e trouxe o preço, e o depositou aos pés dos apóstolos. Mas um certo varão chamado Ananias, com Safira, sua mulher, vendeu uma propriedade e reteve parte do preço, sabendo-o também sua mulher; e, levando uma parte, a depositou aos pés dos apóstolos. Disse, então Pedro: Ananias, porque encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo e retivesses parte do preço da herdade? Guardando-a, não ficava para ti? E, vendida, não estava no teu poder? porque formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus. E Ananias, ouvindo estas palavras, caiu e expirou. E grande temor veio sobre todos os que isto ouviram. E, levantando-se os jovens, cobriram o morto e, transportando-o para fora, o sepultaram. E, passando um espaço quase de três horas, entrou também sua mulher, não sabendo o que havia acontecido. E disse-lhe Pedro: Dize-me, vendeste por tanto aquela herdade?  E ele disse: Sim, por tanto. Então, Pedro lhe disse: Por que é que entre vós vos concertastes para tentar o Espírito do Senhor? Eis aí à porta os pés dos que sepultaram o teu marido, e também te levarão a ti. E logo caiu aos seus pés e expirou. E, entrando os jovens, acharam-na morta e a sepultaram junto do seu marido. E houve grande temor em toda a igreja e em todos os que ouviram estas coisas. At.4.36,37. 5.1-11.
O fogo estranho da mentira mais uma vez não teve lugar na Casa de Deus, Ananias e Safira, morreram diante do Senhor, o julgamento foi imediato. Hoje muitos estão brincando com as coisas sagradas, estão mentindo, roubando e enganando o povo; e ainda usando o nome de Deus para querer disfarçar os seus erros; mas o juízo de Deus está por vir.

sexta-feira, 2 de maio de 2014

FOGO NO ALTAR.

Texto básico: Então, Elias disse a todo o povo: Chegai-vos a mim. E todo o povo se chegou a ele; e reparou o altar do SENHOR, que estava quebrado. Sucedeu, pois, que, oferecendo-se a oferta de manjares, o profeta Elias se chegou e disse: Ó SENHOR, Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, manifeste-se hoje que tu és Deus em Israel, e que eu sou o teu servo, e que conforme a tua palavra fiz todas estas coisas. Responde-me, SENHOR, responde-me, para que este povo conheça que tu, SENHOR, és Deus e que tu fizeste tornar o seu coração para trás. Então, caiu fogo do SENHOR, e consumiu o holocausto, e a lenha, e as pedras, e o pó, e ainda lambeu a água que estava no rego. O que vendo todo o povo, caiu sobre os seus rostos e disse: Só o SENHOR é Deus! Só o SENHOR é Deus! 1Rs.18.30,36-39.

Introdução: A nação de Israel estava atravessando um período critico na sua história, havia uma grande decadência espiritual, a idolatria em Israel tinha chegado ao extremo, o culto a Baal estava estabelecido. Acabe o rei de Israel e Jezabel a rainha pagã, sua esposa, eram os regentes da nação, e levaram o povo ao pelo caminho da idolatria, desviando-os de servir e adorar o Deus vivo e verdadeiro, para servirem a Baal, um deus morto e mentiroso. Baal era conhecido como o deus da chuva, da colheita, da fertilidade e da prosperidade. Elias, um profeta ousado e usado por Deus, profetizou que por alguns anos nem chuva nem orvalho haveria em Israel. Deus através do profeta Elias, decidiu ironizar o sistema e provar para o povo que ele era o Deus verdadeiro. Depois de um período de três anos e meio, estando a nação sofrendo escassez de alimentos e água, veio o profeta Elias e apresentou-se ao rei Acabe, e desafiou 850 profetas, 450 profetas de Baal, e 400 profetas de Azerá. No monte Carmelo Elias edificou um altar e colocou sobre ele o sacrifício, e disse: O deus que responder por fogo esse será Deus. E todo o povo concordou. Eles clamaram do começo do dia até ao meio dia, e Baal não respondeu. O altar foi quebrado, eles se retalharam com facas e lancetas, mas Baal não respondeu. Elias chamou o povo, consertou o altar que estava quebrado, mandou cavar um rego ao redor e mandou encher de água por três vezes. Depois que o altar foi consertado Elias clamou a Deus em oração, e diz a bíblia que Deus lhe respondeu, mandou fogo do céu, e consumiu o holocausto e a lenha e as pedras e ainda lambeu a água que estava no rego. Concluímos que, altar da idolatria não tem fogo de Deus, altar desconcertado também não pode receber fogo de Deus. Mas o altar daquele que serve ao Deus verdadeiro, e que é um verdadeiro adorador, esse altar tem fogo de Deus. Tem muitos crentes que no seu altar (vida com Deus), não tem mais fogo; muitos estão precisando consertar o seu altar, ajustar a sua vida com Deus, para que o fogo de Deus possa descer na sua vida. Deus não envia fogo para altar da idolatria, nem altar desconcertado; é preciso consertar o altar para Deus mandar fogo. Amém!

TRÊS TIPOS DE ALTARES NA VIDA ESPIRITUAL DO CRENTE:

Altar no Antigo Testamento, era a principio uma base alta feita com pedras, sendo depois construído com vários tipos de materiais; havia muitos tipos de altares naquela época. A palavra altar é encontrada 396 vezes no Antigo Testamento. A palavra altar em hebraico é Mizbeach. Era o lugar onde eram queimados os sacrifícios e incensos ao Senhor. Além disso, era o lugar de adoração a Deus e de comunhão entre Deus e aqueles que ofereciam os sacrifícios. Era, também, um lugar onde Deus manifestava a sua glória e provisão. Por inúmeras vezes Deus pediu que fosse construído um altar para Ele.  
Na Nova Aliança altar significa a nossa vida de comunhão com Deus. Altar é lugar de intimidade, de sacrifício espiritual e de oferecer o melhor para Deus.

1. ALTAR DA ORAÇÃO.
Mas eu invocarei a Deus, e o SENHOR me salvará. De tarde, e de manhã, e ao meio-dia, orarei; e clamarei, e ele ouvirá a minha voz. Sl.55.16,17. 
Se eu atender à iniquidade no meu coração, o SENHOR não me ouvirá. Sl.66.18.
Infelizmente, muitos crentes estão deixando de orar, muitos abandonaram o altar da oração e estão grudados na internet até altas horas da noite, madrugada a dentro, perdendo tempo nas redes sociais, site de relacionamentos e outros entretenimento na internet. Mas, o Espírito Santo continua dizendo: Eu amo os que me amam, e os que de madrugada me buscam me acharão (Pv.8.17).
O altar da oração é de grande importância na vida do crente, o crente que não vive uma vida de constante oração, está vulnerável aos ataques do inimigo e não tem forças para vencê-lo. Infelizmente, muitos crentes estão com o altar da oração apagado, muitas igrejas não oram mais, os cultos de oração são um fracasso, o povo está em busca de festas, eventos e movimentos. Porém é preciso voltarmos ao altar da oração, só assim teremos uma vida vitoriosa.

2. ALTAR DA ADORAÇÃO.
Trazendo, pois, a arca de Deus, a puseram no meio da tenda que Daví lhe tinha armado; e ofereceram holocausto e sacrifícios pacíficos perante Deus. E pôs perante a arca do SENHOR alguns dos levitas por ministros; e isso para recordarem, e louvarem, e celebrarem ao SENHOR, Deus de Israel. Dai ao SENHOR a glória do seu nome; trazei presentes e vinde perante ele; adorai ao SENHOR na beleza da sua santidade. 1Cr.16.1,4,29.
O altar da adoração faz parte da nossa devoção sincera diante de Deus, devemos sempre adorar a Deus, um adorador não pode ficar com o altar da adoração apagado. A nossa adoração a Deus não está restrita a período de tempo quando estamos no templo cultuando. Um verdadeiro adorador ele adorar ao Pai em espírito e em verdade onde ele estiver, ele é um adorador ambulante. Muitos perderam o foco da verdadeira adoração e estão adorando cantores e pregadores, outros estão desviando a atenção do povo para si. O problema é que em muitas igrejas está predominado o culto do ego, muitos se acham estrelas no meio do povo de Deus, querem ser o centro das atenções, gostam de assentar nos primeiros lugares para serem vistos e aplaudidos. Enquanto isso a glória de Deus vai desaparecendo, são igrejas cheias e crentes vazios, são templos bonitos e luxuosos, mas não se sente a presença de Deus. Tudo isso porque o altar da verdadeira adoração está quebrado na vida de muitos; são muitos cantores, porém poucos adoradores. São muitas músicas, porém poucos louvores; são muitos templos, porém poucas igrejas. Muitos não vão a Casa de Deus cultuar, vão assistir o culto. Infelizmente, isto é fato.

3. ALTAR DA PALAVRA.
Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra.
Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.
A tua palavra é muito pura; por isso, o teu servo a ama.
Folgo com a tua palavra, como aquele que acha um grande tesouro. Sl.119.9,11,140,162.
O altar da palavra deve ter a primazia na nossa vida, devemos amar a palavra, lê a palavra, viver a palavra, andar pela palavra, obedecer a palavra, guardar a palavra, comer a palavra e pregar a palavra. O profeta Jeremias disse: Achando-se as tuas palavras, logo as comi, e a tua palavra foi para mim o gozo e alegria do meu coração; porque pelo teu nome me chamo, ó SENHOR, Deus dos Exércitos (Jr.15.16). O apóstolo Paulo escrevendo ao jovem pastor Timóteo, disse: Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade (2Tm.2.15). Manejar bem a palavra da verdade é uma virtude de quem lê, de quem nela medita e a ama de todo coração. Que esse altar nunca se apague, pois, dele depende a nossa vida. Deus falou a Josué: Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque, então, farás prosperar o teu caminho e, então, prudentemente te conduzirás (Js.1.8). Infelizmente, muitos crentes não leem mais a bíblia, perderam o apetite espiritual pela palavra e estão perdendo tempo com vários entretenimento que permeiam na internet, na televisão e entre outros. É tempo de reconhecermos o valor da palavra, e dizermos: A palavra de Deus é para mim, um tesouro sem igual em valor. Ela é doce como mel, aquele que a aceita pela fé há de ser fiel.

Conclusão: Altar é lugar de sacrifício, altar é lugar de adoração, altar é lugar de encontro com Deus. Altar tem que ter fogo de Deus, altar sem fogo Deus está reprovado e prestes a desmoronar. Altar sem fogo não é altar, é apenas um monumento de pedras. A bíblia diz: O fogo arderá continuamente sobre o altar, não se apagará (Lv.6.13).