quarta-feira, 7 de maio de 2014

DISCIPULANDO A IGREJA.

Texto básico: Portanto, ide, fazei discípulos em todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém! Mt.28.19,20.

Jesus, o Mestre dos mestres ao iniciar o seu ministério a primeira coisa que ele fez foi escolher doze homens, e em seguida os ensinar, transformando-os em seus discípulos. Discípulo é um aprendiz que está em constante aprendizado. Um discípulo é um aluno e seguidor do seu mestre. Em todos os tempos e épocas sempre houve alguém que ensinasse a outros; na verdade nós nunca sabemos de tudo, sempre temos algo a aprender. É impraticável alguém ensinar sem antes aprender; há uma celebre frase que diz: Se alguém não se senta para aprender, não deve se levantar para ensinar. O discipulado é importante porque treina, disciplina e prepara as pessoas para darem continuidade a algum tipo de organização, tendo como base os ensinamentos do seu mestre. É impossível uma organização ou instituição e até mesmo uma nação se desenvolver sem a pratica do discipulado; é através do ensino sistemático da educação que uma nação cresce. Todos os seguimentos sociais, culturais e religiosos, para se desenvolverem precisam discipular (ensinar) as pessoas, para que possam dar continuidade e ensinar as gerações futura.

QUATRO QUALIDADES DO VERDADEIRO DISCÍPULO DE JESUS.

Não é o discípulo mais do que seu mestre, nem é o servo mais do que o seu senhor. Basta ao discípulo ser como seu mestre, e ao servo ser como seu senhor. Se chamaram Belzebu ao pai de família, quanto mais aos seus domésticos? Mt.10.24,25.

O discípulo verdadeiro é aquele que segue e pratica os ensinamentos do seu mestre. O verdadeiro discípulo, além de seguir e praticar os ensinos do seu mestre, ele está disposto a sofrer e até morrer pela causa do mestre. Existe diferença entre o seguidor e o discípulo: O seguidor ele apenas segue e não tem compromisso direto com o mestre; Já o verdadeiro discípulo, além de seguir e praticar os ensinamento do mestre, ele é comprometido e estar disposto a defender e se possível até morrer por amor ao mestre.

1. VIVE UMA VIDA DE RENUNCIAS.

E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me (Lc.9.23).
Assim, pois, qualquer de vós que não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo (Lc.14,33).
Estamos vivendo uma época em que muitos estão se dizendo seguidores de Cristo, discípulos de Jesus; mas na prática as suas atitudes, o seu comportamento e as suas obras não correspondem a vida de um verdadeiro discípulo de Jesus. Muitos entram no evangelho, mas o evangelho não entra neles; vivem um evangelho sem compromisso e sem renuncia. Querem viver um evangelho de facilidades, visando sempre prosperidades material e trocando o evangelho da cruz de Cristo, pelo evangelho de um Jesus capitalista.
A verdade é que muitos não querem viver uma vida de renuncias, mas os verdadeiros discípulos de Jesus já renunciou tudo que desagrada ao seu mestre.

2. VIVE NA PRÁTICA DA PALAVRA DE DEUS.

Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente, sereis meus discípulos (Jo.8.31).
Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha. Mt.7.24.
Na época de Jesus, muitos o seguia, uns por curiosidade, outros por interesse, outros para observá-lo para querer pegá-lo e contradição. A bem da verdade é que alguns criam nele, escutavam as suas pregações e ensinos, porém não praticavam e nem permaneciam nos seus ensinamentos. Hoje não é diferente, muitos dizem que crer em Jesus, lê a bíblia, são simpatizante do evangelho, outros até frequentam a igreja; mas não praticam a palavra de Deus. O verdadeiro discípulo, ele permanece na palavra de Deus e pratica a mesma.

3. VIVE NA PRÁTICA DO AMOR.

Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros (Jo.13.35).
O amor seja não fingido. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem. Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros (Rm.12.9,10).
Um verdadeiro discípulo de Jesus, ele não deve viver em desunião, nem fazendo guerra por causa de rótulo de denominação de igreja. Ele respeita as diferenças, e procura viver em paz com todos. O que vai credenciar e identificar um verdadeiro discípulo de Jesus, não a sua forma de se vestir, ou os seus usos e costumes e sim o amor. É preciso que o amor se manifeste através de atitudes e não só de palavras fingidas, Jesus ainda continua dizendo: Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros (Jo.13.35).

4. VIVE UMA VIDA FRUTÍFERA.

Nisto é glorificado meu pai: que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos (Jo.15.8).
Não me escolheste vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao pai ele vos conceda (Jo.15.16).
A vontade de Deus é que os seus filhos vivam uma vida frutífera, e nunca deixem de dá frutos. Na verdade o que identifica o verdadeiro cristão, os discípulos de Jesus; não são os dons, e sim os frutos. Para que esse fruto seja permanente é preciso estar ligado na videira verdadeira que é Jesus. O verdadeiro discípulo ele não só dá fruto no tempo de muita alegria e abundância, mas mesmo na adversidade e no tempo de sequidão, ele permanece dando fruto. A palavra de Deus nos diz, no livro de Jeremias capítulo17. vers.7,8:
Bendito o homem que confia no SENHOR, e cuja esperança é o SENHOR. Porque ele será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e, no ano de sequidão, não se fadiga nem deixa de dar fruto. Que nós os crentes em Jesus, possamos permanecer dando frutos para a glória de Deus. Só assim seremos reconhecidos como verdadeiros discípulos de Jesus. Amém! 


A IMPORTÂNCIA DO DISCIPULADO NO ANTIGO TESTAMENTO.

E estas palavras que hoje te ordeno estarão no teu coração; e as intimarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te. Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por testeiras entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais da tua casa e nas tuas portas. Dt.6.6-9.
No Antigo Testamento, a lei de Deus deveria ser conhecida por toda a nação. Deus ordenou através de Moisés, que os filhos de Israel lessem e ensinassem a seus filhos a Lei do SENHOR; isto deveria ser constante, de maneira que se tornasse intima e fosse também propagada de forma escrita nas portas das suas casas.

JOSUÉ ERA DISCÍPULO DE MOISÉS.

E falava o SENHOR a Moisés face a face, como qualquer fala ao seu amigo; depois, tornava ao arraial; mas o moço Josué, filho de Num, seu servidor, nunca se apartava da tenda. Ex.33.11.
E chamou Moisés a Josué e lhe disse aos olhos de todo o Israel: Esforça-te e anima-te, porque com este povo entrarás na terra que o SENHOR jurou a teus pais lhes dar, e tu os farás herdá-la. Dt.31.7.
Josué foi um discípulo abnegado, Moisés sempre podia contar com ele. Ele não só admirava Moisés, por sua forma de liderar; mas também ele desejava ter a comunhão que Moisés tinha com Deus. Ele não se apartava da tenda, isto porque na tenda era lugar onde se manifestava a glória de Deus. Josué era um homem comum, mas ele se destacou entre os demais, e foi escolhido para ser o sucessor de Moisés; tornou-se um grande homem de Deus, isto porque buscou a Deus e se colocou a disposição.

ELISEU ERA DISCÍPULO DE ELIAS.

Partiu, pois, Elias dali e achou a Eliseu, filho de Safate, que andava lavrando com doze juntas de bois adiante dele, e ele estava com a duodécima. Elias passou por ele e lançou a sua capa sobre ele. Então, deixou ele os bois, e correu após Elias, e disse: Deixa-me beijar a meu pai e a minha mãe e, então, te seguirei. E ele lhe disse: Vai e volta; porque que te tenho eu feito? Voltou, pois, de atrás dele, e tomou uma junta de bois, e os matou, e, com os aparelhos dos bois, cozeu as carnes, e as deu ao povo, e comeram. Então, se levantou, e seguiu a Elias, e o servia. 1Rs.19.19-21.
Eliseu tornou-se um servidor e aprendiz de Elias; porém, antes, ele teve que  renunciar a sua atividade de lavrador. Eliseu tornou-se tão íntimo de Elias, que ele passou a admirá-lo. Eliseu não só admirava o caráter e o poder de Elias, mas ele desejava ser igual e até mesmo ter mais poder do que ele. É natural que todo bom discípulo queira imitar o seu mestre. Deus cumpriu o desejo de Eliseu, ele tornou-se o sucessor de Elias, e recebeu porção dobrada do seu espírito.   

ELISEU FORMOU UMA ESCOLA DE PROFETAS.

Em outra ocasião, os discípulos dos profetas sugeriram a Eliseu: Como vês, o lugar em que moramos, perto de ti, tornou-se pequeno demais para nós. Vamos até o Jordão e ali cada um de nós cortará um tronco a fim de podermos construir ali mesmo um local para reuniões. E Eliseu disse: Ide. Então um deles o convidou: Queiras vir com teus servos! E ele respondeu: Irei. Assim foi com eles. Chegando ao Jordão, puseram-se a derrubar árvores. 2Rs.6.1-4.
Essa escola de profetas que funcionava como um seminário, estava superlotada e o espaço já era insuficiente; então os estudantes percebendo isto, iniciaram uma campanha de construção. Os discípulos se dirigiram ao seu mestre Eliseu, e lhe pediram autorização para irem até o Jordão para cortarem árvores para ampliar o lugar; Eliseu não só autorizou, mas foi também com eles. Na época de Eliseu as escolas de profetas tinha como objetivo, ensinar, treinar e preparar homens para serem porta voz de Deus, e seus representantes.

HAVIA UMA ORDEM SACERDOTAL E UMA ORGANIZAÇÃO DE MÚSICA NA ÉPOCA DE DAVÍ.
Então, disse Daví: Ninguém pode levar a arca do SENHOR, senão os levitas; porque o SENHOR os elegeu, para levarem a arca do SENHOR e para o servirem eternamente.
E chamou Daví os sacerdotes Zadoque e Abiatar e os levitas Uriel, Asaías, Joel, Semaías, Eliel e Aminadabe e disse-lhes: Vós sois os chefes dos pais entre os levitas; santificai-vos, vós e vossos irmãos, para que façais subir a arca do SENHOR, Deus de Israel, ao lugar que lhe tenho preparado. Santificaram-se, pois, os sacerdotes e levitas, para fazerem subir a arca do SENHOR, Deus de Israel.
E disse Daví aos príncipes dos levitas que constituíssem a seus irmãos, os cantores, com instrumentos músicos, com alaúdes, harpas e címbalos, para que se fizessem ouvir, levantando a voz com alegria. E os cantores, Hemã, Asafe e Etã se faziam ouvir com címbalos de metal. E Quenanias, príncipe dos levitas, tinha cargo de entoar o canto; ensina-os a entoá-lo, porque era entendido nisso. 1Cr.15.2,11,12,14,16,19,22.
Daví organizou os sacerdotes, os levitas e os músicos na intenção de que o culto a JEOVÁ fosse realizado de forma organizada e dinâmica. Posteriormente quando inaugurou o templo, seu filho Salomão, deu continuidade a esta organização.

A IMPORTÂNCIA DO DISCIPULADO NO NOVO TESTAMENTO.

E a multidão dos que criam no Senhor, tanto homens como mulheres, crescia cada vez mais.
E todos os dias, no templo e nas casas, não cessavam de ensinar e de anunciar a Jesus Cristo. At.5.14,42.
A igreja primitiva crescia de forma assustadora, com esse crescimento havia necessidade de discipular os novos crente. Os apóstolos e lideres da igreja não cessavam de ensinar a palavra de Deus.

BARNABÉ FOI O DISCIPULADOR DE PAULO.

E, quando Saulo chegou a Jerusalém, procurava ajuntar-se aos discípulos, mas todos o temiam, não crendo que fosse discípulo. Então, Barnabé, tomando-o consigo, o trouxe aos apóstolos e lhes contou como no caminho ele virá ao Senhor, e este lhe falara, e como em Damasco falara ousadamente no nome de Jesus. E andava com eles em Jerusalém, entrando e saindo (At.9.26-28). E partiu Barnabé para Tarso, a buscar Saulo; e, achando-o, o conduziu para Antioquia (At.11.25).
Antes de Paulo ser o grande apóstolo que foi, teve que ter a ajuda de Barnabé. Lucas, o escritor do livro de Atos, começa narrando a história citando Barnabé e Saulo, depois ele muda e passa a escrever Paulo e Barnabé. Aprendemos que: Quem tem a humildade para aprender tende a crescer.

EM ANTIOQUIA  HAVIA UMA IGREJA MISSIONÁRIA QUE DISCIPULAVA MUITA GENTE.

E sucedeu que todo um ano se reuniram naquela igreja e ensinaram muita gente. Em Antioquia, foram os discípulos, pela primeira vez, chamados cristãos. At.11.26.
Na igreja que estava em Antioquia havia alguns profetas e doutores, a saber: Barnabé, e Simão, chamado Níger, e lúcio, cireneu, e Manaém, que fora criado com Herodes o tetrarca, e Saulo. E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado. Então, jejuando, e orando, e pondo sobre eles as mãos, os despediram. A13.1-3.
Entendemos que, uma igreja ensinada é uma igreja treinada e preparada para toda a boa obra. Uma igreja ensinada dá menos trabalho, porque ela erra menos. A igreja de Antioquia era uma igreja rica em pessoas talentosas e usadas por Deus, isto porque era uma igreja que primava pelo ensino da palavra de Deus. 

ÁQUILA E PRISCILA INSTRUÍRAM AO PREGADOR APOLO.

E chegou a Éfeso um certo judeu chamado Apolo, natural de Alexandria, varão eloquente e poderoso nas Escrituras. Este era instruído no caminho do Senhor, e, fervoroso de espírito, falava e ensinava diligentemente as coisas do Senhor, conhecendo somente o batismo de João. Ele começou a falar ousadamente na sinagoga. Quando o ouviram Priscila e Áquila, o levaram consigo e lhe declararam mais pontualmente o caminho de Deus. At.18.24-26.
Apolo só se tornou um pregador completo porque teve a humildade de se deixar instruir pelo casal Áquila e Priscila. Quem acha que já sabe tudo e não aceita ser instruído por ninguém, está perdendo muito com isso. Quando nos falta a humildade de aprender, nós paramos de crescer. O livro de provérbios nos diz: Dá instrução ao sábio, e ele se fará mais sábio; ensina ao justo, e ele crescerá em entendimento (Pv.9.9).

PAULO ENSINAVA TODOS OS DIAS AOS DISCÍPULOS, NA ESCOLA DE TIRANO.

Mas, como alguns deles se endurecessem e não obedecessem, falando mal do Caminho perante a multidão, retirou-se deles, e tomando consigo os discípulos, começou a ensinar diariamente na escola de Tirano. E assim procedeu por dois anos, de forma que todos os habitantes da Ásia pudessem ouvir a palavra do SENHOR., tanto judeus como gregos. At.19.9,10.
Paulo multiplicou o número de discípulos e os ensinou a palavra de Deus, num espaço de dois anos Paulo formou um exército de pregadores que pregaram a todos os habitantes da Ásia. Feliz é aquele que ensina e ver o fruto do seu trabalho.

TIMÓTEO ERA DISCÍPULO DE PAULO.

Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus. E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouvistes, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros (2Tm.2.1,2).
Tu, porém, tens seguido a minha doutrina, modo de viver, intenção, fé, longanimidade, caridade, paciência (2Tm.3.10).
O jovem pastor Timóteo foi um obreiro aprovado, por ter obedecido a palavra de Deus, e seguido os ensinamentos do grande apóstolo Paulo. Paulo teve tanta confiança nele, que próximo de sua morte, ele passou o bastão da responsabilidade para ele.

A IMPORTÂNCIA DO DISCIPULADO PARA A IGREJA ATUAL.

A igreja que não se preocupa em discipular os novos convertidos tende a perder, não aumentando o seu número de membros. Os que se convertem devem ser preparados e levados ao batismo depois de serem discipulados (instruídos) a cerca da igreja e das doutrinas básicas da bíblia; tomando assim conhecimento de seus deveres e privilégios como membros do Corpo de Cristo.

O crescimento da igreja é um alvo a ser constantemente buscado. O reino de Deus nunca para de crescer. A igreja cresce em três direções:
1. Crescimento vertical (em santidade para com Deus).
2. Crescimento horizontal (novos membros familiar).
3. Crescimento quantitativo (com inclusão de novos membros)

OS OBJETIVOS DO DISCIPULADO:

ENSINAR OS NOVOS CONVERTIDOS A VIVEREM UMA NOVA VIDA COM CRISTO.

Antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós. 1Pe.3.15.
Deixando, pois, toda malícia, e todo engano, e fingimentos e invejas, e todas as murmurações, desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que, por ele, vades crescendo. 1Pe.2.2

AJUDAR OS CRENTES AMADURECEREM NA FÉ E CRESCEREM NA GRAÇA E NO CONHECIMENTO.
Porque devendo já ser mestre pelo tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos das palavras de Deus; e vos haveis feito tais que necessitais de leite e não de sólido alimento. Porque qualquer que ainda se alimenta de leite não está experimentado na palavra da justiça, porque é menino. Mas o mantimento sólido é para os perfeitos, os quais, em razão do costume, têm os sentidos exercitados para discernir tanto o bem como o mal. Hb.5.12-14.
Antes, crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A Ele seja dada a glória, assim agora como no dia da eternidade. Amém! 2Pe.3.18.

PREPARAR OS OBREIROS PARA EXERCEREM O SEU OFÍCIO MINISTERIAL. 

Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça, para que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente instruído para toda boa obra. 2Tm.3.16,17.
Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. 2Tm.2.15.
Manejar bem a palavra da verdade é uma virtude de quem lê, estuda e procura aprender. O aprendizado nunca é demais, nós nunca sabemos tudo, sempre temos necessidade de aprender. Quem acha que já sabe tudo e não aceita ser instruído por ninguém, está perdendo muito com isso. Quando nos falta a humildade de aprender, nós paramos de crescer. 

A IMPORTÂNCIA DO DISCIPULADO NOS DIAS ATUAIS. 

Depois que toda aquela geração foi reunida a seus antepassados,surgiu uma nova geração que não conhecia o Senhor e o que ele havia feito por Israel (Juízes 2.10-NVI).
Vivemos em uma geração que não conhece ao SENHOR. Nunca antes uma sociedade se tornou tão permissiva, desonrada e iludida com os prazeres mundanos. Muitos são incapazes de manter a ordem, a estabilidade e o equilíbrio. Eles precisam ouvir e aprender a palavra de Deus.

PRINCIPAIS DESAFIOS DO NOSSO TEMPO.

O desafio de uma geração que não conhece ao Senhor.

O desafio de uma geração desorientada.

O desafio de uma geração temerosa.

O desafio de uma geração sem identidade.

O desafio da secularização.

O desafio do pluralismo religioso.

Esta geração está com sede de Deus, e está desesperada por um DISCIPULADO. Essas pessoas não querem um MAPA, elas precisam de orientação pessoal (BÚSSOLA)!
Evangelismo é dá a água. Discipulado é mostrar a fonte.

Conclusão: A prática do discipulado é importante porque perpetua o ensino do Mestre. Quem não ensina e não procura aprender, não se desenvolve. Quando Jesus ordenou, ide e fazei discípulos de todas as nações, ele estava dizendo que a sua mensagem e o seu ensino, deve ser transferido, aprendido e praticado por todos. Amém! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário