domingo, 12 de outubro de 2014

OS TRÊS FUNDAMENTOS DO CRISTIANISMO.

Texto básico: Sendo assim, permanecem até o momento estes três: A fé, a esperança e o amor. Contudo, o maior deles é o amor! 1Co.13.13.

O cristianismo se iniciou como uma seita judaica e, como tal, da mesma maneira que o próprio judaismo ou o islamismo, é classificada como uma religião abraâmica. Após se originar no Mediterrâneo Oriental, rapidamente se expandiu em abrangência e influência, ao longo de poucas décadas; no século IV já havia se tornado a religião dominante no Império Romano. Durante a Idade Média, a maior parte da Europa foi cristianizada, e os cristãos também seguiram sendo uma significante minoria religiosa no Oriente Médio, Norte da África e em partes da Índia. Depois da era das descobertas, através de trabalho missionário e da colonização, o cristianismo se espalhou para as Américas e pelo resto do mundo.
O cristianismo desempenhou um papel de destaque na formação da civilização ocidental pelo menos desde o século IV. No início do século XXI o cristianismo conta com, entre 2,3 bilhões de fiéis, representando cerca de um quarto a um terço da população mundial, e é uma das maiores religiões do mundo. O cristianismo também é a religião de Estado de diversos países. (Informações extraídas da Wikipédia).

O cristianismo não é mais uma religião criada ou inventada por nenhum dos grandes líderes religioso. O cristianismo tem a sua origem em Cristo (o Messias, o Ungido de Deus), as doutrinas do cristianismo verdadeiro estão fundamentadas nos ensinamentos de Jesus Cristo. Jesus Cristo, é a rocha, a pedra angular onde todos os cristãos verdadeiros estão firmados. Amém!

1. A FÉ.

Ora, a fé é firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que não se ver (Hb.11.1).
Ora, sem fé é impossível agradar a Deus, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus, creia que ele existe e que é galardoador dos que o buscam (Hb.11.6).
Para ser seguidor de Cristo, é preciso ter fé. Jesus disse a Tomé: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram! (Jo.20.29).
Está escrito: O justo viverá da fé (Hb.10.38).
Tudo é possível ao que crer (Mc.9.23).
Aquele que crer não se apresse (Is.28. 16).
Se creres verás a glória de Deus (Jo.11.40).

2. A ESPERANÇA.

Toda esperança do cristianismo está fundamentada em Jesus Cristo, mediante a sua morte e ressurreição. O apóstolo Pedro escrevendo a sua primeira epístola universal, diz: Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos (1Pe.1.3). O apóstolo Paulo, escrevendo ao jovem pastor Timóteo, diz: Paulo, apóstolo de Jesus Cristo, segundo o mandado de Deus, nosso Salvador, e do Senhor Jesus Cristo, esperança nossa (1Tm.1.1).
Essa esperança é para nós como âncora da alma, firme e segura, a qual tem pleno acesso ao santuário interior, por trás do véu, onde Jesus adentrou por nós, como precursor, tornando-se sumo sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque (Hb.6.19,20).
O escritor de Hebreus enfatiza que a nossa esperança deve ser firme e segura. Pois essa âncora  é indispensável para que o navio (nossa vida) não  fique à deriva no mundo.
A bíblia é bem clara, temos que ter essa Esperança como Âncora para nossa alma; pois é ela que nos sustentará firme em qualquer situação, é ela que nos leva a crer no Deus invisível mas real, a qual faz com que entremos e sejamos aceitos na sala do Trono.
A esperança é como uma âncora que firma e dá segurança as grandes embarcações. O escritor aos hebreus nos diz, que temos uma esperança proposta, a qual é como âncora da alma segura e firme (Hb.6.18,19). Esqueça tudo aquilo que não pode te dá esperança, e ponha a sua esperança em Deus. A única esperança para este mundo sofrido e perturbado, é Jesus Cristo.

3. O AMOR.

O amor é a virtude principal, tudo se resume no amor. A bíblia diz: A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei (Rm.13.8).

A SUPREMA EXCELÊNCIA DO AMOR.

Ainda que falasse as línguas dos homens e dos anjos e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria (1Co.13.1-3).

AS QUALIDADES DO AMOR.

O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece, não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca falha; mas, havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; porque, em parte, conhecemos e, em parte, profetizamos. Mas, quando vier o que é perfeito, então, o que é em  parte será aniquilado. Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estas três; mas a maior destas é o AMOR. (1Co.13.4-10,13).

DEUS É AMOR.

Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor (1Jo.4.8).
Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna (Jo.3.16).

Nenhum comentário:

Postar um comentário