sábado, 27 de setembro de 2014

O PODER DA DECISÃO.

Texto básico: Vês aqui, hoje te tenho proposto a vida e o bem, a morte e o mal. Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua semente. Dt.30.15,19.

Deus, ao criar o homem Ele o fez com total livre arbítrio, dando-lhe o poder de decisão, para que fosse independente nas suas escolhas. Deus não fez o homem programado para que agisse como robô; mas deu ao homem o poder de tomar suas próprias decisões. O homem escolhe o seu caminho e decide a sua vida.
Na vida nós temos muitas opções de escolhas, as pessoas estão sempre buscando o melhor para si; algumas acertam em suas escolhas, enquanto outras não são felizes em suas decisões. A bíblia nos dar várias opções de escolhas, e ao mesmo tempo ela nos orienta a decidirmos pelo melhor. Dependendo das circunstâncias, tomar uma decisão é algo muito difícil. Existem momentos na nossa vida que temos que tomar uma decisão. Se você não decide por uma mudança, a sua vida vai continuar na mesmice. Tem pessoas que vai ser sempre medíocre e raquítica, porque tem medo de tomar decisões na sua vida. É preciso muita prudência e ponderação para não tomarmos uma decisão precipitada. Quando agimos por impulso ou por emoção, nem sempre somos felizes em nossas escolhas e decisões. É preciso entendermos que uma decisão errada pode trazer consequências desastrosas por toda nossa vida. Na vida nós podemos decidir e escolher quase tudo; menos o dia do nosso nascimento. Quando somos atormentados pela dúvida, devemos buscar a orientação do Espírito Santo, só assim seremos felizes nas nossas decisões. 

ALGUMAS DECISÕES QUE FORAM TOMADAS NA BÍBLIA.
 
A DECISÃO DE JOSÉ.

José decidiu não ter um caso com a mulher de Potifar, para não pecar contra Deus.
E José foi levado ao Egito, e Potifar, eunuco de Faraó, capitão da guarda, varão egípcio, comprou-o da mão dos ismaelitas que o tinham levado lá. E o SENHOR estava com José, e foi varão próspero; e estava na casa de seu senhor egípcio. E aconteceu, depois destas coisas, que a mulher de seu senhor pôs os olhos em José e disse: Deita-te comigo. Porém ele recusou e disse à mulher do seu senhor: Eis que o meu senhor não sabe do que há em casa comigo e entregou em minha mão tudo o que tem. Ninguém há maior do que eu nesta casa, e nenhuma coisa me vedou, senão a ti, porquanto tu és sua mulher; como, pois, faria eu este tamanho mal e pecaria contra Deus? Gn.39.1,2,7-9.
 
A DECISÃO DE MOISÉS.

Moisés era príncipe do Egito, comandante do exército de Faraó, instruído em todas as ciências do Egito, era poderoso em suas palavras e obras; na sucessão era um forte candidato ao trono de Faraó. Mas, ele tomou uma decisão diferente. A bíblia diz: Pela fé, Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó, escolhendo, antes, ser maltratado com o povo de Deus, do que por um pouco de tempo, ter o gozo do pecado; tendo, por maiores riquezas, o vitupério de Cristo, do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa. Hb.11.24-26.

A DECISÃO DE DANIEL.

Daniel, um dos príncipes da Babilônia, ainda jovem e bonito, vivendo como cativo no meio de uma sociedade dominada pelo sistema pagã, entre muitas mulheres bonitas e sensuais, ele decidiu se manter fiel a Deus, e não se contaminar com os manjares do rei.
E Daniel decidiu no seu coração não se contaminar com a porção do manjar do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto, pediu ao chefe dos eunucos que lhe concedesse não se contaminar (Dn.1.8). Então, os príncipes e os presidentes procuravam achar ocasião contra Daniel a respeito do reino; mas não podiam achar ocasião ou culpa alguma; porque ele era fiel, e não se achava nele nenhum vício nem culpa (Dn.6.4).

A DECISÃO DE JOSUÉ E DA NAÇÃO DE ISRAEL.

Josué, sucessor de Moisés, comandante do povo de Deus e líder espiritual, teve que mandar o povo tomar uma decisão. Tendo o povo entrado pelo caminho da idolatria, esqueceram os grandes feitos e benefícios que Deus os havia feito, sendo influenciados por outras nações, foram em busca de deuses estranhos e desprezaram o Deus vivo e Verdadeiro. Em um momento critico, já próxima da sua partida, Josué reuni o povo e proclama: Agora, pois, temei ao SENHOR, e servi-lo com sinceridade e com verdade, e deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais além do rio e no Egito, e servi ao SENHOR. Porém, se vos parece mal ao vossos olhos servir ao SENHOR, escolheu hoje a quem sirvais; se os deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do rio, ou os deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao SENHOR. Então, respondeu o povo e disse: Nunca nos aconteça que deixemos o SENHOR para servirmos a outros deuses. E Josué disse ao povo: Sois testemunhas contra vós mesmos de que vós escolhestes o SENHOR, para o servir. E disseram: Somos testemunhas. Agora, pois, deitai fora os deuses estranhos que há no meio de vós; e inclinai o vosso coração ao SENHOR, Deus de Israel. E disse o povo a Josué: Serviremos ao SENHOR, nosso Deus, e obedeceremos à sua voz (Js.24.14-16,22-24).

A DECISÃO DO POVO DIANTE DA PROPOSTA DE PILATOS.

Ora, por ocasião da festa, costumava o governador soltar um preso, escolhendo o povo aquele que quisesse. E tinha, então, um preso bem conhecido, chamado Barrabás. Portanto, estando eles reunidos, disse-lhes Pilatos: Qual quereis que vos solte? Barrabás ou Jesus, chamado Cristo? Porque sabia que por inveja o haviam entregado. E, estando ele assentado no tribunal, sua mulher mandou-lhe dizer: Não entres na questão desse justo, porque num sonho muito sofri por causa dele. Mas os príncipes dos sacerdotes e os anciãos persuadiram à multidão que pedisse Barrabás e matasse Jesus. E, respondendo o governador, disse-lhes: Qual desses dois quereis vós que eu solte? E eles disseram: Barrabás. Disse-lhes Pilatos: Que farei, então, de Jesus, chamado Cristo? Disseram-lhe todos: Seja crucificado! O governador, porém, disse: Mas que mal ele fez? E eles mais clamavam, dizendo: Seja crucificado! Então, Pilatos, vendo que nada aproveitava, antes o tumulto crescia, tomando água, lavou as mãos diante da multidão, dizendo: Estou inocente do sangue deste justo; considerai isso. E, respondendo todo o povo, disse: O sangue caia sobre nós e sobre nossos filhos. Então, soltou-lhes Barrabás e, tendo mandado açoitar a Jesus, entregou-o para ser crucificado (Mt.27.15-26).
Por causa desta decisão, os judeus vem sofrendo até hoje. No ano 70, no primeiro século da era cristã, o general romano Tito, invadiu Jerusalém e fez o maior massacre, destruindo a cidade e matando milhares de judeus. Na segunda guerra mundial, Adolf Hitler, perseguiu os judeus e fez a maior carnificina da história, matando seis milhões de judeus. Tendo os judeus ficado sem pátria após o grande massacre feito pelo exército do general Tito, eles foram espalhados pelo mundo inteiro, só começaram a retornar em 1948, quando a O.N.U. através de votação decidiu reconhecer Israel como nação. Até os dias de hoje, a nação de Israel vive em guerra, quase que constante, e sofrem muito com isso os judeus. Este é o preço por terem escolhido Barrabás para ser solto, e decidirem crucificar Jesus, o Cristo.

Conclusão: "Não escolhemos vir ao mundo, mas temos o direito de escolher onde viver a eternidade" (Bispo Edir Macedo).
As nossas decisões e escolhas, determinarão o nosso futuro. Tome uma decisão feliz, escolhendo JESUS, como seu único e suficiente Senhor e Salvador. Amém!