sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

ASAFE, UM CRENTE QUE QUESTIONOU A DEUS.

Texto básico: Verdadeiramente, bom é Deus para com Israel, para com os limpos de coração. Quanto a mim, os meus pés quase que se desviaram; pouco faltou para que escorregassem os meus passos. Pois eu tinha inveja dos soberbos, ao ver a prosperidade dos ímpios (Sl.73.1-3).

Asafe, é um nome de origem hebraica, que surgiu a partir do nome Asaph, que significa "Deus se apoderou". Algumas fontes também referem que o nome Asafe pode significar "Deus ajuntou para si mesmo". Pertencia a classe dos levitas, era músico, regente do coro e compositor. Ao compor este salmo, ele faz uma auto critica, ao comparar a sua vida cotidiana com a vida prospera dos ímpios. Asafe fica deprimido e questiona a Deus sobre o por que os ímpios muitas vezes prosperam, ao passo que os fiéis sofrem tanto? O salmista vacilou em suas convicções de fé, e quase se desviou da Verdade. Ele diz que quando pensava em compreender isto, ficou perturbado. Porém a sua fé foi renovada quando ele entrou na santuário de Deus; entrando ele no santuário, o Espírito do SENHOR, lhe revelou e lhe fez entender o fim dos ímpios, daqueles que tem uma aparente prosperidade. Assim como Asafe, Jó também questionou a Deus sobre esta aparente contradição entre o ímpio e o justo (Jó,capítulo 21). Todavia ele também percebeu que os ímpios estão em lugares escorregadios e que o seu fim é terrível. Para nós os crente da atualidade, a palavra de Deus nos recomenda: Não tenha o teu coração inveja dos pecadores; antes, sê no temor do SENHOR todo o dia. Porque deveras há um fim bom; não será malograda (fracassada, frustrada) a tua esperança (Pv.23.17,18).

COMO DEVEMOS NOS COMPORTAR DIANTE DA FALSA PROSPERIDADE DOS ÍMPIOS?

1. Não te indignes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos que praticam a iniquidade. Porque cedo serão ceifados como a erva e murcharão como a verdura. Confia no SENHOR e faz o bem; habitarás na terra e, verdadeiramente serás alimentado. Deleita-te também no SENHOR, e ele te concederá o que deseja o teu coração (Sl.37.1-4).

2. Não temas quando alguém se enriquece, quando a glória da sua casa se engrandece. Porque, quando morrer, nada levará consigo, nem a sua glória o acompanhará. Ainda que na vida ele bendisse a sua alma, e os homens o louvem quando faz o bem a si mesmo, irá para a geração dos seus pais; eles nunca verão a luz. O homem que está em honra, e não tem entendimento, é semelhante aos animais, que perecem. Mas Deus remirá a minha alma do poder da sepultura, pois me receberá (Sl.49.16-20,15).

3. Não tenhas inveja dos homens malignos, nem desejes estar com eles, porque o seu coração medita em violência, e os seus lábios falam maliciosamente (Pv.24.1,2).
Não tenha o teu coração inveja dos pecadores; antes, sê no temor do SENHOR todo o dia. Porque deveras há um fim bom; não será malograda (fracassada, frustrada) a tua esperança (Pv.23.17,18).

CONCLUSÃO:
Depois que Asafe entendeu a soberana vontade de Deus na sua vida, ele pode declarar: A quem tenho eu no céu senão a ti? E na terra não há quem eu deseje além de ti. Pois eis que os que se alongam de ti perecerão; tu tens destruído todos aqueles que, apostatando, se desviam de ti. Mas, para mim, bom é aproximar-me de Deus; pus a minha confiança no SENHOR Deus, para anunciar todas as suas obras (Sl.73.25,27,28).
Entendemos que, a prosperidade quando vem de Deus se constitui uma bênção e não traz perturbação. Devemos sim, vivermos uma vida prospera e desfrutarmos de tudo de bom que a vida nos oferece. Porém o sábio Salomão inspirado pelo Espírito Santo, nos aconselha dizendo: No dia da prosperidade, goza do bem, mas, no dia da adversidade, considera; porque Deus fez este em oposição àquele, para que o homem nada ache que tenha de vir depois dele (Ec.7.14). O salmista roga a Deus por prosperidade: Rogamos a ti, ó SENHOR, salva-nos e faz-nos prosperar (Sl.118.25). O crente ter riquezas e muito dinheiro não é pecado nem errado, mas, colocar o coração nas riquezas e deixa-se dominar pelo dinheiro, se constitui pecado. Disse o rei Daví no seu salmo: Não confieis na opressão, nem vos desvaneçais na rapina; se as vossas riquezas aumentam, não ponhais nelas o coração. Uma coisa disse Deus, duas vezes a ouvi; que o poder pertence a Deus (Sl.62.10,11). A maior riqueza e tesouro do crente está em Jesus, pois Nele estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência (Cl.2.3). Amém!