segunda-feira, 22 de junho de 2015

CINCO MULHERES E UMA HERANÇA.

Então vieram as filhas de Zelofeade, filho de Hefer, filho de Gileade, filho de Maquir, filho de Manassés, das famílias de Manassés, filho de José; e os nomes delas são estes: Maala, Noa, Hogla, Milca e Tirza;   
apresentaram-se diante de Moisés, e de Eleazar, o sacerdote, e diante dos príncipes e de toda a congregação à porta da tenda da revelação, dizendo:   
Nosso pai morreu no deserto, e não se achou na companhia daqueles que se ajuntaram contra o Senhor, isto é, na companhia de Corá; porém morreu no seu próprio pecado, e não teve filhos.   
Por que se tiraria o nome de nosso pai dentre a sua família, por não ter tido um filho? Dai-nos possessão entre os irmãos de nosso pai (Nm.27.1-4).

AS FILHAS DE ZELOFEADE.

Macla, Noa, Hogla, Milca e Tirza. Estas cinco mulheres se organizaram e foram a Moisés; se apresentaram perante Moisés, e do sacerdote Eleazar e diante dos príncipes e de toda a comunidade de Israel. Zelofeade era o pai delas, da tribo de Manasses, a menor tribo de Israel, numericamente falando. Tendo falecido seu pai elas ficaram desprovidas de recursos para suas sobrevivência, visto que pela Lei de Moisés elas não teriam direito a herança de seu pai. Esse direito era concedido aos filhos homem, as mulheres participavam da herança dos seus irmãos. Neste caso, seu pai Zelofeade não teve filhos homem, apenas cinco mulheres.

As cinco filhas de Zelofeade estavam em luto,angustiadas, mediante a perda do pai e a incerteza do futuro. Elas eram descendentes de José do Egito, sobre elas repousava a promessa de Deus de herdar a terra prometida de Canaã. Macla, Noa, Hogla, Milca e Tirza eram conhecedoras da fé dos antepassados e da relação tão próxima de Deus com seus pais.

Após elas terem relatado o ocorrido a Moisés, ele ficou sem respostas; poderia até tê-las despedidas vazias, mas ele sensibilizado pela situação, levou o caso delas perante o SENHOR.
Diz o texto sagrado:
Moisés, pois, levou a causa delas perante o Senhor.   
Então disse o Senhor a Moisés:   
O que as filhas de Zelofeade falam é justo; certamente lhes darás possessão de herança entre os irmãos de seu pai; a herança de seu pai farás passar a elas (Nm.27.5-7).

Deus respondeu a oração de Moisés e atendeu a reivindicação das filhas de Zelofeade concedendo-lhes herança entre os filhos de Israel.

Aqui esta uma maravilhosa lição ministerial de um líder intercedendo por pessoas aflitas, necessitadas. Aqui vemos a graça e o amor de Deus atuando sobre as desigualdades sociais, quebrando paradigmas, superando a previsibilidade humana. Deus é o Governo absoluto sobre todos os governos terrenos. 
Elas se uniram e foram determinadas. A união familiar garantiu a herança. Elas tinham um objetivo comum, tinham tanto respeito e amor pelo pai que lutaram por preservar sua semente e memória. As filhas de Zelofeade são referenciais familiares para dias de crise. Elas não foram abatidas pela difícil situação, pelo contrário: se uniram a fim de se fortalecerem.

Concluímos que: As filhas de Zelofeade tinham uma causa “impossível” e foi buscando a justiça de Deus que conseguiram alcançar aquilo que só poderia ser alcançado mediante a fé. Entreguemos nossas causas a Deus, prostremo-nos diante de Seu tribunal a fim de sermos ajudados. Deus é quem estabelece a lei e muda a lei, quando os recursos humanos se esgotam e eles dizem que não tem jeito, Deus tem a última palavra, Ele entra em ação e muda a situação, porque para Deus nada é impossível. Amém!