sábado, 30 de janeiro de 2016

O PRUMO DE DEUS.

Mostrou-me também assim: Eis que o Senhor estava sobre um muro levantando a prumo; e tinha um prumo na sua mão. E o SENHOR me disse: Que vês tu, Amós? E eu disse: Um prumo. Então, disse o Senhor: Eis que eu porei o prumo nomeio do meu povo Israel; nunca mais passarei por ele (Am.7.7,8).

O profeta Amós pregou nos reinados de Uzias, rei de Judá, e também durante o período de governo do rei Jeroboão 2 sobre Israel, o Reino do Norte. Considerando ainda que Amós fora contemporâneo de Oseias e Jonas.
Amós, cujo nome significa peso ou carga era natural de Tecoa, uma pequena cidade distante quase 18 km de Jerusalém. Não era um nobre, como fora Isaías, nem sacerdote, como Jeremias, tampouco profeta acadêmico como vários formados pela escola fundada por Samuel e seus discípulos estudiosos e pregadores das Escrituras (1Sm.10.5-11). Amós ganhava a vida como criador de gado e cultivador de sicômoros, uma espécie de figueiras bravas (Am.7.14). Foi chamado por Deus para profetizar o iminente juízo de Deus contra o Reino do Norte (Israel), e o Reino Sul (Judá); seu ministério foi mais atuante sobre a cidade de Betel. Betel era o centro da adoração de Israel, onde as camadas sociais mais altas do reino se reuniam no santuário para adoração. Amós é levado pelo Espírito de Deus a anunciar a condenação do Reino do Norte (Israel) e do Sul (Judá) por causa do desprezo à palavra de Deus.

A VISÃO DO PRUMO E O AJUSTE DE CONTAS COM DEUS.

Mostrou-me também assim: Eis que o Senhor estava sobre um muro levantando a prumo; e tinha um prumo na sua mão. E o SENHOR me disse: Que vês tu, Amós? E eu disse: Um prumo. Então, disse o Senhor: Eis que eu porei o prumo nomeio do meu povo Israel; nunca mais passarei por ele (Am.7.7,8)

O que é um prumo e para que serve? 
O prumo é um instrumento utilizado nas construções, geralmente composto por um fio e um peso na ponta; serve para ajustar o nível de uma parede ou muro. 

Durante os reinados de Uzias, rei de Judá, e Jeroboão, rei de Israel, os dois estavam atravessando uma fase de grande prosperidade material, além do prestígio político e militar em toda a Palestina (2Rs14.23 e 15.7; 2Cr.26). A nação sentia-se segura e confiante de merecer o favor Divino. Todavia, em vez da prosperidade motivar um maior espírito de adoração e submissão, agradecida a Deus, levou o povo a esquecesse de Deus e a buscar caminhos alternativos, fora da vontade de Deus.
Iniciou-se um tempo de idolatria e paganismo, havia um declínio espiritual, a imoralidade e a corrupção dominava a nação. A justiça social não era praticada, os pobres estavam pagando pela boa vida da parte abastada da nação. Como consequência, o SENHOR, em breve colocaria em prática o seu castigo sobre todas estas perversidades.
É justamente neste contexto social e espiritual da história de Israel, que Deus se revela a Amós como o Deus de Justiça, e comunica através de uma linguagem simbólica que iria por o seu prumo sobre a nação e que não iria poupa-los. O ajuste de contas estaria por vir, o castigo era iminente, em breve o Reino do Norte (Israel), seria subjugado e levado para o cativeiro assírio.
Aqui nós aprendemos que muitas vezes a nossa indiferença para com Deus poderá nos levar a um ajuste de contas com Ele, o que pode resultar em castigo.

O PRUMO, REPRESENTA A PALAVRA DE DEUS.

O prumo como palavra de Deus é o instrumento que Deus usa para ajustar a nossa vida de comunhão e santidade com Ele. Assim como o construtor usa o prumo para garantir que a estrutura está segura, Deus usa o seu prumo Divino (a sua palavra) para avaliar nossa vida.

CINCO ÁREAS NA NOSSA VIDA QUE PRECISAM SER AJUSTADAS PELO PRUMO.

1. VIDA DE SANTIDADE.

Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade (Jo.17.17).
Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver (1Pe.1.15).

2. VIDA DE RENÚNCIA.

E, na verdade, tenho também como perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como esterco, para que possa ganhar a Cristo (Fp.3.8).  

Então, Jesus disse aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz e siga-me (Mt.16.24).

3. VIDA COM DEUS NA PRÁTICA DA PALAVRA.

E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganado-vos com falsos discursos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra e não cumpridor, é semelhante ao varão que contempla ao espelho o seu rosto natural; porque contempla a si mesmo, e foi-se, e logo se esqueceu de como era. Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecido, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito (Tg.1.22-25).

4. VIDA DE ADORAÇÃO E DEVOÇÃO SINCERA.

Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, porque o Pai procura a tais que assim o adorem (Jo.4.23).
A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus? (Sl.42.2). Mas, para mim, bom é aproximar-me de Deus... (Sl.73.28).

5. VIDA DE HUMILDADE E SUBMISSÃO A DEUS.

Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor (Ef.4.1).
Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que, a seu tempo, vos exalte, lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós (1Pe.5.6,7).
Antes, dá maior graça. Portanto, diz: Deus resiste aos soberbos, dá, porém, graça aos humildes. Sujeitai-vos, pois, a Deus; resisti ao diabo, e ele fugirá de vós (Tg.4.6,7).

A REJEIÇÃO DA MENSAGEM.

A mensagem do profeta Amós não foi aceita na sua época, visto que era uma mensagem de juízo de Deus sobre a nação de Israel. Amazias, que era sacerdote de Betel, mandou dizer ao rei que Amós estava conspirando contra ele, e disse a Amós que o povo não poderia suportar todas as suas palavras. Amazias, não suportando ouvir a mensagem do profeta procura expulsá-lo dizendo: Vai-te, ó vidente, foge para a terra de Judá, e ali come o pão, e ali profetiza; mas, em Betel, daqui por diante, não profetizarás mais, porque é o santuário do rei e a casa do reino (Am.7.12,13).
Hoje não é diferente, muitos não querem ouvir uma palavra de correção para concerto espiritual, hoje o povo querem ouvir uma mensagem de alto ajuda, que não venha confrontar com as suas conveniências, nem com sua vida irregular, e que possa massagear seu ego. Porém, o prumo da palavra de Deus é indispensável para corrigir os nossos erros, falhas e pecados. A bíblia diz: Porque o Senhor corrige o que ama e açoita a qualquer que recebe por filho. Se suportais a correção, Deus vos trata como filhos; porque que filho há a quem o pai não corrija? Mas, se estais sem disciplina, da qual todos são feitos participantes, sois, então, bastardos e não filhos (Hb.12.6-8). Aceitar a mensagem de correção é uma atitude de humildade e submissão a vontade de Deus. Deus é Pai, Ele não vai deixar seus filhos perecer. Amém!

domingo, 24 de janeiro de 2016

A PRESENÇA DE DEUS

Então, disse-lhe: Se a tua presença não for conosco, não nos faças subir daqui. Disse, pois: Irá a minha presença contigo para te fazer descansar (Êxodo,33.15,14).

Nada nem ninguém substitui a presença de Deus, Deus disse a Moisés que não iria com o povo, mas enviaria um Anjo (Ex.33.1-3). Observe que nesse caso este Anjo, claramente, é uma personificação Jesus Cristo. Moisés por sua vez não aceitou a proposta de Deus, porém ele exigiu que a presença do próprio Deus fosse com eles, não o Anjo como seu representante. Moisés desfrutava de um grau de tão grande intimidade com Deus que além de exigir a presença de Deus, ele também rogou que Deus lhe mostrasse a sua Glória (Ex.33.18-23). Deus disse a Moisés: A minha presença irá contigo para te fazer descansar.

A IMPORTÂNCIA DA PRESENÇA DE DEUS.

A nação de Israel era imbatível diante dos seus inimigos, porque a presença de Deus era com eles. Quando acontecia ao contrario eles eram derrotados e dominados pelos inimigos. O rei Davi, sempre vencia nas batalhas que travava contra seus inimigos, porque a presença de Deus era com ele. Davi valorizava tanto a presença de Deus na sua vida, que quando ele pecou contra Deus e percebeu que a presença de Deus não mais estava com ele, ele clamou a Deus e disse: Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que a teus olhos é mal... Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais alvo do que a neve. Esconde a tua face dos meus pecados e apaga todas as minhas iniquidades. Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto. Não me lances fora da tua presença e não retires de mim o teu Espírito Santo (Sl.51.4,7,9-11). No caso do rei Saul, ele perdeu completamente a presença do SENHOR, e o seu fim foi trágico; por ele não ter tido um sincero arrependimento e por não valorizar a presença de Deus na sua vida. Infelizmente, muitos cristãos não dão importância a presença de Deus na sua vida, muitos são influenciados pelas circunstâncias e se rendem ao pecado, são enganados, destruindo assim a sua vida de  relacionamento com Deus e perdendo a sua presença. Certo pensador disse: Eu prefiro viver uma vida simples com a presença de Deus, do que viver rodeado de riquezas e prazeres, e sem a sua presença. Davi chegou ao ponto de desprezar todas as suas riquezas em detrimento da presença de Deus, Ele diz: Tu és meu o meu SENHOR; não tenho outro bem além de ti (Sl.16.2). Só a presença de Deus nos satisfaz, o resto são entretenimento.

A PRESENÇA DE DEUS NOS PROPORCIONA: 

1. ALEGRIA.
Far-me-ás ver a vereda da vida; na tua presença há abundância de alegrias; à tua mão direita há delícias perpetuamente (Sl.16.11).

2. DESCANSO.
Disse, pois: Irá a minha presença contigo para te fazer descansar (Ex.33.14).

3. PROTEÇÃO.
Tu os esconderás, no secreto da tua presença, das intrigas dos homens; ocultá-lo-ás, em um pavilhão, da contenda das línguas (Sl.31.20).

Finalmente, viver sem a presença de Deus é viver vazio, sem rumo e sem esperança.
A presença de Deus: No céu é glória. Na terra é poder. No inferno é juízo. Na igreja é graça.

Existe uma bela música interpretada pela cantora Fernanda Brum, que nos fala sobre a presença de Deus.
Esta canção nos diz: 

Existe um lugar na fenda da rocha
Bem junto a Ti
Em tua presença

Existe um lugar
Aconchegado ao teu coração
Em tua presença

Existe um lugar onde o orgulho não vai me seduzir
Onde o dinheiro, a fama, os aplausos
Não podem me comprar

Em Tua presença, Senhor
Em Tua presença, Senhor
Eu quero estar e mergulhar
Descansar em Teus braços de amor
Em Tua presença, Senhor
Em Tua presença, Senhor
Vou me esconder
Tu és meu prazer
Em Tua presença é o lugar
Onde eu quero habitar.
Amém!

sábado, 23 de janeiro de 2016

O SOL VOLTARÁ A BRILHAR

Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida; o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã (Sl.30.5).

Neste salmo Davi lembra-se das suas aflições, quando ele se achava autoconfiante diante da sua prosperidade. Porque eu dizia na minha prosperidade: Não vacilarei jamais (vers.6). Porém, ele reconhece a soberania de Deus, depois de ter sido castigado e afligido. Davi clamar pelo socorro de Deus, e alcança o seu favor. No final ele canta dizendo: Tornaste o meu pranto em folguedo; tiraste a minha tristeza e me vestiste de alegria; para que a minha glória te cante louvores e não se cale; SENHOR Deus meu, eu te louvarei para sempre (vers.11,12).

Talvez, como Davi, você esteja vivendo no centro de um grande furacão de angústias e aflições. A tempestade lhe assola de forma implacável.

As torrentes da impiedade passam por cima de sua cabeça e uma avalanche de injustiças lhe arrasta montanha abaixo, sem pausa para respirar.

Talvez a noite que você está passando é tenebrosa demais e o pânico esteja tomando conta de sua alma. Talvez você se encontre num beco sem saída, encurralado (a) por circunstâncias maiores do que suas forças.

Nesse rio de angústias, há uma Voz que lhe encoraja a olhar para cima, a reanimar-se no SENHOR Deus e a descansar na providência do Altíssimo.

Deus é poderoso para transformar seu deserto causticante e vale árido em manancial, Ele vai mudar o seu pranto em folguedo e a sua tristeza em alegria.

Não há causa perdida quando colocamos nas mãos de Deus.
Ele tem poder sobre as leis da natureza. Ele tem autoridade sobre as enfermidades e sobre a morte. Nem mesmo os demônios podem resistir à sua voz.

Não há problemas insolúveis quando Jesus intervém. Ele dá vista aos cegos, levanta os coxos, purifica os leprosos e ressuscita os mortos.

Não há vida irrecuperável para Deus. Ele transforma pecadores em santos, escravos em livres, agentes do mal em arautos da justiça e servos do pecado em servos do SENHOR.

Não há casamento perdido para Deus. Quando marido e mulher se rendem aos seus pés, ele transforma mágoa em doçura, ódio em amor, indiferença em cuidado.

Não desanime, não jogue a toalha, não chute o balde, não entregue os pontos, não desista; insista, persista e prossiga.
Deus proverá. Tenha esperança. Acredite!!! A noite vai passar, a crise vai acabar e o sol voltará a brilhar! Amém!

Texto adaptado, fonte: Rev.Hernandes Dias Lopes

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

O GRANDE VENCEDOR

Jesus Cristo, o Rei dos reis, o Senhor dos senhores, o Campeão dos campeões, o Vencedor dos vencedores; Ele é aquele que nunca perdeu uma batalha. Muitos pensam que a morte de Jesus na cruz foi uma derrota, mas eles não entendem que a sua morte na cruz foi uma grande vitória que Ele conquistou para humanidade, com a sua morte Ele nos garantiu salvação, e o direito a vida eterna com Deus. Jesus o Vencedor imbatível, é o único que disse: Eu sou, e continua dizendo. Muitos disseram eu sou e não puderam continua, eles morreram, eles eram, não são mais. Jesus Cristo, disse: Eu sou, porque Ele é, sempre foi e sempre será o grande Vencedor, aleluia!

DEZ DECLARAÇÕES DE JESUS:

1. EU SOU o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome; e quem crê em mim nunca terá sede
(Jo.6.35).

2. EU SOU a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida (Jo.8.12).

3. EU SOU a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará e sairá, e achará pastagem (Jo.10.9).

4. EU SOU o bom pastor; o bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas (Jo.10.11).

5. EU SOU a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá (Jo.11.25).

6. EU SOU o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim (Jo.14.6).

7. EU SOU a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador (Jo.15.1).

8. EU SOU Jesus, a quem tu persegues. Duro é para ti recalcitrar (resistir) contra os aguilhões (At.9.5).

9. EU SOU o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, o Primeiro e o Derradeiro (Ap.22.13).

10. EU SOU a Raiz e a Geração de Davi, a resplandecente Estrela da manhã (Ap.22.16).

AS QUATRO GRANDES VITÓRIAS DE JESUS:

1. JESUS venceu o mundo.

Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo (Jo.16.33).

2. JESUS venceu a morte.

No momento em que este corpo perecível se revestir de incorruptibilidade, e o que é mortal, for revestido de imortalidade, então se cumprirá a palavra que está escrita: “Devorada, pois, foi a morte pela vitória!” “Onde está, ó Morte, a tua vitória? Onde está, ó Morte, o teu aguilhão?” Porquanto, o aguilhão da Morte é o pecado, e o poder do pecado é a Lei. Contudo, graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo!” (1Co.15.54-57).

3. JESUS venceu o inferno.

Não temas; eu sou o Primeiro e o Último, e o que vive; fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém! E tenho as chaves da morte e do inferno (Ap.1.17,18).

4. JESUS venceu Satanás e seus poderes.

e cancelou a escrita de dívida, que consistia em ordenanças, e que nos era contrária. Ele a removeu completamente, pregando-a na cruz; e, despojando as autoridades e poderes malignos, fez deles um espetáculo público, triunfando sobre todos eles na cruz (Cl.2.14,15).

Finalmente, o nome JESUS é sinônimo de vitória, Ele é o Leão da tribo de Judá, o Príncipe dos reis da terra, o Rei dos reis e Senhor dos senhores, Ele é o grande Campeão. Amém!

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

COMPANHEIRO NÃO COMPETIDOR

Eu, João, que também sou vosso irmão e COMPANHEIRO na aflição, e no Reino, e na paciência de Jesus Cristo, estava na ilha chamada Patmos, por causa da palavra de Deus e pelo testemunho de Jesus Cristo (Ap.1.9).

Vivemos em um mundo capitalista, onde se prega a concorrência, a competição e a capacidade de se manter entre os melhores. No Reino de Deus não funciona assim, no Reino de Deus muitas vezes se perde para ganhar, no Reino de Deus a lei da prosperidade é primeiro dá para depois receber. A competição não tem lugar no Reino de Deus, pois é egoísta e tem por finalidade eliminar o seu rival.

Quando o apóstolo João escreveu a introdução do livro de Apocalipse, estando ele asilado na ilha de Patmos, ele diz: Eu, João, que também sou vosso irmão e COMPANHEIRO na aflição, e no Reino, e na paciência de Jesus Cristo... Ele expressa duas palavras de grande relevância no Reino de Deus: Irmão e companheiro. Uma irmandade não pode viver em desunião, pois todos devem ter em comum o mesmo objetivo e alvo a serem alcançados. O companheirismo deve ser o selo de união entre os irmãos. Ser companheiro, é mais que ser camarada, é mais que ser colega; ser companheiro é compartilhar, é está junto, é fazer companhia, é ter comunhão, é comer junto o mesmo pão.

Infelizmente, essa realidade em grande parte da nossa irmandade não tem sido uma pratica real e verdadeira. Muitos se disfarçam de companheiros e usam de malícia para tentar eliminar aquele que ele considera uma ameaça para ele. Muitos pensam que para serem bem sucedidos não devem admitir que o talento ou o dom do seu companheiro se destaque diante do seu, ele ver o seu companheiro como competidor, e o seu objetivo é eliminá-lo, apagá-lo e destruí-lo. Esse tipo de atitude é anticristã, Deus não aprova. Muitos estão na igreja dizendo que estão servindo a Deus, mas são uns verdadeiros sepulcros caiados, vivem brigando e competindo cargos, posição de liderança e lugares de destaque. Tudo isto pode e deve ser almejado e alcançado, desde que seja sem prejudica o companheiro e por uma determinação do Espírito Santo.

Há pregadores disputando pregações, tem uns que pensam que a pregação dele é a melhor, e não tem humildade para ouvir outro pregar, pelo contrário, até torce para o outro não ser bem sucedido na pregação. Há também lideres medindo forças, competindo com outros e se achando o melhor de todos. Infelizmente, este mal está instalado em muitas igrejas e ministérios, a visão é mais monetária do que espiritual. 

Finalmente: Somos companheiros não competidores, muitos estão medindo forças e agindo como cabo de guerra dentro da Casa de Deus. Na igreja não deve haver lugar para competição, a direção só é uma e o único alvo a ser alcançado é o crescimento do Reino de Deus. Amém!

Há um pensamento da escritora Helena Tannure, que diz:  Se alguém tentar competir com você em alguma questão, dê um passo atrás e abra caminho pra ele, isto não é ser covarde, nem se colocar no lugar de incapaz, isto é sabedoria de quem é seguro no que faz. Melhor do que a pressa, é o tempo e a paciência, melhor do que a competição é a certeza de que Deus esta na direção. Ninguém passa na frente, de quem Ele toma pela mão.

sábado, 16 de janeiro de 2016

VALENTES DO REI.

Estes são os nomes dos valentes que Davi teve: Josebe-Bassebete, filho de Taquemoni, o principal dos capitães; este era Adino, o eznita, que se opusera a oitocentos e os feriu de uma vez. E, depois dele, Sama, filho de Agé, o hararita, quando os filisteus se ajuntaram numa multidão, onde havia um pedaço de terra cheio de lentilhas, e o povo fugira de diante dos filisteus. Este, pois, se pôs no meio daquele pedaço de terra, e o defendeu, e feriu os filisteus; e o SENHOR operou um grande livramento (2Sm.23.8,11,12.

Davi, antes de assumir o trono de rei de Israel, era anônimo; ficou conhecido em toda nação quando derrotou o gigante filisteu Golias. Davi venceu grandes batalhas e Deus operou muitos livramentos e proezas através de Davi. Davi como rei tinha a sua disposição um grande exército de homens adestrados para guerra, entre estes havia trinta e sete que se destacavam pela sua coragem e valentia, estes eram chamados os valentes do rei Davi.
A bíblia relata que houve uma ocasião na história de Davi, que ele desejou beber da água da cisterna de Belém; e a guarnição dos filisteus estava acampada em Belém. Então três homens valentes romperam pelo arraial dos filisteus, e tiraram água da cisterna de Belém, e a trouxeram a Davi (2Sm.23.13-17).
Aqueles homens, pelo respeito que eles tinham por Davi, sem se preocupar com recompensas, tiveram aquela atitude de coragem, sabendo que Deus estava com eles. Não se importando com o que viesse a acontecer, empunharam suas espadas nas mãos, e seguiram em frente.

Diz o texto sagrado que Sama, outro valente de Davi, defendeu o campo de lentilhas quando os filisteus se ajuntaram numa multidão para invadir e tomar o campo de lentilhas. Este valente lhes resistiu e se pôs no meio do pedaço de terra, e o defendeu, e feriu os filisteus; e o SENHOR operou um grande livramento.
Assim deve ser também conosco, devemos ser os valentes do reino de Deus, lutando e defendendo a obra e a causa do Rei, Jesus Cristo.

Assim como o rei Davi contava com esses trinta e sete valentes, Jesus, o Rei e Senhor da igreja, conta com crentes valentes, obreiros corajosos e destemidos para fazerem a obra com amor e valentia.
Muitos estão sendo covardes e voltando atrás, largando as armaduras da fé e desistindo de lutar.
Seguir em frente é o desejo que Deus tem para todos nós, sem recuar e sem vacilar.
Devemos prosseguir, nunca devemos dar valor aos obstáculos, e sim, derruba-los, um por um.
Existem muitas pessoas, que nos momentos de lutas, a primeira coisa que fazem é largar a espada e desistir diante dos problemas.

Os valentes de Davi jamais largavam as suas espadas, mas as seguravam firmes em suas mãos.
Assim como estes homens entraram no campo do inimigo sem medo e com muita coragem, nós também devemos romper com as dificuldades da vida, mesmo que os inimigos sejam muitos.
Os valentes de Deus nem sempre são pessoas bem sucedidas, mas pessoas corajosas, a enfrentar a vida apesar das suas dificuldades.
Os valentes de Deus nem sempre são aqueles que estão em cima de um palco ou púlpito, que ostentam títulos e fama, ou que aparecem na mídia, em programa de televisão pregando, mas, sim, aquelas pessoas que estão em plena atividade nos hospitais, nos presídios, nos lugares aonde ninguém gostaria ir, estes são os valentes de Deus.

Assim como tem muitas pessoas que estão na igreja servindo apenas por recompensas como: fama, glória, aplausos, reconhecimento e tapinha nas costas, querendo sempre ter o seu ego sendo massageado pelas pessoas e ouvir muitos dizerem: Você é bom. Existem também pessoas que não querem fama, nem glória, nem aplausos, e sim, fazer com que o Reino de Deus cresça, rompendo o arraial do inimigo de nossas almas, e arrancando as almas perdidas das garras de Satanás para o Reino de Cristo.

Finalmente, seja um valente de Deus, um valente que não desiste, mas que insiste, persisti e vai até o fim. Não largue a espada do Espírito, que é a palavra de Deus, siga sempre em frente, que Deus é contigo. Seja um guerreiro do SENHOR, vai nesta tua força, que o Senhor Deus é contigo por onde quer que andares. Amém!

domingo, 10 de janeiro de 2016

ESPERANÇA.

Paulo apóstolo de Jesus Cristo, segundo o mandado de Deus, nosso Salvador, e do Senhor Jesus Cristo, nossa esperança (1Tm.1.1). Bem-aventurado aquele que tem o Deus de Jacó por seu auxílio e cuja esperança está posta no SENHOR, seu Deus (Sl.146.5).

Esperança é uma palavra bonita que tem origem no coração de Deus. Paulo faz uso desta palavra "esperança", em quase todas as suas cartas. Entre as muitas definições que temos da palavra esperança podemos afirmar que ESPERANÇA é algo que nos dá a certeza futura que vamos vencer e chegar ao porto seguro (lugar onde desejamos).
Não podemos viver sem esperança, viver sem esperança é parar de sonhar, e quem para de sonhar está morto.
Há um ditado popular que diz: A esperança é a última que morre, a verdade é que nossa esperança, de fato morreu, mas ressuscitou ao terceiro dia, Ela se chama Jesus Cristo.
Muitos morrem sem esperança; sem Deus, sem paz e sem salvação. Mas o justo até na sua morte tem esperança (Pv.14.32). Aleluia!
O mundo pode está em crise, mas o céu não está em crise, nunca esteve. Não estamos em crise, estamos em Cristo, Ele é a nossa ESPERANÇA.

O MUNDO PÓS-MODERNO ESTÁ FIRMADO EM TRÊS FONTES DE ESPERANÇA:

1. O DINHEIRO E AS RIQUEZAS.

O dinheiro e as riquezas são coisas boas que favorecem o nosso bem estar, porém não devemos depositar a nossa esperança no dinheiro e nem nas riquezas, porque são incertos e passageiros.
Existem pessoas que dizem: O meu Deus é o meu dinheiro. Ter muito dinheiro e ser rico não é pecado, pecado é amar o dinheiro e fazer dele o seu senhor. Está escrito: Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se transpassaram a si mesmos com muitas dores (1Tm.6.10).
O magnata grego senhor Onassis, na década de 70 era o homem mais rico do mundo, ele era dono de frotas de navios mercantes e grande empreendedor de negócios. Ele era um homem extremamente materialista, amava e confiava muito nas suas riquezas; mas ele foi vítima de uma enfermidade que o levou a morte, e toda a sua esperança termina.
Na primeira carta de Paulo a Timóteo, 6.17 ele diz: Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus...
No salmo 62 versículo 10, está escrito: Se as vossas riquezas aumentam, não ponhas nelas o coração.
Com o dinheiro você compra a cama, mas não compra o sono; compra o remédio, mas não compra a saúde; compra uma linda casa, mas não compra um lar, compra quase tudo, mas não compra a felicidade.

2. A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA.

O mundo pós-moderno tem depositado toda sua esperança no grande avanço da ciência e da tecnologia.
O conhecimento científico e tecnológico trouxe grande avanço e benefícios para a humanidade. Porém, não devemos depositar nossa esperança na ciência e na tecnologia, porque são mutáveis e efêmeras.
O grande avanço da ciência e tecnologia teve seu inicio com revolução industrial no século 18, e teve grande avanço no século xx. Com o surgimento da televisão e o advento da internet, o mundo mudou completamente. A ciência e a tecnologia mudou completamente o comportamento das pessoas, saímos da modernidade e entramos no que chamamos de pós-modernidade. As pessoas estão se tornando cada vez mais frias, céticas e materialista; muitas estão ficando endeusadas e achando que pode tudo. As redes sociais tem se tornado uma febre para esta geração, muitas pessoas ficam online quase 24 horas na internet. A grande problemática é que as pessoas estão ficando online com a terra e offline com o céu.
A ciência e a tecnologia é boa, tem o seu lado benéfico, porém devemos ter cuidado para não sermos compulsivos e dominados por ela. Está escrito: A ciência incha, mas o amor edifica (1Co.8.1). Significa dizer: o conhecimento deixa as pessoas orgulhosas, mas o amor nos faz crescer.

3. A ECONOMIA E A POLÍTICA.

O poder econômico e político tem sido a fonte de esperança pra muitas pessoas, visto que eles tem poder de mudar o mundo. Com a economia mundial globalizada, os grandes lideres de governos fazem reuniões e conferências para discutirem sobre como melhorar a economia mundial. Eles criaram os grandes blocos econômicos chamados de:
UE (União Europeia). Este bloco é formado pelos países da Europa e possui uma moeda única, que é o EURO. O NAFTA, MERCOSUL, APEC estes blocos econômicos tem sido a grande esperança para o mundo globalizado. Porém, eles são falhos e falíveis.
Quem deposita sua esperança na economia e na política, estar fadado ao fracasso, mas, quem deposita sua esperança no SENHOR Jesus Cristo, está destinado a vitória e a vida para sempre. Amém!

CONCLUSÃO:
Em quem devemos depositar nossa esperança?

Não devemos depositar nossa esperança no dinheiro, porque ele acaba.
Não devemos depositar nossa esperança nas riquezas, porque elas são incertas e passageiras.

Não devemos depositar nossa esperança na religião, porque ela é insuficiente e não salva.
Não devemos depositar nossa esperança na política, porque ela é falível e falha.

Não devemos depositar nossa esperança na ciência e na tecnologia, porque são mutáveis e efêmeras.
Não devemos depositar nossa esperança no homem, porque ele é mortal e sempre falha.

Mas, devemos depositar toda nossa esperança em Deus, porque Ele é eterno, imutável e nunca falha. Aleluia!

JESUS CRISTO, É A NOSSA ESPERANÇA!   

sábado, 9 de janeiro de 2016

A PRECIOSA PALAVRA DE DEUS

Oh! Quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! Mais doces do que o mel à minha boca (Sl.119.103).

O salmo 119 nos fala sobre a preciosidade da palavra de Deus, enquanto os outros salmos destacam os atos poderosos de Deus na criação e na redenção, bem como a sua soberania, aqui o tema dominante é a total devoção a palavra de Deus.
a palavra de Deus deve ser a nossa regra de fé e prática, deve ser o nosso pão espiritual cotidiano, sem ela a nossa alma fica magra e raquítica. John Piper, um exemplo de cristão, disse: "Tire minhas pernas, mas não minha bíblia. Eu posso chegar no céu sem andar, mas não sem a palavra de Deus".
Davi, no salmo 19 nos fala da excelência da palavra de Deus, e diz: Mais desejáveis são do que o ouro, sim, do que muito ouro fino; e mais doces do que o mel e o licor dos favos (Sl.19.10).

SETE COISAS QUE DEVEMOS FAZER COM A PALAVRA:

1. LER A PALAVRA.

Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia... (Ap.1.3).
Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá (1Tm.4.13).

2. MEDITAR NA PALAVRA.

Não se aparte da tua boca o livro desta Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque, então, farás prosperar o teu caminho e, prudentemente te conduzirás (Js.1.8).

3. ESTUDAR A PALAVRA.

Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade (2Tm.2.15).

4. CRER NA PALAVRA.

Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu interior (Jo.7.38).

5. PRATICAR A PALAVRA.

Sede praticantes da Palavra e não simplesmente ouvintes, iludindo a vós mesmos. Porquanto, se alguém é ouvinte da Palavra e não praticante, é semelhante a um homem que contempla o próprio rosto no espelho; e, depois de admirar a si mesmo, sai e logo se esquece da sua aparência. Porém, a pessoa que observa atentamente a lei perfeita, a lei da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte negligente, mas praticante zeloso, será muito feliz em tudo o que empreender. (Tg.1.22-25).

6. PROCLAMAR A PALAVRA.

Prega a palavra, insiste a tempo e fora de tempo, aconselha, repreende e encoraja com toda paciência e sã doutrina (2Tm.4.2).

7. GUARDAR A PALAVRA.

Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti (Sl.119.11).

CONCLUSÃO: Finalmente, devemos sempre honrar e obedecer a palavra de Deus, ela é a fonte onde emana a vida, é a carta Magna de Deus para humanidade. Abraão Lincoln, um dos renomados presidente dos Estados Unidos, disse: "Creio que a bíblia é o melhor presente que Deus deu a humanidade". Leia a bíblia, ame sempre a palavra de Deus, e seja feliz. Amém!