segunda-feira, 25 de abril de 2016

SERMÕES QUE OS PREGADORES DEVEM EVITAR

Conjuro-te, pois, diante de Deus e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu Reino, que pregues a palavra... (2Tm.4.1,2).

Paulo estava intimando o seu discípulo amado, e passando para ele o bastão da responsabilidade. A recomendação de Paulo para o jovem pregador Timóteo foi para que ele pregasse a palavra, sempre.
Nos dias atuais nós temos percebido que há três tipos de pregadores: Há os pregam fora da palavra, há os que pregam sobre a palavra e há os que pregam a palavra. Este último é o correto, é o verdadeiro.

TIPOS DE SERMÕES:
Tradicionalmente encontramos, praticamente em todas as obras de homilética, três tipos básicos de sermões:

TEXTUAL.  

É aquele em que toda a argumentação está amarrada no texto principal, que será dividido em tópicos. No sermão textual as ideias principais são retiradas do próprio texto escolhido pelo pregador.

TEMÁTICO.

É aquele em que toda a argumentação está amarrada em um tema, divide-se o tema
e não o texto, o que permite a utilização de vários textos bíblicos.

EXPOSITIVO. 

É aquele que explora os argumentos principais da exegese, hermenêutica e faz uma exposição completa de um trecho mais ou menos extenso. O sermão expositivo é uma aulasobre o texto, uma análise pormenorizada e exploratória do texto sagrado. Este tipo de sermão requer do pregador um pouco mais de cultura teológica e condições de se aprofundar no contexto bíblico, normalmente com recursos da exegese e da hermenêutica. O sermão expositivo é o método mais difícil, normalmente utilizado por pregadores que se dedicam à leitura e ao estudo diário e contínuo da bíblia, tendo em vista que exige tempo de preparo e estudo do texto buscando sua melhor e mais fiel interpretação, o que envolve pesquisa arqueológica e histórica do contexto bíblico, bem como, comparação de textos, busca pelo significado bíblico das expressões do texto, etc. Contudo, o resultado é muito proveitoso, produzindo real cultura e conhecimento bíblico, contudo vale lembrar neste tipo de sermão também é fundamental a preocupação com a aplicabilidade deste conteúdo na realidade atual. Sua releitura para a sociedade e igreja de hoje, bem como para a vida de cada ouvinte. 

12 TIPOS DE SERMÕES QUE DEVEM SER EVITADOS: 

1) O “Sermão Infundado”: Quando o pregador deixa o texto mal entendido para congregação e prega um assunto sem fundamento, fora do texto.

2) O “Sermão Trampolim”: Quando o pregador ignora o texto e passa para outros, sem ter ligação nenhuma com o texto escolhido.

3) O “Sermão Mascarado”: Quando o pregador despreza a riqueza do texto doutrinário e explica de forma superficial. 

4) O “Sermão Salada”: Quando o pregador apenas menciona o texto bíblico e fala sobre vários assuntos.

5) O “Sermão Privado”: Quando o pregador aplica o texto somente para ele e não alcança o publico.

6) O “Sermão Hipócrita”: Quando o pregador não vive o que prega, aplica o texto para todos, menos à ele.

7) O “Sermão Desajustado”: Quando o pregador não consegue explicar o texto a ponto da congregação presente entender.

8) O “Sermão Irrelevante”: Quando o pregador aplica um texto a um publico diferente, que não tem nada a ver.

9) O “Sermão Sem Compaixão”: Quando o pregador aborda o texto só sobre o juízo, e não fala sobre a misericórdia.

10) O “Sermão Sem Poder”: Quando o pregador prega um bom sermão, mas não consegue atingir os corações dos ouvintes. 

11) O "Sermão Sem Bíblia" : Quando o pregador utiliza apenas o texto, cita muitas fontes extra bíblica, menos a bíblia.

12) O “Sermão Sem Cristo”: Quando o pregador consegue ver tudo no texto, menos Cristo, o Salvador.

Que possamos pregar a bíblia, a palavra de Deus, nas mais variadas formas e tipos de sermões, porém, de forma eficiente, aplicando sempre o texto com coerência, para não corrermos o risco de uma má interpretação, criando com isso uma heresia. 
Louvado seja Deus, pela vida dos pregadores. À Deus seja a glória. Amém!