domingo, 29 de janeiro de 2017

JEOVÁ RAFÁ, O SENHOR QUE CURA.

Se ouvires atento a voz do SENHOR, teu Deus, e fizeres o que é reto diante dos seus olhos, e inclinares os teus ouvidos aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, nenhuma das enfermidades porei sobre ti, que pus sobre os egípcios; porque eu sou o SENHOR, que te sara (Êxodo, 15.26).

No texto sagrado Deus se apresenta com vários nomes e títulos, entre os quais Ele é conhecido como JEOVÁ-RAFÁ, o Deus que sara. A primeira menção de cura está no livro de Gênesis, quando Abraão orou pelo rei Abimeleque. E orou Abraão a Deus, e sarou Deus a Abimeleque, e a sua mulher, e as suas servas, de maneira que tiveram filhos; porque o SENHOR havia fechado totalmente todas as madres da casa de Abimeleque, por causa de Sara, mulher de Abraão (Gn.20.17,18).
No livro do Êxodo, 15.26, Deus se apresenta para a nação de Israel como o SENHOR que sara.
No livro dos salmos está escrito que quando a nação de Israel saiu do Egito não havia entre eles um só enfermo. Mas, a eles, os fez sair com prata e ouro, e entre as suas tribos não houve um só enfermo (Sl.105.37). O profeta Isaías nos fala da vinda do Messias, que levaria todas as nossas enfermidades, e pelo seu sofrimento nós seríamos sarados. Verdadeiramente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e, pelas suas pisaduras, fomos sarados (Is.53.4,5). A morte redentora de Jesus, nos garante perdão, libertação e cura. Ele é o nosso médico Divino.

UM MUNDO DE PESSOAS ENFERMAS.

Nunca na história da humanidade temos visto tantas epidemias, moléstias e enfermidades que vem atingindo a população do planeta. Apesar de todo o desenvolvimento científico e tecnológico relacionados a área da medicina, estamos vendo milhões de vidas sendo ceifadas por vários tipos de doenças. Não desmerecendo a ciência da medicina, muito pelo contrário, dependemos dela e consideramos uma ciência de Deus. Porém, devemos crê e confiar em Deus, no SENHOR que cura, no Deus que vai além da medicina, que faz o impossível quando os recursos humanos se esgotam.
Eu sou uma testemunha viva do poder de Deus. Eu, José Geraldo Barbosa, natural de Recife, Pernambuco. No ano de 1979, quando tinha a idade entre 13 a 14 anos de idade, residindo na ocasião na cidade de Itambé, Pernambuco, após pular vários degraus, durante uma brincadeira com meus irmãos, cair de mal jeito e sem sentir no momento nada tão grave, já era um final de tarde, ao anoitecer, jantei e fui dormir. No dia seguinte, eu não conseguia ficar em pé; meus nervos relaxaram e eu não tinha firmeza. Meus pais perceberam a gravidade do problema e procuraram fazer com que eu me firmasse sobre os meus pés, mas não tinha como, o mal havia se instalado, e eu estava totalmente sem o controle das pernas e mãos. Não tinha firmeza nas mãos nem nos pés, as minhas mãos tremiam e eu não conseguia levar uma colher de alimento a boca, nem segurar um copo ou uma xícara de café. Não conseguia sentar e ficar fixo em uma cadeira, para fazer minhas necessidades fisiológicas precisava de ajuda para sentar na bacia sanitária. Todas as minhas faculdades mentais estavam normal, porém meus nervos estavam descontrolados. Fui levado aos médicos, após exames todos diagnosticaram um quadro irreversível, eles disseram para minha mãe: Para o seu filho não há cura, o problema é muito grave, ele está desenganado pela medicina. Minha mãe, uma mulher de fé, serva do SENHOR, fazia parte da comissão de visita aos enfermos, não aceitou as palavras dos médicos, mas acreditou que a última palavra é a de Deus. Ela foi em várias igrejas e pediu oração por mim, e fez um voto dizendo que quando Deus me curasse ela voltaria para agradecer e me levaria para que todos vissem o milagre que Deus havia operado. Dias, meses se passaram, até que, em uma certa tarde, não me lembro qual dia da semana, as irmãs da comissão de visita aos enfermos foram em nossa residência para me visitar e orar por mim. Como de costume, elas cantaram alguns hinos da harpa cristã, leram alguns versículos da bíblia, foi feita uma breve reflexão sobre o texto lido, e em seguida oraram a Deus pedindo a meu favor para que Ele me curasse daquele mal. Inexplicavelmente, naquela oração eu adormeci, lembro-me como se fosse hoje, eu adormeci estando deitado no sofar da sala. Após a oração as irmãs se despediram dos meus pais, porém teve uma das irmãs que ao se dirigir a minha mãe, falou: "Irmã Maria, creia tão somente, que Deus já fez a obra na vida do seu filho". Não deu outra, quando eu acordei, pulei do sofar sair correndo para cozinha pedindo comida, dizendo que estava com fome. Lembro-me bem, minha família fez a maior festa, minha mãe, meu pai, meus irmãos em número de dez começaram a festejar e todos riam e choravam de alegria. Glória Deus! Até o dia de hoje, nunca mais os meus nervos relaxaram, estou firme e forte, servindo e adorando ao SENHOR, com toda saúde que Ele me deu; sou casado, pai de três filhos e vivo muito feliz. Ele operou o milagre da cura em mim, Ele é o mesmo que opera hoje, amanhã e sempre. Porque para Deus, nada é impossível (Lucas, 1.37). É Ele que perdoa todas as tuas iniquidades e sara todas as tuas enfermidades; quem redime a tua vida da perdição e te coroa de benignidade e de misericórdia (Sl.103.3,4). Amém!

sábado, 28 de janeiro de 2017

TENHA SEUS PRÓPRIOS POÇOS

E todos os poços que os servos de seu pai tinham cavado nos dias de Abraão, seu pai, os filisteus entulharam e encheram de terra (Gn.26.15).
Isaque partiu, pois, de lá e acampou no vale de Gerar, onde se estabeleceu.
E tornou Isaque a abrir os poços que se cavaram nos dias de seu pai Abraão, e que os filisteus tinham entulhado depois da morte de Abraão, e lhes deu os mesmos nomes que seu pai lhes dera.  
Os servos de Isaque cavaram no vale e encontraram lá um poço de águas vivas.  
Todavia, os pastores de Gerar discutiram com os pastores de Isaque, argumentando: “A água é nossa!” Por esse motivo Isaque chamou esse poço de Eseque, “Discussão”, porquanto contenderam por causa dele. Então seus servos cavaram outro poço, mas eles também por causa desse se desentenderam; e, por isso, o chamou Sitna, “Inimizade”. Isaque mudou-se dali e construiu um outro poço, e ninguém discutiu por causa desse. Deu-lhe, portanto, o nome de Reobote, “Lugar Espaçoso”. E acrescentou: “Agora o SENHOR nos abriu um bom espaço e prosperaremos na terra!”(Gn.26.17-22).

É cômodo, é fácil encontrar as coisas prontas. Difícil é ter que se esforçar para obter resultados com os nossos próprios esforços. Os pastores de Gerar se apossavam dos poços que Isaque mandava seus servos cavarem, e ainda discutiam com eles, achando que tinham direito. Tem pessoas assim, que querem usufruir  dos esforços dos outros, querem viver da experiência dos outros. Na verdade, cada um de nós temos que viver dos nossos próprios esforços e experiências. A prosperidade é para todos, depende de cada um se esforçar para cavar os seus próprios poços. 

TRÊS TIPOS DE POÇOS:

1. ESEQUE. Poço da contenda, da discussão. 

E tornou Isaque a abrir os poços que se cavaram nos dias de seu pai Abraão, e que os filisteus tinham entulhado depois da morte de Abraão, e lhes deu os mesmos nomes que seu pai lhes dera.  
Os servos de Isaque cavaram no vale e encontraram lá um poço de águas vivas.  
Todavia, os pastores de Gerar discutiram com os pastores de Isaque, argumentando: “A água é nossa!” Por esse motivo Isaque chamou esse poço de Eseque, “Discussão”, porquanto contenderam por causa dele (Gn.26.18-20). 
Não adianta contender, discutir e ter inveja daquele que Deus faz prosperar. Os filisteus haviam entulhado o poço que pertencia a Abraão, Isaque foi tirou os entulhos, tornou a cavar e encontrou águas vivas. Quando isso aconteceu, os pastores de Gerar vieram e disseram: “A água é nossa!”
Isaque era um homem de paz, não alimentou a confusão, foi mais adiante e cavou outro poço. 
Quem tem a bênção de Deus, não perde seu tempo discutindo, porque Deus já tem preparado coisas maiores e melhores para ele. 

2. SITNA. Poço da inimizade.

Então seus servos cavaram outro poço, mas eles também por causa desse se desentenderam; e, por isso, o chamou Sitna, “Inimizade” (Gn.26.21).
A prosperidade de Isaque causava inveja e inimizade por parte dos filisteus e dos pastores de Gerar. Mas, não adianta ter inveja daquele que tem a bênção de Deus, porque onde ele chegar a bênção de Deus lhe acompanha. 

3. REOBOTE. Poço do alargamento, da prosperidade.

Isaque mudou-se dali e cavou outro poço, e ninguém discutiu por causa desse. Deu-lhe, portanto, o nome de Reobote, “Lugar Espaçoso”. E acrescentou: “Agora o SENHOR nos abriu um bom espaço e prosperaremos na terra!”(Gn.26.22). 
Por duas vezes os pastores de Gerar e os filisteus se apossaram dos poços que Isaque cavara. Porém, Deus lhe fez prosperar em meio as invejas e perseguições. Deus sempre tem o melhor para nós, não será as invejas nem as perseguições que irão impedir as bênçãos de Deus na nossa vida. 

CONCLUSÃO:
Nunca queira se apossar daquilo que não é seu, daquilo que Deus não lhe deu. Viva sua própria experiência, cave seus próprios poços e goze da sua própria bênção que Deus lhe deu e fez prosperar. Amém! 

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

EL-Roí, O DEUS QUE VÊ

Contudo, o Anjo do SENHOR encontrou Hagar perto de uma fonte no deserto, no caminho de Sur, e indagou-lhe: “Hagar, serva de Sarai, de onde vens e para onde vais?” Ao que ela declarou: “Fujo da presença de minha senhora Sarai”. Então o Anjo do SENHOR orientou-a: “Volta para a tua senhora e sê-lhe submissa!” O Anjo do SENHOR lhe prometeu: “Eu multiplicarei grandemente a tua descendência, de tal maneira que não será possível contá-la!”
E o Anjo do SENHOR concluiu: “Estás grávida e darás à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Ismael, porquanto o SENHOR te socorreu em teu sofrimento.
Contudo ele será como um jumento selvagem do deserto; ele lutará contra todos e todos guerrearão contra ele. Ele viverá em hostilidade contra todos os seus parentes!”
E ela chamou o nome do SENHOR, que com ele falava: “Tu és El-Roí, o Deus que Me Vê”, pois Deus havia falado com ela, e ela questionara a si mesma: “Teria eu visto Aquele que Me Vê?” É por esse motivo que este poço, que fica entre Cades e Berede, foi chamado de Beer-Laai-Roí, “Poço Daquele que Vive e Me Vê” (Gênesis, 16.7-14). 

Os acontecimentos deste capítulo mostram claramente  que escolhas erradas geram problemas persistentes. O erro de Abraão em aceitar a proposta de Sarai, sua esposa, gerou conflitos entre ele e Sarai (16.5; 21.8-21; 25.6), entre Sarai e Agar (16.5,6) e entre os filhos, Isaque e Ismael, e seus descendentes (21.8-10). 

HÁ QUATRO FATOS QUE OCORRERAM NESTE CAPÍTULO 16 DE GÊNESIS.

1. A PRECIPITAÇÃO DE SARAI.

Apesar de Sarai saber da promessa que Deus havia feito a Abraão, e que para ela seria impossível gerar filhos, pois já estava com 75 anos e já lhe havia cessado o costume das mulheres (18.11), ou seja, havia passado da idade de ter filhos. Sarai atribui sua esterilidade ao SENHOR, dizendo: Eis que o SENHOR me tem impedido de gerar (16.2a). Como qualquer outra mulher (com algumas possíveis exceções em tempos modernos), Sarai desejava ter uma família e, portanto, elaborou um plano para obtê-la. Disse a Abraão: Toma, pois, a minha serva, e assim me edificarei com filhos por meio dela (16.2b). Naquela época, essa prática era socialmente aceitável, como ainda é em algumas partes da África até hoje. Os filhos nascidos da serva eram considerados filhos de sua senhora. 
A falta de fé na promessa de Deus, levou Sarai a se precipitar, tentando ajudar a Deus com os seus planos.

2. O ERRO DE ABRAÃO.

Abrão, ou Abraão, por sua vez, provavelmente estava ficando desesperado. Havia obedecido a Deus e se mudado para Canaã, onde já habitava há dez anos (16.3). Mas Sarai continuava estéril, e onde ficava a promessa do SENHOR: "De ti farei uma grande nação" (12.2a). Parecia impossível. Abraão havia considerado adotar seu servo Eliézer, mas o SENHOR não aprovou esta ideia (15.2-4) e insistiu em que o herdeiro viria do corpo de Abraão. No entanto, naquela ocasião Deus não mencionou o nome de Sarai, de modo que Abraão decidiu tentar outro caminho e concordou com a proposta de sua esposa (16.2). Abraão cometeu o mesmo erro que Adão ao seguir o conselho de esposa, em vez de ouvir a Deus. Deveria ter buscado, antes de tudo, a aprovação de Deus. Ao deixar de sujeitar seu plano ao SENHOR, ele falhou em aceitar a proposta de Sarai, sua esposa. Quando passamos a não confiar nas promessas de Deus e procuramos buscar atalhos para nos favorecer, a nossa vida entra em confusão e consequentemente teremos muitas perturbações.

3. O SOFRIMENTO DE AGAR. 

Sarai tomou a Agar e deu-a por mulher a Abraão, seu marido (16.3b). Abraão coabitou com Agar e ela engravidou (16.4). Para Agar, sua fertilidade a havia colocado em posição de vantagem sobre a sua senhora, e foi sua senhora por ela desprezada. Então Sarai, que tinha oferecido Agar a Abraão, voltou-se contra ele e o responsabilizou pela atitude da serva (16.5). Se Sarai imaginou que Abraão estava favorecendo Agar, Abraão afirma indiretamente que ele está enganada, e diz: A tua serva está em tuas mãos, procede segundo melhor te parecer (16.6). Então Sarai começou a maltratar Agar até que essa pobre mulher fugiu de sua presença. O autor não diz para onde ele se dirigiu, mas, pelo fato de ser egípcia (16.1), talvez estivesse tentando voltar para sua terra natal. Como o autor deixa claro, a fonte junto a qual o anjo do SENHOR a encontrou ficava no caminho se Sur (16.7), de modo que ela estava indo naquela direção. 

4. A INTERVENÇÃO DO ANJO DO SENHOR. 

Agar saiu caminhando no deserto em meio aos perigos, estando grávida, achando-se debilitada e com sede, ela encontra uma fonte de água. Quando ela está saciando a sua sede, o anjo do SENHOR, lhe apareceu e lhe perguntou: De onde vens e para onde vais? O anjo sabe a resposta, mas deseja levar a própria Agar a refletir sobre a questão. Ao que ela responde: Venho fugida da face de Sarai, minha senhora. A raiz do problema estava na incapacidade de Agar se sujeitar a Sarai depois de descobrir que estava grávida. O anjo do SENHOR não condenou Agar; mas disse para ela voltar para sua senhora e se humilhar, sujeitando-se a ela (16.9). Em seguida, lhe deu uma promessa, que ela teria uma descendência muito numerosa, que não seria contada (16.10). Também lhe disse que seu filho seria um menino, cujo nome seria Ismael, que significa "Deus ouve", lembrando a Agar que Deus havia ouvido o seu clamor (16.11). O anjo lhe informou ainda sobre o caráter do seu filho na idade adulta (16.12); ele seria como um jumento selvagem, cuja mão seria contra todos, e a mão de todos contra ele. Ele não aceitaria uma posição subserviente; antes, viveria fronteiro, ou em hostilidade a todos os seus irmãos. Essa profecia se cumpriu, pois Ismael é o pai de todos os árabes, enquanto os judeus são descendentes de seu meio-irmão, Isaque. O conflito entre esses irmãos se estende ao longo dos séculos e continua até os dias de hoje. 
Em resposta a esse encontro pessoal com Deus, Agar se dirigiu ao SENHOR como Deus que vê, dizendo: Tu és Deus de vista. Não olhei eu também para aquele que me vê? (16.13).

CONCLUSÃO: 
EL-Roí é um dos nomes de Deus, que significa: Deus que vê. 
Deus viu a precipitação de Sarai.
Deus viu a imprudência de Abraão.
Deus viu o sofrimento de Agar.
Deus está vendo o seu sofrimento.
Deus está contemplando a luta que você está passando.
Deus vê quando você é humilhado (a).
Deus está vendo quando você se humilha diante Dele.
Deus está vendo as tuas lágrimas e ouvindo a sua oração, Ele disse a Isaías: Vai e diz a Ezequias: Assim diz o SENHOR, o Deus de Davi, teu pai: Ouvi a tua oração e vi as tuas lágrimas; eis que acrescentarei aos teus dias quinze anos (Is.38.5).
Deus está vendo tudo, Ele vai agir a teu favor e a vitória será certa. Amém! 

domingo, 15 de janeiro de 2017

O deus Deste Século

Mas, se ainda o nosso evangelho está encoberto, para os que se perdem está encoberto, nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus (II Coríntios, 4.3,4).

Nunca na história vimos tantas pessoas enveredando pelo caminho do ceticismo, se tornando incrédulas e descrentes de Deus. Paulo declara que o deus deste século cegou a mente das pessoas para que elas não recebam a luz do evangelho e não entendam o plano da salvação.
Satanás, segundo a bíblia é o deus deste mundo, por duas vezes Jesus se refere a ele como o príncipe deste mundo (João, 14.30; 16.11), Jesus também o chama de homicida e pai da mentira (João, 8.44). Satanás é o rei das ilusões, ele teve a ousadia de tentar iludir Jesus com suas propostas indecentes, mas Jesus não aceitou (Lucas, 4.5-8). Ele controla e domina todas as pessoas que aceitam as suas ofertas e abraçam as suas propostas. A grande estratégia de Satanás é incutir na mente das pessoas a ideia que ele não existe. Muitas pessoas estão servindo e sendo servidas por satanás, diretamente, de forma consciente, ou indiretamente, de forma inconsciente. O grande flagelo da humanidade é a cegueira espiritual. Outra grande artimanha de satanás é enganar as pessoas com falsas religiões, muitos acreditam que estão servido ao Deus verdadeiro, mas estão cegas, sendo enganadas por satanás. Quando o apóstolo Paulo escreveu aos romanos, no primeiro século da era cristã, ele descreveu um quadro de total depravação e cegueira espiritual do mundo de sua época. 
Portanto, a ira de Deus é revelada dos céus contra toda impiedade e injustiça dos homens que suprimem a verdade pela injustiça humana, pois o que de Deus se pode conhecer é evidente entre eles, porque o próprio Deus lhes manifestou.  
Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido observados claramente, podendo ser compreendidos por intermédio de tudo o que foi criado, de maneira que tais pessoas são indesculpáveis; porquanto, mesmo havendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe renderam graças; ao contrário, seus pensamentos passaram a ser levianos, imprudentes, e o coração insensato deles tornou-se em trevas.  
E, proclamando-se a si mesmos como sábios, perderam completamente o bom senso e trocaram a glória do Deus imortal por imagens confeccionadas conforme a semelhança do ser humano mortal, bem como de pássaros, quadrúpedes e répteis.
Por esse motivo, Deus entregou tais pessoas à impureza sexual, segundo as vontades pecaminosas do seu coração, para degradação de seus próprios corpos entre si.  
Porquanto trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram objetos e seres criados, em lugar do Criador, que é bendito para sempre. Amém!
E, por essa razão, Deus os entregou a paixões vergonhosas. Até suas mulheres trocaram suas relações sexuais naturais por outras, contrárias à natureza.  
De igual modo, os homens também abandonaram as relações sexuais naturais com suas mulheres e se inflamaram de desejo sensual uns pelos outros. 
Deram, então, início a sucessão de atos indecentes, homens com homens, e, por isso, receberam em si mesmos o castigo que a sua perversão requereu.
Além do mais, considerando que desprezaram o conhecimento de Deus, Ele mesmo os entregou aos ardis de suas próprias mentes depravadas, que os conduz a praticar tudo o que é reprovável.  
Então, tornaram-se cheios de toda espécie de injustiça, maldade, ganância e depravação. 
Estão empanturrados de inveja, homicídio, rivalidades, engano e malícia. 
São bisbilhoteiros, caluniadores, inimigos de Deus, insolentes, arrogantes e presunçosos; vivem criando maneiras de praticar o mal; desobedecem a seus pais; são insensatos, desleais, sem amor e respeito à família, sem qualquer misericórdia para com o próximo.  
E, apesar de conhecerem a justa Lei de Deus, que declara dignos de morte todas as pessoas que praticam tais atos, não somente os continuam fazendo, mas ainda aprovam e defendem aqueles que também assim procedem. (Romanos, 1.18-32).  

É fato que a ação de satanás tem crescido durante séculos, hoje, em pleno século XXI estamos vendo que a cegueira espiritual das pessoas vem aumentando. Muito estão cegos espiritualmente, são incrédulos em relação as coisas de Deus, e só acreditam no que vê. 
Estamos vendo acontecerem simultaneamente muitos sinais, nesse tempo, na nossa era, na nossa geração. É tempo de arrependimento, é tempo de volta-se para Deus e permitir que Ele retire esta cegueira espiritual, para que resplandeça a luz do evangelho de Cristo. O arrependimento não é para amanhã, é para agora, converta-se a Cristo Jesus, só Ele tem o perdão de pecados e salvação. Não há outro deus ou caminhos a escolher a não ser Jesus Cristo o Filho de Deus. Amém!

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

ROSA DE SAROM, E LÍRIO DOS VALES

Eu sou a rosa de Sarom, o lírio dos vales (Cantares, 2.1).

O livro de Cantares de Salomão é repleto de linguagem simbólica. As vezes difícil para se entender. Uma coisa é verdadeiramente revelada pelo livro: O amor de Cristo por sua igreja, e o amor da igreja por Cristo. sem estas verdades o livro torna-se sem significado e sem utilidade na Bíblia. É difícil saber quem está elogiando quem pelo livro, e em muitas passagens pode ser tanto um quanto o outro. Veremos como Cristo é uma Rosa e um Lírio.

Sarom é um lugar entre as montanhas da Palestina e do Mar Mediterrâneo que mostra a sua beleza e superioridade entre todas as flores que florescem em tais lugares verdes.
Rosa de Sarom - Cristo é uma rosa rosada, fragrante e especial, pois Ele é comparado a uma rosa entre muitas outras, a de Sarom.
Presente no jardim - mostrando a sua humanidade. Cristo é o mais excelente entre outros, pois está entre outros e veio como homem para viver entre os homens com a finalidade de conhecer os espinhos da vida. Assim como uma rosa que cresce entre o adubo orgânico produz uma flor mais fragrante, Cristo entre os pecadores foi feito pecado diante de Deus para que fosse o Salvador que satisfaz um Deus justo e santo, assim deu um doce aroma pela eternidade a aqueles que vêm a Deus por Ele (Hebreus, 7.25).

CRISTO COMO ROSA DE SAROM.

Assim como a flor, Cristo tem:

Beleza - A beleza de Cristo é a sua glória que reflete sobre o cristão e vai lhe transformando de glória em glória. Mas todos nós, com cara descoberta, refletindo, como um espelho, a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória, na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor (II Co.3.18).

Fragrância - Temos o bom cheiro de Cristo.
Porque para Deus somos o bom cheiro de Cristo... (II Co.2.15).
Cristo produz no crente a fragrância do amor e obras agradáveis em um mundo de corrupção e destruição.

Sensibilidade - Cristo é meigo.
... Aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para a vossa alma (Mt.11.29).
Eis o meu Servo, que escolhi, o meu amado, em quem tenho alegria. Farei repousar sobre Ele o meu Espírito, e Ele anunciará justiça às nações.
Não contenderá nem gritará; nem se ouvirá nas ruas a sua voz.
Não esmagará a cana rachada, nem apagará o pavio que fumega, até que faça vencer a justiça.
E em seu Nome os gentios colocarão sua esperança (Mt.12.18-21).

Frutificação - Frutífera. Assim como a função da flor é produzir a semente e o fruto, o crente é fruto de Cristo e um fruto delicioso (Jo.15.1-5,16).

CRISTO COMO LÍRIO DOS VALES.

Cristo como lírio dos vales está no vale da sua aflição para lhe socorrer, Ele é o destaque entre muitos que você pode visualizar e ter esperança que Ele vai lhe ajudar.

Características do lírio:

Branco - O meu amado é cândido e rubicundo; ele traz a bandeira entre dez mil (Ct.5.10).
O branco representa Cristo mostrando a sua Divindade, pureza e justiça (Sal 85:11; Apoc 1:13-18).

Superioridade - Destaque.
Lírio dos Vales - Representa Cristo mostrando a Sua superioridade entre os anjos e os homens (Heb 1:2-4). Em Cristo nós temos destaque e somos superiores, pois fomos abençoados com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais (Ef.1.2). 

Estabilidade - Firmeza.
Nos vales, mesmo havendo maior umidade para a planta crescer, também há mais perigos de animais e de homens, Cristo vence a todos. Em meio a perseguição, aflição, trevas e perigos, Cristo é a nossa firmeza que nos garante a estabilidade e paz (Is.33.6; 26.3,4). Em Cristo somos "absolvidos da iniquidade" (Is.33.24).

Alegria - Gozo.
Assim como as flores trazem um ar de felicidade ao lugar onde estão presentes, também na presença de Cristo somos contagiados pela alegria (Sal 16:11). Em Cristo nos regozijamos (Fp.4.4) e a sua palavra nos traz gozo e alegria (Jr. 15:16).

CONCLUSÃO:
Cristo é comparado a uma flor, mas não uma flor qualquer. Ele é a rosa de Sarom e o lírio das vales. O primeiro entre dez mil (Cantares 5:10). Estas são algumas das maneiras pelas quais Cristo é a Rosa de Sarom e o Lírio dos Vales. Você têm visto a beleza da Sua santidade? Têm experimentado o gozo e a alegria que vêm da justiça de Cristo? Esta Flor em ti está produzindo perfume e fruto? Ou você precisa ser adubado com a mão sabia do Lavrador para que dê mais fruto (João 15.1,2)?
Ele é superior a todos os outros prazeres que o mundo oferece a você.
Que Cristo possa ser precioso para você ao ponto que Ele também seja apreciado pelos outros ao seu redor. Amém! 

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

DEUS QUE SE FEZ HOMEM

De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus. Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou soberanamente e lhe deu um nome que é sobre todo o nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai (Filipenses, 2.5-11).

Deus descer ao nível da humanidade e se fazer homem, é a maior lição e prova do seu amor para com a humanidade. Na visão humana geralmente as pessoas não querem descer, querem subir, crescer, ser exaltada; nunca descer, nunca diminuir, nunca se humilhar. Jesus teve o maior sentimento de amor e humildade já demonstrado em toda história da humanidade, Ele sendo Deus vestiu-se da roupagem humana, desceu do seu trono de glória e viveu entre os homens. Ele não veio como um grande imperador, como um grande monarca, ou como um renomado magnata. Mas, Ele veio simples, humilde e sem nenhum status que lhe destacasse, Ele veio como servo. A sua intenção foi sentir as mesmas necessidades e limitações humanas, foi socorrer a humanidade perdida, pobre e desvalida. O seu nome foi profetizado pelo profeta Isaías, setecentos anos antes de Ele vir e nascer de uma virgem. Portanto, o mesmo Senhor vos dará um sinal; eis que uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome Emanuel (Is.7.14). Emanuel, significa Deus conosco, ou seja, Deus dentro do barro. Ele desceu e tomou forma humana, para nos salvar e nos fazer subir ao céu de glória.

JESUS DESCEU, PARA DEPOIS SUBIR.

1. DESCEU DO SEU TRONO DE GLÓRIA.
No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o verbo era Deus.
E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade (João, 1.1,14). 

2. DESCEU AO NÍVEL HUMANO.
E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo (Fp.2.8a). 

3. DESCEU TOMANDO A FORMA DE SERVO.
Que sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus. Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens (Fp.2.6,7).

4. DESCEU HUMILHANDO-SE ATÉ À MORTE E MORTE DE CRUZ.
e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz (Fp.2.8).

A SUBIDA DE JESUS.
Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para cumprir todas as coisas (Ef.4.10).

1. EXALTADO COMO SOBERANO.
Pelo que também Deus o exaltou soberanamente (Fp.2.9a).
E de Jesus Cristo, que é a Testemunha fiel, o Primogênito dentre os mortos e o Soberano dos reis da terra (Ap.1.5). 

2. EXALTADO ACIMA DE TODO O NOME.
E lhe deu um nome que é sobre todo o nome (Fp.2.9b).
... Que manifestou em Cristo, ressuscitando-o dos mortos e pondo-o à sua direita nos céus, acima de todo principado, e domínio, e de todo nome que se nomeia, não só neste século, mas também no vindouro (Ef.1.20,21).

3. EXALTADO NOS CÉUS, NA TERRA, E DEBAIXO DA TERRA.
Para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra (Fp.2.10).
E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É me dado todo o poder no céu e na terra (Mt.28.18).

4. EXALTADO COMO SENHOR SOBRE TODOS.
E toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai (Fp.2.11).
Em seu manto, sobre a coxa, traz escrito este nome: REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES (Ap.19.16).

CONCLUSÃO:
A humilhação de Jesus foi um marco na história da humanidade. Ele desceu para que nós pudéssemos subir. 
O escritor e apologista cristão britânico, C. S. Lewis, disse: "O Filho de Deus tornou-se homem para possibilitar que os homens se tornem filhos de Deus".   

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

TRÊS ATITUDES DE UM VENCEDOR

É melhor confiar no SENHOR do que confiar no homem.
É melhor confiar no SENHOR do que confiar nos príncipes.
Todas as nações me cercaram, mas no nome do SENHOR as despedacei.
Cercaram-me e tornaram a cercar-me; mas no nome do SENHOR eu as despedacei.
Cercaram-me como abelhas, mas apagaram-se como fogo de espinhos; pois no nome do SENHOR as despedacei (Salmos, 118.8-12).

Davi, um guerreiro vencedor, com um histórico de campeão, respeitado na nação de Israel e temido pelos seus adversários. Ele enfrentou o campeão dos filisteus, um homem chamado Golias, um grande guerreiro, ele era de uma cidade chamada Gate. Ele media dois metros e noventa e cinco centímetros de altura. Ele usava um capacete de bronze e vestia uma couraça de escamas de bronze que pesava sessenta quilos, e trazia as pernas protegidas por caneleiras de bronze e carregava nos ombros uma espécie de escudo de bronze com dardo por sobre as costas. A haste de sua lança era semelhante a uma lançadeira de tecelão, e sua ponta de ferro pesava sete quilos e duzentos gramas. 
Na visão humana era impossível Davi vencer o gigante Golias, Davi estava em total desvantagem. Altura de Davi, um metro e sessenta e cinco centímetros. As armas de Davi: Um cajado de pastor, cinco pedrinhas e uma funda (atiradeira). Porém, ele confiou no SENHOR, e acreditou que o SENHOR pelejaria por ele. Ele disse para Golias: Tu vens a mim com espada, e com lanças, e com escudo; porém eu vou a ti em nome do SENHOR dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens afrontado (I Sm.17.45).
Golias desafiou o exército de Saul, rei de Israel, durante quarenta dias, e ninguém se dispôs a luta contra ele. Ele gritava e dizia: Aparece um homem para lutar contra mim. Deus ironizou, mandou um menino. 
Davi antes de enfrentar o Gigante Golias tomou três atitudes: Teve coragem, usou suas próprias armas, confiou no SENHOR. 

1. DAVI TEVE CORAGEM.

E Davi disse a Saul: Não desfaleça o coração de ninguém por causa dele; teu servo irá e pelejará contra este filisteu (I Sm.17.32).
Golias era o terror para o exército de Israel, fugiu a força e a coragem dos soldados, dos homens de guerra. Durante quarenta dias, pela manhã e à tarde, Golias vinha e desafiava o exército de Israel, e ninguém se prontificava a lutar contra ele (I Sm.17.16). Até que o jovem da Davi, que não fazia parte do exército de Saul, sem nenhuma experiência de guerra, mas cheio de fé e coragem, se dispõe a lutar contra Golias.
Os medrosos voltam, os covardes desistem, os tímidos ficam desanimados, mas só os corajosos avançam rumo à vitória. 

2. DAVI USOU SUAS PRÓPRIAS ARMAS.

Saul vestiu Davi com sua própria túnica de combate, colocou-lhe uma armadura e lhe pôs um capacete de bronze na cabeça. Davi prendeu sua espada sobre a túnica e se esforçou para andar, porquanto não estava treinado a usar todo aquele paramento militar. Então, declarou a Saul: “Não posso me locomover com tudo isto, porque não estou acostumado!” E, imediatamente, desembaraçou-se de toda aquela armadura. Em seguida, Davi tomou na mão o seu cajado, escolheu no riacho cinco pedras bem lisas e as colocou no seu bornal de pastor, isto é, numa espécie de sacola. Pegou sua atiradeira e partiu ao encontro do filisteu (I Sm.17.38-40).
Confie em Deus, não nas armas de guerra, Ele quer lhe usar com a espada do Espírito, que é a palavra Deus (Efésios, 6.17). Vá na sua simplicidade e use as armas que Deus lhe deu.

3. DAVI CONFIOU NO SENHOR.

Neste mesmo momento, o filisteu, com seu escudeiro à frente, vinha se aproximando na direção de Davi. Golias parou e olhou bem para Davi, e começou a caçoar porquanto seu oponente não passava de um jovenzinho, ruivo, bronzeado e de boa aparência. Então esbravejou Golias a Davi: “Sou por acaso um cão, para que venhas ter comigo com um pedaço de madeira?”, e o filisteu amaldiçoou Davi pelos seus deuses. Disse mais o filisteu a Davi: “Vem cá, e darei a tua carne às aves do céu e às feras do campo!” Contudo Davi retrucou ao filisteu: “Tu vens contra mim com espada, lança e escudo pontiagudo; eu, no entanto, venho a ti em Nome do SENHOR dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel que desafiaste! Hoje mesmo, o SENHOR te entregará em minhas mãos, eu te ferirei e te deceparei a cabeça, e darei o teu corpo e os cadáveres do teu exército filisteu às aves do céu e aos animais selvagens. Toda a terra saberá que há Deus em Israel, e toda esta multidão aqui reunida conhecerá que não é pela espada nem pela lança que o SENHOR concede a vitória, porque do SENHOR é a guerra, e Ele vos entregará em nossas mãos!” (I Sm.17.41-47). Confie no SENHOR como fez Davi, vá à luta, e Deus vai honrar a sua fé.

CONCLUSÃO:
Durante a nossa caminhada como cristão, nós enfrentamos muitas lutas e nos deparamos com muitos gigantes, sejam eles de ordem financeira, familiar, social, psicológica ou espiritual. Gigantes causam espanto e nos deixa apavorados, mas devemos fazer como Davi, que usou a fé e considerou que maior é o que está conosco do que qualquer gigante que venha para querer nos intimidar. 
Não tenha medo, nem desanime diante das circunstâncias, os problemas podem até se agigantar diante de você, mas busque força em Deus, use a fé, e os gigantes (problemas) cairão por terra, em nome do Senhor Jesus Cristo. Amém!

sábado, 7 de janeiro de 2017

ICABODE OU EBENÉZER, QUAL A SUA ESCOLHA?

E chamou ao menino Icabode, dizendo: De Israel se foi a glória! Porque a arca de Deus foi tomada ... E disse: De Israel a glória é levada presa; pois é tomada a arca de Deus (I Samuel, 4.21,22).
Então tomou Samuel uma pedra, e a pôs entre Mispá e Sem, e chamou o nome dela Ebenézer; e disse: Até aqui nos ajudou o SENHOR (I Samuel, 7.12).

ICABODE _ Icabode ou Icabô, foi o nome do neto de Eli, pois estando a sua nora gravida, prestes a dá a luz, ao saber as notícias, de que a arca de Deus foi tomada, e de que seu sogro e seu marido morreram, as dores lhe sobrevieram, e ela deu à luz um filho, e chamou ao menino Icabode, pois dizia: De Israel se foi a glória.
EBENÉZER _ No final da batalha contra os filisteus, os filhos de Israel foram vitoriosos. Então Samuel tomou uma pedra e colocou como marco e chamou de Ebenézer, que significa pedra de ajuda. Essa pedra representa JESUS, nossa Rocha inabalável.  

A nação de Israel era imbatível diante dos seus inimigos, porque a presença de Deus era com eles. Quando acontecia ao contrario eles eram derrotados e dominados pelos inimigos.
A nação de Israel estava vivendo uma época de grande decadência espiritual, o sacerdote Eli era um sacerdote fraco, um homem com idade já avançada e havia perdido a autoridade para os seus filhos, ele não os repreendia. Os filhos de Eli eram filhos de Belial, porque eram maus, e praticavam todo tipo de sacrilégios (I Sm.2.12-17). Serviam no tabernáculo, mas não conheciam ao SENHOR, intimo e pessoal. Eles se ajuntavam na porta da tenda com mulheres e ali se deitavam com elas, Eli, já não tinha autoridade para repreender seus filhos (I Sm.2.22).
Com a falta de autoridade do sacerdote Eli e os pecados dos seus filhos, a nação de Israel perdeu o referencial e deixou de obedecer ao SENHOR, passou a adorar outros deuses, e a anarquia espiritual foi instalada. Por causa dos pecados da nação de Israel, Deus permitiu que os filisteus vencessem a batalha e levassem a arca da aliança. O exército de Israel teve uma perda de trinta mil homens, que foram mortos, a arca foi tomada e a glória de Israel foi perdida.

A GLÓRIA DE ISRAEL FOI PERDIDA POR TRÊS MOTIVOS:

1. UM MINISTRO (sacerdote) FALIDO E SEM AUTORIDADE.

Eli era um ministro que tolerava os pecados dos seus filhos, não os repreendia. Quando um ministro de Deus chega a esse ponto, o seu ministério tende a fracassar e perder a presença de Deus.
Deus repreende e reprova Eli através de um profeta: Então chegando um homem de Deus à cidade foi falar com Eli e profetizou: “Assim diz o SENHOR: ‘Porventura não me revelei claramente à família de teu pai, quando eles ainda estavam no Egito, sob o domínio do faraó? Eu o escolhi dentre todas as tribos de Israel para ser o meu sacerdote entre o povo, para ministrar no meu altar, para queimar o meu incenso e para trazer o colete sacerdotal diante de mim sem mácula; e concedi todas as ofertas queimadas dos israelitas à família de teu pai. Ora, por qual motivo então pisais e zombais do meu sacrifício e da minha oferta, que ordenei expressamente fossem celebradas na minha Habitação? Por que honras teus filhos mais do que a minha pessoa, permitindo-os engordar como glutões com as melhores partes de todas as ofertas feitas por Israel, o meu povo?’ Portanto, o Deus de Israel, declara solenemente: ‘Prometi à tua família e à linhagem de teu pai, que ministrariam diante de mim para sempre’ Entretanto, agora o SENHOR declara: ‘Longe de mim tal propósito! Ora, honrarei aqueles que me oferecem honra, mas aqueles que me desprezam, igualmente serão tratados com desprezo! (I Samuel, 2.27-30).

2. ANARQUIA E FALTA DE TEMOR NO MINISTÉRIO.

A falta de respeito e reverencia dos filhos de Eli, Hofni e Fineias era extremamente grande, eles agiam sem temor e fazia anarquias com as coisas sagradas. Eram filhos de Belial, não conheciam ao SENHOR, tomavam a força e comiam da carne do sacrifício, além de se deitarem com as mulheres, na porta da tenda da congregação. Quando um ministério entra em desordem a tendência é perder a glória de Deus, e ficar fora da sua presença.  

3. O POVO ENTRA NO CAMINHO DA IDOLATRIA E DESOBEDECE A DEUS.

Quando o povo procura um referencial, um paradigma a ser seguido e não encontra, a tendência é entrar no caminho da desobediência e abandonar a Lei de Deus. Foi exatamente isto que aconteceu a nação de Israel naquela época. Vinte anos depois do Icabode (da glória perdida), o profeta Samuel chama o povo ao arrependimento, os repreende, e o povo se arrepende e renova a aliança com Deus.

QUATRO ATITUDES PARA SAIR DE ICABODE E VIVER O EBENÉZER DE DEUS:

1. CONVERTE-SE AO SENHOR.
Então falou Samuel a toda a casa de Israel, dizendo: Se com todo o vosso coração vos converterdes ao SENHOR... (I Sm.7.3).

2. AFASTAR-SE DA IDOLATRIA.
Disse Samuel ao povo: Tirai dentre vós os deuses estranhos... (I Sm.7.3).

3. PREPARAR O CORAÇÃO PARA SERVIR AO SENHOR.
Disse Samuel: Preparai o vosso coração ao SENHOR, e servi a ele só... (I Sm.7.3).

4. CONFESSAR OS PECADOS.
Disse mais Samuel: Congregai a todo o Israel em Mizpá; e orarei por vós ao SENHOR.
E congregaram em Mizpá, e tiraram água, e a derramaram perante o SENHOR, e jejuaram aquele dia, e disseram ali: Pecamos contra o SENHOR (I Sm.7.5,6).

CONCLUSÃO:
Icabode, nunca mais. Viver Icabode é viver separado de Deus e sem a sua presença (glória).
Que possamos viver o Ebenézer de Deus e prosseguir rumo a vitória. Amém!

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

IGREJAS DO JEITO QUE O MUNDO GOSTA

Porquanto, chegará o tempo em que não suportarão o santo ensino; ao contrário, sentindo coceira nos ouvidos, reunirão mestres para si mesmos, de acordo com suas próprias vontades. Tais pessoas se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos (II Timóteo, 4.3,4).

Paulo antevê por uma visão do Espírito, que chegaria um tempo em que muitos cristãos iriam perder o apetite espiritual pela palavra de Deus, e não mais iriam suportar a sã doutrina. Como resultado desde esfriamento e falta de apetite pela palavra, eles iriam contratar mestres para falarem de acordo com os seus desejos, ou seja, falar o que eles querem ouvir, e não o que precisam. 

O grande desafio a ser vencido pela igreja hoje é o avanço da ciência e tecnologia. No sentido que, as novidades do mundo pós-moderno tem ocupado maior espaço de tempo na vida dos cristãos. Muitas igrejas estão seguindo as tradições e a cultura do mundo moderno, e como consequência estão se tornando crentes mundanos, do jeito que o mundo gosta.

A grande problemática é que muitos lideres, pastores e pregadores, estão sendo influenciados e estão cedendo a pressão para esta geração antibíblica. O ensino ortodoxo da palavra de Deus vem se tornando cada vez mais escassos em muitas igrejas, e como consequência estamos vendo muitos crentes imaturos e raquíticos espiritualmente.

As igrejas estão ficando cada vez mais parecidas com o mundo, e a diferença não está sendo notada. Muitos cristãos ao invés de influenciarem o mundo, estão sendo influenciados. Está havendo uma tolerância com o sistema mundano que está se instalando dentro das igrejas. 

Muitos cristãos não leem mais a bíblia, nem suportam ouvir a sã doutrina, estão conformados com o mundo e não reagem mais contra o pecado. Muitos cristãos vão à igreja (templo) só para darem uma satisfação da sua "fé", e serem politicamente corretos. Porém, não prestam um culto espiritual a Deus. 
Paulo escrevendo à igreja que estava em Roma, diz: Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo, e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus (Rm.12.1,2). 

Infelizmente, o fato é que, a igreja está sendo influenciada pelo mundo, e não influenciado o mundo. Nós fomos chamados por Deus, para influenciar o mundo, e não para sermos influenciados pelo mundo. Fomos chamados para fazer a diferença e andar na contramão do mundo. A igreja foi separada para viver do jeito que Deus se agrada, e não do jeito que o mundo gosta.

Em resumo: As igrejas vem se tornando mundana e tomando a forma do mundo. Exatamente o oposto da vontade do Senhor Jesus. Estamos vendo uma geração que não conhece, não ler, não estuda, e não sabe citar a bíblia. 

Será que nossas igrejas estão ficando do jeito que o mundo gosta?
Igrejas "ao gosto do freguês" ?
Que Deus nos ajude e abra os olhos dessa nova geração de crentes!

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

NA VIRADA DO ANO

Geralmente na virada do ano as pessoas ficam mais otimistas e esperançosas, fazem planos para um novo ano que está por vir e procuram esquecer os fracassos e frustrações que tiveram durante o ano que está se findando. Muitos deixam no passado o que não deu certo, fracassos, objetivos não alcançados, expectativas não atendidas, e começa o ano determinado a melhorar, a trabalhar com mais eficiência, a progredir e a alcançar suas metas.

No alvorecer do novo ano muitos fazem previsões e prometem a si mesmos que vão melhorar e dar o melhor si. No limiar do novo ano, muitas pessoas buscam simpatias para serem prosperas ano que estar por vir; muitos preferem vestir roupas de cor amarela, para atraírem dinheiro, outras vestem branco, para terem um ano de paz; há famílias que colocam defumador em suas casas, acreditando que vai espantar ou afastar os maus fluídos ou espíritos.

Outro fato interessante que acontece na virada do ano, e que as pessoas se tornam amigas e ficam flexível, e com suas mesas cheias de guloseimas e bebidas festejam a chegada de um novo ano, cheias de emoções.
Muitos vão a igreja para o culto da virada, outros vão as praias para verem as queimadas de fogos, outros preferem ir ao show da virada, para verem e ouvirem músicas de seus cantores preferidos. Na verdade tudo isso faz parte da nossa emoção, porém em seguida a vida continua.

Na virada do ano, muitos fazem planos, estabelecem metas e buscam uma maior prosperidade material. A frase de efeito mais usada pelas pessoas é: "Saúde e paz, o resto agente corre atrás".
Na verdade fazer planos é bom, é salutar, é normal do ser humano. Porém, não podemos nos esquecer de colocar Deus em primeiro lugar, e dar prioridade as coisas de Deus. Jesus falou: Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos ou que beberemos ou com que nos vestiremos? Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal. Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas (Mateus, 6.31,34,33).

Finalmente, na virada do ano há muitas emoções, e a expectativa é que o ano vindouro seja melhor.
Que na virada do ano a sua vida possa virar, no sentido de mudar para melhor.
Que este novo ano seja um divisor de águas na sua vida, e marque para sempre a sua história.
Que você receba de Deus a orientação que precisa para este novo ano, que você avance rumo às suas metas com alegria e satisfação. Amém!

domingo, 1 de janeiro de 2017

FOME DA PALAVRA DE DEUS

Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus (Mateus, 4.4).

A Palavra de Deus é a verdade mais poderosa da terra, nela está contida o Espírito e a Vida do Próprio Deus. A palavra de Deus deve ser parte integrante do nosso cotidiano, não deveria-nos jamais nos afastar dela. Mas infelizmente estamos vivendo uma época em que as pessoas estão cada vez mais com fastio da palavra de Deus, indo beber em outras fontes e se alimentando de filosofias humanas. O que nos deixa pasmados e tristes é saber que muitos cristãos já não ler a bíblia com frequência, não sentem fome nem sede pela palavra de Deus. Muitas comunidades de fé estão perdendo o prazer pelo ensino ortodoxo da palavra de Deus, e estão prestes a entrar em uma UTI espiritual. Todavia, o apóstolo Pedro nos recomenda que devemos desejar com afeto o leite racional, que é a palavra de Deus. Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que, por ele, vades crescendo (I Pedro, 2.1,2). Esse leite racional, nos fortalece e desenvolve a nossa inteligência espiritual. O mundo está faminto espiritualmente e precisa ser alimentado pela palavra de Deus, apesar de todo o desenvolvimento científico e tecnológico, e muitos entretenimentos da era moderna, as pessoas estão cada vez mais vazias e carentes de Deus. Assim como nosso corpo precisa do alimento cotidiano para se manter forte e saudável, a nossa alma e espírito também precisam ser alimentados pela palavra de Deus. Muitos cristãos estão com fastio da palavra, e como consequência disto, estão ficando fracos e raquíticos espiritualmente.

CINCO EXEMPLOS DE HOMENS QUE TIVERAM DESEJO E FOME PELA PALAVRA.

1. JÓ.
Do preceito de seus lábios nunca me apartei e as palavras da sua boca prezei mais do que o meu alimento (Jó. 23.12).

2. DAVI.
... Os juízos do SENHOR são verdadeiros e justos. Mais desejáveis são do que o ouro, sim, do que muito ouro fino; e mais doces do que o mel e o licor dos favos (Salmos, 19. 9,10).

3. SALMISTA ANÔNIMO.
Oh! Quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! Mais doces do que o mel à minha boca (Salmos, 119.103).

4. JEREMIAS.
Achando-se as tuas palavras, logo as comi, e a tua palavra foi para mim o gozo e alegria do meu coração; porque pelo teu nome me chamo, ó SENHOR, Deus dos Exércitos (Jeremias, 15.16).

5. EZEQUIEL.
Então, vi, e eis que uma mão se estendia para mim, e eis que nela estava um rolo de livro. Então, abri a minha boca, e me deu a comer o rolo. E disse-me: Filho do homem, dá de comer ao teu ventre e enche as tuas entranhas deste rolo que eu te dou. Então, o comi, e era na minha boca doce como mel (Ezequiel, 2.9; 3.2,3).

CONCLUSÃO:
Você não deve ficar de tal forma ocupado com outras coisas que negligencie o seu alimento espiritual e o fortalecimento da sua relação com o Senhor, cuja fonte é a Palavra de Deus. Há vezes em que, se não imergir profundamente na Palavra de Deus, poderá sucumbir a sua fé, e o desânimo querer lhe dominar e o fazer desistir. Hoje a fonte está jorrando, e a palavra está disponível e acessível a todos, mas haverá dias que a palavra de Deus vai ficar escassa. Assim profetizou o profeta Amós: Eis que vem dias, diz o Senhor JEOVÁ, em que enviarei fome sobre a terra, não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do SENHOR (Amós, 8.11). Portanto, que possamos sempre nos alimentar da palavra de Deus, para sermos fortalecidos e crescermos na graça e no conhecimento. Amém!