segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

EL-Roí, O DEUS QUE VÊ

Contudo, o Anjo do SENHOR encontrou Hagar perto de uma fonte no deserto, no caminho de Sur, e indagou-lhe: “Hagar, serva de Sarai, de onde vens e para onde vais?” Ao que ela declarou: “Fujo da presença de minha senhora Sarai”. Então o Anjo do SENHOR orientou-a: “Volta para a tua senhora e sê-lhe submissa!” O Anjo do SENHOR lhe prometeu: “Eu multiplicarei grandemente a tua descendência, de tal maneira que não será possível contá-la!”
E o Anjo do SENHOR concluiu: “Estás grávida e darás à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Ismael, porquanto o SENHOR te socorreu em teu sofrimento.
Contudo ele será como um jumento selvagem do deserto; ele lutará contra todos e todos guerrearão contra ele. Ele viverá em hostilidade contra todos os seus parentes!”
E ela chamou o nome do SENHOR, que com ele falava: “Tu és El-Roí, o Deus que Me Vê”, pois Deus havia falado com ela, e ela questionara a si mesma: “Teria eu visto Aquele que Me Vê?” É por esse motivo que este poço, que fica entre Cades e Berede, foi chamado de Beer-Laai-Roí, “Poço Daquele que Vive e Me Vê” (Gênesis, 16.7-14). 

Os acontecimentos deste capítulo mostram claramente  que escolhas erradas geram problemas persistentes. O erro de Abraão em aceitar a proposta de Sarai, sua esposa, gerou conflitos entre ele e Sarai (16.5; 21.8-21; 25.6), entre Sarai e Agar (16.5,6) e entre os filhos, Isaque e Ismael, e seus descendentes (21.8-10). 

HÁ QUATRO FATOS QUE OCORRERAM NESTE CAPÍTULO 16 DE GÊNESIS.

1. A PRECIPITAÇÃO DE SARAI.

Apesar de Sarai saber da promessa que Deus havia feito a Abraão, e que para ela seria impossível gerar filhos, pois já estava com 75 anos e já lhe havia cessado o costume das mulheres (18.11), ou seja, havia passado da idade de ter filhos. Sarai atribui sua esterilidade ao SENHOR, dizendo: Eis que o SENHOR me tem impedido de gerar (16.2a). Como qualquer outra mulher (com algumas possíveis exceções em tempos modernos), Sarai desejava ter uma família e, portanto, elaborou um plano para obtê-la. Disse a Abraão: Toma, pois, a minha serva, e assim me edificarei com filhos por meio dela (16.2b). Naquela época, essa prática era socialmente aceitável, como ainda é em algumas partes da África até hoje. Os filhos nascidos da serva eram considerados filhos de sua senhora. 
A falta de fé na promessa de Deus, levou Sarai a se precipitar, tentando ajudar a Deus com os seus planos.

2. O ERRO DE ABRAÃO.

Abrão, ou Abraão, por sua vez, provavelmente estava ficando desesperado. Havia obedecido a Deus e se mudado para Canaã, onde já habitava há dez anos (16.3). Mas Sarai continuava estéril, e onde ficava a promessa do SENHOR: "De ti farei uma grande nação" (12.2a). Parecia impossível. Abraão havia considerado adotar seu servo Eliézer, mas o SENHOR não aprovou esta ideia (15.2-4) e insistiu em que o herdeiro viria do corpo de Abraão. No entanto, naquela ocasião Deus não mencionou o nome de Sarai, de modo que Abraão decidiu tentar outro caminho e concordou com a proposta de sua esposa (16.2). Abraão cometeu o mesmo erro que Adão ao seguir o conselho de esposa, em vez de ouvir a Deus. Deveria ter buscado, antes de tudo, a aprovação de Deus. Ao deixar de sujeitar seu plano ao SENHOR, ele falhou em aceitar a proposta de Sarai, sua esposa. Quando passamos a não confiar nas promessas de Deus e procuramos buscar atalhos para nos favorecer, a nossa vida entra em confusão e consequentemente teremos muitas perturbações.

3. O SOFRIMENTO DE AGAR. 

Sarai tomou a Agar e deu-a por mulher a Abraão, seu marido (16.3b). Abraão coabitou com Agar e ela engravidou (16.4). Para Agar, sua fertilidade a havia colocado em posição de vantagem sobre a sua senhora, e foi sua senhora por ela desprezada. Então Sarai, que tinha oferecido Agar a Abraão, voltou-se contra ele e o responsabilizou pela atitude da serva (16.5). Se Sarai imaginou que Abraão estava favorecendo Agar, Abraão afirma indiretamente que ele está enganada, e diz: A tua serva está em tuas mãos, procede segundo melhor te parecer (16.6). Então Sarai começou a maltratar Agar até que essa pobre mulher fugiu de sua presença. O autor não diz para onde ele se dirigiu, mas, pelo fato de ser egípcia (16.1), talvez estivesse tentando voltar para sua terra natal. Como o autor deixa claro, a fonte junto a qual o anjo do SENHOR a encontrou ficava no caminho se Sur (16.7), de modo que ela estava indo naquela direção. 

4. A INTERVENÇÃO DO ANJO DO SENHOR. 

Agar saiu caminhando no deserto em meio aos perigos, estando grávida, achando-se debilitada e com sede, ela encontra uma fonte de água. Quando ela está saciando a sua sede, o anjo do SENHOR, lhe apareceu e lhe perguntou: De onde vens e para onde vais? O anjo sabe a resposta, mas deseja levar a própria Agar a refletir sobre a questão. Ao que ela responde: Venho fugida da face de Sarai, minha senhora. A raiz do problema estava na incapacidade de Agar se sujeitar a Sarai depois de descobrir que estava grávida. O anjo do SENHOR não condenou Agar; mas disse para ela voltar para sua senhora e se humilhar, sujeitando-se a ela (16.9). Em seguida, lhe deu uma promessa, que ela teria uma descendência muito numerosa, que não seria contada (16.10). Também lhe disse que seu filho seria um menino, cujo nome seria Ismael, que significa "Deus ouve", lembrando a Agar que Deus havia ouvido o seu clamor (16.11). O anjo lhe informou ainda sobre o caráter do seu filho na idade adulta (16.12); ele seria como um jumento selvagem, cuja mão seria contra todos, e a mão de todos contra ele. Ele não aceitaria uma posição subserviente; antes, viveria fronteiro, ou em hostilidade a todos os seus irmãos. Essa profecia se cumpriu, pois Ismael é o pai de todos os árabes, enquanto os judeus são descendentes de seu meio-irmão, Isaque. O conflito entre esses irmãos se estende ao longo dos séculos e continua até os dias de hoje. 
Em resposta a esse encontro pessoal com Deus, Agar se dirigiu ao SENHOR como Deus que vê, dizendo: Tu és Deus de vista. Não olhei eu também para aquele que me vê? (16.13).

CONCLUSÃO: 
EL-Roí é um dos nomes de Deus, que significa: Deus que vê. 
Deus viu a precipitação de Sarai.
Deus viu a imprudência de Abraão.
Deus viu o sofrimento de Agar.
Deus está vendo o seu sofrimento.
Deus está contemplando a luta que você está passando.
Deus vê quando você é humilhado (a).
Deus está vendo quando você se humilha diante Dele.
Deus está vendo as tuas lágrimas e ouvindo a sua oração, Ele disse a Isaías: Vai e diz a Ezequias: Assim diz o SENHOR, o Deus de Davi, teu pai: Ouvi a tua oração e vi as tuas lágrimas; eis que acrescentarei aos teus dias quinze anos (Is.38.5).
Deus está vendo tudo, Ele vai agir a teu favor e a vitória será certa. Amém! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário