quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

DEUS QUE SE FEZ HOMEM

De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus. Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou soberanamente e lhe deu um nome que é sobre todo o nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai (Filipenses, 2.5-11).

Deus descer ao nível da humanidade e se fazer homem, é a maior lição e prova do seu amor para com a humanidade. Na visão humana geralmente as pessoas não querem descer, querem subir, crescer, ser exaltada; nunca descer, nunca diminuir, nunca se humilhar. Jesus teve o maior sentimento de amor e humildade já demonstrado em toda história da humanidade, Ele sendo Deus vestiu-se da roupagem humana, desceu do seu trono de glória e viveu entre os homens. Ele não veio como um grande imperador, como um grande monarca, ou como um renomado magnata. Mas, Ele veio simples, humilde e sem nenhum status que lhe destacasse, Ele veio como servo. A sua intenção foi sentir as mesmas necessidades e limitações humanas, foi socorrer a humanidade perdida, pobre e desvalida. O seu nome foi profetizado pelo profeta Isaías, setecentos anos antes de Ele vir e nascer de uma virgem. Portanto, o mesmo Senhor vos dará um sinal; eis que uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome Emanuel (Is.7.14). Emanuel, significa Deus conosco, ou seja, Deus dentro do barro. Ele desceu e tomou forma humana, para nos salvar e nos fazer subir ao céu de glória.

JESUS DESCEU, PARA DEPOIS SUBIR.

1. DESCEU DO SEU TRONO DE GLÓRIA.
No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o verbo era Deus.
E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade (João, 1.1,14). 

2. DESCEU AO NÍVEL HUMANO.
E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo (Fp.2.8a). 

3. DESCEU TOMANDO A FORMA DE SERVO.
Que sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus. Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens (Fp.2.6,7).

4. DESCEU HUMILHANDO-SE ATÉ À MORTE E MORTE DE CRUZ.
e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz (Fp.2.8).

A SUBIDA DE JESUS.
Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para cumprir todas as coisas (Ef.4.10).

1. EXALTADO COMO SOBERANO.
Pelo que também Deus o exaltou soberanamente (Fp.2.9a).
E de Jesus Cristo, que é a Testemunha fiel, o Primogênito dentre os mortos e o Soberano dos reis da terra (Ap.1.5). 

2. EXALTADO ACIMA DE TODO O NOME.
E lhe deu um nome que é sobre todo o nome (Fp.2.9b).
... Que manifestou em Cristo, ressuscitando-o dos mortos e pondo-o à sua direita nos céus, acima de todo principado, e domínio, e de todo nome que se nomeia, não só neste século, mas também no vindouro (Ef.1.20,21).

3. EXALTADO NOS CÉUS, NA TERRA, E DEBAIXO DA TERRA.
Para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra (Fp.2.10).
E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É me dado todo o poder no céu e na terra (Mt.28.18).

4. EXALTADO COMO SENHOR SOBRE TODOS.
E toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai (Fp.2.11).
Em seu manto, sobre a coxa, traz escrito este nome: REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES (Ap.19.16).

CONCLUSÃO:
A humilhação de Jesus foi um marco na história da humanidade. Ele desceu para que nós pudéssemos subir. 
O escritor e apologista cristão britânico, C. S. Lewis, disse: "O Filho de Deus tornou-se homem para possibilitar que os homens se tornem filhos de Deus".