domingo, 26 de março de 2017

MORRER PARA FRUTIFICAR



Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo em terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, dá muito fruto (João, 12.24).

Jesus quando falou do grão de trigo, estava usando uma linguagem conhecida pelos agricultores, este grão de trigo que haveria de dá muitos frutos após morrer, representava a sua morte para redimir a humanidade. Aplicando para nossa vida espiritual, também somos comparados ao grão de trigo que precisa morrer para dá fruto. Se não morrermos para o pecado, para o nosso próprio ego, lutando contra nossa própria natureza propensa ao pecado, não haverá fruto. 
Jesus nos falou de uma frutificação progressiva e permanente, Ele disse: Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador. Toda a vara em mim que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto. Eu sou a videira, vós, as varas; quem está em mim, e eu nele, este dá muito fruto, porque sem mim nada podereis fazer. Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vos conceda (João, 15. 1,2,5,16).

O princípio da nossa vida cristã deve ser uma vida de frutificação. O cristão é conhecido pelos frutos, não pelos dons. Jesus disse: Por seus frutos os conhecereis (Mt.7.15-20).

A fonte da nossa frutificação é Jesus
Ele disse: Eu sou a videira, vós, as varas; quem está em mim, e eu nele, este dá muito fruto, porque sem mim nada podereis fazer (Jo.15.5).

A base da nossa frutificação é o amor
Se não houver amor nada terá proveito (I Co.13.1-3).

O motivo principal da nossa chamada é para frutificar
Jesus disse: Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vos conceda (Jo.15.16).

OS QUATRO PROPÓSITOS DA NOSSA FRUTIFICAÇÃO:

1. FRUTIFICAÇÃO RELACIONADA A DEUS.

A relação deste fruto acontece quando permitimos que a ação do Espírito Santo gere em nós o caráter de Cristo. Esta frutificação é uma expressão da vida de Cristo em nós. O apóstolo Paulo diz: Que os homens nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus (I Coríntios, 4.1).

2. FRUTIFICAÇÃO RELACIONADA AO DISCIPULADO.

Essa frutificação é evidenciada pelo aprendizado e pratica do nosso discipulado. Se aprendermos de Cristo e estamos em Cristo o nosso fruto será notório a todos. Jesus falou para os seus discípulos: Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros (João, 13.35).

3. FRUTIFICAÇÃO RELACIONADA AS PESSOAS.

A nossa vida de comunhão com Deus deve produzir em nós frutos que sirvam de bênçãos para as pessoas que nos cercam. Este fruto tem relação com a nossa vida conjugal, familiar, fraternal (entre os nossos irmãos em Cristo), e social. Paulo diz: Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem (Efésios, 4.29).  Seja a vossa equidade notória a todos os homens. Perto está o Senhor (Fp.4.5).

4. FRUTIFICAÇÃO RELACIONADA À GLÓRIA DE DEUS.

A nossa frutificação não deve ser voltada para nossos próprios interesses, ou nossa glória. Devemos sempre dar frutos para glória de Deus. Jesus falou: Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos céus (Mateus, 5.16).

CONCLUSÃO:
Que a nossa vida seja uma vida de frutificação para o nosso cônjuge, para nossa família, para nossos irmãos em Cristo e para sociedade em geral.