domingo, 15 de outubro de 2017

QUATRO PALAVRAS DE DIFÍCIL ACEITAÇÃO.

Ainda não resististe ao sangue, combatendo contra o pecado. E já vos esquecestes da exortação que argumenta convosco como filhos: Filho meu, não desprezes a correção do Senhor e não desmaieis quando, por ele, fores repreendido; porque o Senhor corrige o que ama e açoita a qualquer que recebe por filho. Se suportais a correção, Deus vos trata como filhos; porque que filho há a quem o pai não corrija? Mas, se estais sem disciplina, da qual todos são feitos participantes, sois, então, bastardos e não filhos (Hebreus, 12.4-8).

No mundo de palavras em que vivemos, muitas são as palavras e expressões que podem entristecer ou alegrar o coração das pessoas. As palavras muitas vezes servem de remédio para alma, mas também podem matar. As palavras de auto-ajuda são muitas vezes as mais usadas pelos pregadores, principalmente nas postagens das redes sociais. Todavia, não devemos esquecer que, as palavras de exortação, correção e repreensão são de grande importância para o nosso aprendizado e crescimento.

EXORTAÇÃO.

Ato de exortar. Admoestação, advertência, conselho.
Tem muitas pessoas que gostam de exortar as outras, fazem um longo discurso de palavras e chegam até a humilhar a outra; mas, não aceitam serem exortadas. Muitos dizem: Eu sou dono da minha vida, e sei bem o que faço, não preciso de conselhos de ninguém. A verdade é que, esta atual geração, não querem mais ouvir conselhos dos seus pais. Mas, há um ditado que: Quem não ouve conselhos de pai e mãe, rara vezes acerta. Na verdade, todo o bom conselho deve ser acatado e posto em pratica.
Está escrito: Não havendo sabia direção, o povo padece, mas, na multidão de conselheiros, há segurança (Pv.11.14).
Todos os cristãos verdadeiros, devem ser flexíveis a exortação, principalmente, vindo da parte de Deus e da sua palavra.

CORREÇÃO.

Correção, é o ato de corrigir o que está errado.
Vivemos em uma sociedade anarquista, que não aceita ser corrigida. Muitas pessoas vivem de forma absoluta, criam o seu modo de vida e querem viver do seu jeito, ao seu bel-prazer.
Como pode um povo, uma nação, uma sociedade em geral, viver de forma anarquista, incorreta e fora da lei, e não aceitar ser corrigida.
No mundo cristão, a correção deve ser exercitada, praticada e aceita pelos verdadeiros cristãos.
Na verdade toda correção muitas vezes não é bem aceita, muitas vezes vem de encontro a nossa vontade. Porém, depois de passarmos pela experiência, será de grande proveito. Assim está escrito: E, na verdade, toda correção, no presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas, depois, produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela (Hb.12.11).

REPREENSÃO.

Repreensão, é o ato ou efeito de repreender, censurar, admoestar.
Esta é mais uma palavra difícil de ser aceita por muitos que não gostam de serem repreendidos, mesmo sendo repreensíveis, por suas atitudes erradas.
O amigo não é aquele que encobre os erros do outro e procura dissimular. Amigo é aquele que ver o errado e repreende. Quem ama não encobre, nem dissimula o errado, mas censura e repreende.
Está escrito: Melhor é a repreensão aberta do que o amor encoberto (Pv.27.5).
Porque o SENHOR repreende aquele a quem ama, assim como o pai, ao filho a quem quer bem (Pv.3.12).

DISCIPLINA.

Segundo o dicionário de Aurélio, disciplina é um conjunto de leis ou ordem que regem uma coletividade. Implicando em: Boa ordem e respeito. Submissão e obediência. Instrução e educação.
Nenhuma organização social poderá viver sem disciplina. A disciplina serve de base para formação do caráter de uma pessoa. A igreja do Senhor deve ser exemplo de uma vida disciplinada, tanto no âmbito social, quanto no espiritual, pela palavra de Deus.
Ser cristão e viver sem disciplina, é não ser tratado por filho, e sim como bastardo. Assim está escrito: Mas, se estais sem disciplina, da qual todos são feitos participantes, sois, então, bastardos e não filhos (Hb.12.8). Todo o cristão que aceita ser corrigido e vive uma vida disciplinada, será bem sucedido. Amém!

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

CHIBOLETE OU SIBOLETE.

E ajuntou Jefté a todos os homens de Gileade e combateu com Efraim, e os homens de Gileade feriram a Efraim; porque, estando os gileaditas entre Efraim e Manassés, disseram: Fugitivos sois de Efraim. Porém tomaram os gileaditas aos efraimitas os vaus do Jordão; e sucedeu que, quando os fugitivos de Efraim diziam: Passarei; então, os homens de Gileade lhes diziam: És tu efraimita? E dizendo ele não; então diziam: Dize, pois, chibolete; porém ele dizia, sibolete, porque não podia pronunciar assim bem; então pegavam dele e o degolavam nos vaus do Jordão; e caíram de Efraim, naquele tempo, quarenta e dois mil (Juízes, 12. 4-6).

Este é um dos episódio mais curioso do texto sagrado, nele nós vamos encontrar uma guerra interna entre dois povos, os gileaditas e os efraimitas, ambos pertencente a nação de Israel. O curioso é que, os efraimitas por não saberem pronunciar a palavra chibolete de forma correta, foram degolados e morreram quarenta e dois mil.
Em vez de se unirem para lutarem contra seus inimigos, os israelitas estavam lutando e exterminando uns aos outros.

Os efraimitas eram problemáticos, e voltaram a causar problemas, como haviam feito quando Gideão vencera os midianitas (Jz.8.1-3). No entanto, Jefté não era tão diplomático como Gideão e simplesmente não aceitou suas acusações e ameaças feitas contra ele. A hostilidade se intensificou, e os comentários depreciativos feitos pelos efraimitas acerca dos gileaditas levaram Jefté e seus homens a pegarem armas e entrarem em uma guerra contra os efraimitas (Jz.12.1-4). No conflito, os gileaditas derrotaram os efraimitas e tomaram os vaus do Jordão (o trecho raso do rio), por onde os homens derrotados teriam de atravessar a fim de voltar para casa (12.5). Todos os que desejassem atravessar deveriam pronunciar a palavra chibolete. Os efraimitas, que não conseguiam articular o som de "ch" nessa palavra e a pronunciavam como sibolete, eram identificados pelo seu sotaque e consequentemente executados. Quarenta e dois mil efraimitas tiveram esse fim (12.6).

Não saber falar a palavra certa, este é o grande problema de muitos cristãos, que ficam distantes e perdem a comunhão com Deus e com a igreja. Quando o cristão perde os bons costumes e a comunhão com Deus, ele deixa de falar a linguagem da fé, e perde o foco da adoração a Deus.

Chibolete significa rio corrente, riacho ou uma espiga de trigo.
Sibolete tem o mesmo significado porem, já era um dialeto efraimita.
Simbolicamente a palavra chibolete gera vida, enquanto sibolete gera morte.

SIBOLETE=MORTE.

Quem não consegue falar a linguagem do povo de Deus, não pode fazer parte da nação santa. Quem fala sibolete faz parte de outro povo e estar sujeito a morte.
A falta de comunhão com Deus e com o corpo de Cristo nos leva a falar uma língua diferente.
A causa do surgimento de heresias é justamente esta falta de comunhão com o corpo de Cristo. Pequenas coisas podem significar sibolete para a vida de muitos. A falta de concordância, de submissão, de liberação do perdão, leva muitos a criarem suas próprias interpretações quanto a Bíblia. Infelizmente a consequência é perder a comunhão com Deus e morrerem espiritualmente.
Sibolete neste ponto de vista é: Afastamento da igreja, interpretação própria da Bíblia, falta de disponibilidade para servir a Deus. Enfim, é ficar pra trás, é perder a identidade de verdadeiro cristão.

CHIBOLETE=VIDA.

Chibolete é vida, paz, segurança, prosperidade e verdade. Chibolete significa falar a linguagem do Espírito, é falar o idioma da fé  e viver debaixo da vontade de Deus. Falar chibolete é viver em comunhão com Deus e com o corpo de Cristo. É viver pela palavra de Deus e ter vida através da mesma. É viver em santidade e estar disposto a servir. Vivendo em santidade certamente viverás e não morrerás. Diga sempre CHIBOLETE que é vida e nunca SIBOLETE que é morte. Amém!

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

NÃO NEGOCIE SEU OLHO DIREITO.

Cerca de um mês depois destes eventos, Naás, o rei dos amonitas, avançou contra a cidade de Jabes-Gileade e a cercou. E o exército de Jabes lhe propôs: “Faze conosco um tratado, e te serviremos!” Contudo, Naás, o amonita, lhes retrucou: “Eis o pagamento que de vós exigirei para fazer um acordo: todos vós tereis vazado o olho direito, e assim humilharei a todo o Israel (I Samuel, 11,1,2).

Naás, rei dos amonitas, cercou a cidade de Jabes-Gileade e os homens de Jabes ficaram aterrorizados diante de Naás e seu exército. Diante da situação, os homens de Jabes lhe propôs que fizesse uma aliança com eles. Porém, Naás lhe disse: Com esta condição farei aliança convosco: Que a todos vos arranque o olho direito.
O olho direito era de grande importância para os guerreiros de Jabes, visto que era o olho da mira, sem ele o exército de Jabes seria um fracasso e jamais conseguiria vencer o inimigo. Desde os tempos antigos, um soldado quando perdia o olho direito, ficava inutilizado para a batalha. Normalmente o olho esquerdo ficava protegido pelo escudo durante o combate. Enquanto o olho direito era o olho da pontaria, o olho da visão do alvo, o olho com o qual mirava o inimigo. Aplicando esta história para os nossos dias, Deus não aprova que façamos aliança com Satanás para perdemos nosso olho direito. A proposta de Satanás é nos enfraquecer e nos deixar indefessos e impotentes diante das suas investidas.

O OLHO DIREITO PODE SER A ORAÇÃO.

Quando nós oramos Deus promete nos revelar coisa grandes e firmes (Jr.33.3).
A grande estratégia de Satanás é entreter os crentes, fazendo com que eles percam o prazer e o interesse pela oração. Quando nós oramos o campo de atuação do Diabo diminui, enquanto, quando deixamos de orar, o campo de atuação do inimigo aumenta. Infelizmente, muitos crentes deixaram o caminho da oração e se tornaram cristãos nominais, sem compromisso com Deus. Não deixe Satanás arrancar o seu olho direito da oração, o seu tempo de oração é inegociável.

O OLHO DIREITO PODE SER O PRAZER DE LER E ESTUDAR A PALAVRA DE DEUS.

O salmista diz: Oh! Quanto amo a tua lei! É a minha meditação em todo o dia!
Folgo com a tua palavra, como aquele que acha um grande despojo (Salmos, 119.97,162).
A falta do alimento espiritual, através da leitura da palavra de Deus, vai deixar nossa alma raquítica e a nossa vida espiritual sem crescimento.
Quando começamos a perder o prazer e o apetite da palavra de Deus, estamos prestes a entrar em uma U.T.I. espiritual, e fadados ao fracasso. O fato é que Satanás está vazando o olho direito de muitos cristãos, e estes estão sem forças, sem prazer e sem interesse pela palavra de Deus.

O OLHO DIREITO PODE SER A VIDA DE COMUNHÃO COM DEUS, E INTEGRIDADE DE CARÁTER.

A grandeza de um homem é medida pela sua vida de comunhão com Deus, e sua integridade de caráter. A peleja de Satanás contra os crentes fiéis é tentar sujar as suas vestes espirituais e lançar a sua boa reputação e integridade de caráter na lama da desmoralização. O grande enganos de Satanás é convencer os cristãos pela sua boa aceitação na mídia, por causa dos seus taletos e carisma junto ao povo. Muitos tem carisma diante do povo, mas não tem integridade de caráter diante de Deus. Infelizmente, muitos cristãos estão enganados, Satanás já furou o olho da sua integridade de caráter há muito tempo, estão vivendo de aparência e títulos, mas as máscaras vão cair.

O OLHO DIREITO PODE SER A FALTA DE DISCERNIMENTO ESPIRITUAL.

Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido (I Coríntios, 2.15).
A falta de visão e discernimento espiritual, tem levado muitos crentes ao engano e ao fracasso. Os cristãos antigos diziam: Cuidado com o Diabo, ele vem de mansinho calçado com sapatinhos de lã para não ser percebido. Hoje, infelizmente, Satanás está entrando descaradamente, calçado de tamancos no meio do povo de Deus e muitos não estão percebendo. A carnalidade, junto com o materialismo tem levado muitos crentes a perderem a sensibilidade de discernir as coisas espirituais. Muitos estão escravos da tecnologia, presos nas redes sociais e sem visão espiritual. É tempo de abrir os olhos espirituais e não deixar Satanás vazar o nosso olho direito do discernimento espiritual.

CONCLUSÃO:
Não negocie com Satanás o seu olho direito, Não tenha medo do terror que ele lhe impõe, não faça aliança com as trevas; mas lute, relute e não se entregue. Busque forças em Deus e Ele vai lhe ajudar a vencer. Amém!

domingo, 8 de outubro de 2017

SETE MANIFESTAÇÕES DO ESPÍRITO DE DEUS.

Porque brotará um rebento do tronco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará. E repousará sobre ele o Espírito do SENHOR, e o Espírito de sabedoria e de inteligência, e o Espírito de conselho e de fortaleza, e o Espírito de conhecimento e de temor do SENHOR (Isaías, 11.1,2).

Quando a bíblia fala sobre os sete Espíritos de Deus em Apocalipse 5.6, não significa dizer que há sete Espíritos além do Espírito Santo; mas estes sete Espíritos são sete manifestações e atuações diferentes do Espírito de Deus. Estas manifestações segundo a profecia de Isaías, foram manifestas na pessoa de Jesus, quando o Espírito repousou sobre Ele (Is.11.1,2). O Espírito de Deus opera de maneira multiforme, Ele é independente e age de forma multifacetada.

1. Espírito do SENHOR.
O Espírito do Senhor JEOVÁ está sobre mim, porque o SENHOR me ungiu para pregar boas novas aos mansos ... (Is.61.1).

2. Espírito de Sabedoria.
Porque a um, pelo Espírito, é dada a palavra da sabedoria ... (I Co.12.8).
A sabedoria abrange muitos aspectos, ela vai além do conhecimento e do saber.
Salomão pediu sabedoria a Deus, para saber entrar e sair no meio do povo (II Cr.1.7-10).
Tiago diz: E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus ... (Tg.1.5).
Moisés disse ao povo: Guardai-vos, pois, e fazei-os, porque esta será a vossa sabedoria e o vosso entendimento perante os olhos dos povos ... (Deut.4.6).

3. Espírito de Inteligência.
... Os povos ouvirão todos estes estatutos e dirão: Só este grande povo é gente sábia e inteligente (Deut.4.6).
Inteligência, é a capacidade de saber escolher, assimilar, aprender e elaborar informações de forma adequada.
O termo inteligência vem do latim intelligentĭa, que, por sua vez, deriva de inteligere. Esta é uma palavra que é composta por dois outros termos: intus (“entre”) e legere (“escolher”). Assim sendo, a origem etimológica do conceito de inteligência faz referência a quem sabe escolher: a inteligência permite portanto seleccionar/escolher as melhores opções.

4. Espírito de Conselho.
... E o seu nome será Maravilhoso Conselheiro ... (Is.9.6).
A sua atuação é para promover a paz, o amor e a reconciliação em todos os aspectos.

5. Espírito de Fortaleza.
Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação (II Tm.1.7).
O Espírito de fortaleza lança fora o medo e a insegurança, e nos encoraja e fortalece diante das adversidades.

6. Espírito de Conhecimento.
... E a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência (I Co.12.8).
É a capacidade de ter conhecimento de fatos e coisas de forma sobrenatural.

7. Espírito de Temor do SENHOR.
Este se refere a obediência, a submissão e respeito ao SENHOR.

sábado, 7 de outubro de 2017

O NÚMERO SETE NA BÍBLIA.

O número sete é um número especial na bíblia, por falta de conhecimento bíblico, muitas pessoas acreditam que o sete é o número do engano, da mentira, do mentiroso. Porém, não é verdade, a verdade é que o sete na bíblia significa plenitude, aquilo é completo e perfeito, representa a perfeição da Divindade. 

A Bíblia está cheia de setes. No antigo Israel, o número sete representava a perfeição divina. Era considerado um número poderoso e inquebrável porque não podia ser dividido pelos pequenos números comuns que as pessoas costumavam contar com uma única mão. A palavra para sete em hebraico – sheva está ligada a shevuá, juramento. Quando uma pessoa queria fazer uma promessa muito importante, ela fazia um juramento, como que dizendo: "faça com que o divino número perfeito sete seja minha testemunha.
Em muitas passagens das Escrituras, desde o livro de Gênesis até Apocalipse o número sete desempenha um papel central. No Evangelho de João, Jesus fala de si mesmo dizendo a frase "Eu sou" sete vezes. 

1. Eu sou o pão da vida (Jo.6.35).
2. Eu sou a luz do mundo (Jo.8.12).
3. Eu sou a porta (Jo.10.9).
4. Eu sou o bom pastor (Jo.10.11).
5. Eu sou a ressurreição e a vida (Jo.11.25).
6. Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida (Jo.14.6).
7. Eu sou a videira verdadeira (Jo.15.1).

O NÚMERO SETE NOS LIVROS DA BÍBLIA.

Semana de sete dias (Gn.2.2).
Animais limpos foram separados para arca de sete em sete (Gn.7.2).
Após sete dias Noé tornou a enviar a pomba (Gn.8.10).
Sete lâmpadas para o castiçal (Ex.25.37).
O sangue era espargido sete vezes (Lv.4.6).
O azeite era espargido sete vezes (Lv.14.16).
Após sete semanas era oferecida uma nova oferta ao SENHOR (Lv.23.15,16).
As festas sagradas eram comemoradas por sete dias (Lv.23.39-41).
Miriam ficou sete dias fora do acampamento (Nm.12.15).
Balaão pede a Balaque para edificar sete altares (Nm.23.1).
Os israelitas deveriam comer pão sem fermento durante sete dias (Nm.28.16,17).
As dívidas eram quitadas e os escravos libertos, depois de sete anos (Dt.15.1,2,9).
Sete sacerdotes diante da arca com sete trombetas (Js.6.4).
A cidade de Jericó foi rodeada sete vezes, no sétimo dia (Js.6.15).
Uma nora melhor do que sete filhos (Rute, 4.15).
Sete dias de espera (I Samuel, 10.8).
Saul esperou sete dias por Samuel (I Samuel, 13.8-10).
Salomão celebrou uma festa ao SENHOR por sete dias (I Reis, 8.65).
Por sete vezes o moço de Elias olha para banda do mar, na sétima veio a chuva (I Reis, 18.42-45).
Depois de mergulhar sete vezes, Naamã é curado da lepra (II Reis, 5.1).
Esdras comemora a festa da páscoa durante sete dias (Esdras, 6.21,22).
Sete bezerros e sete carneiros foram sacrificados em holocausto (Jó.42.8).
Na angústia haverá seis livramentos, e na sétima o mal não tocará (Jó.5.19).
Sete vezes ao dia Deus será louvado (Salmos, 119.164).
O SENHOR aborrece seis coisas, e a sétima Ele abomina (Pv.6.16-19).
Sete vezes cairá o justo e se levantará (Pv.24.16).
Repartir o pão com sete (Eclesiastes, 11.1,2).
Sete manifestações do Espírito (Isaías, 11.1,2).
Um concerto será firmado por uma semana (sete dias de anos). Daniel, 9.27.
Jesus realiza um milagre com dois elementos que somados resulta em sete (Jo.6.9).
Perdoar setenta vezes sete (Mateus, 18.21,22).
Sete homens são escolhidos (Atos.6.3).
Profecia de Enoque, o sétimo depois de Adão (Judas, 14).

O NÚMERO SETE NO LIVRO DE APOCALIPSE.

Sete bem-aventuranças (Ap.1.3; 14.13; 16.15; 19.9; 20.6; 22.7,14).
Sete promessas (Ap.2.7,11,17,26-28; 3.5,12,21).
Sete Espíritos (Ap.1.4).
Sete igrejas (Ap.1.11).
Sete castiçais (Ap.1.12).
Sete estrelas (Ap.1.16).
Sete anjos (pastores) (Ap.2.1,8,12,18; 3.1,7,14).
Sete lâmpadas (Ap.4.5).
Sete pontas (Ap.5.6). 
Sete olhos (Ap.5.6).
Sete Espíritos de Deus (Ap.5.6).
Sete anjos (Ap.8.2).
Sete trombetas (Ap.8.2).
Sete trovões (Ap.10.3).
Sete cabeças (Ap.12.3).
Sete diademas (Ap.12.3).
Sete pragas (Ap.15.1).
Sete taças (Ap.16.1).
Sete montes (Ap.17.9).
Sete reis (Ap.17.10).

CONCLUSÃO:
O que há de tão especial no sete?
Concluímos que, a numerologia bíblica tem grande significado e importância nos propósitos de Deus. Todavia não devemos fazer do número sete um amuleto espiritual ou um número de sorte. 

terça-feira, 3 de outubro de 2017

VIDA DE COMUNHÃO COM DEUS.

Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrio e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo, como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia na vossa ignorância; mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo (I Pedro, 1.13-16).

Viver em plena comunhão com Deus se constitui um grande desafio para os cristãos desde presente século. 
Viver em comunhão com Deus é ter amizade e harmonia com Ele. Deus sempre quer ter comunhão com o homem, mas o pecado vem para nos separar de Deus. Por isso, Deus enviou seu filho Jesus Cristo, para tirar nossos pecados e nos reconciliar com Ele. 
Quando alguém tem comunhão com Deus, isso se reflete na sua vida diária. A comunhão com Deus se revela em uma vida santa, obediente e cheia de amor a outras pessoas. 
Viver uma vida de comunhão com Deus implica em renúncias, obediência e submissão a Ele.

CINCO ATITUDES PARA VIVER UMA VIDA DE TOTAL COMUNHÃO COM DEUS:

1. Cingir os Lombos do Entendimento.

Cingir, significa: Cercar, circundar, limitar. Apertar com uma correia, com um cinto, pôr à cinta.
Lombos cingidos é uma expressão que significa, amarra a túnica na cintura para dá segurança ao caminhar apressadamente. Esta expressão aparece no livro de Êxodo, 12.11. Assim, pois, o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a Páscoa do SENHOR.
Biblicamente quer dizer prepara-se, está preparado, em segurança, pronto para o longo caminho.
Atos, 12:8. E disse-lhe o anjo: Cinge-te e ata as tuas sandálias.
Quando Pedro fala sobre cingir os lombos do entendimento, ele quer dizer que os cristãos tenham segurança em seu entendimento em relação a verdade e estejam preparados para prosseguirem em sua caminhada.

2. Ser Sóbrio.

A sobriedade é uma qualidade de quem é moderado, sensato, sereno, calmo, prudente, modesto, discreto, temperante, e outros adjetivos desta natureza.
Enquanto o ébrio não tem equilíbrio nem controle sobre suas ações, o sóbrio é uma pessoa prudente, equilibrada e sábia em suas atitudes.
O cristão sóbrio tem um equilíbrio espiritual e emocional que faz a diferença. Isto é fruto da sua vida de comunhão com Deus.
Pedro diz: Sede sóbrios, vigiai, porque o Diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar (I Pedro, 5.8).

3. Esperar Inteiramente na Graça.

Esperar inteiramente na graça é depender completamente da graça de Deus. Esta dependência envolve obediência, temor e comunhão com o Pai.
Esperar na graça é ficar na dependência de Deus e deixar Ele fazer a sua vontade.
O cristão que vive uma vida de comunhão com Deus não tem dificuldade em esperar, mas descansa nas promessas de Deus.
Paulo escrevendo aos tessalonicenses 1.9, 10 diz que fomos chamados para servir e esperar.

4. Ser Obediente.

Ser obediente a Deus e a sua palavra, implica em ter uma vida de compromisso e comunhão com Deus. O cristão que vive em comunhão com Deus, geralmente ele é obediente a Deus, aos seus pais, e aos seus pastores e lideres.
A nossa comunhão com Deus desenvolve em nós uma fé obediente, totalmente submissa a Deus.
O escritor aos hebreus diz: Pela fé, Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia (Hebreus, 11.8).

5. Viver em total Santidade.

Viver em total santidade implica em abandonar totalmente o pecado e viver exclusivamente para Deus. O apóstolo Pedro recomenda: Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo.
Viver em santidade diante de Deus é uma questão de ter uma vida de comunhão com Ele.
Ser santo em toda a maneira de viver, implica em dizer: No vestir, no agir, no proceder, no falar; seja em casa, na igreja, no trabalho, no colégio, na faculdade, enfim, em todos os ambientes sociais.
Santidade não é se insolar de tudo e de todos e viver enclausurado como um monge.
Santidade também não é viver de cara fechada, sem sorrir, sem ser simpático com as pessoas.
Santidade é simplesmente, afastar-se do pecado, servir a Deus e ter paz com todos. O escritor aos hebreus diz: Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor (Hebreus, 12.14). Amém!

domingo, 24 de setembro de 2017

PÃO NOSSO DE CADA DIA.

                                O pão nosso de cada dia dá-nos hoje (Mateus, 6.11).

O pão nosso de cada dia é uma referência a nossa alimentação diária, está relacionado ao nosso alimento cotidiano. Um dos maiores problemas que a humanidade pode enfrentar é a falta de pão. Quando nos falta o pão, nos falta a alegria e a satisfação pela vida. 
Temos um Deus provedor que se preocupa em dar provisão para sustento das suas criaturas.
Neste particular, Jesus nos apresenta o Pai como nosso provedor. Inúmeras vezes, Deus aparece na bíblia como provedor e sustentador de todas as coisas.  Muitas revoluções já foram iniciadas por falta de pão. Pão é um alimento básico, importante para nossa sobrevivência. Nossa vida, nosso sustento depende de Deus. Quando reconhecemos que dependemos de Deus e oramos, e confiando em Deus, Ele nos dá o sustento que precisamos, mesmo quando parece impossível.
Jeová-Jiré é o nosso provedor e sustentador de todas as coisas. Ele é conhecedor de todas as nossas necessidades, sejamos sempre gratos a Ele, mesmo que no momento não haja uma grande abastança de alimentos e bens. Todavia, devemos sempre agradecer e bendizer o nome do SENHOR por todos os seus benefícios. 
Deus seja louvado por sua grande provisão e sustento de toda a humanidade. Quanto a fome, a miséria, as guerras e outras mazelas, são consequências do próprio homem egoísta, desumano e alienado de Deus. 
Que possamos seguir as recomendações de Davi: Confia no SENHOR e faz o bem; habitarás na terra e, verdadeiramente, serás alimentado. Deleita-te no SENHOR, e ele te concederá o que deseja o teu coração. Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele tudo fará (Salmos, 37.3-5). Amém!