quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

AS SEIS PROVAÇÕES DE JOSÉ.

Bem-aventurado o varão que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam (Tiago. 1.12).
E o Senhor estava com José, e foi varão próspero; e estava na casa de seu senhor egípcio (Gênesis. 39.2).

A história de José é uma das mais lindas e conhecida na bíblia sagrada. Segundo os eruditos José é o mais perfeito tipo de Cristo; ele é símbolo de pureza e lealdade. José viveu uma adolescência e juventude muito tumultuada, ele com a idade de dezessete anos já era aborrecido e invejado pelo seus irmãos. José sofreu muitas provações, mas devido a sua obediência e fidelidade a Deus ele conseguiu superar e vencer.

1. JOSÉ É VÍTIMA DE INVEJA NO MEIO DOS SEUS IRMÃOS.

E, contando-o a seu pai e a seus irmãos, repreendeu-o seu pai e disse-lhe: Que sonho é este que sonhaste? Porventura viremos eu, e tua mãe, e teus irmãos a inclinar-nos perante ti em terra?
Seus irmãos, pois, o invejavam; seu pai, porém, guardava este negócio no seu coração. Gn.37.10,11.
Diz o texto sagrado que Israel amava mais a José do que a todos os seus filhos, porque era filho da sua velhice; e fez para ele uma túnica de várias cores. Quando os seus irmãos perceberam que seu pai amava mais a José, começaram a aborrecê-lo e não falavam com ele pacificamente. Quando José contou os seus sonhos a seus irmãos, eles o aborreciam ainda mais, visto que nos seus sonhos ele assumia posição de destaque no meio de todos. Mas não adianta aborrecer nem ter inveja daquele a quem Deus escolheu e quer exaltar.

2. JOSÉ É LANÇADO NUMA COVA.

E disseram uns aos outros: Eis lá vem o sonhador-mor! Vinde, pois, agora, e matemo-lo, e lancemo-lo numa numa destas covas, e diremos: Uma besta-fera o comeu; e veremos que será dos seus sonhos.Gn.37.19,20.
Rubem que era o primogênito, livrou-o das mãos dos seus irmãos, não permitindo que eles o matasse; antes teve a ideia de lança-lo numa cova, e deixa-lo para ser devorado por um animal do campo. Tentaram matar José e os seus sonhos, lançando-o numa cova; tentaram apagar as promessas de José, tomando-lhe a túnica de várias cores. Mas ninguém consegui matar os sonhos e nem apagar as promessas de Deus da vida daquele que Deus planejou e determinou um futuro brilhante.

3. JOSÉ É VENDIDO POR VINTE MOEDAS DE PRATA.

Passando, pois, os mercadores midianitas, tiraram, e alçaram a José da cova, e venderam José por vinte moedas de prata aos ismaelitas, os quais levaram José ao Egito. Gn.37.28.
Os irmãos de José o venderam e mancharam a sua túnica com sangue para dar entender a seu pai que ele teria sido devorado por um animal feroz. O patriaca Jacó acreditou, e chorou amargamente, lamentando a morte do seu filho amado. Tem pessoas que se faz de irmão e amigo, nos abraça, sorrir, aperto de mãos; mas na nossa ausência, nos trai, nos vende e mancha a nossa imagem. Mas não adianta vender José, porque o dono de José continua sendo Deus.

4. JOSÉ É VENDIDO PELOS MIDIANITAS COMO ESCRAVO NO EGITO.

E os midianitas venderam-no no Egito a Potifar, eunuco de Faraó, capitão da guarda (Gn.37.36).
Quando Deus está no controle da situação tudo vai contribuir para a vitória. A sua palavra nos assegura: E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por seu decreto (Rm.8.28). José foi vendido duas vezes, porém ele continuava sendo propriedade peculiar de Deus. Não adianta querer atrapalhar a vida daquele que Deus tem planos, porque onde ele chegar o Senhor é com ele, e o faz prosperar. Diz a bíblia: E José foi levado ao Egito, e Potifar, eunuco de Faraó, capitão da guarda, varão egípcio, comprou-o da mão dos ismaelitas que o tinham levado lá. E o SENHOR estava com José, e foi varão próspero; e estava na casa de seu senhor egípcio (Gn.39.1,2).

5. JOSÉ É CALUNIADO PELA MULHER DE POTIFAR.

Vendo, pois, o seu senhor que o SENHOR estava com ele e que tudo o que ele fazia o SENHOR prosperava em sua mão, José achou graça a seus olhos e servia-o; e ele o pôs sobre a sua casa e entregou na sua mão tudo o que tinha. E aconteceu que, desde que o pusera sobre a sua casa e sobre tudo o que tinha, o SENHOR abençoou a casa do egípcio por amor de José; e a bênção do SENHOR foi sobre tudo o que tinha, na casa e no campo. E deixou tudo o que tinha na mão de José, de maneira que de nada sabia do que estava com ele, a não ser do pão que comia. E José era formoso de aparência e formoso à vista. Gn.39.3,4,6. Por José ser um jovem de boa aparência, além das outras qualidades que ele possuía, a mulher de Potifar começou a lhe observar todos os dias, ao ponto que ela o desejou, e tentava-o para que ele se deitar-se com ela. E aconteceu, depois destas coisas, que a mulher de seu senhor pôs os olhos em José e disse: Deita-te comigo. Porém ele recusou e disse à mulher do seu senhor: Eis que o meu senhor não sabe do que há em casa comigo e entregou em minha mão tudo o que tem. Ninguém há maior do que eu nesta casa, e nenhuma coisa me vedou, senão a ti, porquanto tu és sua mulher; como, pois, faria eu este tamanho mal e pecaria contra Deus? (Gn.39.7-9). Por ela continuar a cada dia, forçando-o a deitar-se com ela, e ele sempre resistindo-a; ela lhe pegou pela sua veste, e disse: Deita-te comigo. E ele deixou a sua veste na mão dela, e fugiu. Por esse motivo ela o acusou de assédio sexual, e fez uma denúncia falsa na presença dos empregados e do seu marido. Mas o importante é que Deus estava com José, e ele não pecou.

6. JOSÉ É PRESO E LANÇADO NO CÁRCERE.

E ela pôs a sua veste perto de si, até que seu senhor veio à sua casa. Então falou-lhe conforme as mesmas palavras dizendo: Veio a mim o servo hebreu, que nos trouxeste para escarnecer de mim. E aconteceu que, levantando eu a minha voz e gritando, ele deixou a sua veste comigo e fugiu para fora. E aconteceu que, ouvindo o seu senhor as palavras de sua mulher, que lhe falava dizendo: Conforme estas mesmas palavras me fez teu servo, a sua ira se acendeu. E o senhor de José o tomou e o entregou na casa do cárcere, no lugar onde os presos do rei estavam presos; assim, esteve ali na casa do cárcere (Gn.39.20). Os planos de Deus não podem ser frustrados, nem os seus propósitos impedidos. Mesmo José depois de ter sido caluniado e preso, estando no cárcere, diz a palavra de Deus: O SENHOR, porém, estava com José, e estendeu sobre ele a sua benignidade, e deu-lhe graça aos olhos do carcereiro-mor. E o carcereiro-mor entregou na mão de José todos os presos que estavam na casa do cárcere; e ele fazia tudo o que se fazia ali. E o carcereiro-mor não teve cuidado de nenhuma coisa que estava na mão dele, porquanto o SENHOR estava com ele; e tudo o que ele fazia o SENHOR prosperava (Gn.39.21-23). Depois das provações vem a vitória, na prisão José interpreta sonhos, do padeiro e do copeiro do rei, e em seguida depois de dois anos ele é chamado para interpretar o sonho de Faraó. José interpreta o sonho de Faraó, e é exaltado por intermédio de Faraó e determinação de Deus, para ser governador do Egito (Gn.caps.40,41).

CONCLUSÃO:
Depois de treze anos de provações, José é exaltado por Deus no Egito, e os seus irmãos depois vem a saber da grande vitória que Deus deu a ele. Não adianta: Aborrecer José, invejar José, rasgar a túnica de José, jogar José na cova, vender José e pensar que os sonhos dele acabou, porque Deus fará acontecer tudo o que Ele mesmo já determinou pela sua soberana vontade. Rasgaram a túnica de José, mas não puderam anular as promessas de Deus na sua vida.

4 comentários:

  1. Meu pastor Gerando você é uma bênção.....

    ResponderExcluir
  2. obrigado pastor por falar de forma tão simples e direta da vida de uma pessoa como JOSÉ um homem de fé e que adorou de forma verdadeira e completa o verdadeiro DEUS de ISRAEL o nosso Deus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém meu irmão Francisco, que a vida de José nos sirva de inspiração e que possamos seguir o seu exemplo. Que a Graça e a Paz do Senhor Jesus Cristo seja sempre contigo.

      Excluir