terça-feira, 31 de dezembro de 2013

A ORAÇÃO DO PAI NOSSO.

Texto básico: Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu reino. Seja feita a tua vontade, tanto na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dá hoje. Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores. E não nos induzas à tentação, mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém! Mt.6.9-13.

Introdução: A oração do Pai nosso, é um modelo de oração que é recitada por muitas religiões e que se tornou uma oração ecumênica. Nesta oração, Jesus ensina aos seus discípulos o caminho da verdadeira adoração e comunicação com Deus. O primeiro passo é a humildade, em contraste com o estilo de vida dos fariseus, escribas, publicanos e gentios, que viviam uma religiosidade apenas de aparência. Os discípulos também deveriam evitar as vãs repetições, pois era a maneira como os pagãos (aqueles que não passaram pelo batismo, também chamados de gentios) tentavam sensibilizar seus deuses para obter favores. As suas orações eram repetitivas, em voz alta e vazias. Por isso Jesus lhes ensina um modelo de oração. Este modelo de oração reflete um relacionamento de intimidade de um pai para com o filho.

AS OITO DECLARAÇÕES DA ORAÇÃO DO PAI NOSSO.

1. Pai nosso, que estás nos céus.

Esta expressão "Pai nosso, que estás nos céus", foi algo novo e chocante para os judeus e para os discípulos de Jesus, isto porque no antigo testamento, na lei de Moisés ou na torá, não havia este tipo de expressão, nem se ensinava a chamar Deus de Pai. Pai, que em aramaico é Abba, não era uma expressão comum entre os judeus, Jesus aqui nos ensina que o nosso relacionamento com Deus, deve ser de intimidade, liberdade e cumplicidade; a ponto de nós o chamá-lo de Pai. O apóstolo Paulo nos ensina dizendo: Porque não recebestes o espírito de escravidão, para, outra vez, estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: "Abba, Pai" (Rm.8.15). O Espírito que em nós habita, lança fora o temor e nos dá liberdade de chegarmos a Deus e chamá-lo de Pai. Aleluia!

2. Santificado seja o teu nome.

O nome de Deus é santo e deve ser sempre santificado na vida daqueles que professam o seu nome e são seus filhos. Um verdadeiro filho de Deus que se preza, não deve, desonrar nem profanar o nome do seu Pai. Porque muitos se dizem filhos de Deus, mas vivem uma vida de total depravação e pecados, usando o nome de Deus em vão e servindo de escândalo para a sociedade. O apóstolo Paulo nos adverte dizendo: Todavia, o fundamento de Deus fica firme, tendo este selo: O Senhor conhece os que são seus, e qualquer que profere o nome de Cristo aparte-se da iniquidade (2Tm.2.19).

3. Venha o teu reino.

Reino é sinônimo de domínio, Deus reinando, é Deus dominando. Este domínio implica em Deus dominar sobre tudo e reinar nos corações dos homens. Este reino veio de forma parcial através de Jesus Cristo; em certa ocasião Jesus foi interrogado pelos fariseus sobre quando se daria a vinda do reino de Deus, Jesus lhes explicou: O reino de Deus não vem com aparência exterior. Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Ei-lo ali! Porque eis que o reino de Deus está entre vós (Lc.17.20,21). Quem procura seguir a Jesus, e o tem como Senhor e Salvador da sua vida, está fazendo parte do reino de Deus.

4. Seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu.

A vontade de Deus é boa, perfeita e agradável. A vontade de Deus pode ser percebida de duas maneira: A vontade permissiva de Deus, e a sua vontade diretiva, que é plena e perfeita. Esta vontade perfeita de Deus, deve ser estabelecida na terra e no céu. Viver fora da vontade de Deus é ficar de fora dos seus planos. A vontade de Deus é que todos os homens se salvem e venham ao conhecimento da verdade (1Tm.2.4). Na vontade permissiva de Deus, ele não quer e nem aprova, mas por causa do livre arbítrio do homem em tomar as suas próprias decisões, Deus permite e deixa ele decidir.

5. O pão nosso de cada dia nos dá hoje.

Deus como Pai amoroso está sempre provendo o sustento para todos os seus filhos; diz a sua palavra que ele faz que o seu sol brilhe sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos (Mt.5.45). Devemos sempre confiar em Deus, ele é o nosso provedor que a cada dia garante o nosso sustento. Jesus nos ensinou dizendo: Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos ou que beberemos ou com que nos vestiremos? Porque todas essas coisas os gentios procuram. Decerto, vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas essas coisas. Mas buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas. Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal (Mt.6.31,34). Todas as pessoas que confiam em Deus e descansam na sua palavra, não serão decepcionadas. Amém!

6. Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores.

Esta é a parte mais difícil da oração, pois quando se fala em perdoar muitos de nós temos dificuldades em fazê-lo. Muitas vezes somos egoístas, queremos ser perdoados e não perdoamos. Sobre o perdão, Jesus nos ensina dizendo: Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós. Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas (Mt.6.14,15). A falta de perdão nos impede de recebermos as bênçãos de Deus, e interfere no nosso relacionamento com Ele. Está escrito: Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão, e depois vem, e apresenta a tua oferta (Mt.5.23,24). A capacidade de perdoar é uma das características que identifica os filhos de Deus. Pense nisso.

7. E não nos conduzas à tentação, mas livra-nos do maligno.

Deus como Pai perfeito e amoroso, jamais irá conduzir ou induzir os seus filhos à tentação; pelo contrario, por ele conhecer a nossa estrutura e fraquezas, ele nos livra de tais situações. O maligno sempre procura nos atingir, mas o nosso Pai é um Deus protetor que estar sempre nos guardando e nos livrando de todo o mal. Na sua palavra está escrito: Aquele que vive na habitação do Altíssimo e descansa à sombra do Todo-Poderoso, desfrutará sempre da sua proteção. Sobre o Eterno declara: Ele é meu refúgio e minha fortaleza, o meu Deus, em quem deposito toda a minha confiança. Ele te livrará do laço do inimigo ardiloso e de praga mortal (Sl.91.1-3). Amém!

8. Porque teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém!

Aqui temos três palavras que tem relação direta com Deus: Reino, poder e glória. O reino, o poder e a glória pertencem exclusivamente a Deus. Devemos sempre buscar o reino de Deus, e procurar promovê-lo através da propagação do Evangelho. Devemos sempre confiar no seu poder, pois ele é eterno e não falha. Finalmente, devemos sempre adorá-lo, reverenciá-lo e glorificá-lo, pois a sua glória é eterna e está acima de tudo e de todos. Ele é o Rei da Glória! Aleluia!

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

JESUS, O INCOMPARÁVEL.

E, entrando ele no barco, seus discípulos o seguiam. E eis que, no mar, se levantou uma tempestade tão grande, que o barco era coberto pelas ondas; ele, porém, estava dormindo. E os seus discípulos, aproximando-se, o despertaram, dizendo: Senhor, salva-nos, que perecemos. E ele disse-lhes: Por que temeis homens de pequena fé? Então, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar, e seguiu-se uma grande bonança. E aqueles homens se maravilharam, dizendo: Que homem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem? Mt.8.23-27.

Jesus, o homem incomparável, que sempre nos surpreende. Os discípulos andavam com Jesus, comiam com Ele, viam as suas maravilhas, ouviam os seus ensinamentos, mas eles não conheciam a Jesus em sua totalidade, nem o seu potencial, a ponto de se maravilharem com o seu poder, e perguntarem: Que homem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem? Jesus na sua humanidade, como homem ele é incomparável. No decorrer dos tempos e épocas, a história registra vários nomes de homens que se destacaram e deixaram um legado para as futuras gerações. Porém, apesar dos seus feitos, fama, nome e renome, eles jamais serão igualados ou comparados com Jesus Cristo.

JESUS, SETE VEZES INCOMPARÁVEL.

1. INCOMPARÁVEL NO SEU NASCIMENTO.

Nenhum rei ou monarca, presidente ou governante, lideres político ou religioso, filósofos ou intelectuais, jamais tiveram um nascimento tão maravilhoso como foi o de Jesus. Diz o texto sagrado, que quando Jesus nasceu apareceu um coral celestial louvando a Deus e dizendo: Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens! (Lc.2.13,14). Portanto, Jesus também é incomparável no seu nascimento pelo fato de ele ter sido gerado pelo Espírito Santo. Está escrito: Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo (Lc.1.18).

2. INCOMPARÁVEL NO SEU MINISTÉRIO.

Nenhum dos lideres político, religioso, guerreiro ou governante, jamais conseguiram realizar em pouco mais de três anos o que Jesus realizou em seu ministério terreno. É de impressionar a quantidade de obras, milagres, ensinamentos e pregações que Jesus realizou, e estão registradas nos quatro evangelhos. O evangelista João foi muito enfático quando escreveu, dizendo: Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez; e, se cada uma das quais fosse escrita, cuido que nem ainda o mundo todo poderia conter os livros que se escrevessem. Amém! (Jo.21.25).

3. INCOMPARÁVEL NA SUA MISSÃO.

Nenhuma missão que alguém já realizou aqui na terra, pode se comparar com a sublime missão que Jesus cumpriu. JESUS, cumpriu uma missão que nenhum homem jamais teria condições nem capacidade de cumpri-la. Jesus veio a terra para cumprir uma missão especial, que foi ordenada pelo Pai. Ele na qualidade de filho, obedeceu, e cumpriu a grande missão recebida do Pai. Em uma certa ocasião Jesus falou para os seus discípulos acerca da sua missão dizendo: Uma comida tenho para comer, que vós não conheceis. A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra (Jo.4.31-34). É através do cumprimento da sua incomparável missão, que a humanidade pode desfrutar da salvação de Deus; esta missão nos trouxe esperança, luz, libertação, alegria, paz e prosperidade. Aleluia! Louvado seja Deus por isto. Amém!

4. INCOMPARÁVEL NAS SUAS PALAVRAS.

Nenhum dos grandes filósofos, nenhum dos grandes oradores, nenhum dos grandes mestres da oratória, nenhum dos grandes eruditos e eloquentes pregadores tiveram tanta autoridade, e falaram com tanto poder e propriedade como Jesus falou. A bíblia registra que, em uma certa ocasião as autoridades mandaram alguns soldados prenderem Jesus; e, quando chegaram para o prenderem, encontraram Jesus no meio de uma grande multidão, e ele estava ensinando. Logo após os soldados ouvirem as palavras de Jesus, ficaram sem forças para o prender, e, voltando sem ter prendido Jesus, os principais dos sacerdotes e fariseus, lhes perguntaram porque eles não conseguiram o prender, e eles responderam dizendo: Nunca homem algum falou como este homem. (Jo.7.32,45,46). Diz o texto sagrado, que a multidão se admirou da sua doutrina, pois era diferentes dos escribas, porque Jesus falava com autoridade (Mt.7.28,29). As palavras de Jesus são incomparáveis, ninguém nunca teve a capacidade nem a competência de falar o que Jesus falou. Ele disse: Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei (Mt.11.28). Só ele declarou: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim (Jo.14.6). Eu sou a luz do mundo (Jo.8.12). Eu sou o pão da vida (Jo.6.35). Eu sou a porta (Jo.10.9). Eu sou o bom pastor (Jo.10.11). Eu sou a ressurreição e a vida (Jo.11.25). Muitos falaram e não puderam cumprir com as suas palavras e promessas, mas Jesus fala e cumpri com as suas palavras. Ele disse: Passarão o céu e a terra, mas as minhas palavras não hão de passar (Mt.24.35). Amém!

5. INCOMPARÁVEL EM PODER.

O mundo é governado por poderes. Existe o poder político, o poder econômico, o poder religioso, o poder militar e o poder musical. Jesus é incomparável em poder, porque ele é a fonte do poder. Ele disse: É me dado todo o poder no céu e na terra (Mt.28.20). Ele também é chamado de El-shadai, o Deus todo-poderoso. O poder dos homens são temporal e limitado, o poder de Jesus é eterno e ilimitado. Está escrito: Uma coisa disse Deus, duas vezes a ouvi; que o poder pertence a Deus (Sl.62.11). Muitos dizem que tem poder, outros dizem que representam o poder, mas Jesus é o poder em pessoa, dele emana o poder, ele é a origem e a fonte do poder. Glorificado seja o nome de Jesus, para sempre. Amém!

6. INCOMPARÁVEL NA HISTÓRIA.

Na história da humanidade há relatos de grandes homens, que marcaram sua época e foram considerados como grandes vultos e heróis da humanidade. Alexandre Magno, intitulado o grande, foi um grande chefe, general e guerreiro conquistador da Macedônia. Gengis khan, foi um grande imperador e conquistador mongol. Carlos Magno, foi o rei dos francos e tornou-se imperador do ocidente devido as suas grandes conquistas. Ele expandiu o Reino Franco até que ele se tornasse o Império Carolíngio, que incorporou a maior parte da Europa Ocidental. Napoleão Bonaparte foi um líder político e militar durante os últimos estágios da Revolução Francesa, ele quase que dominou toda a Europa.  Adolfo Hitler, foi um militar e político, líder do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães, também conhecido por Partido Nazi ou Nazista, foi um revolucionário da segunda guerra mundial, tendo como ideologia a formação de uma só raça, ele exterminou seis milhões de judeus. Benito Mussolini foi um general e político italiano que liderou o Partido Nacional Fascista e é creditado como sendo uma das figuras-chave na criação do Fascismo. Temos estes e muitos outros que marcaram a história, muitos na área política e governamental, e outros na área religiosa, como grandes lideres criadores de religiões e filosofias de vida. Porém, nenhum se comparam a Jesus. Eles marcaram a história, Jesus fez a história. Jesus é o começo e o fim da história, ele disse: Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, o primeiro e o derradeiro (Ap.22.13). Os calendários de todo o mundo está vinculado a Ele. Muitos tentam ignorá-lo, mas ele não pode ser ignorado, pois quando ele veio, ele mudou a história. Os grandes estudiosos e historiadores utilizam as siglas, A.C. D.C. Com o advento de Cristo, o mundo entrou em uma nova história, história de esperança, de paz, de salvação, alegria e prosperidade. Amém!

7. INCOMPARÁVEL NA SUA MORTE.

A morte de Jesus foi o maior marco na história da humanidade. Nenhuma morte de grandes lideres religiosos e criadores de religião, bem como estadistas, cantores e intelectuais; causaram tanto impacto no mundo como a morte de Jesus. Diz o texto sagrado que, quando Jesus estava prestes a morrer, o sol não brilhou por três horas, a terra estremeceu, fenderam-se as pedras e o véu do santuário que estava no templo, foi rasgado de alto a baixo. (Mt.27.50,51. Lc.23.44-46). O céu parou, a natureza protestou e o inferno se abalou, com a morte de Jesus. A sua morte foi incomparável porque foi através da sua morte que toda a humanidade foi beneficiada. Por causa da morte de Jesus, Satanás perdeu as chaves da morte e do inferno, o inferno começou a ser despovoado e o céu povoado, Satanás perdeu o império e foi banido do trono; o Rei agora é Jesus, e Satanás é enganador. A sua morte também é incomparável porque só ele morreu e ressuscitou ao terceiro dia. Aleluia! Ele é o Rei da glória, ele está vivo, e vive para todo o sempre. Ele disse a João na ilha de Patmos: Não temas; eu sou o primeiro e o último e o que vive; fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém! E tenho as chaves da morte e do inferno (Ap.1.17,18). JESUS, o incomparável, Ele é a nossa vitória. Amém!

domingo, 15 de dezembro de 2013

SANTIDADE, UM ESTILO DE VIDA.

 
Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo (I Pedro, 1.15,16).

A santidade de Deus, é um dos seus atributos que mais lhe identifica; é inconcebível imaginar ou pensar em Deus e não vê Ele como Santo. Deus é Santo, e tudo o que estar relacionado a ele deve ser santo. Santo significa estar separado do pecado e consagrado para o serviço de Deus. Este é um tema que muitos não querem ouvir falar, em muitos púlpitos de igrejas já não se ouve falar sobre este assunto; muitos  pregadores, pastores e lideres já não pregam nem ensinam sobre este tema. A verdade é que, muitos estão vivendo em pecado dentro da casa de Deus, e muitos pastores estão dissimulando o pecado do povo, muitas vezes com medo de repreendê-los, para não perderem essas pessoas para outras igrejas e deixarem de receber os dízimos e ofertas das mesmas. Porém a palavra de Deus, nos diz que, sem santificação, ninguém verá o SENHOR (Hb.12.14). Deus quer quantidade com qualidade; mas, muitas igrejas estão com quantidade sem qualidade. Santidade para muitos é coisa do passado, muitos estão brincando de ser crente e criando o seu próprio padrão de vida, vivendo um evangelho de conveniências e facilidades, fora dos padrões da bíblia, daquilo que a palavra de Deus recomenda. Porém a palavra de Deus continua dizendo: Sede santos, porque eu, o SENHOR, sou Santo. Amém.

AS DUAS ETAPAS DA SANTIFICAÇÃO:

1. INSTANTÂNEA.
No momento em que a pessoa aceita e confessa Jesus Cristo, como único e suficiente Salvador e Senhor da sua vida, automaticamente ela é santificada (separada para Deus); ela perde o titulo de pecador e passa a ser chamada de santo.

2. PROGRESSIVA.
Na continuação da nossa vida cristã devemos nos esforçar para que a nossa vida de santidade diante de Deus, vá progredindo e melhorando cada vez mais. Está escrito: Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus (2Co.7.1).

AS TRÊS ÁREAS DA SANTIFICAÇÃO:

1. CORPO.
A santidade deve abranger os cinco sentidos do nosso corpo: Nossa visão, audição, olfato, tato e paladar.

2. ALMA.
A nossa alma como sede das emoções, que envolve os nossos sentimentos e vontades, deve ser santificada para glória de Deus.

3. ESPÍRITO.
As faculdades do espírito que envolve a fé e a razão, devem ser também santos para Deus.
Como está escrito: E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo (1Ts.5.23).

AS BASES DA NOSSA SANTIFICAÇÃO:

1. A PALAVRA DE DEUS. 
Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade. Jo.17.17.

2. O SANGUE DE JESUS.
E, por isso, também Jesus, para santificar o povo pelo seu próprio sangue, padeceu fora da porta. Hb.13.12.

3. O ESPÍRITO SANTO.
Todavia, irmãos amados do SENHOR, devemos sempre dar graças a Deus por vós, pois Ele vos escolheu desde o princípio para a salvação pela santificação feita pelo Espírito e pela fé na verdade. 2Ts.2.13.

A IMPORTÂNCIA DA SANTIFICAÇÃO:

1. É A VONTADE DE DEUS.
A vontade de Deus é esta: a vossa santificação; por isso, afastai-vos da imoralidade sexual. 1Ts.4.3.

2. DEUS NOS CHAMOU PARA SANTIFICAÇÃO.
Porque não nos chamou Deus para imundícia, mas para a santificação. 1Ts.4.7.

3. SEM SANTIFICAÇÃO NINGUÉM VERÁ O SENHOR.
Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o SENHOR. Hb.12.14

CONCLUSÃO:
A santidade é o caminho que nos conduz ao céu. A luz da bíblia podemos entender que, sem santidade é impossível chegar ao céu e vê a Deus. Quem procura viver uma vida de santidade diante de Deus, estar vivendo dentro da vontade de Deus e terá como recompensa a sua entrada no céu e será coroado pelo o Santo dos santos e verá a sua face. Amém!

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

A TRILOGIA: DOM, TALENTO, VOCAÇÃO.

Texto básico: Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança, nem sombra de variação. Tiago.1.17.

Introdução: Deus criou o homem do pó da terra, e soprou nele o fôlego da vida. Isto implica em dizer que, o homem é um ser frágil, pois foi criado do pó da terra. Todavia, apesar da sua fragilidade, o homem é um ser inteligente; pois ele tem o DNA de Deus (o sopro de Deus). Essa inteligência pode ser usada tanto para o bem como para o mal; dependendo da índole da pessoa e a  maneira que ela foi instruída e educada. Nenhum ser humano é incapaz ao ponto de dizer que não sabe fazer nada. Todo o ser humano é dotado de inteligência, essa inteligência pode ser percebida através dos dons, talentos e vocações. Uma pessoa que tem aptidões para exercer alguma tarefa, é uma pessoa vocacionada e dotada de algum talento ou dom.

DOM, TALENTO, VOCAÇÃO.

DOM.
Na etimologia da palavra vinda do latim, DONU, "presente, dádiva". No grego vem a ser KARISMATA, OU CHARISMA, de onde se origina a palavra carisma, carismático. Dom, vem de Deus, é uma dádiva de Deus para os homens. No sentido geral, tudo aquilo que temos e desfrutamos de bom é dom de Deus. Por exemplo: A vida, o comer, o beber, o nosso trabalho, nossa família, nossa fé, nossa capacidade, inteligência, força, etc. Algumas pessoas nascem com algo especial que lhe confere uma capacidade de realizar muitas coisas com extrema facilidade; isso é dom de Deus.

TALENTO.
Do latim talentum; do grego tálanton. Na Grécia Antiga, tálanton era uma moeda de ouro ou prata e também uma medida de peso. Os romanos e outros povos da antiguidade também utilizavam o talento como moeda de grande valor.
O talento era a moeda dos tempos de Jesus, o Cristo. E foi através de uma de suas parábolas, descrita no evangelho de Mateus (Mt 25:14-30) que talento passou a significar uma habilidade humana.
De acordo com a parábola, três pessoas receberam de seu senhor diferentes quantidades de talentos e, sem que soubessem, foram surpreendidos e obrigados a prestar contas depois de um período de tempo, ao seu senhor.
Aquele que recebeu cinco talentos aplicou-os nos negócios e gerou outros cinco. Aquele que recebeu dois talentos ganhou mais dois. O terceiro, aquele que recebeu apenas um talento, teve medo e o escondeu: não ganhou nada devido à sua atitude negativa e medrosa.
O talento, como habilidade humana, é desenvolvido através de treino, determinação, persistência, disciplina, obstinação, dedicação, etc. É pelo talento que aprimoramos o nosso dom, tornando-nos capazes de realizar tarefas que, além de trazer resultados, nos tornarão distintos, diferentes, não ordinários, mas extraordinários.

VOCAÇÃO.
Do latim vocare), que significa chamamento, ato de chamar.
É aquela voz interior, que vem da alma. Quem obedece a esse chamado e segue sua vocação, será bem sucedido. Quando alguém faz algo com prazer e extrema facilidade, ela está atendendo a sua vocação. A vocação faz com que sintamos prazer em realizar determinada tarefa e, enquanto a fazemos, ela se torna fácil, por mais árdua que seja.“Põe toda a tua alma, põe todo o teu corpo, naquilo que estás fazendo agora”, diz um ditado hindu. Quem segue sua vocação está sempre feliz com o que faz, pois encontrou significado para a sua atividade. Quem segue sua vocação, trabalha com dedicação e prazer, pois encontrou a razão, o significado, para tal. Todas as pessoas que foram chamadas por Deus, e atenderam o chamado e desenvolveram a sua vocação, foram bem sucedidos. Deus nos dá vocação. Ele não chama os capacitados, Ele capacita os chamados.

CONCLUSÃO:
Devemos multiplicar os nossos talentos através da nossa dedicação, criatividade e perseverança. Sempre temos alguma coisa para Deus usar. Por exemplo:
Abraão. A fé.
Josué. A coragem.
Moisés. Uma vara.
Sansão. Uma queixada de jumento.
Daví. Uma funda e cinco pedrinhas.
Eliseu. Uma capa.
A viúva. Uma botija de azeite.
Dorcas. Uma agulha de costura.
Paulo. O conhecimento.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

QUE TIPO DE CRENTE É VOCÊ?

Texto básico: Rogo-vos, pois irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. Rm.12.1,2.

Introdução: Crente é todo aquele que crer. Antigamente ser crente no sentido de acreditar e seguir a Cristo, era um termo pejorativo e motivo de desprezo, vergonha e perseguição. Hoje ser crente para muitos virou moda, muitas pessoas se dizem seguidoras de Cristo, as igrejas se multiplicam e os templos estão lotados de crentes, que se dizem cristãos e seguidores de Cristo. A grande problemática é, que tipo de crentes são estes que estão dentro das igrejas. Crentes todos são, porém qualidades de cristão poucos tem. A respeito desta grande multidão de crentes, Jesus disse: Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos (Mt.22.14). Nem todo o que diz: Senhor, Senhor! entrará no Reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus (Mt.7.21). Vivemos uma época em que o evangelho de Cristo estar sendo adulterado, muitos estão vivendo um evangelho de conveniências, muitos se tornaram crentes nominais, e perderam a identidade de cristãos autênticos. Mas os crentes fieis e verdadeiros, estão fazendo a diferença no meio desta geração perversa e corrompida pelo pecado.

QUATRO TIPO DE CRENTES ESTÃO DENTRO DA IGREJA:

1. CONFORMADO.

O crente conformado é o tipo de crente que aceita o sistema mundano e já tomou a forma do mundo como modelo para si. Muitos desses crentes dizem: Estamos no mundo e temos que nos modernizarmos de acordo com a moda ou com a onda atual. Este tipo de crente são mundanos e vivem um evangelho relativista, onde dizem que tudo é relativo. Este tipo de crente não tem força para denunciar o pecado, e o Diabo já alistou eles no seu exército de redondinhos, já que eles dizem que não são quadrados. A bíblia diz: E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento (Rm.12.2).

2. REFORMADO.

O crente reformado é aquele que tornou-se um velho crente, ele vive contando as experiências do passado, porque no presente ele estar inativo e sem forças espirituais para o trabalho de Deus. Infelizmente este tipo de crente tem se multiplicado, muitos que no passado eram crentes fervorosos e ativos na obra de Deus, hoje estão como aposentados na casa de Deus. Porém, a palavra de Deus nos diz: Levantai-vos e andai, porque não será aqui o vosso descanso; por causa da corrupção que destrói, sim, que destrói grandemente (Mq.2.10).

3. DEFORMADO.

São crentes que perderam a sua identidade de cristão, e estão brincando de ser crente; estão em cima do muro e não decidem se querem servir a Deus ou ao Diabo, querem servir a Deus a ao mundo ao mesmo tempo. Estes crentes perderam a forma do caráter de Deus em suas vidas e estão deformados pelo pecado. Infelizmente não são poucos os crentes deformados que vivem em pecado, e ainda dizem: Estamos no tempo da graça, a graça de Deus perdoa. Porém a bíblia diz: O que encobre as suas transgressões nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia (Pv.28.13).

4. TRANSFORMADO.

O crente transformado é aquele que nasceu de novo, tem a sua vida regenerada pelo poder de Deus, e vive para agradar a Deus. O crente transformado tem a sua mente renovada pela palavra de Deus, ele procura viver dentro da vontade de Deus, e oferece a Deus o seu corpo em sacrifício vivo. O crente transformado procura apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, ele maneja bem a palavra da verdade. O crente transformado trabalha e não dá trabalho, ele vive pelo modelo da palavra de Deus, e não se conforma com o mundo. Finalmente, o crente transformado vive pela graça de Deus, caminha de fé em fé, e avança para o alvo de glória em glória. Está escrito: Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito (Pv.4.18). Jesus continua libertando e transformando vidas para glória do seu nome; seja um crente transformado para glória de Deus. Amém!
Seja a diferença.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

ESPERANÇA NA ADVERSIDADE.

Recordo-me da minha aflição e do meu delírio, do meu profundo sofrimento e do meu enorme pesar. Lembro-me bem disso tudo, e a minha alma desfalece dentro de mim. Contudo, quero lembrar do que pode me dar esperança. Lm.3.19-21.

Deus não tem prazer algum em castigar e afligir a humanidade, muito menos seu povo escolhido; contudo, muitas vezes é necessário que seus filhos sejam repreendidos e castigados, para o seu próprio bem. Está escrito: Porque o Senhor corrige o que ama e açoita a qualquer que recebe por filho. Se suportais a correção, Deus vos trata como filhos; porque que filho há a quem o pai não corrija? Mas, se estais sem disciplina, da qual todos são feitos participantes, sois, então, bastardos e não filhos (Hb.12.6-8). O povo de Deus estava em cativeiro, sofrendo e sendo humilhado, e isto por permissão de Deus. Os filhos de Israel estavam em grande tristeza e toda a nação estava sendo esmagada, Deus estava corrigindo o seu povo, todavia a misericórdia do SENHOR, estava sobre eles e havia esperança da parte de Deus para o seu povo. O profeta Jeremias estando no meio do povo, vendo toda aflição e humilhação que o povo estava passando, assentou-se a chorar e a lamentar por toda aquela situação deprimente. Todavia em suas lamentações ele dizia: Recordo-me da minha aflição e do meu delírio, do meu profundo sofrimento e do enorme pesar. Lembro-me bem disso tudo, e a minha alma desfalece dentro de mim. Contudo, quero lembrar do que pode me dar esperança (Lm.3.19-21). Esta expressão: Contudo, quero lembrar do que pode me dar esperança; nos ensina que devemos descartar a possibilidade de vivermos trazendo a memória os sofrimento, as decepções e os traumas do passado. Devemos sempre nos lembrar de tudo aquilo que nos traz alegria e que pode nos dar esperança. Na palavra de Deus está escrito: Não vos lembreis dos acontecimentos passados, nem considereis os fatos antigos. Eis que farei uma coisa nova (Is.43.18,19). Quem vive de passado é museu. Pensar nos acontecimentos ruins do passado é sofrer duas vezes. Pense nas coisas boas, naquilo que alimenta a sua fé, naquilo que pode te dar esperança. Muitas vezes é preciso entendermos que, mesmo diante das adversidades e circunstâncias que nos cercam, ainda há esperança. A nossa confiança estar em Deus, ele é a fonte de esperança. Amém!

SETE COISAS QUE DEVEMOS LEMBRAR QUE PODE NOS DAR ESPERANÇA:

Bem-aventurado aquele que tem o Deus de Jacó por seu auxílio e cuja esperança está posta no SENHOR, seu Deus (Sl.146.5).
A esperança é a âncora da alma, ninguém pode viver sem esperança. A esperança nos dar a certeza de dias melhores, a esperança também nos deixa confiantes de que teremos uma eternidade feliz com Deus. Esqueça tudo aquilo que pode roubar a sua esperança, ponha toda sua esperança em Deus e você será vencedor.

1. LEMBRAR DE DEUS.

Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti. Confia no SENHOR perpetuamente; porque o SENHOR Deus é uma rocha eterna. Is.26.3,4.

2. LEMBRAR DE CRISTO.

Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei; que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão; e, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim. 1Co.11.23,24.

3. LEMBRAR DA RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO.

Lembra-te de que Jesus Cristo, que é da descendência de Davi, ressuscitou dos mortos, segundo o meu evangelho. 2Tm.2.8.

4. LEMBRAR DO NOSSO CRIADOR.

Lembra-te do teu criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento. Ec.12.1.

5. LEMBRAR DAS COISAS DO CÉU.

Pensai nas coisas que são de cima e não nas que são da terra; porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. Cl.3.2,3.

6. LEMBRAR DA PALAVRA DE DEUS.

Alegrar-me-ei nos teus estatutos; não me esquecerei da tua palavra. Sl.119.16.

7. LEMBRAR DAS MARAVILHAS DO SENHOR.

Lembrai-vos das maravilhas que fez, dos seus prodígios e dos juízos da sua boca, vós descendência de Abraão, seu servo, vós, filhos de Jacó, seus escolhidos. Ele é o SENHOR nosso Deus; os seus juízos estão em toda a terra. Sl.105.5-7.
 

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

QUEM É VOCE, Fariseu, Publicano ou Servo fiel?

Texto básico: E disse também esta parábola a uns que confiavam em si mesmo, crendo que eram justos, e desprezavam os outros: Dois homens subiram ao templo a orar; um, fariseu, e o outro, publicano. O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te dou, porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana e dou os dízimos de tudo quanto possuo. O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador! Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado. Lucas, 18.9-14.

Introdução: Orar é a forma de falar com Deus, na oração nós expressamos os nossos sentimentos, nesta parábola do fariseu e do publicano, podemos perceber dois tipos de orações: a falsa (hipócrita), e a verdadeira (sincera). O fariseu faz uma oração justificando-se a si mesmo, ele fala dos seus próprios méritos, exaltando a sua conduta moral e espiritual; ele sobe num pedestal de santidade e despreza a todos, dizendo: Ó Deus, graças te dou, porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana e dou os dízimos de tudo quanto possuo. O fariseu por ser um homem religioso, que pertencia a um grupo de pessoas respeitadas, porque se diziam cumpridoras da lei, pensava que Deus só atenderia a ele, e que os outros estavam condenados e reprovados diante de Deus. O publicano, que era cobrador de impostos, fazia parte de uma classe de pessoas que não eram bem aceita pela sociedade, pois tinham a má fama de ladrões, porque diziam que eles cobravam os impostos além do que deveriam. Após o fariseu fazer a sua oração egoísta e exaltada, o publicano se achando indigno e humilhado, estando de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, faz uma pequena oração a Deus, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!  Deus que conhece os corações e sabe as intenções de cada um, Ele olha para o coração do ofertante, e não para o tamanho da oferta. A sinceridade e a humildade do publicano, foi aceita por Deus, e ele desceu justificado. Aprendemos aqui que, quem sobe para se apresentar a Deus com o coração exaltado e cheio de si; desce reprovado e humilhado. Porém, quem sobe diante Deus, com o coração humilde e dependente de Deus, desce justificado, recompensado, e exaltado  por Deus.

TRÊS CLASSES DE PESSOAS:

OS FARISEUS.

Os fariseus são pessoas religiosas que estão dentro da igreja, no meio do povo de Deus, que se comporta como um cristão de alto nível, e sobem num pedestal de santidade e ainda se acham no direito de julgar as pessoas por aquilo que elas são ou aparentam ser. Por incrível que pareça, este grupo de pessoas tem se multiplicado, e tem causado grandes transtornos e prejuízos na obra de Deus. Infelizmente, o Evangelho de hoje, estar mais para farisaísmo do que para cristianismo. É muita gente para aponta, julgar e até matar espiritualmente aqueles que estão se esforçando em servir a Deus; poucos são os que ajudam, confortam e levantam os que estão caídos. Mas, Deus entrará em juízo com esse tipo de crente fariseu e hipócrita que se disfarça de servo de Deus, para perturbar e tentar tirar a paz daqueles que são sinceros e verdadeiros, diante de Deus.

OS PUBLICANOS.

Era uma classe de pessoas que eram desacreditadas, rejeitadas e de má fama; pelo fato de serem cobradores de impostos corruptos, que cobravam além do que deveriam, e acumulavam riquezas ilícitas. No contexto geral os publicanos de hoje são pessoas que ainda não foram alcançadas pela graça de Deus, e são necessitadas do perdão de Deus. Essas pessoas são carentes de oração e precisam ouvir a palavra de Deus, para serem libertas e perdoadas por Jesus Cristo. Não descriminando, nem se achando melhor ou merecedores, como pensa o fariseu;; mas, como pecador arrependido e alcançado pela misericórdia de Deus, devemos sempre estender-lhes as mãos para ajudar e mostrar-lhes o caminho da salvação.

OS SERVOS FIÉIS.

Os servos fiéis são aqueles fazem a diferença. Existem dois tipos de servos: O servo bom e fiel, e o servo mau e negligente (MT.25.23,26). Deus conta com os seus servos fiéis; os covardes que voltem, os medrosos que desistam, os falsos e infiéis que corram. Existem duas classes de pessoas que Deus procura: Deus procura os fiéis. Os meus olhos procurarão os fiéis da terra, para que estejam comigo; o que anda num caminho reto, esse me servirá (Sl.101.6). Deus procura os verdadeiros adoradores. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, porque o Pai procura a tais que assim o adorem (Jo.4.23). Quem serve a Deus, deve fazer a diferença. Está escrito: Então, vereis outra vez a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus e o que não o serve (Ml.3.18). O maior titulo diante de Deus, é ser servo. Os títulos eclesiásticos, as formações teológicas e status social são bons, e muitas vezes é preciso tê-los, mas tudo isso não garante a nossa salvação nem a nossa entrada no céu. No final os servos fiéis é que serão galardoados e reinarão com Deus para sempre. Finalmente, a que classe você pertence? A dos fariseus, a dos publicanos ou dos servos fiéis?

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

DANIEL. O PRÍNCIPE, PROFETA E ESTADISTA.

Então, Daniel foi introduzido na presença do rei. Falou o rei e disse a Daniel: És tu aquele Daniel,  dos cativos de Judá, que o rei, meu pai, trouxe de Judá? E Daniel assentou no seu coração não se contaminar com a porção do manjar do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto, pediu ao chefe dos eunucos que lhe concedesse não se contaminar (Daniel, 5.13; 1.8).

Daniel, cujo nome significa, Deus é meu juiz; é um exemplo de fidelidade, perseverança e amor a Deus. Mesmo estando cativo em babilônia, um império idolatra, mergulhado nas trevas do paganismo e da sensualidade, ele não se deixou levar pela influência do pecado; antes, manteve sua identidade de crente fiel, e brilhou como astro no meio de uma sociedade pecadora e corrompida pelo sistema mundano que dominava o império babilônico. Ele é uma prova cabal para os crentes neotestamentário, que é possível se manter fiel a Deus. Mesmo estando no cativeiro em meio as adversidades e assumindo cargos de alto nível na política, ele se manteve fiel.

AS QUALIDADE DE DANIEL COMO PRÍNCIPE:

1. Secular.
De alto nível cultural, fazia parte da família real, pertencia a classe nobre. 
E disse o rei a Aspenaz, chefe dos seus eunucos, que trouxesse alguns dos filhos de Israel, e da linhagem real, e dos nobres (Dn.1.3).

2. Intelectual.
Era instruído em toda a sabedoria, e sábio em ciência.
Jovens instruídos em toda a sabedoria, e sábios em ciência, e entendidos no conhecimento (Dn.1.4).

3. Física.
Era formoso e de boa aparência.
Jovens em quem não houvesse defeito algum, formosos de aparência (Dn.1.4).

4. Espiritual.
Ele mantinha uma vida de oração e comunhão com Deus.
Daniel, três vezes no dia se punha de joelhos, e orava, e dava graças, diante do seu Deus, como também antes costumava fazer (Dn.6.10).

AS VIRTUDES DA VIDA DE DANIEL COMO PROFETA:

1. Humilde.
Ele não tomava glória para si, tributava a Deus. Dn.2.26-30.

2. Submisso.
Era submisso a Deus e as autoridades. Dn.6.25-28.

3. Obediente.
A palavra de Deus. Dn.1.8.

4. Perseverante.
Na oração, e na leitura da palavra de Deus. Dn.9.1-3.

5. Fiel.
Aos princípios da palavra de Deus. Dn.6.1-4.

TÍTULOS E AÇÕES DE DANIEL COMO ESTADISTA:

1. No reinado de Nabucodonosor, ele foi Governador.
Então, o rei engrandeceu a Daniel, e lhe deu muitos e grandes presentes, e o pôs por governador de toda a província de babilônia, como também por principal governador de todos os sábios de babilônia (Dn.2.48).

2. No reinado Belsazar, ele foi o terceiro dominador do reino.
Então, mandou Belsazar que vestissem Daniel de púrpura, e que lhe pusessem uma cadeia de ouro ao pescoço, e proclamassem a respeito dele que havia de ser o terceiro dominador do reino (Dn.5.29).

3. No reinado de Dario, ele foi um dos principais ministros supervisores do rei.
E pareceu bem  Dario constituir sobre o reinado a cento e vinte presidentes, que estivesse sobre todo o reino; e sobre eles três príncipes, dos quais Daniel era um, aos quais esses presidentes dessem conta, para que o rei não sofresse dano (Dn.6.1,2).

4. Pediu ao rei que constitui-se seus companheiros sobre os negócios da província.
E pediu Daniel ao rei, e constituiu ele sobre os negócios da província de babilônia a Sadraque, Mesaque e Abede-Nego; mas Daniel estava a porta do rei (Dn.2.49).

CONCLUSÃO:
A convicção de fé de Daniel e todas as suas qualidades, lhe conduziram rumo a vitória. Em momento algum a sua fé foi abalada, mas ele manteve firme o propósito de servir e adorar somente a Deus. Hoje a grande problemática das pessoas é a falta de convicção. Muitos, por não terem firmeza e convicção de fé, estão se vendendo e se rendendo ao sistema; estão sofrendo uma crise de identidade e já perderam o equilíbrio e o controle da situação. Mas, Deus tem levantado um grupo de remanescentes fieis que estão fazendo a diferença no meio desta geração corrompida e perversa. Amém!

sábado, 9 de novembro de 2013

LÍNGUA, UM MEMBRO INDOMÁVEL.

Texto básico:  Pois toda espécie de feras, aves, répteis e criaturas marinhas é possível domar e, de fato, tem sido domada pelos seres humanos; a língua, contudo, nenhuma pessoa consegue dominar. É um mal incontrolável, cheia de veneno mortal. Tiago.3.7,8.

Introdução: A língua é um órgão que articula as palavras e produz a fala. No mundo da comunicação as palavras faladas e escritas são muito importante. O ser humano não pode viver sem comunicação; porém a má comunicação, ou seja, palavras ditas precipitadamente e fora do tempo, pode desencadear uma série de problemas na vida das pessoas e até leva-las a  morte; infelizmente isso é fato. Com o passar dos tempos o homem tem desenvolvido técnicas e habilidades para manobrar e controlar vários inventos e coisas, inclusive até os animais; porém nenhum homem tem o poder de dominar a sua própria língua. Na verdade existem pessoas que procuram ser prudentes no falar, outras preferem falar menos; todavia o lado emocional destas pessoas pode ser abalado e elas perderem o controle e se precipitarem em palavras.

TRÊS TIPOS DE COMPORTAMENTO NO FALAR:

1. Os que falam precipitadamente.
Tens visto um homem precipitado nas suas palavras? Maior esperança há de um tolo do que dele. Pv.29.20.

2. Os que falam perversamente.
Os lábios justos sabem como falar agradavelmente; entretanto, a boca, dos ímpios só tagarela perversidades. Pv.10.32.

3. Os que falam prudentemente.
Na multidão de palavras não falta transgressão, mas o que modera os seus lábios é prudente. Pv.10.19.

CINCO EFEITOS NEGATIVOS PRODUZIDOS PELA LÍNGUA.

1. ANGÚSTIA.
O que guarda a boca  e a língua guarda das angústias a sua alma. Pv.21.23.

2. PERTURBAÇÃO.
O que guarda a sua boca conserva a sua alma, mas o que muito abre os lábios tem perturbação. Pv.13.3.

3. CONTENDA.
Os lábios do tolo entram na contenda, e a sua boca brada por açoites. Pv.18.6.

4. DESGRAÇA.
O homem de coração maldoso jamais prospera de fato, e o de  língua mentirosa logo cai em desgraça. Pv.17.20.

5. MORTE.
A morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama comerá do seu fruto. Pv.18.21.   

CINCO EFEITOS POSITIVOS PRODUZIDOS PELA LÍNGUA.

1. CONHECIMENTO.
Os lábios dos sábios derramam o conhecimento, mas o  coração dos tolos não fará assim. Pv.15.7.

2. VIDA.
Uma língua saudável é árvore de vida, mas a perversidade nela quebranta o espírito. Pv.15.4.

3. SAÚDE.
Há alguns cujas palavras são como pontas de espada, mas a língua dos sábios é saúde. Pv.12.18.

4. SABEDORIA.
A língua dos sábios adorna a sabedoria, mas a boca dos tolos derrama a tolice. Pv.15.2.

5. LONGEVIDADE.
Quem é o homem que deseja a vida, que quer largos dias para ver o bem? Guarda a tua língua do mal e os teus lábios de falarem enganosamente. Aparta-te do mal e faz o bem; procura a paz e segue-a. Sl.34.12-14.

Conclusão: Muitos entraram em perturbação e estão em situações difíceis por haverem falado precipitadamente e fora de tempo. Há um ditado que diz: Há três coisas que não voltam mais: A oportunidade perdida, a flecha que foi atirada, e a palavra falada. A língua dos sábios falam no tempo certo. Está escrito: O homem se alegra na resposta da sua boca, e a palavra, a seu tempo, quão boa é! (Pv.15.23). Que a nossa língua seja disciplinada para edificação e bem daqueles que nos ouve. Amém! 

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

FÉ, UMA FONTE DE PODER.

Texto básico: E eles, passando pela manhã, viram que a figueira se tinha secado desde as raízes. E Pedro, lembrando-se, disse-lhe: Mestre, eis que a figueira que tu amaldiçoaste se secou. E Jesus, respondendo, disse-lhes: Tende fé em Deus, porque em verdade vos digo que qualquer que disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz, tudo o que disser lhe será feito. Por isso vos digo que tudo o que pedirdes, orando, crede que o recebereis e tê-lo-eis. Mc.11.20-24.

Introdução: Dentro do âmbito do reino de Deus, e dentro da vontade de Deus, tudo é possível através da fé. A fé é uma fonte de poder, porque ela tem a sua origem em Deus. Todavia esta fé só tem efeito eficaz quando a mesma é acompanhada de obediência a Deus, e a sua palavra. Todos os homens e mulheres que fizeram da fé sua fonte de poder, não só creram em Deus, mas também lhe obedeceram. Está escrito que, pela fé, Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia (Hb.11.8). Todas as pessoas que depositam sua fé em Deus, não serão decepcionadas, porque Deus honra a fé daqueles que lhe honra. Jesus é o autor e consumador da fé (Hb.12.2). Autor, porque a fé tem origem Nele; consumador, porque está direcionada a Ele e termina Nele. Ele consome nossa fé, aprova e autentica o nosso pedido; Deus o Pai, manda resposta e libera a nossa vitória. Todos os homens e mulheres que fazem da fé a sua  fonte de poder, estão fadados ao sucesso.

A LINGUAGEM DA FÉ COMO UMA FONTE DE PODER.

Muitas vezes enfrentamos situações adversas e somos desafiados a exercitar a nossa fé, muitos não perseveraram e desistiram. Mas, todos quantos perseveram e fazem da fé a sua fonte de poder, serão honrados por Deus e alcançarão a vitória.

O APÓSTOLO PAULO DISSE: Posso todas as coisas naquele que me fortalece. Fp.4.13.

O PATRIARCA JÓ DISSE: Ainda que ele me mate, nele esperarei; contudo meus caminhos defenderei diante dele (Jó.13.15). Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra. Jó.19.25.

0S TRÊS MOÇOS ANTES DE SEREM JOGADOS NA FORNALHA:
Falou Nabucodonozor e lhes disse: É de propósito, ó Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, que vós não servis a meus deuses nem adorais a estátua de ouro que levantei? Responderam Sadraque, Mesaque e Abede-Nego e dissera ao rei Nabucodonozor: Não necessitamos de te responder sobre este negócio. Eis que o nosso Deus, a quem nós servimos, é que nos pode livrar; ele nos livrará do forno de fogo ardente e da tua mão, ó rei. E, se não, fica sabendo, ó rei, que não serviremos a teus deuses nem adoraremos a estátua de ouro que levantaste. Dn.3.14,16-18.

DAVÍ DISSE: E Daví disse a Saul: Não desfaleça o coração de ninguém por causa dele; teu servo irá e pelejará contra este filisteu. Porém Saul disse a Daví: Contra este filisteu não poderás ir para pelejar com ele; pois tu ainda és moço, e ele, homem de guerra desde a sua mocidade. Então, disse Daví a Saul: Teu servo apascentava as ovelhas de seu pai; e vinha um leão ou um urso e tomava uma ovelha do rebanho, e eu saía após ele, e o feria, e a livrara da sua boca; e, levantando-se ele contra mim, lançava-lhe mão da barba, e o feria, e o matava. Assim, feria o teu servo o leão como o urso; assim será este incircunciso filisteu como um deles; porquanto afrontou os exércitos do Deus vivo. Disse mais Daví: O SENHOR me livrou da mão do leão e da do urso; ele me livrará da mão deste filisteu. Então disse Saul disse a Daví: Vai-te embora, e o SENHOR seja contigo. 1Sm.17.32-37.

ABRAÃO, O PAI DA FÉ, DISSE: E disse Abraão a seus moços: Ficai-vos aqui com o jumento, e eu e o moço iremos até ali; e, havendo adorado, tornaremos a vós. Então, falou Isaque a Abraão, seu pai, e disse: Meu pai! E ele disse: Eis-me aqui, meu filho! E disse ele: Eis aqui o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto? E disse Abraão: Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho. Assim, caminharam ambos juntos.Gn.22.5,7,8.

O PROFETA HABACUQUE DISSE: Porquanto, ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos  não produzam mantimentos; as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja vacas, todavia, eu me alegrarei no SENHOR, exultarei no Deus da minha salvação. JEOVÁ, o Senhor, é a minha força, e fará os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas. Hc.3.17-19.

Conclusão: A fé é uma fonte inesgotável de poder. Jesus disse: Tudo é possível ao que crê (Mc.9.23). A fé vê o invisível. A fé escuta o inaudível. A fé toca no inatingível. A fé crê no impossível. Creia, Deus fará o impossível acontecer na sua vida. Porque para Deus nada é impossível (Lc.1.37).
                

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

VIVENDO PELA FÉ.

Texto básico: Porque ainda um poucochinho de tempo, e o que há de vir virá e não tardará. Mas o justo viverá da fé; e, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele. Hebreus 10.37,38.

Introdução: Viver pela fé é ter coragem para enfrentar os desafios da vida. A fé é o combustível espiritual da vida do crente, sem fé é impossível agradar a Deus (Hb.11.6). Sem fé não teremos o favor de Deus, sem fé a nossa vida fica medíocre, sem fé a vida perde o sentido, sem fé não alcançaremos a vitória. Podemos chegar a perder tudo nesta vida, mas se não perdermos a fé, ainda nos resta uma grande esperança e seremos capazes de dá a volta por cima e reconquistar tudo de novo e muito mais. A fé nos proporciona confiança, forças, esperança e a certeza de uma vida vitoriosa. Quem vive pela fé e da fé, não fica decepcionado, não vive frustrado e não fica a deriva (sem rumo e sem direção). Disse Jesus: Se tu podes crer; tudo é possível ao que crê (Mc.9.23). Viver pela fé deve ser um princípio de vida adotado por todos que se dispõe a viver na direção e dependência de Deus.

CINCO CARACTERÍSTICAS QUE IDENTIFICAM UMA PESSOA QUE VIVE PELA FÉ:

1. ANDA POR FÉ.

Porque andamos por fé e não por vista (2Co.5.7).
A exemplo do nosso pai na fé Abraão, devemos andar pela fé. Diz a palavra de Deus que Abraão obedecendo a ordem de Deus, sai da sua terra, do meio dos seus parentes e da casa do seu pai, para ir à uma terra que Deus iria lhe mostrar. Está escrito: Pela fé, Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia (Hb.11.8). Quem anda por vista só vê a vantagem, e pensa que vai se dá bem, mas muitas vezes está fora da vontade de Deus. Ló, o sobrinho de Abraão, andava por vista, e escolheu as verdejantes campinas do Jordão, próximo a Sodoma; essa escolha feita por vista lhe trouxe grandes prejuízos e péssimas consequências (Gn.13.7-13). Andar por fé é andar debaixo da vontade de Deus.  
2. FALA PALAVRAS DE FÉ.

Andarei perante a face do SENHOR, na terra dos viventes. Cri; por isso, falei; estive muito aflito (Sl.116.9,10). Quem vive pela fé, fala as palavras da fé. Mesmo estando em situações difíceis e adversas mas sempre acreditando e falando a palavra da fé, Deus honrará. Porque Deus honra a fé daqueles que lhe honra. Quando estar faltando tudo, quando as portas estão fechadas e as coisas não dão certo; chegamos a pensar: É o fim, porém a fé fala mais alto que todos os problemas, e podemos dizer como disse nosso pai Abraão: Deus proverá! JEOVÁ Jireh, Ele é a nossa provisão, ele prover todas as coisas. Amém!

3. VÊ O INVISÍVEL.

Pela fé, Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó, escolhendo, antes, ser maltratado com o povo de Deus do que por, um pouco de tempo, ter o gozo do pecado; tendo, por maiores riquezas, o vitupério de Cristo, do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa. Pela fé, deixou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ficou firme, como vendo o invisível (Hb.11.24-27).
Tudo que é concreto, que é visível, que é palpável e que material não é de fé. A fé não está baseada naquilo que se ver, e sim naquilo que não vemos. Está escrito: Ora, a fé é a certeza de que havemos de receber o que esperamos, e a prova daquilo que não podemos ver (Hb.11.1). Paulo escrevendo aos romanos disse: Porque em esperança, somos salvos. Ora, a esperança que se vê não é esperança; porque o que alguém vê, como o esperará? Mas, se esperarmos o que não vemos, com paciência o esperamos (Rm.8.24,25). Pela fé visualize a sua vitória, Deus está trabalhando a seu favor (Is.64.4). Amém!

4. ACREDITA NO IMPOSSÍVEL.

Portanto, é pela fé, para que seja segundo a graça, a fim de que a promessa seja firme a toda a posteridade, não somente à que é da lei, mas também à que é da fé de Abraão, o qual é pai de todos nós. Como está escrito: Por pai de muitas nações te constituí, perante aquele no qual creu, a saber, Deus, o qual vivifica os mortos e chama as coisas que não são como se já fossem. O qual, em esperança, creu contra a esperança que seria feito pai de muitas nações, conforme o que lhe fora dito: Assim será a tua descendência. E não enfraqueceu na fé, nem atentou para o seu próprio corpo já amortecido (pois era já de quase cem anos), nem tampouco para o amortecimento do ventre de Sara. E não duvidou da promessa de Deus por incredulidade, mas foi fortificado na fé, dando glória a Deus; e estando certíssimo de que o que ele tinha prometido também era poderoso para o fazer (Rm.4.16-21).
Na ótica humana era impossível Abraão e sua esposa Sara, gerar filhos, visto que eles estavam com suas idades bastante avançada. A medicina moderna mesmo com todos os avanços de conhecimento e técnica para fertilização humana, acha impraticável e impossível um casal com quase cem anos gerar filhos. Mas para Deus, nada é impossível (Lc.1.37). É questão de fé, acreditar naquilo que é possível não é fé, fé é acreditar no impossível. O Deus do impossível fará milagres na vida daqueles que acreditam no impossível. Amém!

5. DESCANSA NAS PROMESSAS DE DEUS.

Retenhamos firmes a confissão da nossa esperança, porque fiel é o que prometeu. Porque necessitais de paciência, para que, depois de haverdes feito a vontade de Deus, possais alcançar a promessa (Hb.10.23,36).
Descansar nas promessas de Deus, é fica firme e esperar com paciência o cumprimento da promessa. Assim como Jacó colocou uma pedra como sua cabeceira e dormiu, e sonhou com uma escada que ligava a terra aos céus, e os anjos de Deus, subiam e desciam; assim devemos pegar as promessas de Deus, fazer um travesseiro, descansar nelas e ter visões de Deus (Gn.28.10-17). Aquele que crê, não se apresse. Está escrito: Portanto, assim diz o SENHOR JEOVÁ: Eis que eu assentei em Sião uma pedra, uma pedra já provada, pedra preciosa de esquina, que está bem firme e fundada; aquele que crer não se apresse (Is.28.16). Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com os ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti, que trabalhe para aquele que nele espera (Is.64.4). Deus não chega atrasado nem adiantado, ele chega na hora certa, no momento oportuno, e cumpri com a sua palavra. Quem vive pela fé, descansa e confia na palavra de Deus.

Conclusão: Mesmo convivendo com um mundo cheio de pessoas céticas e materialistas, é possível viver pela fé. Muitos começaram e não chegaram ao fim, no dito popular, muitos já chutaram o balde, jogaram a toalha e se tornaram pessoas frias em relação a fé. Todavia, devemos tomar por exemplo o apóstolo Paulo, que disse: Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé (2Tm.4.7). Se você perdeu tudo nesta vida, menos a fé, então você não perdeu nada. Porque a fé é a chave que abre todas as portas. O mais importante nesta vida não é guardar dinheiro e acumular riquezas, o mais importante é guardar a fé. Pense nisso.

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

A SANTIDADE DE DEUS.

E os quatro animais tinham, cada um, respectivamente, seis asas e, ao redor e por dentro, estavam cheios de olhos; e não descansam nem de dia nem de noite, dizendo: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo-poderoso, que era, e que é, e que há de vir (Apocalipse, 4.8).

A santidade de Deus, é um dos seus atributos que mais lhe identifica, ela é inerente a sua pessoa. A dimensão da santidade de Deus, pode ser vista em três diferentes aspectos: 1. Deus é santo porque ele é único e está separado de toda a sua criação. 2. Deus é santo porque ele é puro e não pode ser atingido pelo mal. 3. Deus é santo, porque ele é, em sua essência e caráter, impecável. Isto significa dizer que, Deus não tornou-se santo, Ele sempre foi santo e nunca deixará de ser. Deus é santo, e tudo o que está relacionado a Ele é santo. Se não for deve ser, e se não é não serve para Deus. Na santidade de Deus Ele não aceita mistura; Ele disse: E ser-me-eis santos, porque eu, o SENHOR, sou santo e separei-vos dos povos, para serdes meus (Lv.20.26). Ser santo é está separado do pecado e viver para uso e serviço exclusivo de Deus. Está escrito: Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver (1Pe.1.15). A santidade de Deus é manifesta e revelada em toda a bíblia, é impossível alguém tentar desvincular Deus da sua santidade. A santidade de Deus nos causa temor, reverência e adoração.

TRÊS MANIFESTAÇÕES DA SANTIDADE DE DEUS:

Deus é Santo e a sua santidade não pode ser maculada, a sua santidade está acima de todos os conceitos de santidade humana, ela é inatingível e não pode ser superada por ninguém.

1. A SANTIDADE DE DEUS NA SARÇA.

E apascentava Moisés o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote em Midiã; e levou o rebanho atrás do deserto e veio ao monte de Deus, a Horebe. E apareceu-lhe o Anjo do SENHOR em uma chama de fogo, no meio de uma sarça; e olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia. E Moisés disse: Agora me virarei para lá e verei esta grande visão, porque a sarça se não queima. E, vendo o SENHOR que se virara para lá a ver, bradou Deus a ele do meio da sarça e disse: Moisés! Moisés! E ele disse: Eis-me aqui. E disse: Não te chegues para cá; tira os teus sapatos de teus pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa. Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. E Moisés encobriu o seu rosto, porque temeu olhar para Deus (Êxodo 3.1-6).
Passado quarenta anos, desde que Moisés havia fugido do Egito; estando ele no deserto de Midiã, apascentando as ovelhas de seu sogro Jetro, o Senhor Deus, decidiu revela-se para Moisés através de uma sarça pegando fogo. A santidade de Deus foi revelada mais uma vez. Ele, o Deus kadosh, que chama Moisés pelo seu nome e lhe santifica para ser o libertador do seu povo no Egito, disse a Moisés: Tira os sapatos dos teus pés, porque o lugar em estás é santo. Diz a bíblia que Moisés encobriu o seu rosto, porque temeu olhar para Deus. O impacto da santidade de Deus, causou em Moisés: Temor, reverência e adoração.

2. A SANTIDADE DE DEUS NO MONTE.

Então, Moisés desceu do monte ao povo e santificou o povo; e lavaram as suas vestes. E disse ao povo: Estai prontos ao terceiro dia; e não chegueis a mulher. E aconteceu ao terceiro dia, ao amanhecer, que houve trovões e relâmpagos sobre o monte, e uma espessa nuvem, e um som de buzina mui forte, de maneira que estremeceu todo o povo que estava no arraial. E Moisés levou o povo fora do arraial ao encontro de Deus; e puseram-se ao pé do monte. E todo o monte Sinai fumegava, porque o SENHOR descera sobre ele em fogo; e a sua fumaça subia como fumaça de um forno, e todo o monte tremia grandemente. E o som da buzina ia crescendo em grande maneira; Moisés falava, e Deus lhe respondia em voz alta (Ex.19.14-19). E todo o povo viu os trovões, e os relâmpagos, e o som da buzina, e o monte fumegando; e o povo, vendo isso, retirou-se e pôs-se de longe. E disseram a Moisés: Fala tu conosco, e ouviremos; e não fale Deus conosco, para que não morramos (Ex.20.18,19).
Deus, o kadosh de Israel, disse a Moisés, que Santificasse o povo e os levasse ao pé do monte, mantendo uma certa distância, porque se alguém tocasse no monte seria morto (Ex.19.20-25). A santidade de Deus, deixou o povo assombrado, e o povo temeu ouvir a voz de Deus. A presença do Deus santo, era tão forte no monte, que o monte fumegava e havia trovões e relâmpagos, e o som de buzina. Foi ali que o Deus santo, escreveu os dez mandamentos em duas tábuas de pedra, deu leis e estatutos ao seu povo.

3. A SANTIDADE DE DEUS NO TEMPLO.

No ano em que morreu o rei Uzias, eu vi ao Senhor assentado sobre um alto e sublime trono; e o seu séquito enchia o templo. Os serafins estavam acima dele; cada um tinha seis asas; com duas cobriam o rosto, e com duas cobriam os pés, e com duas voavam. E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória. E os umbrais das portas se moveram com a voz do que clamava, e a casa se encheu de fumaça. Então, disse eu: Ai de mim, que vou perecendo! porque eu sou um homem de lábios impuros e habito no meio de um povo de impuros lábios; e os meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos. Is.6.1-5.
O profeta Isaías nos relata que quando orei Uzias morreu, ele viu ao SENHOR. O rei Uzias era seu tio, e Isaías tinha uma grande afinidade com ele; Isaías por fazer parte da família real, costumava viver uma vida de palácio, no palácio ele convivia com pessoas ímpias, que eram a elite da sociedade e tinha grande influência. Com a morte do seu tio, Isaías é tomado por um sentimento de tristeza, e ele vai ao templo em busca de consolo e conforto. No templo ele teve uma visão da glória e da santidade de Deus. Nesta visão ele é tomado por um sentimento de temor, reverência e adoração diante da santidade de Deus. Deus manifestou a sua santidade a Isaías, e a sua vida mudou a partir daquele dia. Dali por diante ele foi um crente e um profeta verdadeiramente consagrado ao SENHOR.

CONCLUSÃO:
Deus Santo, é único santificador. Ele nos chama, nos separa, e nos santifica para sermos exclusivos Dele. Para servir a Deus, não podemos ser santos e profanos ao mesmo tempo. Deus é santo e exigi santidade da parte daqueles que pertencem a Ele, e querem fazer a sua obra. Na sua palavra está escrito: Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor (Hebreus.12.14). Amém!

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

ABIGAIL, A MULHER PRUDENTE.

Então, Davi disse a Abigail: Bendito o SENHOR, Deus de Israel, que hoje te enviou ao meu encontro. Bendita seja a tua prudência, e bendita sejas tu mesma, por me teres impedido hoje de derramar sangue e fazer justiça com as minhas próprias mãos! (I Samuel. 25.32,33).

Abigail, nome hebraico, que significa fonte de alegria, era uma mulher prudente, sábia, humilde e temente a Deus. Diz a bíblia, que Abigail era mulher inteligente e formosa (1Sm.25.3). Nabal, seu marido era um homem rico e próspero, porém duro e maligno. A história dessa notável e extraordinária mulher de Deus, nos comove e nos traz um grande exemplo de prudência para todos nós nos dias atuais. Após o falecimento de Samuel, e o rei Saul ter sido rejeitado pelo Senhor, Daví foi escolhido por Deus para substituí-lo. Por esse motivo Saul queria matá-lo. Daí então Davi, o belemita, saiu da cidade e passou a habitar nas cavernas do deserto de Parã; acompanhado por um grupo de homens. O acampamento onde Daví estava, ficava próximo a fazenda de Nabal, que era um homem bem sucedido financeiramente. Diz a bíblia, que Davi mandou dez jovens ir ao encontro de Nabal, para lhe pedir alimentos, mas ele recusou em dar-lhe, e deixou os jovens voltar de mãos vazias. Pelo que Davi, muito se indignou, e na sua ira determinou junto com os seus quatrocentos homens, que lhe mataria e destruiria toda a sua casa. Um dos servos de Nabal, fez saber a Abigail, que seu marido havia negado alimentos a Daví. Pelo que ela saiu ao encontro de Davi, e procurou apaziguar a situação, dando a entender a Daví, que seu marido era um homem mau, tolo, sem entendimento, mas que ele perdoasse a sua atitude impensável, e que ela estava com bastante alimentos para suplemento dele e dos seus homens. Daví, louvou a sua atitude sábia e prudente e desistiu de matar o seu marido. Passado alguns dias, quase dez dias, o SENHOR feriu Nabal, e este faleceu, e Davi, tomou Abigail por mulher. Davi não só atentou para sua formosura, e sim por ver nela qualidades espirituais que lhe destacava, além da sua beleza.

A IMPORTÂNCIA DE SER UMA MULHER PRUDENTE.

Jesus disse: Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e símplices como as pombas (Mt.10.16).
A prudência é uma virtude muito importante na vida de uma pessoa, prudência é sinônimo de sabedoria; uma pessoa sábia é uma pessoa prudente. Porém uma pessoa pode ter um vasto conhecimento, e não ser sábia. O conhecimento é bom, porque ele está relacionado na área do saber, seja ele científico, político, religioso, cultural, teológico, filosófico e outros mais. Porém a sabedoria no agir, no proceder e no falar é diferente da sabedoria do conhecimento. Abigail, por ser uma mulher sábia, foi louvada por Davi pela sua atitude de prudência.

AS QUALIDADES DE ABIGAIL:

Temente a Deus.
Enganosa é a graça, e vaidade, a formosura, mas a mulher que teme ao SENHOR, essa será louvada. Pv.31.30.

Sábia.
Toda mulher sábia edifica a sua casa, mas a tola derruba-a com as suas mãos. Pv.14.1.

Humilde.
O temor do SENHOR é a instrução da sabedoria, e diante da honra vai a humildade. Pv.15.33.

Prudente.
A casa e a fazenda são a herança dos pais; mas do SENHOR vem a mulher prudente. Pv.19.14.

MULHERES QUE FORAM LOUVADAS POR SUA PRUDÊNCIA:

Maria.
E aconteceu que, ao ouvir Isabel a saudação de Maria, a criancinha saltou no seu ventre; e Isabel foi cheia do Espírito Santo, e exclamou com grande voz, e disse: Bendita és tu entre as mulheres, e é bendito o fruto do teu ventre (Lc.1.41,42). E, entrando o anjo onde ela estava, disse: Salve, agraciada; o Senhor é contigo; bendita és tu entre as mulheres. Lc.1.28.

Jael.
Bendita seja sobre as mulheres Jael, mulher de Héber, o queneu; bendita seja sobre as mulheres nas tendas. Água pediu ele (Sísera), leite lhe deu ela; em taça de príncipes lhe ofereceu manteiga. Jz.5.24,25.

Abigail.
Bendita seja a tua prudência, e bendita sejas tu mesma, por me teres impedido hoje de derramar sangue e fazer justiça com as minhas próprias mãos! 1Sm.25.33.

CONCLUSÃO:  
A sabedoria e a prudência andam juntas, é como um barco a remo, temos que remar de ambos os lados para seguirmos na direção certa. Muitas guerras poderiam ser evitadas se os homens usassem de sabedoria, o mundo seria menos violento se as pessoas agissem com prudência e sabedoria, muitas questões seriam resolvidas pacificamente sem precisar de ir a julgamento, se as pessoas fossem coerentes e usassem de sabedoria. Finalmente, a bíblia diz: E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não o lança em rosto; e ser-lhe-á dada (Tiago. 1.5). 

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

COMO IDENTIFICAR UM FALSO PROFETA.



E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. E muitos seguirão as suas dissoluções, pelo quais será blasfemado o caminho da verdade; e, por avareza, farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita (2Pedro.2.1-3).

O apóstolo Pedro, para prevenir a igreja de Jesus, fez menção aos falsos profetas do Antigo Testamento, e prevendo por uma visão do Espírito anunciou ao povo que haveria também entre eles falsos profetas ou doutores (ensinadores).
Satanás trabalha de forma sutil, e principalmente por meio de falsos mestres, os quais são seus mensageiros e embaixadores, para enganar, iludir e destruir as preciosas almas dos homens.Sempre existiram falsos mestres e profetas no meio do povo de Deus, estes são infiltrados por Satanás com a intenção de desviar os crentes do caminho da verdade e levá-los ao engano. O novo testamento está repleto de advertências quanto aos falsos pregadores. Na época dos apóstolos, já havia um número bastante expressivo infiltrados na igreja, pervertendo a teologia dos apóstolos que tinha como base as escrituras sagradas. Hoje em pleno século vinte e um, o número dos falsos mestres e profetas crescem cada vez mais, e as suas artimanhas tem levado ao engano milhões de pessoas que estão seguindo os seus falsos ensinos. A medida que nos aproximamos do final dos tempos estamos vendo falsos pregadores, falsos ensinadores, falsos pastores, falsos lideres e profetas, se multiplicando cada vez mais. Muitos estão criando inovações e contradizendo a palavra de Deus, muitos estão usando a bíblia para o seu próprio proveito e conveniência; muitos estão pregando um evangelho de facilidades, apresentando ao povo um Jesus capitalista tornando as pessoas cada vez mais materialistas e egoístas. Muitos estão usando o nome de Deus e a sua palavra de forma distorcida para tirar proveito da situação das pessoas, fazendo delas negócio, transformando a religião ou o evangelho em um show business, para enriquecer a sua conta bancária. Mas as máscaras dos falsos estão caindo, é preciso despertarmos para a verdade e deixarmos de sermos levados (as) pelas emoções e pelas tietagens no meio do povo de Deus; igreja não é fã clube, igreja não é clube social, nem estar firmada em status social ou eclesiástico dos homens, a igreja é a coluna e firmeza da verdade e o dono dela é Jesus Cristo.

CINCO CARACTERÍSTICAS QUE IDENTIFICAM UM FALSO PROFETA:

1. SÃO AVARENTOS.

E, por avareza, farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita. 2Pe.2.3.
Os falsos profetas são movidos por sórdida ganância, eles são exploradores da boa fé daqueles que são simples e ignorantes em relação a palavra de Deus. Eles tratam as pessoas pelo que elas tem, e não pelo que são; admirando-as por interesse, querendo receber algo em troca. Eles não tem compromisso com a palavra de Deus, olham as pessoas como números, o seu interesse é dinheiro, e só pensam em riquezas.
Eles buscam os seus bens mais do que o bem das pessoas; e preocupam-se mais com o serviço de si mesmos, do que com a salvação das almas. Então, se eles podem ter os seus bens matérias, eles não se importam, que Satanás tenha as almas das pessoas.

2. SÃO HIPÓCRITAS.

Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, se desviarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrina de demônios, pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência. 1Tm.4.1,2.
Os falsos ensinadores ou profetas, eles são hipócritas, eles ensinam e não vivem o que ensinam; eles pregam, e a sua vida é uma contradição daquilo que pregam; eles vivem arrotando santidade, mas na prática a sua vida é um sepulcro caiado. Eles vivem de aparências, vestidos numa capa de santidade, mas são falsos e hipócritas.

3. SÃO FALSIFICADORES DA PALAVRA DE DEUS.

Porque nós não somos, como muitos, falsificadores da palavra de Deus; antes, falamos de Cristo com sinceridade, como de Deus na presença de Deus. 2Co.2.17.
Os falsos profetas ou mestres, são falsificadores da palavra de Deus, pelo fato de eles usarem a palavra de Deus, para seu próprio proveito e conveniências. Eles falsificam e adaptam a palavra de Deus, para satisfação do seu ego e interesse financeiro. Distorcem a bíblia, forçam o texto e fazem interpretações absurdas para satisfação própria, e para levar o povo ao engano. Usam a bíblia como manual de auto ajuda, e meio de ganhar dinheiro.

4. SÃO SOBERBOS.

Quando o tal profeta falar em nome do SENHOR, e tal palavra se não cumprir, nem suceder assim, esta é palavra que o SENHOR não falou; com soberba a falou o tal profeta; não tenhas temor dele. Dt.18.22.
Os falsos profetas são soberbos e arrogantes, muitos querem honras para si, falam e profetizam aquilo que Deus não mandou. Eles gostam de receber elogios e de ter o seu ego massageado. Muitos se intitulam profetas do SENHOR, e acham que Deus só fala através deles, só querem ser ouvidos e não querem ouvir a mais ninguém; só ele que prega bem, só ele ensina bem, é soberbo, não tem um pingo de humildade, não se submete e nem se assenta para ouvir ninguém, só ele é o bom, só ele é o pregador, só ele é o profeta.
Tenhamos cuidado com esses falsos profetas, a bíblia recomenda: Amados, não creiais em todo espírito, mas provai se os espíritos vem de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo (1Jo.4.1).

5. SÃO OBREIROS DESONESTOS.

Porque tais falsos apóstolos são obreiros desonestos, fingindo-se apóstolos de Cristo. E essa atitude não é de admirar, pois o próprio Satanás se disfarça de anjo de luz. 2Co.11.13,14.
A desonestidade é uma das características dos falsos profetas, eles demonstram aparência de piedade, mas na prática são cruéis e desonestos. Os falsos profetas são fraudulentos e vivem uma vida de engano e fingimento; enganam o povo com a palavra da verdade (a bíblia), usando suas artimanhas, eles são: Mentirosos, desonestos e enganadores. Que eles se convertam para o SENHOR, e procurem viver verdadeiramente como obreiros honestos, verdadeiros e aprovados por Deus, para toda a boa obra. Amém!

domingo, 6 de outubro de 2013

GRANDE É O SENHOR

Grande é o SENHOR e digno de todo louvor, na cidade de nosso Deus. Seu santo monte, belo e altaneiro, é a alegria de toda a terra. O monte Sião tem, do lado norte, a cidade do grande Rei. Em seus palácios, Deus se faz conhecer como alto refúgio. Por esse motivo, eis que os reis somaram suas forças e juntos avançaram contra a cidade. Contudo, quando a contemplaram, ficaram pasmados e fugiram aterrorizados. Salmos 48.1-5.

A grandeza de Deus é louvada e exaltada em toda a bíblia. O livro dos salmos especificamente é o livro que mais exalta a grandeza de Deus. Sendo Deus conhecido como El-shaday (Deus todo-poderoso), ele fez e faz coisas grandes. No livro do patriarca Jó, está escrito: Ele faz coisas tão grandiosas, que se não podem esquadrinhar, e tantas maravilhas que se não podem contar (Jó.5.9). A grandeza de Deus abrange tudo o que está relacionado a ele, desde os seus nomes e atributos, e todas as coisas por ele criadas. A grandeza de Deus é contraria a "grandeza do homem", o homem por causa dos seus talentos, da sua inteligência, da sua riqueza, e de sua posição social de destaque, ele se acha grande e inacessível e alguns chegam a pensar que é um deus. Porém o Soberano na sua grandeza e magnificência, a ninguém despreza e nem faz acepção de pessoas, antes, ele está disponível e pronto para atender todo aquele que lhe procura. Está escrito: Eis que Deus é mui grande; contudo, a ninguém despreza; grande é em força de coração (Jó.36.5). O homem se acha grande, mas não é; Deus é grande porque a sua grandeza é inerente a sua pessoa. Só podemos alcançar a grandeza de Deus pela fé. Se alguém limita Deus e não acredita na totalidade do seu poder, Deus será pequeno e limitado para esta pessoa. Mas, se a nossa fé é capaz de alcançar a Deus com todo o seu poder e grandeza, seremos por ele abençoados e ele fará coisas grandes na nossa vida. Amém!

SETE AÇÕES DE DEUS QUE COMPROVAM A SUA GRANDEZA:

1. Ele sabe o número das estrelas e chama a cada uma pelo seu nome.
Grande é o nosso SENHOR e de grande poder; o seu entendimento é infinito. Conta o número das estrelas, chamando-as a todas pelos seus nomes. Sl.147.5,4.

2. Ele sabe a quantidade de água que há nos mares e rios; Ele tem a medida dos céus e sabe quantos grãos de areia há na terra e sabe o peso do planeta.
Ora, dizei-me: Quem pôde medir a águas na concha da sua mão? Quem conseguiu avaliar a extensão dos céus a palmos, medir o pó da terra com o alqueire, ou calcular o peso da terra, ou ainda pesar as montanhas na balança e as colinas nos seus pratos? Is.40.12.

3. Ele assenta-se sobre o globo da terra e faz dos céus uma cortina.
Ele é o que está assentado sobre o globo da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; ele é o que estende os céus como cortina e os desenrola como tenda para neles habitar. Is.40.22.

4. Ele enche o céu e a terra.
Assim diz o SENHOR: O céu é o meu trono, e a terra, o estrado dos meus pés; sendo assim que espécie de casa me haveis de edificar? E que lugar seria o meu descanso? Is.66.1.

5. Ele caminha no meio da tormenta e anda na tempestade.
O SENHOR é tardio em irar-se, mas grande em força e ao culpado não tem por inocente; o SENHOR tem o seu caminho na tormenta e na tempestade, e as nuvens são o pó dos seus pés. Naum.1.3.

6. Ele inclina-se para contemplar o que acontece nos céus e na terra.
Quem é como o SENHOR, nosso Deus, que habita nas alturas; que se inclina para ver o que se passa nos céus e na terra. Sl.113.5,6.

7. Ele faz a natureza falar através da sua dinâmica.
Os céus revelam a glória de Deus, o firmamento proclama a obra de suas mãos. Um dia discursa sobre isso a outro dia, e uma noite compartilha conhecimento com outra noite. Não há linguagem, não há palavras, nenhuma voz que deles se ouça; entretanto, sua mensagem é transmitida por toda a terra, e sua mensagem, até aos confins do mundo. Nos céus, Ele armou uma tenda para o sol, que é como um noivo que sai de seu aposento, como feliz herói, a caminhar em sua jornada. Parte de uma extremidade dos ceus e percorre o seu caminho até o outro extremo; nada escapa ao seu calor. Sl.19.1-6.

Conclusão: A grandeza de Deus é infinita, imensurável e incomparável. Não há Deus maior, não há Deus melhor, não há Deus tão grande, como nosso Deus. Ele criou os céus, criou a terra, criou o sol e as estrelas, tudo Ele fez, tudo criou, tudo formou, para o louvor da sua glória e majestade.