quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

NO MONTE DA PROVAÇÃO HÁ PROVISÃO.

Texto básico: E aconteceu, depois destas coisas, que tentou Deus a Abraão e disse-lhe: Abraão! E ele disse: Eis-me aqui. E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá; e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi. Então, se levantou Abraão pela manhã, de madrugada, e albardou o seu jumento, e tomou consigo dois de seus moços e Isaque, seu filho; e fendeu lenha para o holocausto, e levantou-se, e foi ao lugar que Deus lhe dissera. Ao terceiro dia, levantou Abraão os seus olhos e viu o lugar de longe. E disse Abraão a seus moços: Ficai-vos aqui com o jumento, e eu e o moço iremos até ali; e, havendo adorado, tornaremos a vós. E tomou Abraão a lenha do holocausto e pô-la sobre Isaque, seu filho; e ele tomou o fogo e o cutelo na sua mão. E foram ambos juntos. Então, falou Isaque a Abraão, seu pai, e disse: Meu pai! E ele disse: Eis-me aqui, meu filho! E ele disse: Eis aqui o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto? E disse Abraão: Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho. Assim, caminharam ambos juntos. E vieram ao lugar que Deus lhes dissera, e edificou Abraão ali um altar, e pôs em ordem a lenha, e amarrou a Isaque, seu filho, e deitou-o sobre o altar em cima da lenha. E estendeu Abraão a sua mão e tomou o cutelo para imolar o seu filho. Mas o anjo do SENHOR lhe bradou desde os céus e disse: Abraão, Abraão! E ele disse: Eis-me aqui. Então, disse: Não estendas a tua mão sobre o moço e não lhe faças nada; porquanto agora sei que temes a Deus e não me negaste o teu filho, o teu único. Então, levantou Abraão os seus olhos e olhou, e eis um carneiro detrás dele, travado pelas suas pontas num mato; e foi Abraão, e tomou o carneiro, e ofereceu-o em holocausto, em lugar de seu filho. E chamou Abraão o nome daquele lugar o SENHOR proverá; donde se diz até ao dia de hoje: No monte do SENHOR se proverá. Gn.22.1-14.

Introdução: Neste episódio, Abraão, o pai da fé, é desafiado mais uma vez por Deus, a lhe ofertar o seu filho Isaque, a quem ele tanto amava. Deus decidiu provar a fé de Abraão para vê a disposição do seu coração em relação a sua obediência e temor a Ele. O amor de Abraão pelo seu filho Isaque, não poderia está acima do seu amor por Deus. Muitas vezes Deus exige de nós que haja renuncias e desapego das coisas materiais e a prioridade seja Ele. Feliz é aquele que é provado por Deus, a bíblia diz: Bem-aventurado o varão que sofre a tentação; porque quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam (Tg.1.12). Se queremos ser coroados, temos que ser provados e aprovados por Deus.

TRÊS ATITUDES DE ABRAÃO, DIANTE DA PROVAÇÃO:

1. OBEDIÊNCIA.

A disposição de Abraão em obedecer a Deus, sem questionar a sua ordem e soberania é algo que serve de lição para todos nós. Se quisermos ver Deus agir a nosso favor com providência, temos que nos submeter a sua vontade. A bíblia diz: Pela fé, Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia. Hb.11.8.

2. ADORAÇÃO.

Mesmo diante da provação, depois de ter caminhado três dias; Abraão disse a seus moços: Ficai-vos aqui com o jumento, e eu e o moço iremos até ali; e, havendo adorado, tornaremos a vós. A verdadeira adoração é um ato de fé, independente das circunstâncias o verdadeiro adorador, ele faz como Abraão, não deixa de adorar a Deus nos momentos difíceis. Diz a bíblia: E não duvidou da promessa de Deus por incredulidade, mas foi fortificado na fé, dando glória a Deus. Rm.4.20.

3. FÉ.

A fé e a obediência andam juntas, a fé verdadeira ela implica em uma devoção sincera a Deus. Quem tem fé e comunhão com Deus, não se desespera quando vem a provação, ou quando chega o dia mal, o dia da angústia; mas crê, e diz como disse Abraão: Deus proverá. Abraão quando levou Isaque, seu filho, para o sacrificar, ele foi pela fé, crendo que Deus era poderoso para depois de morto o ressuscitar. A bíblia diz: Pela fé, ofereceu Abraão a Isaque, quando foi provado, sim, aquele que recebera as promessas ofereceu o seu unigênito. Sendo-lhe dito: Em Isaque será chamada a tua descendência, considerou que Deus era poderoso para até dos mortos o ressuscitar. E daí também, em figura, ele o recobrou. Hb.11.17-19.

Conclusão: JEOVÁ jireh, o Deus da provisão, nunca vai desamparar aqueles que estão debaixo da sua vontade. A caminhada pode ser longa, o deserto desesperador e a noite parecer não ter fim; mas Deus estar no controle de tudo, trabalhando a favor daqueles que nele esperam, para lhes dá uma grande vitória

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

OLHANDO PARA JESUS

Portanto, nós também, pois, que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo embaraço e o pecado que tão de perto nos rodeia e corramos, com paciência, a carreira que nos está proposta, olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus (Hb.12.1,2).

Jesus é maravilhoso, o evangelho é lindo; mas infelizmente muitos que se dizem seguidores de Cristo tem manchado a imagem do evangelho de Cristo com suas atitudes ímpias, pervertendo o bom caminho e deixando as pessoas desacreditadas quanto a fé genuína do evangelho de Jesus Cristo. Mas, diante dos escândalos e apostasias que estamos vivenciando, não devemos perde o foco. O nosso alvo é Jesus, devemos continuar olhando para Jesus, ele mesmo disse: É necessário que venha os escândalos, mas aquele que perseverar até o fim será salvo. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida (Ap.2.10).

SETE RAZÕES NA CARTA AOS HEBREUS PORQUE DEVEMOS OLHAR PARA JESUS.

1. Ele é o autor e consumador da nossa fé (Hebreus, 12.2).

2. Ele é a expressa imagem de Deus (Hebreus, 1.1-3)

3. Ele é o nosso Sumo Sacerdote ( Hebreus, 4.14).

4. Ele é o nosso Mediador (Hebreus, 12.24).

5. Ele é o nosso Salvador (Hebreus, 5.9)

6. Ele é o nosso grande Pastor (Hebreus, 13.20).

7. Ele é Imutável. É o mesmo, ontem, hoje e eternamente (Hebreus, 13.8).

OLHANDO PARA JESUS SEREMOS SALVOS E VITORIOSOS.

Olhai para mim e sereis salvos, vós, todos os termos da terra; porque eu sou Deus, e não há outro (Is.45.22).

Pedro olhando para Jesus teve fé e começou a andar sobre as águas, porém quando ele deixou de olhar para Jesus e passou a olhar as dificuldades em sua volta, ele teve medo e começou a afundar. Para vencermos as intempéries da vida, é preciso manter o olhar fixo em Jesus (Mt.14.22-32).

Jesus disse: E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o filho do homem seja levantado, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (Jo.3.14,15).

Após Deus ter concedido uma grande vitória aos israelitas diante dos cananeus, diz a bíblia, que, eles partiram do monte Hor, pelo caminho do mar vermelho, a rodear a terra de Edom; porém a alma do povo angustiou-se neste caminho. E o povo falou contra Deus e contra Moisés: Por que nos fizestes subir do Egito, para que morrêssemos neste deserto? Pois, aqui, nem pão nem água há; e a nossa alma tem fastiu deste pão tão vil (Nm.21.4,5). Diante destas reclamações e murmurações do povo, Deus enviou uma praga de serpentes ardentes que morderam o povo; e morreram muitos em Israel. Todavia eles reconheceram o seu pecado e se arrependeram, e foram a Moisés e pediram para ele orar a Deus para fazer cessar aquele mal. Moisés orou, e Deus lhe mandou que fizesse uma serpente de metal e colocasse sobre uma haste; e todo aquele mordido, olhando para ela ficava vivo. Esta serpente de metal é símbolo do julgamento de Deus sobre o pecado. Jesus Cristo, quando foi crucificado, ele foi levantado na cruz para trazer o juízo de Deus sobre o pecado da humanidade e abrir uma grande porta para a salvação. A salvação para humanidade, está na cruz do calvário, olhando pela fé para Jesus Cristo crucificado, teremos a vitória garantida.
Aleluia! Amém!

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

A EXCELÊNCIA DA PALAVRA DE DEUS.

Texto básico: Oh! Quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! Mais doces do que o mel à minha boca. Sl.119.103. Mais desejáveis são do que o ouro, sim, do que muito ouro fino; e mais doces do que o mel e o licor dos favos. Sl.19.10.

Introdução: Excelente é mais que bom, é mais que ótimo, excelente é algo que está muito acima da média; aquilo que é perfeito. Nenhum livro no mundo é capaz de exceder o livro de Deus, porque nele se encontra a sua palavra; e a sua palavra é inerrante, é infalível e imutável. O salmista amava tanto a palavra de Deus, que ele a exaltava e qualificava-a da melhor maneira possível. Ele a exaltou de tal maneira, que chegou a dizer: Melhor é para mim a lei da tua boca do que inúmeras riquezas em ouro ou prata. Sl.119.72. Que possamos fazer igual: Desejando-a, amando-a, e guardando-a no nosso coração.

AS SETE EXCELÊNCIAS DA PALAVRA DE DEUS.

1. Ela é PERFEITA.

A lei do SENHOR é perfeita e refrigera a alma. Sl.19.7a.

2. Ela é FIEL.

O testemunho do SENHOR é fiel e dá sabedoria aos símplices. Sl.19.7b.

3. Ela é RETA.

Os preceitos do SENHOR são retos e alegram o coração. Sl.19.8a.

4. Ela é PURA.

O mandamento do SENHOR é puro e alumia os olhos. Sl.19.8b.

5. Ela é VERDADEIRA.

Os juízos do SENHOR são verdadeiros e justos juntamente. Sl.19.9b.

6. Ela é ETERNA.

Para sempre, ó SENHOR, a tua palavra permanece no céu. Sl.119.89.

7. Ela é INFINITA.

A toda perfeição vi limite, mas o teu mandamento é amplíssimo. Sl.119.96.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

CINCO QUALIDADES DO OBREIRO APROVADO.

Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade (II Timóteo. 2.15).

Obreiros tem muitos, mas os aprovados por Deus são poucos. Infelizmente estamos vivendo uma época em que as exigências e qualificações que a palavra de Deus recomenda para escolha e consagração de obreiros para exercer o ofício ministerial; seja diácono, presbítero, evangelista, pastor, bispo e outros, tem sido vulgarizada e desvalorizada. Uns são chamados por simpatia, outros por amizade, outros por ter um bom status social, outros por apadrinhamento, e na maioria das vezes eles não tem o mínimo de preparo ou vocação ministerial. Antigamente os homens de Deus oravam para o Espírito Santo revelar obreiros para serem consagrados, hoje muitos não oram mais neste sentido, parece que a urgência da obra é muito grande, e eles não tem tempo para orar. Já existe uma frase que muitos estão usando para justifica o seu erro, que diz: Se a chamada der errado, foi o homem quem chamou; se der certo, foi de Deus. Muitos almejam o episcopado com interesse financeiro, para engordar a sua conta bancária, muitos já se tornaram verdadeiros profissionais do púlpito nas igrejas e estão pregando o que o povo gosta de ouvir e não o que o povo precisa ouvir. Mas ainda existem obreiros qualificados e aprovados por Deus que estão fazendo a diferença nesta geração.

1. FIEL.

Que os homens nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus. Além disso, requer-se nos despenseiros que cada um se ache fiel (1Co.4.1,2).

A fidelidade é indispensável na vida de um obreiro, todo obreiro que finge ser fiel, em algum momento vai cair em contradição. A fidelidade envolve todas as áreas da vida do obreiro. Fidelidade com Deus, fidelidade com a esposa e filhos, fidelidade com a igreja, fidelidade ministerial, fidelidade nos negócios, enfim, em todas as coisas. O apóstolo Paulo instruindo o jovem pastor Timóteo, disse: Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, na caridade, no espírito, na fé. na pureza. Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá. Medita estas coisas, ocupa-te nelas, para que o teu aproveitamento seja manifesto a todos. 1Tm.4.12,13,15.

2. VIGILANTE.

Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina; persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que tem ouvem. 1Tm.4.16.
O obreiro que não é vigilante a sua vida pode se tornar uma tragédia. É preciso ser vigilante em todas as áreas, para que os nossos adversários, inclusive o diabo, não tenha de que nos acusar. O obreiro deve ficar sempre de prontidão e nunca dormir; pois o inimigo não dorme, ele trabalha de dia e de noite, procurando uma brecha para entrar e destruir. Por isso a bíblia nos recomenda dizendo: Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em redor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar. 1Pe.5.8. O apóstolo Paulo também nos exorta dizendo: Não durmamos, pois, como os demais, mas vigiemos e sejamos sóbrios. 1Ts.5.6.

3. SOFREDOR.

Sofre, pois, comigo, as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo. Ninguém que milita se embaraça com negócio desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra. E, se alguém também milita, não é coroado se não militar legitimamente (2Tm.2.3-5).

Hoje muitos obreiros não querem mais sofrer, muitos querem ostentar um titulo e ter isto como status, não estão interessados em se preocupar de cuidar das ovelhas, e sim em sugá-las, recolher a sua lã (bens, dinheiro) e viver um evangelho business (de negócios). O obreiro não foi chamado só  para viver um evangelho de conforto, mais também de sofrimento. O apóstolo Paulo escrevendo aos filipenses, diz: Porque a vós vos foi concedido, em relação a Cristo, não somente crer nele, como também padecer por ele, tendo o mesmo combate que já em mim tendes visto e, agora, ouvis estar em mim. Fp.1.29,30. Palavra fiel é esta: que se morrermos com ele, também com ele viveremos; se sofrermos, também com ele reinaremos, se o negarmos, também ele nos negará; se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo (2Tm.2.11-13).

4. VERDADEIRO.

Tu porém, fala o que convém à sã doutrina (Tt.2.1).
Conjuro-te, pois, diante de Deus e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino, que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as sua próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando as fábulas. Mas tu sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faz a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério (2Tm.4.1-5).

O obreiro aprovado, ele é verdadeiro porque vive na verdade e prega a palavra da verdade. Só pode pregar a palavra da verdade, aquele que é verdadeiro; quando o apóstolo Paulo disse: Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade; isto significa dizer que, para se apresentar a Deus aprovado, é preciso está vivendo a verdade. Quem vive a verdade tem aprovação de Deus, não é envergonhado por ninguém e tem autoridade de manejar bem a palavra da verdade. Infelizmente, muitos não vivem o que pregam; muitos estão disfarçados de obreiros verdadeiros, vivem de engano e são hipócritas, mas com um tempo as máscaras irão cair.

5. HUMILDE.

Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor (Ef.4.1,2).

A humildade é uma virtude que identifica o verdadeiro homem de Deus. O obreiro aprovado ele não deve ser orgulhoso, soberbo e de olhar altivo; e sim amigo, comunicativo, amável, generoso e humilde. A palavra de Deus nos diz: A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda (Pv.16.18). Antes de ser quebrantado, eleva-se o coração do homem; e, diante da honra, vai a humildade (Pv.18.12).
Há obreiros que começaram bem, eram humildes, participavam, ajudavam, dividiam o que tinha para o bem da obra, sabiam ouvir quando preciso, abraçavam a todos e pregavam a palavra de Deus, mesmo se não fossem pagos para isso. Hoje infelizmente há muitos obreiros orgulhosos e até pensam que são estrelas, e buscam honras para si, e acham que são especiais e por isso querem ser destacados para ser o centro das atenções. Que Deus tenha misericórdia, e estes possam reconhecer que toda a glória e honra pertencem a Jesus. Muitos precisam descer do pedestal e entrar no caminho da humildade, para ver a glória de Deus se manifestar na sua vida e no seu ministério, antes que seja tarde. Amém!

domingo, 3 de fevereiro de 2013

VEM E VÊ.

No dia seguinte, quis Jesus ir à Galiléia, e achou a Filipe, e disse-lhe: Segue-me. E Filipe era de Betsaida, cidade de André e de Pedro. Filipe achou Natanael e disse-lhe: Havemos achado aquele de quem Moisés escreveu na lei e de quem escreveram os profetas: Jesus de Nazaré, filho de José. Disse-lhe Natanael: Pode vir alguma coisa boa de Nazaré? Disse-lhe Filipe: Vem e vê (João, 1.43-46).

Nazaré era uma vila insignificante na Galileia. Nem sequer é mencionada no Velho Testamento ou nos escritos do historiador Flávio Josefo ou de qualquer outro rabino judeu. Como poderia vir o Messias de uma cidade tão insignificante? Esta não é a primeira vez que alguém compreende erradamente a origem de Jesus e, por causa disso, O condena. O preconceito é sempre assim. Ele amarra você ao lugar onde nasceu. Ele vive preocupado em saber se você nasceu em Pernambuco, em Minas ou São Paulo. O preconceito não está preocupado com você, mas somente com a cor da sua pele e com seu status social. Amarra você ao seu passado e não lhe permite nunca ser o que, pela graça de Deus, poderia chegar a ser. Ele é tão vil e insidioso que não prejudica somente o objeto do preconceito, mas envenena também a vida do preconceituoso.
Imagine só, o que Natanael, o preconceituoso, teria perdido se Filipe não tivesse insistido com ele. Sua vida teria continuado a ser uma vida de trevas, angústia e desespero.
Nazaré era uma cidade sem importância alguma aos olhos dos homens. Sequer era contada como uma verdadeira cidade. Era considerada como uma aldeia, um ajuntamento de famílias pobres, de pessoas marginalizadas e sem importância alguma. As pessoas passavam pelas estradas e sequer notavam Nazaré. No entanto, aquele lugar insignificante aos olhos dos homens foi escolhido por Deus para abrigar o homem mais importante que este planeta inteiro já conheceu: Jesus Cristo de Nazaré.
A verdadeira grandeza de uma pessoa não depende do lugar de onde ela vem. Quem algum dia já teve oportunidade de ler sobre a biografia de pessoas importantes, logo percebeu que várias delas nasceram e foram criadas em lugares que simplesmente não constam nos mapas, de tão pequenos e insignificantes que são.
Pode algo bom sair da sua cidade ou do seu bairro? Responda a si mesmo essa pergunta. O que te faz ir sempre a igreja? O que te faz buscar a Palavra de Deus com tanta freqüência? Que efeito tem sobre a sua própria vida a Palavra de Deus que você ouve e lê? Se há um bom efeito, então você é o que pode sair de bom do seu bairro e da sua cidade! E se você é o que pode sair de bom do seu bairro ou da sua cidade, eis o que diz o Espírito de Deus: Sê tu uma bênção! Porque toda vez que perguntarem: "Pode algo de bom sair daquele lugar?" Alguém certamente dirá: "Vem, e vê"!

CINCO COISAS QUE PODEMOS VÊ EM JESUS.

1. SUA SABEDORIA.

Em quem estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência (Colossenses, 2.3).
E os judeus maravilharam-se, dizendo: Como sabe este letras, não as tendo aprendido? (João, 7.15).

2. SUA SANTIDADE.

E ao anjo da igreja que está em Filadélfia, escreve: Isto diz o que é Santo, o que Verdadeiro, o que tem a chave de Davi, o que abre e ninguém fecha, e fecha, e ninguém abra (Ap.3.7).

3. SUA HUMILDADE.

Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, o qual, tendo plenamente a natureza de Deus, não reivindicou o ser igual a Deus, mas, pelo contrário, esvaziou-se a si mesmo, assumindo plenamente a forma de servo e tornando-se semelhante aos seres humanos. Assim, na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, entregando-se à obediência até a morte, e morte de cruz (Filipenses, 2.5-8). 
Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendeu de mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para a vossa alma (Mt.11.29).

4. SUA AUTORIDADE.

E aconteceu que, concluindo Jesus este discurso, a multidão se admirou da sua doutrina, porquanto os ensinava com autoridade e não como os escribas (Mt.7.28,29).
E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É me dado todo o poder no céu e na terra (Mt.28.18).

5. SUA GRANDEZA.

Pelo que também Deus o exaltou soberanamente e lhe deu um nome que é sobre todo o nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai (Filipenses, 2.9-11).