quinta-feira, 22 de agosto de 2013

O VASO DE ALABASTRO.

Estando Jesus em Betânia, reclinado à mesa na casa de certo homem conhecido como Simão, o leproso, achegou-se dele uma mulher portando um vaso de alabastro contendo valioso perfume, feito de nardo puro; e, quebrando o alabastro, derramou todo  o bálsamo sobre a cabeça de Jesus. Diante disso, indignaram-se alguns dos presentes, e a criticavam entre si: Para que este desperdício de tão valioso perfume? Um bálsamo como este poderia ser vendido por trezentos denários, e o dinheiro ser doado aos pobres. E a censuravam severamente. Deixa-a em paz! ordenou-lhes Jesus. Por que causais problemas a esta mulher? Ela realizou uma boa ação para comigo. Quanto aos pobres, sempre os tendes ao vosso lado, e os podeis ajudar todas as vezes que o desejardes, todavia a mim nem sempre me tereis. A mulher fez tudo que estava ao seu alcance. Derramou o bálsamo sobre mim, antecipando a preparação do meu corpo para o sepultamento. Com toda certeza eu vos asseguro: onde quer que o evangelho for pregado, por todo o mundo, será também proclamado a obra que esta mulher realizou, e isso para que ela seja sempre lembrada. Mc.14.3-9.

Este episódio narrado pelos evangelistas, Mateus, Marcos e João, aconteceu antes da festa da Páscoa, segundo os estudiosos da bíblia, as celebrações da Páscoa em Jerusalém reuniam cerca de três milhões de pessoas. A conhecida festa dos pães asmos ou festa dos pães sem fermento ocorria logo após a Páscoa e durava sete dias. Ao narrar este episódio, Marcos se refere a "alguns dos presentes" (Mc.14.4), Mateus concentra-se nos "discípulos" (Mt.26.8) e João destaca a participação avarenta e comprometedora de "Judas Iscariotes" (Jo.12.4,5). A mulher que realizou esta nobre atitude em quebrar o vaso de alabastro era Maria, irmã de Marta e Lázaro (Jo.12.1-8). O alabastro era um frasco lacrado, de gargalo longo, que continha valioso perfume, normalmente usado na unção de personalidades notáveis da época ou no preparo de mortuário de monarcas e pessoas ricas.
Marta servia e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele. Naquela época  as pessoas não sentavam à mesa à nossa semelhança. Elas deitavam em uma espécie de sofá e apoiava-se em um dos braços enquanto comia com o outro, diante de uma mesa em forma de “U”. A uma mulher não era honroso participar desse evento exceto se estivesse a servir a mesa. 
Enquanto ele estava à mesa, Maria quebrou o vaso de alabastro e ungiu os pés de Jesus e os enxugou com os seus cabelos; e a casa inteira ficou cheia com o perfume do bálsamo. Pôs-se a derramá-lo sobre a cabeça de Jesus. À semelhança da mulher da pecadora de (Lc.7.36-50), Maria ficou por trás, aos pés do Senhor. Ao que parece, ela começou o seu gesto para com Jesus pelos seus pés e posteriormente pela cabeça. Beijar, Lavar os pés e ungir a cabeça de um convidado quando de sua chegada, era uma cortesia oferecida pelo anfitrião aos convidados considerados ilustres. Quando Maria entra no recinto torna-se objeto da reprovação daqueles que ali estavam. Uma mulher, a partir de seu casamento, não mostrava cabelos em público, assim faze-lo era motivo de vergonha. Maria começou a derramar o perfume sobre os pés de Jesus, possivelmente empoeirados do caminho, e soltou seus cabelos passando a enxugar-lhe os pés com eles. Maria expressou uma atitude de gratidão, humildade, adoração e reconhecimento do Senhorio de Cristo. Essa também deve ser a atitude daqueles que confessam Jesus, como Senhor e Salvador.

AS ATITUDES DE MARIA EM RELAÇÃO A JESUS:

Maria demonstrou ter um grande sentimento por Jesus.
Maria entregou-se totalmente e fez o que podia visando adorar Jesus.
Maria Entregou o que tinha de maior valor.
Maria Ousou quebrar com o costume do povo.
Maria Expôs-se à reprovação popular.
Maria Expressou sua adoração a Cristo.
Maria Humilhou-se aos seus pés.
Maria fez um ato de gratidão e reconhecimento da grandeza de Cristo.
Maria O exaltou ungindo sua cabeça.
Maria profetizou, ainda que sem perceber, a morte de Jesus.

A REAÇÃO DO PÚBLICO:

-Judas mobiliza os presentes por interesse pessoal.
Porque não se vendeu este perfume por trezentos denários para dá-los aos pobres? Havia uma prática popular de na festa da Páscoa ajudar os pobres com esmolas. Por tanto, a colocação de Judas parecia ter um certo sentido apesar da legitimidade da ajuda. Mas o que motivara sua caridade não era a necessidade dos pobre mais sim um motivo pessoal, a sua cobiça por dinheiro.
-Os discípulos, influenciados por Judas, ficaram indignados e começaram a reclamar.
-Aborreceram e desprezaram a mulher.
-Maria recebeu reprovação popular.

A APROVAÇÃO DE JESUS:

Maria foi defendida por Jesus.
Maria foi louvada por Jesus.
Maria praticou uma boa ação e foi elogiada por Jesus.
Sua ação foi percebida por todos e Jesus disse que Maria será lembrada sempre, em todo o lugar.

CONCLUSÃO:
O nosso vaso de alabastro precisa ser quebrado. O vaso de alabastro representa nossa vida sendo quebrada e derramada na presença de Jesus. Não importa as criticas e nem as reprovações das pessoas, em relação a nossa atitude diante de JESUS, assim como Maria quebrou o vaso de alabastro, que continha um perfume caríssimo; da mesma maneira nós devemos nos derramar diante Dele, com toda devoção, em adoração, humildade e reconhecimento de sua grandeza e majestade. Amém!

34 comentários:

  1. Para mim foi de grande proveito estas colocacoes q Deus sempre lhe revele sua vontadeEV IVANOR SILVA

    ResponderExcluir
  2. AMEI ESTE ESTUDO QUE FALA SOBRE A PECADORA QUE UNGIU OS PÉS DO MESTRE, QUE VENHAMOS APRENDER COM ESTA MULHER E A DISTINGUIR A VERDADEIRA IGREJA DE CRISTO NA TERRA...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade não, a pecadora que ungi o Senhor esta em Lc. 7:36-50 e é um outro acontecimento semelhante. Pois Maria era uma serva e amiga de Jesus.

      Excluir
  3. É verdade irmã Rosimar, obrigado pelo seu comentário e por estar seguindo o blog Pregando a Verdade. Paz seja contigo.

    ResponderExcluir
  4. muito bem explicado
    tirou minhas duvidas
    parabens pelo blog
    deu continue te usando
    vagna neves

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graça e Paz irmã Vagna neves. Obrigado pelo comentário, fico feliz em saber que suas duvidas foram esclarecidas acerca deste assunto, sempre que puder faça uma visita ao nosso blog.

      Excluir
    2. Muito bom aprendi muito com essa palavra falou muito ao meu coração e me ensinou q devemos se derramar na presença de Deus essa e a verdadeira adoração a Deus

      Excluir
    3. Muito linda esta passagem e eu gostei muito bem explicada Parabéns e já até terei um tema nesta palavra que deus tinha mim dado para pregar hoje na igreja

      Excluir
  5. Adorei o Blog, Deus seja exaltado sobre a terra!
    A paz para todos!

    ResponderExcluir
  6. Amém! Graça e Paz. Obrigado pela visita Micheli Vieira, volte sempre.

    ResponderExcluir
  7. Muito bom mesmo. que Deus continue abençoando.

    ResponderExcluir
  8. Muito boa as colocações, gostei, Deus continue te abençoando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém. Obrigado pelo comentário e por sua visita ao blog, volte sempre. A Graça e a Paz de Jesus seja contigo.

      Excluir
  9. Muito lindo aqui aprendi muito de Deus que mesmo que alguém nos critique temos que continuar adorando nos lançando aos pés do senhor.. Muito bom gostei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém. Obrigado pelo comentário e por sua visita ao blog, volte sempre. A Graça e a Paz de Jesus seja contigo.

      Excluir
  10. Oi gostei do estudo. Mas lendo na Bíblia, fiquei com uma dúvida. Isso aconteceu depois ou antes de Jesus ressuscitar Lázaro, o irmão de Maria?! Grato desde já

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário meu amado irmão Caio, sobre a sua dúvida eu lhe respondo que este episódio aconteceu depois da ressurreição de Lázaro, baseado no relato do Evangelho de João capítulo 12.

      Excluir
  11. Parabéns Deus continue abençoando !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graça e paz irmão André e irmã Nery Nascimento, obrigado pelos comentários, volte sempre. A Deus seja a Glória. Amém!

      Excluir
  12. legal ... mais a mulher que adorou a Jesus no livro de Lucas não é maria ... o texto não expressa nem narra seu nome era uma mulher pecadora ..... a casa em questão no texto de Lucas não era a casa de Simão o leproso e sima a casa de Simão o fariseu... o contexto é diferente a mulher que adorou e lavou os pés de Jesus com lágrima em joão e mateus era Maria irmã de Lazaro e a casa em questão em joão e mateus era sim a casa de Simão o leproso ... mais em Lucas não ok Galera.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é dito na introdução, no começo da postagem está dito esta diferença, a mulher do evangelho de Lucas 7.36-50 é a mulher pecadora; enquanto a mulher narrada pelos evangelistas Mateus, Marcos e João é Maria irmã de Lázaro.

      Excluir
  13. Muito bom estudo, que Deus continue abençoando grandemente sua vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém. A Deus seja glória. Obrigado Daywilson por visitar nosso blog e pelo comentário, volte sempre.

      Excluir
  14. amem DEUS seja a gloria.muito bommmm Robson

    ResponderExcluir
  15. Amém! A Deus seja glória.
    Graça e paz Dias, obrigado pela visita.
    Volte sempre.

    ResponderExcluir
  16. Muito bom o estudo, Deus abençoe seu ministério!

    ResponderExcluir
  17. Amém. Graça e paz Alexandre Gomes. Grato por sua visita, volte sempre.

    ResponderExcluir
  18. Graça e paz, muito bom o estudo gostei muito ,Gostaria de saber em qual livro que fala sobre essa história.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  19. Amém, irmã Sara, esta história está no livro de marcos, capítulo 14.

    ResponderExcluir