domingo, 15 de outubro de 2017

QUATRO PALAVRAS DE DIFÍCIL ACEITAÇÃO.

Ainda não resististe ao sangue, combatendo contra o pecado. E já vos esquecestes da exortação que argumenta convosco como filhos: Filho meu, não desprezes a correção do Senhor e não desmaieis quando, por ele, fores repreendido; porque o Senhor corrige o que ama e açoita a qualquer que recebe por filho. Se suportais a correção, Deus vos trata como filhos; porque que filho há a quem o pai não corrija? Mas, se estais sem disciplina, da qual todos são feitos participantes, sois, então, bastardos e não filhos (Hebreus, 12.4-8).

No mundo de palavras em que vivemos, muitas são as palavras e expressões que podem entristecer ou alegrar o coração das pessoas. As palavras muitas vezes servem de remédio para alma, mas também podem matar. As palavras de auto-ajuda são muitas vezes as mais usadas pelos pregadores, principalmente nas postagens das redes sociais. Todavia, não devemos esquecer que, as palavras de exortação, correção e repreensão são de grande importância para o nosso aprendizado e crescimento.

EXORTAÇÃO.

Ato de exortar. Admoestação, advertência, conselho.
Tem muitas pessoas que gostam de exortar as outras, fazem um longo discurso de palavras e chegam até a humilhar a outra; mas, não aceitam serem exortadas. Muitos dizem: Eu sou dono da minha vida, e sei bem o que faço, não preciso de conselhos de ninguém. A verdade é que, esta atual geração, não querem mais ouvir conselhos dos seus pais. Mas, há um ditado que: Quem não ouve conselhos de pai e mãe, rara vezes acerta. Na verdade, todo o bom conselho deve ser acatado e posto em pratica.
Está escrito: Não havendo sabia direção, o povo padece, mas, na multidão de conselheiros, há segurança (Pv.11.14).
Todos os cristãos verdadeiros, devem ser flexíveis a exortação, principalmente, vindo da parte de Deus e da sua palavra.

CORREÇÃO.

Correção, é o ato de corrigir o que está errado.
Vivemos em uma sociedade anarquista, que não aceita ser corrigida. Muitas pessoas vivem de forma absoluta, criam o seu modo de vida e querem viver do seu jeito, ao seu bel-prazer.
Como pode um povo, uma nação, uma sociedade em geral, viver de forma anarquista, incorreta e fora da lei, e não aceitar ser corrigida.
No mundo cristão, a correção deve ser exercitada, praticada e aceita pelos verdadeiros cristãos.
Na verdade toda correção muitas vezes não é bem aceita, muitas vezes vem de encontro a nossa vontade. Porém, depois de passarmos pela experiência, será de grande proveito. Assim está escrito: E, na verdade, toda correção, no presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas, depois, produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela (Hb.12.11).

REPREENSÃO.

Repreensão, é o ato ou efeito de repreender, censurar, admoestar.
Esta é mais uma palavra difícil de ser aceita por muitos que não gostam de serem repreendidos, mesmo sendo repreensíveis, por suas atitudes erradas.
O amigo não é aquele que encobre os erros do outro e procura dissimular. Amigo é aquele que ver o errado e repreende. Quem ama não encobre, nem dissimula o errado, mas censura e repreende.
Está escrito: Melhor é a repreensão aberta do que o amor encoberto (Pv.27.5).
Porque o SENHOR repreende aquele a quem ama, assim como o pai, ao filho a quem quer bem (Pv.3.12).

DISCIPLINA.

Segundo o dicionário de Aurélio, disciplina é um conjunto de leis ou ordem que regem uma coletividade. Implicando em: Boa ordem e respeito. Submissão e obediência. Instrução e educação.
Nenhuma organização social poderá viver sem disciplina. A disciplina serve de base para formação do caráter de uma pessoa. A igreja do Senhor deve ser exemplo de uma vida disciplinada, tanto no âmbito social, quanto no espiritual, pela palavra de Deus.
Ser cristão e viver sem disciplina, é não ser tratado por filho, e sim como bastardo. Assim está escrito: Mas, se estais sem disciplina, da qual todos são feitos participantes, sois, então, bastardos e não filhos (Hb.12.8). Todo o cristão que aceita ser corrigido e vive uma vida disciplinada, será bem sucedido. Amém!

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

CHIBOLETE OU SIBOLETE.

E ajuntou Jefté a todos os homens de Gileade e combateu com Efraim, e os homens de Gileade feriram a Efraim; porque, estando os gileaditas entre Efraim e Manassés, disseram: Fugitivos sois de Efraim. Porém tomaram os gileaditas aos efraimitas os vaus do Jordão; e sucedeu que, quando os fugitivos de Efraim diziam: Passarei; então, os homens de Gileade lhes diziam: És tu efraimita? E dizendo ele não; então diziam: Dize, pois, chibolete; porém ele dizia, sibolete, porque não podia pronunciar assim bem; então pegavam dele e o degolavam nos vaus do Jordão; e caíram de Efraim, naquele tempo, quarenta e dois mil (Juízes, 12. 4-6).

Este é um dos episódio mais curioso do texto sagrado, nele nós vamos encontrar uma guerra interna entre dois povos, os gileaditas e os efraimitas, ambos pertencente a nação de Israel. O curioso é que, os efraimitas por não saberem pronunciar a palavra chibolete de forma correta, foram degolados e morreram quarenta e dois mil.
Em vez de se unirem para lutarem contra seus inimigos, os israelitas estavam lutando e exterminando uns aos outros.

Os efraimitas eram problemáticos, e voltaram a causar problemas, como haviam feito quando Gideão vencera os midianitas (Jz.8.1-3). No entanto, Jefté não era tão diplomático como Gideão e simplesmente não aceitou suas acusações e ameaças feitas contra ele. A hostilidade se intensificou, e os comentários depreciativos feitos pelos efraimitas acerca dos gileaditas levaram Jefté e seus homens a pegarem armas e entrarem em uma guerra contra os efraimitas (Jz.12.1-4). No conflito, os gileaditas derrotaram os efraimitas e tomaram os vaus do Jordão (o trecho raso do rio), por onde os homens derrotados teriam de atravessar a fim de voltar para casa (12.5). Todos os que desejassem atravessar deveriam pronunciar a palavra chibolete. Os efraimitas, que não conseguiam articular o som de "ch" nessa palavra e a pronunciavam como sibolete, eram identificados pelo seu sotaque e consequentemente executados. Quarenta e dois mil efraimitas tiveram esse fim (12.6).

Não saber falar a palavra certa, este é o grande problema de muitos cristãos, que ficam distantes e perdem a comunhão com Deus e com a igreja. Quando o cristão perde os bons costumes e a comunhão com Deus, ele deixa de falar a linguagem da fé, e perde o foco da adoração a Deus.

Chibolete significa rio corrente, riacho ou uma espiga de trigo.
Sibolete tem o mesmo significado porem, já era um dialeto efraimita.
Simbolicamente a palavra chibolete gera vida, enquanto sibolete gera morte.

SIBOLETE=MORTE.

Quem não consegue falar a linguagem do povo de Deus, não pode fazer parte da nação santa. Quem fala sibolete faz parte de outro povo e estar sujeito a morte.
A falta de comunhão com Deus e com o corpo de Cristo nos leva a falar uma língua diferente.
A causa do surgimento de heresias é justamente esta falta de comunhão com o corpo de Cristo. Pequenas coisas podem significar sibolete para a vida de muitos. A falta de concordância, de submissão, de liberação do perdão, leva muitos a criarem suas próprias interpretações quanto a Bíblia. Infelizmente a consequência é perder a comunhão com Deus e morrerem espiritualmente.
Sibolete neste ponto de vista é: Afastamento da igreja, interpretação própria da Bíblia, falta de disponibilidade para servir a Deus. Enfim, é ficar pra trás, é perder a identidade de verdadeiro cristão.

CHIBOLETE=VIDA.

Chibolete é vida, paz, segurança, prosperidade e verdade. Chibolete significa falar a linguagem do Espírito, é falar o idioma da fé  e viver debaixo da vontade de Deus. Falar chibolete é viver em comunhão com Deus e com o corpo de Cristo. É viver pela palavra de Deus e ter vida através da mesma. É viver em santidade e estar disposto a servir. Vivendo em santidade certamente viverás e não morrerás. Diga sempre CHIBOLETE que é vida e nunca SIBOLETE que é morte. Amém!

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

NÃO NEGOCIE SEU OLHO DIREITO.

Cerca de um mês depois destes eventos, Naás, o rei dos amonitas, avançou contra a cidade de Jabes-Gileade e a cercou. E o exército de Jabes lhe propôs: “Faze conosco um tratado, e te serviremos!” Contudo, Naás, o amonita, lhes retrucou: “Eis o pagamento que de vós exigirei para fazer um acordo: todos vós tereis vazado o olho direito, e assim humilharei a todo o Israel (I Samuel, 11,1,2).

Naás, rei dos amonitas, cercou a cidade de Jabes-Gileade e os homens de Jabes ficaram aterrorizados diante de Naás e seu exército. Diante da situação, os homens de Jabes lhe propôs que fizesse uma aliança com eles. Porém, Naás lhe disse: Com esta condição farei aliança convosco: Que a todos vos arranque o olho direito.
O olho direito era de grande importância para os guerreiros de Jabes, visto que era o olho da mira, sem ele o exército de Jabes seria um fracasso e jamais conseguiria vencer o inimigo. Desde os tempos antigos, um soldado quando perdia o olho direito, ficava inutilizado para a batalha. Normalmente o olho esquerdo ficava protegido pelo escudo durante o combate. Enquanto o olho direito era o olho da pontaria, o olho da visão do alvo, o olho com o qual mirava o inimigo. Aplicando esta história para os nossos dias, Deus não aprova que façamos aliança com Satanás para perdemos nosso olho direito. A proposta de Satanás é nos enfraquecer e nos deixar indefessos e impotentes diante das suas investidas.

O OLHO DIREITO PODE SER A ORAÇÃO.

Quando nós oramos Deus promete nos revelar coisa grandes e firmes (Jr.33.3).
A grande estratégia de Satanás é entreter os crentes, fazendo com que eles percam o prazer e o interesse pela oração. Quando nós oramos o campo de atuação do Diabo diminui, enquanto, quando deixamos de orar, o campo de atuação do inimigo aumenta. Infelizmente, muitos crentes deixaram o caminho da oração e se tornaram cristãos nominais, sem compromisso com Deus. Não deixe Satanás arrancar o seu olho direito da oração, o seu tempo de oração é inegociável.

O OLHO DIREITO PODE SER O PRAZER DE LER E ESTUDAR A PALAVRA DE DEUS.

O salmista diz: Oh! Quanto amo a tua lei! É a minha meditação em todo o dia!
Folgo com a tua palavra, como aquele que acha um grande despojo (Salmos, 119.97,162).
A falta do alimento espiritual, através da leitura da palavra de Deus, vai deixar nossa alma raquítica e a nossa vida espiritual sem crescimento.
Quando começamos a perder o prazer e o apetite da palavra de Deus, estamos prestes a entrar em uma U.T.I. espiritual, e fadados ao fracasso. O fato é que Satanás está vazando o olho direito de muitos cristãos, e estes estão sem forças, sem prazer e sem interesse pela palavra de Deus.

O OLHO DIREITO PODE SER A VIDA DE COMUNHÃO COM DEUS, E INTEGRIDADE DE CARÁTER.

A grandeza de um homem é medida pela sua vida de comunhão com Deus, e sua integridade de caráter. A peleja de Satanás contra os crentes fiéis é tentar sujar as suas vestes espirituais e lançar a sua boa reputação e integridade de caráter na lama da desmoralização. O grande enganos de Satanás é convencer os cristãos pela sua boa aceitação na mídia, por causa dos seus taletos e carisma junto ao povo. Muitos tem carisma diante do povo, mas não tem integridade de caráter diante de Deus. Infelizmente, muitos cristãos estão enganados, Satanás já furou o olho da sua integridade de caráter há muito tempo, estão vivendo de aparência e títulos, mas as máscaras vão cair.

O OLHO DIREITO PODE SER A FALTA DE DISCERNIMENTO ESPIRITUAL.

Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido (I Coríntios, 2.15).
A falta de visão e discernimento espiritual, tem levado muitos crentes ao engano e ao fracasso. Os cristãos antigos diziam: Cuidado com o Diabo, ele vem de mansinho calçado com sapatinhos de lã para não ser percebido. Hoje, infelizmente, Satanás está entrando descaradamente, calçado de tamancos no meio do povo de Deus e muitos não estão percebendo. A carnalidade, junto com o materialismo tem levado muitos crentes a perderem a sensibilidade de discernir as coisas espirituais. Muitos estão escravos da tecnologia, presos nas redes sociais e sem visão espiritual. É tempo de abrir os olhos espirituais e não deixar Satanás vazar o nosso olho direito do discernimento espiritual.

CONCLUSÃO:
Não negocie com Satanás o seu olho direito, Não tenha medo do terror que ele lhe impõe, não faça aliança com as trevas; mas lute, relute e não se entregue. Busque forças em Deus e Ele vai lhe ajudar a vencer. Amém!

domingo, 8 de outubro de 2017

SETE MANIFESTAÇÕES DO ESPÍRITO DE DEUS.

Porque brotará um rebento do tronco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará. E repousará sobre ele o Espírito do SENHOR, e o Espírito de sabedoria e de inteligência, e o Espírito de conselho e de fortaleza, e o Espírito de conhecimento e de temor do SENHOR (Isaías, 11.1,2).

Quando a bíblia fala sobre os sete Espíritos de Deus em Apocalipse 5.6, não significa dizer que há sete Espíritos além do Espírito Santo; mas estes sete Espíritos são sete manifestações e atuações diferentes do Espírito de Deus. Estas manifestações segundo a profecia de Isaías, foram manifestas na pessoa de Jesus, quando o Espírito repousou sobre Ele (Is.11.1,2). O Espírito de Deus opera de maneira multiforme, Ele é independente e age de forma multifacetada.

1. Espírito do SENHOR.
O Espírito do Senhor JEOVÁ está sobre mim, porque o SENHOR me ungiu para pregar boas novas aos mansos ... (Is.61.1).

2. Espírito de Sabedoria.
Porque a um, pelo Espírito, é dada a palavra da sabedoria ... (I Co.12.8).
A sabedoria abrange muitos aspectos, ela vai além do conhecimento e do saber.
Salomão pediu sabedoria a Deus, para saber entrar e sair no meio do povo (II Cr.1.7-10).
Tiago diz: E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus ... (Tg.1.5).
Moisés disse ao povo: Guardai-vos, pois, e fazei-os, porque esta será a vossa sabedoria e o vosso entendimento perante os olhos dos povos ... (Deut.4.6).

3. Espírito de Inteligência.
... Os povos ouvirão todos estes estatutos e dirão: Só este grande povo é gente sábia e inteligente (Deut.4.6).
Inteligência, é a capacidade de saber escolher, assimilar, aprender e elaborar informações de forma adequada.
O termo inteligência vem do latim intelligentĭa, que, por sua vez, deriva de inteligere. Esta é uma palavra que é composta por dois outros termos: intus (“entre”) e legere (“escolher”). Assim sendo, a origem etimológica do conceito de inteligência faz referência a quem sabe escolher: a inteligência permite portanto seleccionar/escolher as melhores opções.

4. Espírito de Conselho.
... E o seu nome será Maravilhoso Conselheiro ... (Is.9.6).
A sua atuação é para promover a paz, o amor e a reconciliação em todos os aspectos.

5. Espírito de Fortaleza.
Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação (II Tm.1.7).
O Espírito de fortaleza lança fora o medo e a insegurança, e nos encoraja e fortalece diante das adversidades.

6. Espírito de Conhecimento.
... E a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência (I Co.12.8).
É a capacidade de ter conhecimento de fatos e coisas de forma sobrenatural.

7. Espírito de Temor do SENHOR.
Este se refere a obediência, a submissão e respeito ao SENHOR.

sábado, 7 de outubro de 2017

O NÚMERO SETE NA BÍBLIA.

O número sete é um número especial na bíblia, por falta de conhecimento bíblico, muitas pessoas acreditam que o sete é o número do engano, da mentira, do mentiroso. Porém, não é verdade, a verdade é que o sete na bíblia significa plenitude, aquilo é completo e perfeito, representa a perfeição da Divindade. 

A Bíblia está cheia de setes. No antigo Israel, o número sete representava a perfeição divina. Era considerado um número poderoso e inquebrável porque não podia ser dividido pelos pequenos números comuns que as pessoas costumavam contar com uma única mão. A palavra para sete em hebraico – sheva está ligada a shevuá, juramento. Quando uma pessoa queria fazer uma promessa muito importante, ela fazia um juramento, como que dizendo: "faça com que o divino número perfeito sete seja minha testemunha.
Em muitas passagens das Escrituras, desde o livro de Gênesis até Apocalipse o número sete desempenha um papel central. No Evangelho de João, Jesus fala de si mesmo dizendo a frase "Eu sou" sete vezes. 

1. Eu sou o pão da vida (Jo.6.35).
2. Eu sou a luz do mundo (Jo.8.12).
3. Eu sou a porta (Jo.10.9).
4. Eu sou o bom pastor (Jo.10.11).
5. Eu sou a ressurreição e a vida (Jo.11.25).
6. Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida (Jo.14.6).
7. Eu sou a videira verdadeira (Jo.15.1).

O NÚMERO SETE NOS LIVROS DA BÍBLIA.

Semana de sete dias (Gn.2.2).
Animais limpos foram separados para arca de sete em sete (Gn.7.2).
Após sete dias Noé tornou a enviar a pomba (Gn.8.10).
Sete lâmpadas para o castiçal (Ex.25.37).
O sangue era espargido sete vezes (Lv.4.6).
O azeite era espargido sete vezes (Lv.14.16).
Após sete semanas era oferecida uma nova oferta ao SENHOR (Lv.23.15,16).
As festas sagradas eram comemoradas por sete dias (Lv.23.39-41).
Miriam ficou sete dias fora do acampamento (Nm.12.15).
Balaão pede a Balaque para edificar sete altares (Nm.23.1).
Os israelitas deveriam comer pão sem fermento durante sete dias (Nm.28.16,17).
As dívidas eram quitadas e os escravos libertos, depois de sete anos (Dt.15.1,2,9).
Sete sacerdotes diante da arca com sete trombetas (Js.6.4).
A cidade de Jericó foi rodeada sete vezes, no sétimo dia (Js.6.15).
Uma nora melhor do que sete filhos (Rute, 4.15).
Sete dias de espera (I Samuel, 10.8).
Saul esperou sete dias por Samuel (I Samuel, 13.8-10).
Salomão celebrou uma festa ao SENHOR por sete dias (I Reis, 8.65).
Por sete vezes o moço de Elias olha para banda do mar, na sétima veio a chuva (I Reis, 18.42-45).
Depois de mergulhar sete vezes, Naamã é curado da lepra (II Reis, 5.1).
Esdras comemora a festa da páscoa durante sete dias (Esdras, 6.21,22).
Sete bezerros e sete carneiros foram sacrificados em holocausto (Jó.42.8).
Na angústia haverá seis livramentos, e na sétima o mal não tocará (Jó.5.19).
Sete vezes ao dia Deus será louvado (Salmos, 119.164).
O SENHOR aborrece seis coisas, e a sétima Ele abomina (Pv.6.16-19).
Sete vezes cairá o justo e se levantará (Pv.24.16).
Repartir o pão com sete (Eclesiastes, 11.1,2).
Sete manifestações do Espírito (Isaías, 11.1,2).
Um concerto será firmado por uma semana (sete dias de anos). Daniel, 9.27.
Jesus realiza um milagre com dois elementos que somados resulta em sete (Jo.6.9).
Perdoar setenta vezes sete (Mateus, 18.21,22).
Sete homens são escolhidos (Atos.6.3).
Profecia de Enoque, o sétimo depois de Adão (Judas, 14).

O NÚMERO SETE NO LIVRO DE APOCALIPSE.

Sete bem-aventuranças (Ap.1.3; 14.13; 16.15; 19.9; 20.6; 22.7,14).
Sete promessas (Ap.2.7,11,17,26-28; 3.5,12,21).
Sete Espíritos (Ap.1.4).
Sete igrejas (Ap.1.11).
Sete castiçais (Ap.1.12).
Sete estrelas (Ap.1.16).
Sete anjos (pastores) (Ap.2.1,8,12,18; 3.1,7,14).
Sete lâmpadas (Ap.4.5).
Sete pontas (Ap.5.6). 
Sete olhos (Ap.5.6).
Sete Espíritos de Deus (Ap.5.6).
Sete anjos (Ap.8.2).
Sete trombetas (Ap.8.2).
Sete trovões (Ap.10.3).
Sete cabeças (Ap.12.3).
Sete diademas (Ap.12.3).
Sete pragas (Ap.15.1).
Sete taças (Ap.16.1).
Sete montes (Ap.17.9).
Sete reis (Ap.17.10).

CONCLUSÃO:
O que há de tão especial no sete?
Concluímos que, a numerologia bíblica tem grande significado e importância nos propósitos de Deus. Todavia não devemos fazer do número sete um amuleto espiritual ou um número de sorte. 

terça-feira, 3 de outubro de 2017

VIDA DE COMUNHÃO COM DEUS.

Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrio e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo, como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia na vossa ignorância; mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo (I Pedro, 1.13-16).

Viver em plena comunhão com Deus se constitui um grande desafio para os cristãos desde presente século. 
Viver em comunhão com Deus é ter amizade e harmonia com Ele. Deus sempre quer ter comunhão com o homem, mas o pecado vem para nos separar de Deus. Por isso, Deus enviou seu filho Jesus Cristo, para tirar nossos pecados e nos reconciliar com Ele. 
Quando alguém tem comunhão com Deus, isso se reflete na sua vida diária. A comunhão com Deus se revela em uma vida santa, obediente e cheia de amor a outras pessoas. 
Viver uma vida de comunhão com Deus implica em renúncias, obediência e submissão a Ele.

CINCO ATITUDES PARA VIVER UMA VIDA DE TOTAL COMUNHÃO COM DEUS:

1. Cingir os Lombos do Entendimento.

Cingir, significa: Cercar, circundar, limitar. Apertar com uma correia, com um cinto, pôr à cinta.
Lombos cingidos é uma expressão que significa, amarra a túnica na cintura para dá segurança ao caminhar apressadamente. Esta expressão aparece no livro de Êxodo, 12.11. Assim, pois, o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a Páscoa do SENHOR.
Biblicamente quer dizer prepara-se, está preparado, em segurança, pronto para o longo caminho.
Atos, 12:8. E disse-lhe o anjo: Cinge-te e ata as tuas sandálias.
Quando Pedro fala sobre cingir os lombos do entendimento, ele quer dizer que os cristãos tenham segurança em seu entendimento em relação a verdade e estejam preparados para prosseguirem em sua caminhada.

2. Ser Sóbrio.

A sobriedade é uma qualidade de quem é moderado, sensato, sereno, calmo, prudente, modesto, discreto, temperante, e outros adjetivos desta natureza.
Enquanto o ébrio não tem equilíbrio nem controle sobre suas ações, o sóbrio é uma pessoa prudente, equilibrada e sábia em suas atitudes.
O cristão sóbrio tem um equilíbrio espiritual e emocional que faz a diferença. Isto é fruto da sua vida de comunhão com Deus.
Pedro diz: Sede sóbrios, vigiai, porque o Diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar (I Pedro, 5.8).

3. Esperar Inteiramente na Graça.

Esperar inteiramente na graça é depender completamente da graça de Deus. Esta dependência envolve obediência, temor e comunhão com o Pai.
Esperar na graça é ficar na dependência de Deus e deixar Ele fazer a sua vontade.
O cristão que vive uma vida de comunhão com Deus não tem dificuldade em esperar, mas descansa nas promessas de Deus.
Paulo escrevendo aos tessalonicenses 1.9, 10 diz que fomos chamados para servir e esperar.

4. Ser Obediente.

Ser obediente a Deus e a sua palavra, implica em ter uma vida de compromisso e comunhão com Deus. O cristão que vive em comunhão com Deus, geralmente ele é obediente a Deus, aos seus pais, e aos seus pastores e lideres.
A nossa comunhão com Deus desenvolve em nós uma fé obediente, totalmente submissa a Deus.
O escritor aos hebreus diz: Pela fé, Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia (Hebreus, 11.8).

5. Viver em total Santidade.

Viver em total santidade implica em abandonar totalmente o pecado e viver exclusivamente para Deus. O apóstolo Pedro recomenda: Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo.
Viver em santidade diante de Deus é uma questão de ter uma vida de comunhão com Ele.
Ser santo em toda a maneira de viver, implica em dizer: No vestir, no agir, no proceder, no falar; seja em casa, na igreja, no trabalho, no colégio, na faculdade, enfim, em todos os ambientes sociais.
Santidade não é se insolar de tudo e de todos e viver enclausurado como um monge.
Santidade também não é viver de cara fechada, sem sorrir, sem ser simpático com as pessoas.
Santidade é simplesmente, afastar-se do pecado, servir a Deus e ter paz com todos. O escritor aos hebreus diz: Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor (Hebreus, 12.14). Amém!

domingo, 24 de setembro de 2017

PÃO NOSSO DE CADA DIA.

                                O pão nosso de cada dia dá-nos hoje (Mateus, 6.11).

O pão nosso de cada dia é uma referência a nossa alimentação diária, está relacionado ao nosso alimento cotidiano. Um dos maiores problemas que a humanidade pode enfrentar é a falta de pão. Quando nos falta o pão, nos falta a alegria e a satisfação pela vida. 
Temos um Deus provedor que se preocupa em dar provisão para sustento das suas criaturas.
Neste particular, Jesus nos apresenta o Pai como nosso provedor. Inúmeras vezes, Deus aparece na bíblia como provedor e sustentador de todas as coisas.  Muitas revoluções já foram iniciadas por falta de pão. Pão é um alimento básico, importante para nossa sobrevivência. Nossa vida, nosso sustento depende de Deus. Quando reconhecemos que dependemos de Deus e oramos, e confiando em Deus, Ele nos dá o sustento que precisamos, mesmo quando parece impossível.
Jeová-Jiré é o nosso provedor e sustentador de todas as coisas. Ele é conhecedor de todas as nossas necessidades, sejamos sempre gratos a Ele, mesmo que no momento não haja uma grande abastança de alimentos e bens. Todavia, devemos sempre agradecer e bendizer o nome do SENHOR por todos os seus benefícios. 
Deus seja louvado por sua grande provisão e sustento de toda a humanidade. Quanto a fome, a miséria, as guerras e outras mazelas, são consequências do próprio homem egoísta, desumano e alienado de Deus. 
Que possamos seguir as recomendações de Davi: Confia no SENHOR e faz o bem; habitarás na terra e, verdadeiramente, serás alimentado. Deleita-te no SENHOR, e ele te concederá o que deseja o teu coração. Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele tudo fará (Salmos, 37.3-5). Amém!

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

TRANSFORMADOS DE GLÓRIA EM GLÓRIA.

Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo, como um espelho, a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória, na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor (II Co.3.18).

Neste capítulo Paulo fala sobre os dois concertos, ele chama a antiga aliança, a Lei, de letra, e o novo, a graça, de Espírito. Paulo faz uma comparação entre o ministério de Moisés, e o novo ministério, o do Espírito. Ele chama a Lei de ministério da condenação e o do Espírito (da graça), como ministério da justiça. Paulo afirma que o ministério da Lei veio em glória, e foi glorioso; e que o ministério da justiça excede muito mais em glória (3.9). Paulo diz: E não somos como Moisés, que punha um véu sobre a sua face, para que os filhos de Israel não olhassem firmemente para o fim daquilo que era transitório (3.13). A grande diferença entre os dois ministérios é que, um era transitório e o outro permanente. Paulo faz uma comparação e diz: E, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fitar os olhos na face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual era transitória, como não será de maior glória o ministério do Espírito? (3.7,8).
No dizer de Paulo fica entendido que, o ministério do Espírito nos faz livre e nos permite avançar e crescer de glória em glória diante de Deus. Ora, o Senhor é Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade (3.17).
O cristão na nova aliança tem a liberdade de se apresentar diante de Deus como o rosto descoberto e contemplar a glória do Senhor. Ser transformado de glória em glória na mesma imagem pelo Espírito do Senhor, significa dizer que, o Espírito do Senhor, faz com que a glória do Senhor apareça em nós como uma imagem real vista em um espelho.
Que o mundo (as pessoas) vejam em nós a glória do Senhor. Amém!

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

A LINGUAGEM DA FÉ.

                                      Cri, por isso, falei ... (Salmos, 116.10).

A linguagem da fé é otimista, positiva e agradável. Na bíblia temos vários registros sobre homens e mulheres de fé que marcaram a sua época e fizeram a diferença. Todos os homens e mulheres de fé estão fadados ao sucesso. A fé não duvida do poder de Deus, nem fala palavras negativas, de derrota; mas crer no impossível, ver o invisível e abraça a vitória antes dela chegar.
Davi disse: Cri, por isso, falei. Só podemos falar com convicção quando cremos, só podemos pregar sobre Deus se acreditamos Nele, e só podemos crer pela fé.

DEZ EXPRESSÕES DE FÉ A LUZ DA BÍBLIA:

Nunca Diga: Não posso.
A fé diz: Posso todas as coisa Naquele que me fortalece (Fp.4.13).

Nunca diga: Tenho medo.
A fé diz: Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo ... (Sl.23.4).
Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação (II Tm.1.7).

Nunca diga: Não tenho.
A fé diz: O Senhor é o meu pastor; nada me faltará (Sl.23.1).

Nunca diga: Sou fraco.
A fé diz: O SENHOR é a minha força e o meu escudo ... (Sl.28.7).
               Porque, quando estou fraco, então, sou forte (II Co.12.10).

Nunca diga: Tenho falta.
A fé diz: O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus (Fp.4.19).
Os filhos dos leões necessitam e sofrem fome, mas aqueles que buscam ao SENHOR de nada têm falta (Sl.34.10).

Nunca diga: Perdi a esperança.
A fé diz: Ainda que ele me mate, nele esperarei; contudo, os meus caminhos defenderei diante dele (Jó.13.15).
Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra (Jó.19.25).

Nunca diga: Estou desanimado, vou desistir.
A fé diz: Mas, decerto, eu sou cheio da força do Espírito do SENHOR e cheio de juízo e de ânimo ... (Miquéias, 3.8).
Mas o justo viverá da fé; e, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele (Hb.10.38).

Nunca diga: Deus me abandonou.
A fé diz: O SENHOR está comigo; não temerei o que me pode fazer o homem (Sl.118.6).

Nunca diga: Vou perecer.
A fé diz: Não morrerei, mas viverei; e contarei as obras do SENHOR (Sl.118.17).

Nunca diga: Não vai dar certo, desisto.
A fé diz: Porquanto, ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta,  e os campos não produzam mantimento; as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja vacas, todavia, eu me alegrarei no SENHOR, exultarei no Deus da minha salvação (Hc.3.17,18).

CONCLUSÃO:
Fale sempre a linguagem da fé, faça uso da palavra de Deus e fortaleça sua fé através da mesma. Deus honra a fé daqueles que acreditam na sua palavra. Amém!

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

ALIMENTO PARA UMA VIDA ESPIRITUAL SAUDÁVEL.

Achando-se as tuas palavras, logo as comi, e a tua palavra foi para mim o gozo e alegria do meu coração; porque pelo teu nome me chamo, ó SENHOR, Deus dos Exércitos (Jr.15.16).

Jesus disse: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus (Mt.4.4).
O sustento do nosso corpo depende de uma boa alimentação, se nós não nos alimentarmos regulamente o nosso corpo físico fica enfraquecido e vulnerável a adquirir doenças.
O mesmo acontece com a nossa alma, se nós não a alimentarmos com a palavra de Deus, ela fica raquítica, fraca e pobre de nutrientes espirituais. Enquanto o pão serve para nutrir e manter o sustento do nosso corpo, a palavra de Deus é o pão que serve para nutrir e fortalecer a nossa alma e espírito.
Para termos uma vida espiritual saudável e equilibrada, precisamos nos alimentar com frequência da boa palavra de Deus.

SETE DICAS PARA UMA BOA NUTRIÇÃO ESPIRITUAL.

1. Coma o Pão da padaria de Deus diariamente.

Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus (Mt.4.4).

2. Beba o leite racional, puro e genuíno para seu crescimento espiritual.

Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que, por ele, vades crescendo (I Pedro, 2.2).

3. Tome sempre o chá da raiz de Jessé.

Porque brotará um rebento do tronco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará (Isaías, 11.1).

4. Encha o seu ventre com o pão que tem sabor de mel.

Oh! Quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! Mais doces do que o mel à minha boca (Salmos, 119.103).
E disse-me: Filho do homem, dá de comer ao teu ventre e enche as tuas entranhas deste rolo que eu te dou. Então, o comi,  e era na minha boca doce como o mel (Ez.3.3).

5. Beba a água pura e cristalina da fonte espiritual.

Se alguém tem sede, que venha a mim e beba (Jo.7.37).
... Aquele que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna (Jo.4.14).

6. Alimente-se sempre com o manjar do amadurecimento.

Porque qualquer que ainda se alimenta de leite não está experimentado na palavra da justiça, porque é menino. Mas o mantimento sólido é para os perfeitos, os quais, em razão do costume, têm os sentidos exercitados para discernir tanto o bem como o mal (Hebreus, 5.13,14).

7. Nunca esqueça de beber a vitamina da fé. 

De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus (Romanos, 10.17).
Ora, sem fé é impossível agradar-lhe, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe e que é galardoador dos que o buscam (Hebreus, 11.6).
Mas o justo viverá da fé; e, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele (Hebreus, 10.38).

CONCLUSÃO:
O cristão verdadeiro não pode viver sem se alimentar da palavra de Deus. A falta de apetite espiritual é um forte indício de que a sua saúde espiritual não vai bem. O cristão que tem fastio da palavra de Deus e despreza o Livro Sagrado, está fadado ao fracasso e preste a entrar em uma U.T.I. espiritual. 

domingo, 10 de setembro de 2017

ALEGRIA AO AMANHECER.

... O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã (Salmos, 30.5).

Neste salmo Davi exalta a Deus pelo seu favor, pelas vitórias alcançadas. Davi esteve em grande provação, mas clamou ao SENHOR e Ele lhe socorreu. No livro de Eclesiastes capítulo três, o sábio Salomão cita 28 tipos de tempos, e entre eles está o tempo de chorar.
Nesta vida todos nós temos desafios a serem vencidos, temos problemas, lutas, adversidades, momentos de altos e baixos; porém, o nosso alvo é supera-los e vence-los.
A proposta de Deus para nós é de vitória, mas temos que ser forte e confiar no seu poder.
O choro muitas vezes nos serve de lenitivo, nos quebranta, nos fortalece, melhora a nossa estrutura e nos faz refletir melhor sobre a vida.
Você pode está passando pela noite das provações, uma noite (um tempo) que parece não ter fim, mas Deus está providenciando um belo amanhecer de alegria e vitória para sua vida.
Quem chora também se consola, um choro de humilhação diante de Deus move o trono de Deus e Ele se levanta para socorrer o aflito. Está escrito: Por causa da opressão dos pobres e do gemido dos necessitados, me levantarei agora, diz o SENHOR; porei em salvo aquele para quem eles assopram (Sl.12.5).  *ou darei a salvação ao que suspira por ela.
Uma coisa é certa, toda provação terá o seu fim, e o mal não dura para sempre. Depois da tempestade vem a bonança. Depois da noite vem o dia. Depois do choro vem a alegria. Depois da luta vem a vitória.
Deus vai transformar o teu pranto em festejos, a tua tristeza em alegria, a tua humilhação em exaltação e o teu deserto em uma fonte de bênçãos e vitórias.
Descansa no SENHOR, a noite das provações vai passar e haverá um novo amanhecer de alegria, paz e prosperidade na sua vida. Amém!   

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

RENÚNCIA, UMA OPÇÃO DE VIDA.

E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me (Lucas, 9.23).

Renúncia é a opção certa para seguir Jesus. Renunciar é a base necessária para o verdadeiro discipulado cristão. Vivemos em um mundo onde as pessoas não querem deixar a sua zona de conforto para viverem uma vida de renúncias. Renunciar o mundo e seus prazeres é uma questão pessoal. O apóstolo Paulo disse: Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo. E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas e as considero como esterco, para que possa ganhar a Cristo (Filipenses, 3.7,8).
Havia uma grande multidão de pessoas que seguiam a Jesus, porém, poucos estavam dispostos a renúnciar a sua vida e seguir ao mestre. Hoje não é diferente, muitos dizem que são cristãos, seguidores de Cristo, mas poucos na verdade vivem uma vida de renúncia. O problema é que as pessoas querem viver um evangelho de conveniência, que atenda suas vontades. Muitos estão criando seus próprios conceitos, fugindo dos princípios da palavra de Deus e vivendo ao seu bel-prazer.

A VERDADEIRA RENÚNCIA IMPLICA EM TRÊS IMPORTANTES DECISÕES:

1. ABANDONAR O PECADO.

Todavia, o fundamento de Deus fica firme, tendo este selo: O Senhor conhece os que são seus, e qualquer que profere o nome de Cristo aparte-se da iniquidade (II Timóteo, 2.19).
Muitos dizem que estão vivendo uma vida de renúncia, mas ainda não deixaram totalmente o pecado, continuam comungando com o mundo e vivendo na pratica do pecado. Muitos estão satisfazendo suas fraquezas e julgando que a graça de Deus perdoa. São mentes cauterizadas, vivendo um estilo de vida ao seu modo.

2. CONVERTE-SE TOTALMENTE PARA DEUS.

Deixando, pois, toda malícia, e todo o engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações, desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que, por ele, vades crescendo, se é que já provaste que o Senhor é bom (I Pedro, 2.1-3).
Muitos se intitulam cristãos, mas não estão totalmente convertidos; continuam cheios de malícias, enganos, invejas e hipocrisias. Muitos criaram seus próprios conceitos e chegaram a conclusão que Deus vai lhe entender. Todavia, devemos nos converter totalmente para Deus, caso contrário não seremos aceitos na escola do discipulado de Jesus.

3. VIVER PARA GLÓRIA DE DEUS.

Porque o amor de Cristo nos constrange, julgando nós assim: Que, se um morreu por todos, logo, todos morreram. E Ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou (II Coríntios, 5.14,15).
Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus (I Coríntios, 10.31).
Viver para glória de Deus implica em renúncia constante, em se anular, desaparecer e deixar Deus aparecer. Muitos estão satisfazendo o seu ego e buscando a sua própria glória. Muitos querem ser ovacionados pelo público e aplaudidos pela mídia. Porém, todo aquele que teve um encontro real com Deus, não busca a sua própria glória, mas vive para glória de Deus.

CONCLUSÃO:
Viver uma vida de renúncia não é fácil, todavia não é impossível. A renúncia muitas vezes é um processo longo e dolorido, mas vai valer a pena. Na verdade, a renúncia implica em agonizar a fé e se esforçar para agradar a Deus. O resultado da nossa renúncia é ter a identidade de Cristo em nós.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

DEUS ESTÁ NO CONTROLE.

Não se vendem dois passarinhos por um ceitil? E nenhum deles cairá em terra sem a vontade de vosso Pai. E até mesmo os cabelos da vossa cabeça estão todos contados (Mateus, 10.29,30).

Deus está no controle de tudo, nada foge do seu comando, nada lhe pega de surpresa, Ele sabe o fim desde o princípio. Deus não está morto como alguns acreditam e afirmam, mas Deus está vivo e ativo. Ele está em plena atividade, nada foge ao seu controle. O mundo não está entregue a sua própria sorte, como alguns pensam. Deus criou todas as coisas e sustenta todas as coisas pela palavra do seu poder (Hb.1.3).
Deus deu ao homem livre arbítrio, o homem é dotado de poder para decidir entre o certo e o errado, entre o bem e o mal, entre o que moral e o que é imoral e uma série de outras coisas relacionadas.
O problema é que as pessoas fazem tudo errado, e depois querem colocar a culpa em Deus. Assim está escrito: De que se queixa, pois, o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus pecados (Lm.3.39). A verdade é que, a vaidade e o orgulho humano tem causado grandes problemas para humanidade. A natureza está simplesmente dando respostas ao homem, por lhe agredir.
A parti do pecado de desobediência de Adão e Eva, a natureza em geral foi agredida e a terra amaldiçoada. A humanidade degenerou-se e ficou alienada de Deus. Os homens fizeram deuses para si, e buscaram as suas próprias ideias e conceitos.
Muitas vezes as pessoas perguntam: Se Deus existe e está no controle, por que acontecem tantas desgraças no mundo? A resposta seria: O homem está colhendo tudo o que semeou.  A Bíblia diz que os queixumes do homem é a respostas dos seus próprios pecados. De que se queixa, pois, o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus pecados (Lm.3.39).
Infelizmente, tudo que é falso, desonesto, corrupto, imoral, ilegal, pervertido e errado, vem sendo aceito a aplaudido pela mídia e pelas pessoas em sua maioria.

Deus é paz. Mas o homem faz a guerra.
Deus é salvação. Mas o homem busca a destruição.
Deus é amor. Mas o homem semeia o ódio.
Deus é luz. Mas o homem busca as trevas.
Deus é a verdade. Mas o homem cria os seus conceitos.
Deus é a vida. Mas o homem procura a morte.
Deus é o caminho. Mas o homem busca seu próprio caminho.
Enfim, Deus é juiz, e Ele há de julgar a todos, cada um responderá pelas suas obras e ações. Está escrito: Mas Deus é o juiz; a um abate e a outro exalta. Porque na mão do SENHOR há um cálice cujo vinho ferve, cheio de mistura, e dá a beber dele; certamente todos os ímpios da terra sorverão e beberão as suas fezes (Salmos, 75.7,8).

CONCLUSÃO:
Não temas, Deus está no controle de tudo. Ele se importa com você, Ele conhece cada detalhe da sua vida. Você não vai morrer no deserto, o seu cativeiro vai acabar e a tua libertação vai chegar. você não morrerá na caverna, porque as bênçãos de Deus irão te alcançar, e o seu pão não faltará. Amém! 

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

A UNÇÃO QUE DESPEDAÇA O JUGO.

E acontecerá, naquele dia, que a sua carga será tirada do teu ombro, e o seu jugo, do seu pescoço; e o jugo será despedaçado por causa da unção (Isaías, 10.27).

Nesta profecia de Isaías, em uma visão geral, podemos perceber que há uma promessa de livramento e libertação da nação de Israel em relação a nação da Assíria. Assíria naquela época era um império que governava sobre Israel e as demais nações. Era uma nação que se orgulhava por causa do seu poder bélico e um grande exército de homens adestrados para guerra.

Por uma vontade permissiva do Senhor, a Assíria estava dominando sobre Israel. Com o propósito de disciplinar e corrigir o povo de Deus. Deus assim permitiu para que o seu povo viesse a experimentar o crescimento, treinamento no caráter, e uma dimensão espiritual até então desconhecida. A Assíria leva a nação de Israel a vergonha, tristezas e dores na alma, ao ponto tratar o povo de Deus como animais. A Assíria estava estendendo o seu domínio sobre Israel, pela vontade permissiva do Senhor, mas este mesmo Senhor e Deus, jamais perde o controle da situação. O Senhor usa o profeta Isaías, para liberar uma palavra profética, dentro daquela situação. E todo o sofrimento, desprezo, vergonha, derrota, humilhações e lágrimas iria chegar ao fim. Deus promete vingar o seu povo, e coloca um ponto final no seu sofrimento. Como prova do seu amor por Israel Ele lhes faz uma promessa: “E acontecerá, naquele dia, que a sua carga será tirada do teu ombro, e o seu jugo do teu pescoço; e o jugo será despedaçado por causa da unção” (Isaías 10. 27).
Quando visualizamos essa lição, percebemos que, aqui não há nada relacionado à Igreja, mas também percebemos que essas lições são úteis e aplicáveis a vida da Igreja, e a vida de muitos cristãos.

O que é um jugo?
jugo é um acessório feito de madeira que se coloca sobre o pescoço do animal para puxar carga. 
O jugo impede que o animal olhe para a direita ou  para a esquerda, e também não pode olhar para trás e tampouco para cima; só olhava para frente. Esta era a situação da nação de Israel, eles eram escravos e prestavam serviços para o inimigo.
Deus promete tirar a carga e quebrar o jugo.
A promessa do Senhor, é: Vou tirar a carga e quanto ao jugo, não vou apenas tira-lo, mas vou despedaça-lo, e o Senhor assim o faz, para que o povo não mais se lembre do objeto da vergonha, do fracasso e da derrota.
Deus vai quebra o jugo, e o opróbrio vai acabar.

O que é unção?
Unção é um poder, uma autoridade divina concedida para realizar a obra de Deus e fazer proezas em nome do Senhor. Esta unção no Antigo Testamento era concedida aos sacerdotes, profetas, reis e juízes. Na nova Aliança esta unção está relacionada a operação do Espírito Santo na vida dos crentes. O apóstolo João escrevendo aos cristãos do primeiro século disse: E vós tendes a unção do Santo e sabeis tudo. E a unção que vós recebestes Dele fica em vós ... (I João, 2.20,27).
A unção capacita o crente e o reveste de uma autoridade espiritual para realizar a obra de Deus. Jesus disse aos seus discípulos: Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra (Atos, 1.8). 
Jesus foi o homem mais ungido que já pisou aqui nesta terra. O apóstolo Pedro nos atesta dizendo: Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele (Atos, 10.38). 

Conclusão:
Na vida dos filhos de Deus, nenhuma carga permanece para sempre. Jesus Cristo, já quebrou o nosso jugo, nos tirando da escravidão do pecado e removeu a carga da opressão, do medo e da maldade.
Você pode estar se perguntando: Então, por que sofro tanto? E essa vida de escravidão espiritual, psicológica e financeira, por que? Independente dos porquês, Deus te chamou para vencer; é só acreditar. Se Ele te chamou e te escolheu, a carga foi tirada dos teus ombros, e o jugo já foi despedaçado por causa da unção. 
Toda ação contraria que vem contra sua vida: Opressões, fracassos, humilhações, sofrimentos e sentimentos de derrota, tudo isso cairá por terra e será despedaçado pela unção. 
Há um novo começo para sua vida, há um novo caminho para você trilhar, há uma nova promessa para o teu coração e uma nova unção para sua vida. Amém!   

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

AS QUATRO DIMENSÕES DO OLHAR DE DEUS.

Deus olhou desde os céus para os filhos dos homens, para ver se havia algum que tivesse entendimento e buscasse a Deus (Salmos, 53.2).

Deus quando olha Ele não ver como ver o homem, o homem ver o que é aparente, o exterior; porém, Deus ver além, Ele ver o íntimo, o mais profundo do ser. O olhar de Deus é um olhar de favorecimento, a sua intenção é atender as necessidades do homem e transformar o seu estado de miserabilidade, alcançando-o pela sua graça.

* OLHAR DE FAVORECIMENTO.

E Jesus, vendo a fé deles, disse ao paralítico: Filho, tem bom ânimo; perdoados te são os teus pecados (Mateus, 9.2).
 
* OLHAR DE COMPAIXÃO.

E, vendo-a, o Senhor moveu-se de íntima compaixão por ela e disse-lhe: Não chores (Lucas, 7.13).

* OLHAR DE MISERICÓRDIA.

E, endireitando-se Jesus e não vendo ninguém mais do que a mulher, disse-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? Ela disse: Ninguém, Senhor.
E disse-lhe Jesus: Nem eu também te condeno; vai-te e não peques mais (João, 8.10,11).  

* OLHAR DE AMOR.

E Jesus olhando para ele, o amou e lhe disse: Falta-te uma coisa ... (Marcos, 10.21).

Jesus olhou nos olhos daquele jovem rico e o amou. Que teria Jesus visto no profundo, no interior daquele jovem? Vaidade? Ignorância ? orgulho? Amor ao dinheiro?...
Não sabemos, todavia, Jesus viu tudo o que enchia aquele pobre coração. Era rico de bens materiais, mas, na verdade, era pobre dos verdadeiros valores que fazem uma pessoa feliz. Jesus lhe disse: "Falta-te uma coisa".
Falta-te o principal. Guardaste a Lei (se é que guardaste), mas falta-te o mais importante: Te converteres totalmente a Deus e seguir e amar JESUS acima de tudo.
Jesus disse: Vai, e vende tudo o que quanto tens, e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem e segui-me. Seguir Jesus, implica em renuncias.                         
Renunciar tudo o que enche o ego e torna-se servo de Deus, é o grande desafio que Jesus propõe.  "Vem e segue-me..." Terás a vida eterna, um verdadeiro tesouro, aqui, agora e no futuro.
Jesus o amou e ofereceu-lhe o que de melhor há - Paz e vida abundante.
Jesus te ama e oferece-te o melhor, não o que você quer, mas o que precisas. Paz com Deus, perdão, libertação e vida eterna. Experimenta acreditar no amor Dele). Amém!

sábado, 19 de agosto de 2017

O Nome de Deus é JEOVÁ?

Para que saibam que tu, a quem só pertence o nome de JEOVÁ, és o Altíssimo sobre toda a terra (Salmos, 83.18).
Cantai a Deus, cantai louvores ao seu nome; louvai aquele que vai sobre os céus, pois o seu nome é JEOVÁ; exultai diante Dele (Salmos, 68.4).

Tetragrama Sagrado YHVH ou YHWH (mais usado), (יה-וה, na grafia original, o hebraico), refere-se ao nome do Deus de Israel em forma escrita já transliterada e, pois, latinizada, como de uso corrente na maioria das culturas atuais. A forma da expressão ao declarar o nome de Deus YHVH (ou JHVH na forma latinizada) deixou de ser utilizada há milhares de anos na pronúncia correta do hebraico original (que é declarada como uma língua quase que completamente extinta). As pessoas perderam ao longo das décadas a capacidade de pronunciar de forma satisfatória e correta, pois a língua precisaria se curvar (dobrar) de uma forma em que especialistas no assunto descreveriam hoje em dia como impossível.
Originariamente, em aramaico e hebraico, era escrito e lido horizontalmente, da direita para esquerda יה-וה; ou seja, HVHY. Formado por quatro consoantes hebraicas — Yud י Hêi ה Vav ו Hêi ה ou יה-וה, o Tetragrama YHVH tem sido latinizado paraJHVH já por muitos séculos.

O tetragrama aparece 6.828 vezes — sozinho ou em conjunção com outro “nome” — no texto hebraico do Antigo Testamento, a indicar, pois, tratar-se de nome muito conhecido e que dispensava a presença de sinais vocálicos auxiliares (as vogais intercalares).
Os nomes YaHVeH (vertido em português para Javé), ou YeHoVaH (vertido em português para Jeová), são transliterações possíveis nas línguas portuguesas e espanholas, mas alguns eruditos preferem o uso mais primitivo do nome das quatro consoantes YHVH; já outros eruditos favorecem o nome Javé (Yahvéh ou JaHWeH). Ainda alguns destes estudiosos concordam que a pronúncia Jeová (YeHoVaH ou JeHoVáH), seja correcta, sendo esta última a pronúncia mais popular do Nome de Deus em vários idiomas.

A antiguidade e legitimidade do Tetragrama como O Nome de Deus para os judeus pode ser comprovada na conceituada tradução para o grego da Bíblia Hebraica, chamada Septuaginta Grega, onde o Tetragrama aparece escrito emhebraico arcaico ou páleo-hebraico. Foram encontrados fragmentos de cópias primitivas da LXX (Papiro LXX Lev. b, Caverna n.º 4 de Qumran, datado como sendo do Século I a.C.) onde o Tetragrama YHWH’ é representado em letras gregas (Levítico 3:12; 4:27).
Estudos revelam que apenas em cópias posteriores da Septuaginta Grega, datadas do final do Século I d.C. em diante, os copistas começaram a substituir o Tetragrama YHWH por Kýrios, que significa SENHOR (em letras maiúsculas) e por Theós, que significa Deus. Essa foi a razão de YHWH ter desaparecido graficamente do texto do Novo Testamento em algumas traduções bíblicas.

O Códice Leningrado, do Século XI
Na segunda metade do primeiro milénio na nossa era, os escribas conhecido por massoretas introduziram um sistema de sinais vocálicos para facilitar a leitura do texto consonantal em hebraico que poderia conduzir a inúmeros significados e em vez de inserir os sinais vocálicos correctos de YHWH, colocaram outros sinais vocálicos para lembrar ao leitor que ele devia dizer Adhonai (“Soberano Senhor”) ou Elohím (“Deus”).[9]
O Códice de Leningrado, do Século XI, tem no Tetragrama YHWH, sinais vocálicos para orar a YehvíhYehváh e Yehováh. A edição de Ginsburg do texto massorético tem sinais vocálicos para que ore a Yehováh. (Gênesis 3:14) Os hebraístas em geral são a favor de Yahvéh como a pronúncia mais provável. Salientam que a forma abreviada do nome é Yah (ou Jah, na forma latinizada), como no Salmo 89:8 e na expressão HaleluYah (que significa “Louvai a Jah!”; em português, é vertida por Aleluia).

Muitos eruditos e tradutores da Bíblia defendem que se siga a tradição de eliminar o nome de Deus. Alegam que a incerteza a respeito da pronúncia do Tetragrama YHWH justifica a eliminação, e também sustentam que a supremacia e a existência ímpar do Verdadeiro Deus tornam desnecessário que Ele tenha um nome específico para se diferenciar dos “demais deuses”. Mas este conceito não encontra apoio na Bíblia, quer no Antigo Testamento, quer no Novo Testamento.

A posição atual das Testemunhas de Jeová sobre este ponto resume-se ao seguinte: Visto que, atualmente, não se pode ter certeza absoluta da pronúncia do nome de Deus, parece não haver nenhum motivo para abandonar a forma bem conhecida, Jeová (em português), em favor de Javé ou outra forma hipotética. Se tal mudança fosse feita, então, a bem da coerência, deviam ser feitas alterações na grafia e na pronúncia de uma infinidade de outros nomes encontrados na Bíblia. Por exemplo, no caso de Jeová ser alterado para Javé, Jeremias seria mudado para Yir.meyáh, Isaías se tornaria Yesha.yá.hu, e Jesus seria pronunciado Yehoh.shú.a em hebraico ou I.e.soús, no grego. Assim, para as Testemunhas de Jeová, conhecer, usar e divulgar o nome pessoal de Deus é considerada a questão mais importante, mesmo que não se conheça a pronúncia original deste nome sagrado.

CONCLUSÃO:
Visto que a pronunciação original de יהוה é desconhecida, e visto que já por séculos o uso da tradução Jeová passou a ser amplamente divulgado e estabelecido entre muitos cristãos, tornando-se uma pronúncia familiar em muitos idiomas, vários grupos religiosos, mais notavelmente asTestemunhas de Jeová, continuam a usá-la, ainda que muitos outros grupos religiosos favoreçam a pronúncia Javé ou Yahvé, ou mesmo o titulo SENHOR.

Esta postagem foi extraída de forma resumida e adaptada para o Blog Pregando a Verdade.
Fonte:  http://www.universidadedabiblia.com.br/tetragrama-yhvh-o-nome/