sábado, 20 de maio de 2017

ANÔNIMOS A SERVIÇO DE DEUS

Geralmente as pessoas não querem ficar no anonimato, muitos preferem ter o seu nome divulgado pela mídia e se tornarem celebridades aplaudidas pelo povo. Porém, nem sempre será assim, muitas vezes Deus prefere usar os anônimos, para realizar grandes feitos. Existem pessoas que não estão em destaque, não são conhecidas e nem tem status social; mas algumas destas pessoas irão ser útil para Deus em algum tempo da história. No decorrer da história nós vamos encontrar na bíblia várias pessoas que apareceram uma única vez para servir. Há na bíblia vários personagens que prestaram um grande serviço e marcaram a história. Porém, os seus nomes não foram revelados e eles ficaram no anonimato. É melhor ser um anônimo usado por Deus, do que ser uma celebridade que promove a sua própria glória. 

APARECENDO UMA ÚNICA VEZ PARA SERVIR.

Entre os muitos anônimos na bíblia que se destacaram pelos seus serviços prestados, iremos destacar apenas três.

UMA MENINA ESCRAVA.

E Naamã, chefe do exército do rei da Síria, era um grande homem diante do seu senhor e de muito respeito; porque por ele o SENHOR dera livramento aos sírios; e era este varão homem valoroso, porém leproso.
E saíram tropas da Síria e da terra de Israel levaram presa uma menina, que ficou ao serviço da mulher de Naamã. E disse esta à sua senhora: Tomara que o meu senhor estivesse diante do profeta que está em Samaria; ele o restauraria  da sua lepra.
Então, entrou Naamã e o notificou a seu senhor, dizendo: Assim e assim falou a menina que é da terra de Israel. Então, disse o rei da Síria: Vai, anda, e enviarei uma carta ao rei de Israel ... (II Reis, 5.1-5).

Naamã era comandante do exército da Síria, era um grande, homem valoroso, muito respeitado e honrado. Ele tinha vencido muitas batalhas, mas tinha um inimigo que não conseguia vencer; ele tinha uma terrível doença de pele incurável, chamada lepra.
Numa de suas campanhas militares, os sírios invadiram o território de Israel e levaram cativa uma menina, que passou a servir a esposa de Naamã. Um dia a menina sugeriu à sua patroa: “Quem me dera o meu senhor procurasse o profeta que está em Samaria! Com certeza ele o curaria da sua lepra”.
Então Naamã comentou essa informação ao rei, seu senhor. E o rei da Síria respondeu: “Vai depressa com esta carta de apelo ao rei de Israel”. Ele partiu e levou consigo trezentos e cinquenta quilos de prata, setenta e dois quilos de ouro e dez mudas de roupas finas.
Então indo ele ao profeta Eliseu, Eliseu mandou um mensageiro lhe dizer: Vai e lava-te sete vezes no Jordão e a tua pele será restituída e ficará limpa. Naamã a princípio não acreditou nas palavras do profeta, duvidou e resistiu, porém após ser incentivado por um dos seus servos, ele obedeceu. E, após ele mergulhar sete vezes no rio Jordão, ficou completamente curado da sua lepra. 
Temos aqui uma cura operada por Deus através do profeta, porém a menina foi a protagonista desta história. O comandante Naamã foi curado e o nome do SENHOR foi glorificado. 
 

UM RAPAZ NO MEIO DA MULTIDÃO.

Jesus ergueu os olhos e, vendo uma grande multidão que vinha em sua direção, disse a Filipe: “Onde compraremos pães para lhes dar a comer?”  
Mas disse isso apenas para o provar, pois Ele bem sabia o que ia fazer. Filipe lhe respondeu: “Duzentos denários não seriam suficientes para que cada um recebesse um pequeno pedaço de pão.” 
 Um de seus discípulos, André, irmão de Simão Pedro, disse a Jesus: Há aqui um rapaz com cinco pães de cevada e dois peixes pequenos; mas de que servem no meio de tanta gente? 
Então Jesus disse: “Fazei que o povo se assente”; pois havia muita grama naquele lugar. 
Assim, assentaram-se os homens em número de quase cinco mil. Jesus pegou os pães e, tendo dado graças, repartiu-os entre os discípulos,e para os que estavam assentados; e da mesma maneira se fez com os peixes, tanto quanto desejaram.  
E quando estavam fartos, disse Jesus aos seus discípulos: “Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca.” Assim sendo, eles os ajuntaram e encheram doze cestos com os pedaços dos cinco pães de cevada, deixados por aqueles que haviam comido.  
Então, vendo aqueles homens o sinal que Jesus havia realizado, disseram: “Este é, verdadeiramente, o Profeta que devia vir ao mundo.”(João, 6.5-14).

Todos os evangelhos sinóticos, Mateus, Marcos e Lucas, narram o milagre da multiplicação dos pães operado por Jesus. Porém, apenas o evangelho de João registra a presença de um rapaz no meio da multidão, que tinha cinco pães e dois peixes pequenos.
Temos aqui um anônimo dando a Jesus tudo o que ele tinha. Jesus não perguntou o nome daquele rapaz, nem tão pouco ele fez questão de ser identificado pelo nome, a sua intenção era apenas servir. 
Os servos anônimos podem não serem conhecidos pelo povo, nem ter o seu nome divulgado; todavia Deus os conhece e sabe perfeitamente tudo a seu respeito. O importante não é sermos conhecidos pelas nossas boas ações ou serviços, e sim a nossa boa intenção em ajudar sem querermos nada em troca.  

UM HOMEM SERVIU A JESUS UMA SALA MOBILIADA PARA PÁSCOA.

Finalmente, chegou o Dia dos Pães sem fermento, no qual devia ser sacrificado o cordeiro pascal. Então Jesus enviou Pedro e João, recomendando: “Ide preparar-nos a Páscoa para que a ceiemos juntos!” E eles lhe perguntaram: “Onde desejas que a preparemos?” Ao que Ele lhes orientou: “Ao entrardes na cidade, encontrareis um homem carregando um cântaro de água; segui-o até à casa em que ele entrar e comunicareis ao proprietário da casa: ‘O Mestre manda indagar-te: Onde é o salão de hóspedes no qual poderei cear a Páscoa com os meus discípulos?’. Então ele lhes mostrará uma ampla sala no andar superior, toda mobiliada; ali fazei os preparativos”. E, seguindo, tudo encontraram conforme Jesus lhes havia predito e prepararam a Páscoa (Lucas, 22.7-13). 

Jesus gosta de trabalhar com os anônimos, quando Ele enviou Pedro e João para preparar a Páscoa eles perguntaram, onde? Jesus os orientou a entrar na cidade, e lá eles iriam encontrar um homem carregando um pote de água. Segundo a tradição da época, era praticamente impossível encontrar um homem carregando um cântaro de água; essa função era costume das mulheres. Mas, uma ordem dada por Jesus não deve ser questionada. Eles foram e encontraram o homem, observe que Jesus não mandou os discípulos perguntar o nome do homem, e sim segui-lo até a sua casa. Para Jesus o que importa não é a divulgação do nosso nome, mas a nossa disposição em servi-lo. Quando tocamos trombeta para sermos vistos e reconhecidos, todo o nosso serviço será reprovado por Deus. 

Jesus disse: Guardai-vos de fazer a vossa caridade e obras de justiça diante dos homens, com o fim de serem vistos por eles; caso contrário, não tereis qualquer recompensa do vosso Pai que está nos céus.
Por essa razão, quando deres um donativo, não toques trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas, nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Com toda a certeza vos afirmo que eles já receberam o seu galardão. Tu, porém, quando deres uma esmola ou ajuda, não deixes tua mão esquerda saber o que faz a direita. Para que a tua obra de caridade fique em secreto: e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará (Mateus, 6.1-4).

CONCLUSÃO:
Os anônimos são muitas vezes heróis que não aparecem, muitos preferem ter o seu nome reconhecido e divulgado na mídia, não querem ficar no anonimato. As pessoas geralmente gostam de aparecer e querem ser famosas. Mas, é melhor está no anonimato dentro da vontade de Deus, do que está na mídia na mira dos holofotes, sendo o centro das atenções, e fora da vontade de Deus.
Não se preocupe em aparecer, em ser conhecido, faça tudo para glória de Deus, e Deus te recompensará. Amém! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário