sábado, 29 de julho de 2017

UM MILAGRE QUE CONTRARIOU A CIÊNCIA DOS HOMENS.

Em outra ocasião, os discípulos dos profetas sugeriram a Eliseu: “Como vês, o lugar em que moramos, perto de ti, tornou-se pequeno demais para nós. Vamos até o Jordão e ali cada um de nós cortará um tronco a fim de podermos construir ali mesmo um local para reuniões”. E Eliseu aquiesceu dizendo: “Ide!” Então um deles o convidou: “Queiras vir com teus servos!” E ele respondeu: “Irei!” Assim foi com eles. Chegando ao Jordão, puseram-se a derrubar árvores. Entretanto, quando um deles estava cortando um tronco, o ferro do machado caiu nas águas do rio. E ele imediatamente gritou: “Ah! Meu senhor! Este machado fora tomado de empréstimo”. Ao que o homem de Deus indagou: “Onde caiu o machado?” e, imediatamente, outro servo lhe apontou o lugar. Então Eliseu cortou um galho e o jogou na direção indicada, fazendo o ferro do machado subir a tona e flutuar sobre as águas. Então disse ao servo: “Pega-o!” Ele estendeu o braço e tomou o machado nas mãos (II Reis, 6.1-7).

Os discípulos dos profetas também são mencionados em 4.38. Aqui ao que parece, Eliseu era o lider dessa comunidade. O lugar em eles habitavam era pequeno, pelo que eles sugeriram a Eliseu que fossem ao Jordão cortar madeira para ampliar o lugar. A pedido dos discípulos, Eliseu os acompanhou para os ajudar na execução do projeto. Enquanto cortavam árvores, um machado de um dos que cortavam, soltou-se do cabo e caiu na água. Para complicar a situação, o machado não pertencia ao trabalhador, era emprestado. O grito do homem: “Ah! Meu senhor! Este machado fora tomado de emprestado”. Demonstra o desespero, por não ter como paga-lo, já que o ferro era um metal caro naquela época. Ao ser chamado, Eliseu lançou um pedaço de pau na água e fez flutuar o ferro. Não há como explicar este acontecimento sem reconhecer o poder de Deus efetuado por meio do profeta. O Deus que criou a lei da gravidade, é também o Deus que quebra a lei e faz o machado flutuar acima das águas, contrariando a ciência dos homens.

LIÇÕES ANTES DE ACONTECER O MILAGRE:

PREOCUPAÇÃO.
E disseram os filhos dos profetas a Eliseu: Eis que o lugar em que habitamos diante da tua face nos é estreito (vers.1).
Os discípulos de Eliseu se preocuparam com o espaço que estava pequeno e precisava ampliar para que todos se sentissem mais acomodados. Este tipo de preocupação é salutar, quando nós nos preocupamos com a obra de Deus, Ele providencia todas as coisas e cuida também de nós. 

COOPERAÇÃO.
Vamos, pois, até ao Jordão, e tomemos de lá, cada um de nós, uma viga ... (vers.2).
E disse um: Serve-te de ires com os teus servos. E disse: Eu irei (vers.3).
Não devemos fazer a obra sozinho, é preciso obreiros para nos ajudar, precisamos de pessoas para cooperar e nos ajudar a fazer a obra.
Aprendemos que, onde há cooperação e união, a bênção de Deus vem sobre todos. Leia, salmos 133.

PROSPERIDADE.
Façamo-nos ali um lugar para habitar ... (vers.2).
O lugar em eles habitavam era pequeno, pelo que eles sugeriram a Eliseu que fossem ao Jordão cortar madeira para ampliar o lugar. A tendência da obra é crescer e prosperar, e quando a obra de Deus prospera, nós prosperamos juntos. Não se desespere, espere em Deus, e aguarde o tempo da sua prosperidade.

TRABALHO.
E foi com eles; e, chegando eles ao Jordão, cortaram madeira (vers.4).
Toda prosperidade requer trabalho, é impossível haver prosperidade sem trabalho. 
Deus está pronto para nos fazer prosperar, mas é preciso que haja esforço e trabalho da nossa parte.

ACIDENTE.
E sucedeu que, derrubando um deles uma viga, o ferro caiu na água; e clamou: Ai! Meu senhor! Porque o machado era emprestado (vers.5).
Um machado de ferro, naqueles dias, era uma ferramenta muito cara, e esse pobre homem ficou aflito ao pensar na sua responsabilidade pela ferramenta emprestada.
No sentido espiritual, tem muitos cristãos que perderam o machado (a sua vida de comunhão com Deus), e estão afogados num rio de pecados e contradições. Quando perdemos o machado, não temos mais condições de fazer a obra. 

PROVISÃO E MILAGRE.
E disse o homem de Deus: Onde caiu? E, mostrando-lhe ele o lugar, cortou um pau, e o lançou ali, e fez flutuar o machado (vers.6).
Eliseu lançou um pedaço de pau na água e fez flutuar o ferro. Não há como explicar este acontecimento sem reconhecer o poder de Deus efetuado por meio do profeta. O Deus que criou a lei da gravidade, é também o Deus que quebra a lei e faz o machado flutuar acima das águas, contrariando a ciência dos homens.
O milagre serviu para mostrar o cuidado e a provisão de Deus para aqueles que confiam nEle. Mesmo nos acontecimentos mais insignificantes da nossa vida cotidiana, Deus está sempre presente e pronto para restituir o que perdemos. Amém!

Nenhum comentário:

Postar um comentário